(Parte 1 de 2)

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Relatório de recomendação de ecoprodutos e tecnologias sustentáveis para Reforma Ecológica w.idhea.com.br idhea@idhea.com w.idhea.com.br idhea@idhea.com.br

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

O que é Reforma Ecológica?

Reforma Ecológica é o ato de recuperar e reabilitar um imóvel, qualquer que seja sua função original –residencial, comercial, industrial, outros-, de maneira a tornar a edificação menos geradora de impactos sobre o meio ambiente e de melhorar a qualidade de vida de seus habitantes e/ou usuários.

Diferente da Construção Sustentável –onde a obra com viés ambiental normalmente inicia-se “do zero”-, a Reforma Ecológica ou Reabilitação Sustentável tem como primeira proposta prolongar ao máximo a vida útil dos materiais da antiga edificação, bem como o que for possível da estrutura existente.

Apenas depois de avaliada a obra, e verificados todos os materiais e aparelhos passíveis de recuperação, é que se inicia o trabalho de recomendação de ecoprodutos e tecnologias sustentáveis, que, além de melhorarem a eco-eficiência do imóvel, deverão substituir produtos nocivos ao meio ambiente e saúde dos seres vivos.

A readequação sustentável deve ter como meta reduzir a dependência do imóvel com relação ao uso e consumo de recursos naturais que demandem uso contínuo (água e energia), aumentando sua autonomia, além de melhorar a qualidade da atmosfera e ambiente interior, a fim de criar um habitat mais saudável e menos gerador de poluentes. Outro princípio fundamental da Reforma Ecológica é aperfeiçoar a relação do imóvel com o entorno, melhorando a iluminação natural, o aproveitamento de recursos naturais como a ventilação e, quando possível, interferindo positivamente nos elementos bioclimáticos (vegetação e formação de microclima).

Na primeira inicial de avaliação do imóvel, deve-se aplicar como instrumento de identificação de necessidades a Análise de Ciclo de Vida – ACV*. A ACV bem feita permitirá delimitar todo o trabalho de preservação de materiais originais do imóvel, assim como definir os que serão reaproveitados e também os que deverão ser descartados. A avaliação permitirá também recomendar os produtos e tecnologias mais adequados à obra em questão, com vista ao seu alto desempenho ambiental.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

A ACV também permitirá definir os melhores procedimentos para gestão ambiental da obra, de forma a controlar a geração de resíduos e ocorrência de impactos sobre o meio ambiente e garantir saúde e bem-estar para colaboradores e usuários finais.

A Reforma Ecológica tem objetivo semelhante ao da Construção Sustentável: (recriar) um sistema construtivo que promova alterações conscientes em seu entorno, de forma a atender as necessidades de habitação do homem moderno, preservando o meio ambiente e os recursos naturais, garantindo qualidade de vida para as gerações atuais e futuras.

Ecológico ou Sustentável?

O termo ecologia foi cunhado pelo biólogo alemão Ernst Haeckel, em fins do século 19, significando “relação dos seres vivos com o habitat natural original ou meio ambiente”. Num ambiente urbano, criado e modificado pelo ser humano com o uso de maquinários e tecnologia, não se pode falar em relação direta com a Natureza, mas com um habitat formado pela mão humana. É inadequado, portanto, em se tratando de obras em ambiente urbano, falar-se de construção ecológica ou reforma ecológica.

A palavra que melhor se adequa à condição do homem moderno quanto à sua relação com o meio ambiente é sustentável, conceito apresentado pela primeira vez em 1987, através do Informe Bruntland, da ONU – Organização das Nações Unidas, que definiu Desenvolvimento Sustentável como “aquele que permite fazer uso dos recursos naturais sem esgotá-los, preservando-os para as gerações futuras”. Aplicando o mesmo conceito, a definição mais correta para a construção ambiental com perfil moderno, urbano e industrial é Construção Sustentável.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Linhas-gerais para Reforma Ecológica

Gestão da Obra

Determinar a contratação, pela Construtora responsável pela obra, de profissional especializado em Meio Ambiente para atuar como interface entre cliente, empreiteira e fornecedores, integrando todas as partes envolvidas diretamente no projeto.

Capacitar mão-de-obra e profissionais em técnicas de aplicação de novos materiais e tecnologias. Exs.: Sistema de soldagem de tubos de P (polipropileno); instalação dos sistemas de saneamento e captação de água de chuva.

