Propriedades Físicas do Solo

Propriedades Físicas do Solo

DEFINIÇÃO

  • DEFINIÇÃO

  • É a proporção relativa das classes de tamanho de partículas (granulometria ou distribuição de tamanho de partículas) de um solo.

  • OBJETIVO

  • separar as frações constituintes

  • do solo (areia, silte e argila) de

  • acordo com o seu diâmetro.

  • FINALIDADE

  • Classificação dos solos.

  • Zoneamento agrícola.

A textura é importante para o entendimento do comportamento e manejo do solo

  • A textura é importante para o entendimento do comportamento e manejo do solo

  • Durante a classificação do solo em um determinado local, a textura é muitas vezes a primeira e mais importante propriedade a ser determinada

  • A partir da textura, muitas conclusões importantes podem ser tomadas

É possível alterar a TEXTURA pelo manejo?

  • É possível alterar a TEXTURA pelo manejo?

TEXTURA

  • TEXTURA

Retenção e disponibilidade de nutrientes:

  • Retenção e disponibilidade de nutrientes:

  • Retenção e disponibilidade de água;

  • Infiltração de água e condutividade hidráulica;

  • Aeração do solo;

  • Agregação do solo;

  • Temperatura do solo;

  • Suscetibilidade do solo à compactação;

  • Facilidade de mecanização;

  • Erodibilidade.

Determinação

  • Determinação

  • em laboratório: análise granulométrica

  • a campo: pela sensação que o solo molhado e amassado oferece ao tato

Relaciona-se com:

  • Relaciona-se com:

  • 1) Mineralogia

  •  FRAÇÃO AREIAminerais 1° (quartzo e outros silicatos)

  • FRAÇÃO ARGILA – minerais 2° (argilominerais: caulinita, esmectita, etc, e óxidos: hematita, goethita, etc)

  • 2) CTC

  • 3) ASE

  • 4) Porosidade e densidade do solo

Os solos podem ser agrupados em 13 classes texturais - TRIÂNGULO TEXTURAL

  • Os solos podem ser agrupados em 13 classes texturais - TRIÂNGULO TEXTURAL

ASE = área superficial

  • ASE = área superficial

  • unidade massa

  • Influenciada por:

  •  Tamanho da partícula (afeta: atrito, adsorção, tensão superficial)

  •  Forma da partícula

  •  Natureza da partícula:

  • MO, ASE, decomposição.

  •  Composição da partícula:

  • atividade, superfície interna.

Relacionada com:

  • Relacionada com:

  •  CTC, retenção de água e nutrientes;

  •  retenção e liberação de poluentes;

  •  expansão / contração;

  •  propriedades mecânicas:

  • coesão, resistência, plasticidade.

  • Resposta do solo às forças externas que tentam deformá-lo ou rompê-lo.

  • Manifestação das forças de coesão e adesão sob diferentes condições de umidade.

COESÃO: atração entre partículas de mesma natureza (S-S) devido a:

  • COESÃO: atração entre partículas de mesma natureza (S-S) devido a:

  • Atração eletrostática entre superfícies

  • Atração molecular (Van der Walls)

  • Materiais coloidais

  • f = {ASE, H2O, distância, orientação}

  • ADESÃO: atração entre partículas de natureza distinta (L-S) devido a:

  • Tensão superficial d’água (há necessidade ar)

SOLO SECO - não há adesão e a coesão é máxima - DUREZA

  • SOLO SECO - não há adesão e a coesão é máxima - DUREZA

  • SOLO ÚMIDO - a coesão e a adesão. As duas forças ocorrem conjuntamente - FRIABILIDADE (solo é menos compactável)

  • SOLO MOLHADO - a coesão desaparece e a adesão atinge o máximo - PLASTICIDADE

  • MUITO MOLHADO - os filmes de água que recobrem as partículas se tornam mais espessos - PEGAJOSIDADE

  • SOLO SATURADO - FLUIDEZ

depende

  • depende

condiciona

  • condiciona

O solo é composto por partículas de Areia e Silte que se mantém unidas pela ação da Argila e Matéria orgânica, formando AGREGADOS estáveis.

