Catálogo de peixes comerciais do baixo Rio Tocantins

Catálogo de peixes comerciais do baixo Rio Tocantins

(Parte 1 de 7)

CONSELHONACIONALDE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICOE TECNOLOGICO- CNPq

INSTITUTONACIONALDE PESQUISAS DA AMAZ6NIA- INPA o ~T 1,1 1 Centre Oacum::Jaion

"PBOJEfO fUCUBUI

Geraldo Mendes dos Santos Michel Jegu Bernard de Merona

l.a ediçào

Manaus-AM 1984

• Geraldo Mendes dos Santos

INPA - Estrada do Aleixo, Km 4, Cx. Postal 478 69000 - Manaus - AM

• Michel Jegu INPA - Estrada do Aleixo, Km 4, Cx. Postal 478

ORSTOM, 24 rue Bayard 75008, Paris, France

• Bernard de Merona

INPA - Estralla do Aleixo, Km 4, Cx. 478 69000 - Manaus - AM

ORSTOM, 24 rue Bayard 75008, Paris, France

SANTOS, Geraldo Mendes dos; JEGU, Michel;

MERONA, Bernard de. Catalagode peixes comerciaisdo baixo rio Tocantins;projeto Tucuruî. Manaus, ELETRONORTE/CNPqIINPA, 1984. il.

1. Ictiologia. 2. Piscicultura.

Agradecimen tos05
Introduçào07
Metodologia10
de peixes comerciais12
peixes comerciais15
tes grupos de peixes69
GIossario ,73
espécies comerciais76
ReIaçào bibliografica80

3 Chave de identificaçào das Familias Descriçào das Familias e espécies de Figuras e esquemas sobre algumas estruturas morfoI6gicas em diferen- Lista das espécies de peixes do baixo rio Tocantins, corn indicaçào das Indice dos nomes vulgares e cientificos dos peixes comerciais........... 82

Agradecemos ao INPA e à

ELETRONDRTEque, através de um convênio e em estreita cooperaçào, colocaram ao nosso alcance os meios necessarios para a realizaçào desta obra, dando-nos também a oportunidade de uma visào mais global sobre o ambiente e a ictiofauna da bacia do Tocantins.

Agradecemos às pessoas que de todo modo nos auxiliaram, principalmente confiando em nosso trabalho e defendendo conosco a idéia de que qualquer tentativa de gerar informaçôes técnico-cientificas, sobre os ambientes dos grandes reservat6rios que ora se implantam na Amazônia, sera mais util que a omissào ou as criticas feitas a distància, mesmo que no melhor dos prop6sitos.

Agradecemos aos Drs. Gelso Vazzoler,

Roberto dos Santos Vieira, Juan Revilla e José Cristiano do Prado Matos que, na coordenaçào do projeto, nos deram todo 0 apoio possivel.

Agradecemos também aos Drs. Jacques

Gery, Naércio Aquino Menezes, Heraldo Britski, Julio Cesar Garavello e Isàac Isbrucker pela identificaçào de algumas espécies e pela discussào geral que mantivemos sobre os peixes amazônicos. Agradecemos à srta. Circe Duarte pelo trabalho de datilografia do texto e ao Sr. Anazildo Sena Mateus pela persistente ajuda na organizaçào e manutençào do materialestudo.

Agradecemos à Dra. Emiko K. Rezende, aos MSc. Gercilia M. Soares, Francisco M. Carvalho, Raimunda G. Almeida e aos Srs. Jair 1. Carvalho e Celso R. Costa pela cooperaçao nos estudos sobre aquela ictiofauna.

• agradecimento Eletronorte

AELETRONORTEagradecea valiosa contribuiçao dos cientistas GeraldoMendes dos Santos, Miguel Jegu e Bernard de Merona autores do presente trabalho, pela cessào dos direitos autorais e fotograficos,da presente obra.

Este trabalho é resultado dos estudos que 0 INPA, em convênio corn a ELETRONORTE,vern desenvolvendo desde

1980, na area de inDuência da hidrelétrica de Tucurui, a primeira grande usina construida na Amazônia brasileira.

Os projetos de pesquisa referentes a este convênio intitulados "Estudos de ecologia e controle ambiental na regiào do Reservatôrio da URE de Tucurui" congregam, na verdade, diferentes linhas de atuaçào e têm a participaçào de grande numero de pesquisadores, todos empenhados, naturalmente, em melhor conhecer as condiçôes naturais e as modificaçôes que direta e indiretamente poderiam ser ocasionadas lpela construçào daquela hidrelétrica.

