Atividade do Rayan

Atividade do Rayan

Atividade de Química Analítica

Segurança de Laboratório

1º) Quais são as características de um laboratório necessária para que ele seja considerado um local de segurança?

  • Janelas amplas de ambos os lados que possibilitem boa ventilação do ambiente;

  • Portas em dois locais distintos, que abram para fora (facilitam a saída em caso de emergência), sendo uma das portas grande (dupla) para possibilitar a entrada de equipamentos;

  • Lava-olhos e chuveiro – dispositivos para uso em emergência;

  • Extintores de incêndio próximos ao laboratório;

  • Salas anexas para aparelhagem (balanças, aparelhos para ponto de fusão, dentre outros);

  • Ampla iluminação e bancadas revestidas com material que permita fácil limpeza.

2º) Como deve ser organizado o relatório?

  • Título da prática executada;

  • Introdução;

  • Objetivo;

  • Material utilizado;

  • Metodologia ou resumo do procedimento;

  • Resultado obtido;

  • Respostas às perguntas feitas (quando houver);

  • Críticas;

  • Observações;

  • Dificuldades encontradas;

  • Conclusão;

  • Bibliografia consultada.

3º) Quais são as normas básicas de segurança de laboratório?

  • É proibido comer, beber ou fumar no laboratório;

  • Evite trabalhar sozinho no laboratório, a presença de outras pessoas será sempre uma valiosa ajuda em caso de acidentes;

  • Prepare-se antes de tentar realizar os experimentos. Procure ler e entender os roteiros experimentais; consulte a literatura especializada. Em caso de dúvidas, discuta o assunto com o professor antes de tentar fazer o experimento;

  • Utilize sempre que necessário material que possam garantir maior segurança no trabalho tais como: luvas, pinça, óculos (obrigatório), jaleco (obrigatório) etc. Procure sempre manter seu jaleco limpo.

  • Conserve sempre limpos os equipamentos, vidrarias e sua bancada de trabalho. Evite derramar líquidos, mas se o fizer, limpe o local imediatamente;

  • Gavetas e portas dos armários devem ser mantidas sempre fechadas quando não estiverem sendo utilizadas;

  • Ao término do período de laboratório, lave o material utilizado, limpe sua bancada de trabalho, seu banco, a pia e outras áreas de uso em comum. Verifique se os equipamentos estão limpos e desligados e os frascos reagentes fechados;

  • Lave as mãos frequentemente durante o trabalho prático, especialmente se algum reagente químico for respingado. Ao final do trabalho, antes de deixar o laboratório, lave as mãos;

  • Leia com atenção os rótulos dos frascos de reagentes químicos para evitar pegar o frasco errado. Certifique-se de que o reagente contido no frasco é exatamente o citado no roteiro experimental;

  • Nunca torne a colocar no frasco, o reagente não utilizado. Não coloque objeto algum nos frascos de reagentes, exceto o conta-gotas de que alguns são providos;

  • Evite contato físico com qualquer tipo de reagente químico. Tenha cuidado ao manusear substâncias corrosivas como ácidos e bases – use a capela.

  • A diluição de ácidos concentrados deve ser feita adicionando-se o ácido, lentamente, com agitação constante, sobre a água - com essa metodologia adequada, o calor gerado no processo de mistura, é absorvido e dissipado no meio. Nunca proceda ao contrário (água sobre o ácido).

  • Nunca deixe frascos contendo reagentes químicos inflamáveis próximos à chama;

  • Não deixe nenhuma substância sendo aquecida por longo tempo sem supervisão;

  • Não jogue nenhum material sólido dentro das pias ou ralos. O material inútil (rejeito) deve ser descartado de maneira apropriada;

  • Quando testar um produto químico pelo odor, não coloque o frasco sobre o nariz. Desloque os vapores que se desprendem do frasco com a mão para a sua direção;

  • Use a capela para experiências que envolvem o uso ou liberação de gases tóxicos ou corrosivos;

  • Não aqueça tubos de ensaio com a extremidade aberta voltada para si mesmo ou para alguém próximo. Sempre que possível o aquecimento deve ser feito na capela;