  • O solo é composto por partículas de Areia e Silte que se mantém unidas pela ação da Argila e Matéria orgânica, formando AGREGADOS estáveis.

  • A organização das partículas

  • e agregados é conhecida

  • como estrutura do solo.

  • Estrutura X Textura

Um solo com melhor estrutura suporta melhor a precipitação e a ação de máquinas e implementos agrícolas e também permite um melhor desenvolvimento de plantas.

  • Um solo com melhor estrutura suporta melhor a precipitação e a ação de máquinas e implementos agrícolas e também permite um melhor desenvolvimento de plantas.

  • Areias Quartzosas - solos “sem estrutura”, as partículas de areia normalmente ocorrem individualizadas, sem formarem agregados.

dois pontos de vista

  • dois pontos de vista

  • 1. Pedológico

  • tipo

  • tamanho

  • grau de desenvolvimento

  • 2. Manejo do Solo

  • potencial ou capacidade

  • de uso do solo

Aeração

  • Aeração

  • Densidade e porosidade do solo

  • Resistência mecânica à penetração

  • Infiltração de água e selamento superficial

1°) Aproximação entre as

  • 1°) Aproximação entre as

  • partículas:

  • floculação da argila

  • Desidratação ou secamento do solo: aproxima partículas

  • raízes: desidratação e pressão sobre as partículas

  • - organismos: minhocas (coprólitos)

2°) Estabilização: agentes cimentantes

  • 2°) Estabilização: agentes cimentantes

  • quantidade de argila e de cátions

  • forças eletrostáticas (Van der Walls)

  • MO. (polissacarídeos, ac. húmicos )

  • microrganismos: ação mecânica (hifas de fungos) e produção de compostos orgânicos

  • - vegetação: ação mecânica das raízes e fonte de material orgânico na superfície

Resistência à desagregação que os agregados apresentam quando submetidos a forças externas (ação implementos agrícolas e impacto gota chuva) ou forças internas (compressão de ar, expansão/contração) que tendem a rompê-los.

  • Resistência à desagregação que os agregados apresentam quando submetidos a forças externas (ação implementos agrícolas e impacto gota chuva) ou forças internas (compressão de ar, expansão/contração) que tendem a rompê-los.

OBJETIVO: avaliar a estrutura do solo, pois a estrutura pode ser o resultado da agregação das partículas primárias (areia, silte e argila) e mais outros componentes do solo como matéria orgânica, calcário e sais.

  • OBJETIVO: avaliar a estrutura do solo, pois a estrutura pode ser o resultado da agregação das partículas primárias (areia, silte e argila) e mais outros componentes do solo como matéria orgânica, calcário e sais.

  • A METODOLOGIA consiste em passar os agregados por um conjunto de peneiras com diâmetros decrescentes e quantificar as frações retidas.

Pode-se determinar a distribuição do tamanho de agregados estáveis em água e a seco.

  • Pode-se determinar a distribuição do tamanho de agregados estáveis em água e a seco.

  • Através dessa determinação pode-se obter a distribuição do tamanho dos agregados, a estabilidade de agregados, o DMP e DMG (mm).

Objetivo: avaliar a estrutura

  • Objetivo: avaliar a estrutura

  • do solo pela relação entre

  • massa e volume de solo.

  • A metodologia consiste em coletar uma amostra de solo com estrutura preservada e de volume conhecido, e pela relação entre massa de solo seco em estufa a 105 oC e volume da amostra ocupado por partículas e poros, obtém-se a densidade do solo.

Relação com

  • Relação com

  • TEXTURA

Usada para

  • Usada para

  • Calcular PT

  • Avaliar alterações na estrutura e porosidade

  • Converter massa H2O à volume H2O

Comentários