Os estudos desenvolvidos, entre 1980 e

1983, compreendem apenas a fase anterior ao enchimento do reservatôrio, uma .vez que 0 represamento das aguas ocorreu a partir de 06 de setembro de 1984.

Os referidos projetos ja estào tende continuidade na fase de p6s-enchimento e isso é imperativo quando se objetiva à avaliaçào dos princip ais efeitos sobre 0 ecossistema ligado ao represamento do rio.

Os resultados e informaçôes decorrentes dos estudos sobre a ictiofauna do baixo rio Tocantins encontram-se condensados nos relat6rio.stécnicos semestrais, apresentados pela equipe responsavel do INPA-

ELETRONORTE,estando, em elaboraçào, um livro sobre pesca e alguns trabalhos sobre auto-ecologia de determinadas espécies de peixe (vide relaçào bibliografica anexa).

A presente obra, parte do subprojeto

"Ictiofauna:' é fruto de um trabalho de base que foi desenvolvido para dar suporte aos demais estudos ictiol6gicos naquela area, uma vez que nào se poderia fornecer informaçoes sobre biologia e ecologia dos peixes, sem 0 conhecimento preliminar das espécies que ali ocorriam. Além disso e coma é do conhecimento geral dos que trabalham no campo da ictiologia, 0 estagio atual da sistematica de peixes da Amazônia é insatisfat6rio e todo trabalho de identificaçào é marcado quase sempre por duvidas e,às vezes,até mesmo por incorreçoes. Nasceu, justamente dali, a necessidade de se elaborar um catalogo onde pudesse ser anotado 0 resultado dos trabalhos da identificaçào, acompanhado dedescriçoes sucintas das caracteristicas apresentadas pela material- estudo e pelas categorias às quais pertence.

Espera-se que este material, juntamente corn outros provenientes de diferentes regioes da Amazônia,possa se constituir numa base fundamental para 0 entendimento mais apropriado dos processos de especificaçào e 0 estabelecimento do padrào geral de distribuiçào .das espécies de peixe nesta bacia que encerra cerca de 1/3 dospeixes de agua doce do mundo.

A importância deste tipo de abordagem se realça ainda mais quando lembramos que uma das conseqüências mais not6rias, decorrentes da construçào de uma represa, é a transformaçào do ambiente 16ticoem lêntico e portanto, corn modificaçoes na composiçào e estrutura da ictiofauna. Este fato pode, naturalmente, induzir fortes reflexos sobre as populaçoes humanas que.dependem, basicamente, dos recursds pesqueiros para sua alimentaçào e economia, 0 que,alias, sucede de maneira marcante nas cornunidadesamaz6nicas.

Neste trabalho, tratamos apenas das espécies comerciais, isto é, daquelas que figuram cornumente nos mercados da regiào e que,portanto, sào pescadas e consumidas pelas populaçoes locais. Estas corresponderam acerca de 50% das 300 espécies que ja foram por n6s inventariadas apenas no leito do baixo rio Tocantins (relaçào anexa). Como se pode observar, a diversidade da fauna é muitogrande e 0 aproveitamento do pescado muito eficiente, principalmente quando comparado corn aquele registrado nos grandes centros consumidores da Amazônia, onde a produçào e consumo giram em torno de uma dezena de espécies (Petrere Jr., 1978; Santos &. Jegu, 1984):

Um fato comum,referente aos peixes amazônicos e claramente denotado neste trabalho, é que 0 nome de uma espécie comercial corresponde, na verdade,a vârias espécies biol6gicas, nào sendo raro uma espécie ter diferentes nomes, de acordo corn a regiào considerada. Isso serve bem para demonstrar os enganos em que se pode incorrer quando se utiliza apenas os nomes comuns de peixes comerciais e também para chamar a atençào sobre a importância do inventario taxonômico, principalmente em areas de grandes barragens, onde geralmente se planeja desenvolver trabalhos de investigaçào, monitoramento, acompanhamento e controle dos recursos pesqueiros.