Envolver fornecedores no processo da construção, cobrando controle de qualidade dos produtos fornecidos (redução de substituição e reposição de materiais, redução na quebra por transporte) e redução nas embalagens.

Realizar controle de entrada e saída de produtos: evitar embalagens desnecessárias; adquirir produtos com o mínimo de embalagem possível; evitar descartar embalagens.

Atender Resolução 307 do Conama e legislação ambiental vigente sobre destinação do entulho da construção

Optar por materiais que gerem menor quantidade de entulho e que sejam recicláveis (excluir ou evitar gesso em alvenaria, onde o material não é reciclável). O entulho gerado deverá ser separado de forma a ser destinado diretamente para recicladores.

Os recicladores deverão ser pessoas jurídicas devidamente cadastradas junto ao Poder Público, com atividade específica reconhecida.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Os operários na obra –da Construtora ou terceirizados- deverão atender às Normas de Segurança do trabalho, utilizando EPIs (equipamentos de proteção individual) e outros que forem recomendados.

A construtora contratada deverá apresentar inventário dos principais poluentes gerados e a ocorrerem na obra e propor medidas preventivas e corretivas. No inventário deverão constar: a) Poluentes atmosféricos: partículas em suspensão (cimento, cal, resíduos em geral); COVs/compostos orgânicos voláteis, oriundos de vernizes, colas, resinas, tintas, outros; b) Poluição sonora: equipamentos, maquinário, outros; c) Poluição da água: produtos de limpeza no pré e pós-obra (cloro, ácido muriático, outros), resinas descartadas no sistema de esgoto da obra; d) Poluição da terra: entulhos, etc.

A partir do inventário, criar programa de redução e controle de poluentes internos (COVs, Martérias particuladas) e externos, que possam vir a permanecer no interior da obra e a afetar o entorno.

Documentar o destino de todos os resíduos não-recicláveis e não-absorvíveis na obras para locais devidamente legalizados, com registro de fornecedores, aterros sanitários, usinas de coleta seletiva e reciclagem.

Exigir emissão periódica de relatórios confirmando envio de resíduos para aterros legalizados ou, quando for o caso, para incineração.

Determinar área permanente da edificação destinada à compostagem do lixo orgânico, bem como à separação e destinação do lixo seco (reciclável)

Implementar área para estocagem e lavagem de embalagens de vidro, plástico e metal; implementar prensa enfardadeira para compactar embalagens plásticas e metálicas; identificar cooperativas de catadores ou empresas que encaminhem o lixo seco diretamente para usinas de reciclagem.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Destinar espaço para lixo incinerável (oriundo de sanitários, resíduos de remédios e descartáveis médicos)

Aplicação da Análise de Ciclo de Vida (ACV)

Aplica-se a Análise de Ciclo de Vida (ACV) na obra, de forma a definir procedimentos, condutas e escolha dos materiais mais adequados do ponto de vista da sustentabilidade.

A recomendação geral de ecoprodutos e tecnologias sustentáveis deve obedecer os seguintes critérios: a) desempenho sustentável –origem e obtenção de matéria-prima, balanço energético, água, beneficiamento, emissão de poluentes, localização, transporte, embalagens; b) compatibilidade e respeito às condições locais –geografia, história, tipologia; c) qualidade do produto e fornecedor; c) atendimento às normas NBR (ABNT homologadas pelo Inmetro); d) facilidade de obtenção no mercado. Naqueles casos em que o(s) produto(s) não possuam indicadores de desempenho sustentável, recomendam-se materiais cujos fabricantes disponham de certificação nacional e internacional (ISO 14001).

Recomendação de Ecoprodutos e Tecnologias Sustentáveis para SESC Bertioga

1. Alvenaria e infra-estrutura (hidráulica, elétrica, outros)

Cimento CPIII – Recomenda-se seu uso para aquelas situações em que se torne inevitável o uso de cimento –caso de marquise e contrapisos.

Características básicas e desempenho sustentável - Composto por 35% a 70% de escórias (resíduos) da indústria siderúrgica. Estas escórias, finamente moídas e misturadas a outros componentes clássicos do cimento, resultam num cimento de altíssima qualidade e resistência.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Seu uso resulta também na retirada de um volumoso resíduo da indústria siderúrgica, que, sem esta aplicação, ocuparia espaços em aterros legais ou ilegais, terminando por contaminar o meio ambiente.