  • Não deixe recipientes quentes em lugares em que possam ser pegos inadvertidamente. Lembre-se de que o vidro quente tem a mesma aparência do vidro frio;

  • Não pipete de maneira alguma, líquidos corrosivos ou venenosos, por sucção, com a boca. Procure usar a “a pêra de sucção” para pipetar;

  • O bico de Bunsen deve permanecer aceso somente quando estiver sendo utilizado;

  • Não trabalhe com material imperfeito;

  • Em caso de acidentes, comunique o professor imediatamente. Ele deverá decidir sobre a gravidade do acidente e tomar as atitudes necessárias;

  • Em caso de possuir alguma alergia, estra grávida ou em qualquer outra situação que possa ser afetado quando exposto a determinados reagentes químicos, comunique o professor logo no primeiro dia de aula;

  • Em caso de incêndio este deverá ser abafado imediatamente com uma toalha ou, se necessário, com o auxilio do extintor de incêndio apropriado;

  • Comunique o professor, monitor ou técnico sempre que notar algo anormal no laboratório;

  • Faça apenas as experiências indicadas pelo professor. Caso deseje tentar qualquer modificação do roteiro experimental discuta com o professor antes de fazê-lo;

  • No laboratório é obrigatório o uso de jaleco e de óculos de segurança (para quem não usa óculos de grau).

4º) Cite alguns procedimentos que podem ser adotados para minimizar a quantidades de resíduos perigosos gerados no laboratório.

  • Redução da escala (quantidade de substância) de produtos químicos usados nos experimentos;

  • Substituição de reagentes perigosos por outros menos perigosos;

  • Conversão dos resíduos para uma forma menos perigosa através de reações químicas, antes do descarte.

  • Redução dos volumes a serem descartados (concentrado as soluções ou separando os componentes perigosos por precipitação);

  • Recuperação dos reagentes para novamente serem utilizados.

5º) O que deve ser feito quando os resíduos gerados na experiência não são perigosos?

  • Soluções que podem ser jogados na pia devem antes diluídas com água, ou jogar a solução vagarosamente acompanhada de água corrente;

  • Sais solúveis podem ser descartadas como descrito no item 1.

  • Pequenas quantidades de solventes orgânicas solúveis em água (ex: metanol ou acetona) podem ser diluídas antes de serem jogados na pia. Grandes quantidades desses ser descartados dessa maneira. No caso, tentar recuperá-los.

  • Soluções ácidos e básicas devem ter seu pH ajustado na faixa de 2 a 11 antes de serem descartados. Em caso de pequenos volumes dessas soluções (por exemplo, 10 mL ou pouco mais), essas podem ser diluídas e descartadas;

  • Em caso de diluídas, perguntas ao professor como proceder o descarte.

6º) Dê exemplo dos resíduos abaixo e como descarta-los?

  1. Resíduos insolúveis não perigosos: papel, cortiça, areia, podem, ser descartados em um cesto de lixo comum do laboratório. Alumina, sílica gel, sulfato de sódio, sulfato de magnésio e outros, devem ser embalados para evitar a dispersão do pó e descartados em lixo comum. Se esses materiais estiverem contaminados com resíduos perigosos, deveram ser manuseados de outra forma.

  2. Resíduos sólidos solúveis não perigosos: alguns compostos orgânicos (exemplo o ácido benzoico) podem ser dissolvidos com bastante água e descartados no esgoto. Podem, também, ser descartados com materiais mais perigosos deverão ser manuseados de outra forma.

  3. Resíduos líquidos orgânicos não perigosos: substâncias solúveis em água e descartadas no esgoto. Por exemplo , etanol pode ser descartados na pia do laboratório; 1 – butanol, éter etílico e a maioria dos solventes e compostos que não são miscíveis em água , não podem ser descartados dessa maneira. Líquidos não miscíveis com água, não poderão ser colocados em recipientes apropriados para líquidos orgânicos, para posterior tratamento.