Os trabalhos referentes ao subprojeto ictiofauna foram desenvolvidos no baixo rio Tocantins, um trecho compreendido entre sua foz no rio Para-Amazonas, pr6ximo a Belém e a desembocadura do rio Araguaia, seu principal afluente, nas proximidades da cidade de Sào Joào do Araguaia; abrangendo um percurso de cerca de 500 km, orientado no sentido norte-sul, entre as coordenadas de 2°6'S e 48 0 e 51' W e situado inteiramente no estado do Para (Fig. 1). Neste trecho,o

Tocantins atravessa três regi6es bem distintas, tante do ponta de vista geomorfol6gico,como habitacional e que, resumidamente, podem ser caracterizadas pelos seguintes aspectos:

- regiâo de lagos: situada logo à jusante da cidade de Maraba e da foz do rio Itacaiunas. Ai,o rio penetra numa pequena planicie, havendo,em conseqüência, um alargamento da calha, uma reduçào da correnteza e a deposiçào de sedimentos nas margens durante as inundaçoes, no periodo de enchente do rio (novembro a abril). Devido a isso, formam-se varios lagos marginais ap6s 0 retorno das aguas ao leito principal. No pico da vazante, estes lagos,geralmente, perdem a ligaçào corn 0 rio sem,contudo, secarem,ja. que sua profundidade média, neste periodo,é de 1.2 metros. A densidade humana nesta zona pode ser considerada média, de 4 a 7 habitantes por km' e é dominada fortemente por uma populaçao rural.

- regiio de corredeiras:Compreende uma zona de cerca de 80 km de extensao acima de Tucurui, isto é, à montante da barragem. Nesta regiao,o rio é raso, de fundo pedregoso e corn muitas corredeiras, algumas das quais corn bruscos desniveis, chegando mesmo a impedir a navegaçao no periodo de vazante. É justamente na parte mais à jusante e estreita destas corredeiras que foi erguida a barragem de Tucurui, situada a 2 km da cidade de mesmo nome. Devido,principalmente, a estas razôes, esta area apresenta uma baixissima densidade populacional na zona rural, uma vez que a maioria das familias que la habitavam foi evacuada para liberaçao da area que corresponde ao reservat6rio de Tucurui.

- regiio de desembocadura:esta regiao se situa abaixo de Tucurui' e corresponde, praticamente, a um yale afogado do rio Tocantins, sendo que grande parte dele se encontra sob influência direta das marés. Nesta regiao,o rio se alarga enormemente, reduzindo a correnteza pelo bloqueio das âguas do estuârio, constituindo uma grande zona de sedimentaçao, entrecortada por ilhas de areia e de florestas densas. Nestas âreas, ocorre uma grande densidade populacional, tanto rural coma urbana, mais concentrada nos seus extremos, isto é, à jusante, devido,principalmente, à proximidade corn 0 mar e corn a cidade de Belém e,à montante, devido à: forte influência causada pela barragem da hidrelétrica de Tucurui.

Queremos deixar claro que esta obra foi realizada corn 0 simples objetivo de contribuir para 0 conhecimento da ictiofauna, em especial daquelas espécîes que constituem a base dos recursos pesqueiros do baixo rio Tocantins, na ârea sob influência da hidrelétrica de Tucurui. Como ela se destina a pessoas das mais diferentes âreas de atuaçao e interesse (pesquisadores, pescadores, legisladores e fiscalizadores sobre pesca e pescado, etc.),é natural que naD possa satisfazer igual e plenamente a todos e, por is'so,esteja muito sujeita a criticas; estas,no entanto, do mesmo modo que possiveis elogios, constituir-se-ao numa importante recompensa a nosso trabalho porque s6 surgirao à medida que a obra for utilizada e esta é, em essência, a sua unica finalidade.

As espécies comerciais tratadas no presente trabalho, bem coma as demais que comp6em a coleçâo-referéncia montada no INPA, foram coletadas pela grupo de pesquisadores responsâveis pela subprojeto Ictiofauna no baixo rio Tocantins, entre 1980 e 1982. Além destas, algumas espécies l'aras ou capturâveis apenas corn aparelhos especiais da pesca comercial foram adq uiridas nos mercados da regiâo e incorporadas âquele acervo.