Este cimento permite economia de 80% nas jazidas de carbonato de cálcio (CaCO3) usadas para os cimentos convencionais, em redução no tempo de queima para produção de cimento e, conseqüentemente, em menor emissão de CO2 para a atmosfera, dentre outros benefícios ambientais.

Utilização de areia e brita recicladas - Produto proveniente de entulho da construção civil, composto por resíduo cerâmico (60%), resíduos de blocos de concreto e concreto. Em sua composição não entra o gesso, material para o qual, hoje, não existe qualquer tipo de reaproveitamento ou reciclagem.

O material é coletado em caçambas, separado, moído e secado. Além de seu uso específico para construção civil, estudos comprovaram que esta areia pode ser usada, também, como micronutriente para o solo, pois é rica em boro, zinco, etc.

Seus usos são: argamassas de assentamento e revestimento; uso como areia fina, média e agregados para elaboração de concreto não-estrutural (contrapisos, revestimentos, etc.).

Conduites corrugados reciclados - Recomenda-se o uso de conduítes corrugados produzidos a partir de embalagens de agrotóxicos recicladas. Trata-se de um material que retira um perigoso resíduo do meio ambiente, o qual torna-se completamente inerte na forma de eletroduto corrugado, ficando encapsulado na parede do ímóvel.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Massa pronta natural - Massa para assentamento e revestimento, isenta de plastificantes, permitindo a respiração da parede e a transpiração do vapor dágua. Substitui com vantagens ambientais e de praticidade massa corrida PVA e gesso. Contém em sua composição leucofilito (SiO2.AI203.k2O), minério micronizado, que apresenta bom poder cimentante sem a necessidade de queima e consequente emissão de CO2 à atmosfera. Atende à Norma NBR 13.729.

Tubulação hidráulica em P (polipropileno), para condução de água quente e potável

Características

Produzido com matériaprima atóxica, não gera problemas na produção e no descarte de resíduos

Menor consumo energético e de insumos para produção que o PVC

Não requer adesivos para união tubos-conexões (o adesivo utilizado para colagem das conexões de PVC é à base do perigosíssimo cianeto)

União por termofusão (aquecimento à temperatura de 240oC das extremidades de tubos e conexões), que permite a soldagem das peças

Possui linhas para água fria, água quente e coletora (esgotos) Alta resistência a pressão dágua Superior ao cobre Para água quente, não requer soldas à base de estanho, não libera resíduos e não requer mantas para conservação e transmissão do calor

Fácil instalação Contribui para eliminação e/ou substituição do PVC, que acarreta graves problemas ao meio ambiente em sua produção, uso e descarte

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

A instalação dos tubos é simples e racional, embora sua metodologia de aplicação (termofusão) seja diferente do produto PVC, obrigando a que instaladores e responsáveis pela hidráulica participem das palestras ou aulas de instalação ministradas pelos fornecedores.

Luminárias – Uso de lâmpadas PL compactas de baixo consumo elétrico (80% a menos que incandescentes). Certificadas pelo Inmetro, com ISO 9001, com Selo Procell, são a opção mais sustentável à disposição no mercado.

2. Revestimentos, acabamentos, impermeabilização e pintura

Tintas ecologicas - acrescentar descritivo

Revestimento de piso em poliuretano vegetal colorido - acrescentar descritivo

3. Metais sanitários, louças

A escolha do mobiliário contempla o uso de produtos que contribuam para uma excelente Qualidade do Ar Interior (Indoor Air Quality), uma vez que, terminada a obra, os materiais de acabamento e o mobiliário são aqueles que ocasionam maior contato direto com o usuário e morador do imóvel.

Metais em aço inoxidável – São a opção mais sustentável para substituir metais cromados, que geram um dos mais perigosos rejeitos conhecidos, ainda sem qualquer possibilidade de reuso.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Forros

O material recomendado contém em sua composição cerca de 80% de fibra de madeira mineralizada, tratada para resistir ao fogo, umidade e ataque de fungos e cupins. Sua absorção acústica é de até 84%. É conhecido como Placa cimentícia de madeira mineralizada. Pode ser usado aparente, com e sem pintura, ou receber acabamento superficial em gesso (não recomendável) ou massa fina base cal (recomendável).

Loucas sanitárias com fluxo duplo - Caixa acoplada com dispositivo de fluxo duplo (6 litros para fezes; 3 litros para urina). Trata-se do conjunto bacia sanitária-caixa acoplada com controle de fluxo. Permite economia e favorece educação ambiental. Há vários modelos, todos em louça, com design moderno.

(Parte 1 de 2)

Comentários