  4. Resíduos perigosos genéricos: neste grupo estão incluídas substancias como hexano, tolueno, aminas (anilina, trietilamina), amidas, ésteres, ácidos clorídrico e outros. Deve-se ter especial atenção para as incompatibilidades, recipientes devido à reação entre elas. Por exemplo, cloreto de acetila e dietilamina reagem vigorosamente; ambos são reagentes perigosos e sues rejeitos devem der mantidos em recipientes separados. Composto halogenados como 1 –bromobutano, cloreto de t-butila e outros, também devem ser agrupados em recipientes separados dos demais compostos.

  5. Ácidos e bases inorgânicas fortes: devem ser neutralizados, diluídos e então descartados.

  6. Agentes oxidantes e redutores: oxidar os redutores e reduzir os oxidantes antes do descarte. O professor dará informações de como proceder.

7º) Descreva como deve proceder em caso de acidentes no laboratório.

  1. Queimaduras:

  • Causadas pelo calor – quando leves aplicar pomada de Picrato de Butesina e, quando graves, devem ser cobertas com gaze esterilizada, previamente umedicida com solução aquosa bicarbonato de sódio 5%.

  • Causadas por ácidos – deve-se lavar imediatamente a região com bastante água durante pelo menos 5 minutos. Em seguida, tratar com solução de bicarbonato de sódio 5% e lavar com água. Secar o local e aplicar Merthiolate.

  • Causadas por bases – proceder como em b, aplicando solução de ácido acético a 1%.

  1. Ácidos nos olhos:

  • Deve-se lavar com bastante água durante aproximadamente 15 minutos e aplicar solução de bicarbonato de sódio a 1%.

  1. Bases nos olhos:

  • Proceder com em b e aplicar solução de ácido bórico a 1%.

  1. Intoxicação por gases:

  • Remover a vítima para um ambiente arejado e deixar descansar. Em caso de asfixia fazer respiração artificial.

  1. Ingestão de substancias tóxicas:

  • Recomenda-se beber muita água e em seguida beber.

  1. Um copo de solução de bicarbonato de sódio a 1% ou leite de magnésia, em caso de ingestão de ácidos;

  2. Um copo se solução de ácido cítrico ou ácido acético a 2%, em caso de ingestão de bases.

8º) Desenhe a vidraria abaixo e diga para que é utilizada:

  1. Béquer: serve para preparar soluções, aquecer líquidos e fazer reações.

  2. Erlenmeyer : serve para preparar soluções, fazer titulações e armazenar líquidos.

  3. Balão de fundo chato: serve para conter líquidos ou como frasco de reação.

  4. Balão volumétrico: usada para preparar e diluir soluções.

  5. Tubo de ensaio: serve para fazer reações químicas em pequena escala.

  6. Funil de vidro comum: usado em filtrações e transferência de líquidos.

  7. Pisseta: ou frasco lavador, serve para lavagem com água ou outro solvente e para remover precitados.

  8. Vidro de relógio: serve para cobrir recipientes, colocar pequenas quantidades de sólidos e líquidos.

  9. Bastão de vidro: ou baqueta, serve para agitar soluções e auxiliar a transferência de líquinos.

  10. Proveta: ou cilindro graduado, serve para medir volume de líquidos, porém sua medida tem uma margem de erro de leitura de +-0,5mL.

  11. Pipeta volumétrica: serve para medir precisamente líquidos com um volume fixo.

  12. Pipeta graduada: serve medir precisamente líquidos com volume variável.

  13. Bureta: serve para medir (com precisão) volume de líquidos. Escoamento controlável por meio de uma torneira. Sua margem de erro de leitura é de +-0,05mL.

  14. Dessecador: serve para manter a atmosfera anidra, ou seja para secagem e proteção contra umidade de materiais hidroscópicos.

  15. Cadinho: serve para aquecimento a seco de substâncias, como também armazenagem dentro de dessecador.

  16. Cápsula de porcelana: serve para evaporar líquidos.

  17. Almofariz com pistilo: serve para triturar sólidos, pulverizar e homogeneizar misturas de sólidos.

Comentários