A maioria das coletas foram realizadas semestralmente, cada uma corn cerca de 25 dias de duraçâo, no periodo de trés anos. Nestas excurs6es, coletava-se em toda a zona compreendida entre Cameta e Itupiranga, em estaç6es préfixadas, (Fig. 1) utilizando-se, para isso, de malhadeiras padronizadas, corn malhas de 30 a 160 m entre n6s opostos, além de outros aparelhos coma tarrafa, redinha de cerco, espinhel, eletricidade, ictiot6xico e puça, visan do a que 0 inventârio fosse 0 mais completo possivel.

A major parte do material coletado foi utilizada no campo para obtençâo de dados sobre produçâo, seletividade dos aparelhos de pesca, biologia e ecologia das espécies e outra parte foi destinada à üustraçâo, levantamento de dados taxonômicos e organizaçâo de uma coleçâo-referência.

A classificaçâo aqui seguida para os

Characoidei é baseada principalmente em Greenwood, P. et al (1966) e Gery, J. (1972,1977) e para as demais Ordens ou Subordens, em Greenwood, P. et al (1966) e Nelson, J. (1976); as caracteristicas citadas nas chaves e descriç6es, no entanto, sâo essencialmente aquelas que se aplicam apenas âs espécies comerciais aqui consideradas e dizem respeito, basicamente, aos atributos de facil reconhecimento, mesmo para individuos corn razoavel informaçao sobre ictiologia.

A literatura basica e sobre a quaI nos guiamos para a alaboraçao deste catalogo é apresentada na relaçao bibliografica anexa e é destinada, sobretudo, àqueles que se interessam em conhecer detalhes sobre sistematica ou mesmo outros aspectos dos peixes e do ambiente no baixo rio Tocantins.

A grande maioria das espécies aqui tratadas ocorre em toda a extensâo do baixo rio Tocantins e, por isso, naD foi feita a citaçao das localidades de procedência do material-estudo; nos poucos casos em que uma espécie so foi encontrada em determinado trecho do rio, faz-se mençao deste fato na descriçao especifica.

A ilustraçao e a descriçao do padrao de coloraçao foram realizadas quase que somente sobre material a fresco, recémcoletado; houve, no entanto, aIgu mas espécies que, por razoes diversas, naD puderam ser fotografadas no campo, 0 sendo, posteriormente, no laboratorio, pelos proprios cientistas, corn material ja preservado; neste caso, ha uma indicaçâo abaixo da ilustraçao da espécie, sendo que a descriçao do padrao de coloraçâo foi baseada sempre em exemplares a fresco. A identificaçao do material foi realizada através de literatura especifica pertinente, de discussao corn sistematas especialistas e mesmo através de consultas a tipos. A descriçao das espécies aqui tratadas, no entanto, foi feita tomando-se por base as caracteristicas do proprio material-estudo. Uma coleçâoreferência de todas as espécies inventariadas encontra-se organizada no INPA-DBL,em Manaus, tanto para servir coma testemunho ao material e dados aqui apresentados, como, principalmente, para servir de base para futuros estudos da sistematica e zoogeografia.

A estrutura fundamental deste catâlogo consiste na descriçâo sucinta das caracteristicas apresentadas pelas espécies de peixes comerciais e das familias as quais pertencem, bem coma de chaves para sua identificaçao. Cada espécie conta corn uma ilustraçao, nome cientifico, autor e data de sua descriçao, bem coma do nome vulgar que lhe é atribuido na regiâo do baixo rio Tocantins. 0 arranjo das espécies dentro de cada familia é feito de acordo corn a seqüência em que os gêneros sac apresentados na chave.

As informaçàes sobre alguns aspectos da biologia das espécies foram obtidas por nos, através dos estudos de campo e também baseadas nos resultados apresentados nos relatorios técnicos referentes ao convênio INPA - ELETRONORTE e sob responsabilidade dos seguintes pesquisadores: Anna Emilia A. M. Vazzoler, Bernard de Merona, Emiko K. de Resende, Francisco M. Carvalho, Gelso Vazzoler, Geraldo M. dos Santos, Jair L. de Carvalho, Maria Gercilia M. Soares, Raimunda G. de Almeida e Michel Jegu.

Corn 0 intuito de oferecer uma maior facilidade aos iniciantes em Ictiologia, elaboramos um glossario em que se definem os principais termos utilizados no escape .do catalogo, ao mesmo tempo que anexamos alguns desenhos esquematicos, visando a uma melhor compreensao dos enunciados nele contidos.

(Parte 1 de 7)

Comentários