(Parte 2 de 2)

Louças em geral (pias e cubas) – Preferir as fabricadas por empresas com certificação ISO 14001.

Divisórias de banheiro - Em fibrocimento sem amianto. Trata-se de material que incorpora fibras celulósicas e de PET reciclado em substituição às de amianto, proibidas ou em processo de proibição por liberarem pó tóxico (cancerígeno) durante a fabricação, corte e disposição em aterros.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Essas divisórias podem ser usadas também no sistema dry-wall, com aplicação interna e externa. Dimensões: 2,40m X 1,20; 1,20m X 1,20m. Espessuras: 6mm; 8mm; 10mm; 12mm.

Decks e brises

Recomenda-se uso de Madeira Plástica, plástico reciclado que imita a madeira comum.

Produto reciclado e reciclável

Fabricado a partir de resíduos plásticos diversos (P, PE, PET, EVA, menos PVC)

Resistente a sol, chuva e maresias

Não requer manutenção ou tratamentos Aceita pintura Material com apelo ecológico e educacional

Iluminação natural

Além das aberturas já definidas em projeto, recomenda-se o uso de eco-tecnologias que permitam maior incidência de luz natural em ambientes com pouca luminosidade, sem resultar em aumento de temperatura.

Dentre estas eco-tecnologias, destaca-se o Solatube, sistema que transmite intensa luminosidade para ambientes fechados, proporcionando economia de energia elétrica.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

O Solatube filtra mais de 9% dos raios ultravioleta. Conta com uma cúpula (domo) em acrílico de alto impacto, com 3mm de espessura, sem alteração de cor ou deterioração com o tempo. O domo é carregado magneticamente para evitar aderências de pó e eliminar a necessidade de manutenção/limpeza.

Glossário de palavras e termos utilizados em Construção Sustentável

ACV – Análise de Ciclo de Vida* - Método para análise de sistemas de produtos e serviços, considerando os aspectos ambientais do berço ao túmulo, estabelecendo vínculos entre esses aspectos e categorias de impacto potencial ligadas a consumo de recursos naturais, saúde humana e ecologia.

A ACV avalia:

Matérias-primas Processo produtivo Energia1 (energia incorporada/embodied energy) Energia2 (Análise do dispêndio de energia necessária para elaboração, transformação e beneficiamento do produto)

Água Poluentes (ar, água, terra, som) Resíduos Reciclagem ou potenciais de reuso Logística Embalagens

Permite determinar as matérias-primas, processos produtivos e gestão mais adequados para implementação de uma obra sustentável.

Construção Sustentável – Sistema construtivo no qual os impactos sobre o meio ambiente são estudados, planejados e minimizados antes, durante e depois da obra.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

Ecoprodutos e Tecnologias Sustentáveis - Ecoproduto (produto sustentável) é todo artigo de origem artesanal ou industrializada, de uso pessoal, alimentar, residencial, comercial, agrícola e industrial, que seja não-poluente, não-tóxico, benéfico ao meio ambiente e à saúde dos seres vivos, contribuindo para o desenvolvimento de um modelo econômico e social sustentável.

Tecnologias Sustentáveis são sistemas utilizados em pequena ou larga escala -por apenas uma família ou por uma comunidade inteira- com o objetivo de:

• Aproveitar recursos naturais disponíveis, normalmente não utilizados ou subaproveitados na habitação. Exs.: Sistema de captação e aproveitamento de águas pluviais (chuva); Solatubes (dutos para iluminação natural de áreas escuras. Existe na Europa e Austrália).

• Tratar efluentes (água e esgoto) domésticos e proporcionar seu reuso na habitação sustentável, contribuindo para economia dos recursos hídricos. Exs. Miniestação de tratamento (ETE biológica); gerador de ozônio;

• Economizar energia elétrica na habitação sustentável ou gerar energia pelo uso de fontes renováveis (eólica, solar, biomassa, marítima, geotérmica, outras). Exs. Placas fotovoltaicas; aquecedores solares; aerogerador (turbina) eólica;

COVs –Compostos Orgânicos Voláteis são substâncias derivadas de petróleo (hidrocarbonetos aromáticos) agressivas à saúde dos seres vivos e à camada de ozônio que protege o planeta dos efeitos nocivos dos raios ultra-violeta. Encontram-se na maior parte dos solventes industriais, tintas, espumas, colas de contato (“de sapateiro”) e mesmo em esmaltes para unhas. Tíneres, aguarrazes e produtos similares contêm COVs, que, em ambientes fechados, podem demorar até 100 vezes

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br mais do que em locais abertos para se degradar. Seu contato com a pele também é perigoso, pois pode haver absorção cutânea.

O uso de produtos com COVs contribui para a quebra das moléculas de ozônio, resultando na redução da camada de ozônio (O3) que protege o planeta dos raios UVB. Quando isso ocorre, a incidência de enfermidades como o câncer de pele aumenta nas regiões onde a camada foi fragilizada (caso do Chile).

Por sua vez, o ozônio “quebrado” pelos COVs é precipitado e termina por concentrarnas regiões inferiores da atmosfera (troposfera), formando o ozônio troposférico, com características nocivas à vida no planeta. Este tipo de ozônio é responsável por dores de cabeça, irritação nasal e ocular, dentre outros sintomas, e é um dos fatores da Síndrome do Edifício Enfermo.

Para reduzir os níveis de ozônio troposférico é preciso controlar as emissões dos seus precursores, que são o dióxido de nitrogênio e os compostos orgânicos voláteis (COVs).

ISO 14001 – Série de normas expedidas pela ISO - International Standart Organization (Organização Internacional de Normatização), ONG sediada em Genebra, Suíça, com representação em 130 países (é representada no Brasil pela ABNT).

Descreve os esforços empreendidos pelas empresas para resolverem problemas ambientais por elas mesmas gerados. Documenta o destino que as empresas dão a seus resíduos e as ações para a melhoria ambiental dentro das corporações -envio a aterros sanitários legalizados, área para separação e coleta de lixo reciclável dentro da empresa. É uma certificação indispensável para exportação de produtos à União Européia.

Madeiras certificadas - Madeiras obtidas por manejo florestal, com certificação pelo FSC (Forest Stewardship Council), principal entidade do setor com representação no Brasil, que comprova que todo o processo (Cadeia de Custódia) de extração da madeira, até sua chegada ao mercado consumidor não agride o meio ambiente e não

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br inclui ilegalidade de qualquer natureza. Emitem o mais importante Selo Verde para madeira atualmente.

Madeiras Alternativas da Amazônia - Madeiras que não correm risco de extinção nem sofrem pressão comercial intensa. Essas madeiras, cerca de 60 delas, ainda são pouco conhecidas, têm sua ocorrência maior na região Amazônica, e prestam-se para múltiplas utilidades, como construção civil, arquitetura, marcenaria/movelaria, decoração etc.

Madeira de reflorestamento - Madeiras cultivadas cujo ciclo vegetativo é curto, com ponto de corte a partir de sete anos. No Brasil, as duas madeiras mais exploradas para reflorestamento são o eucalipto e o pinus, monoculturas sobre as quais paira a acusação de exaurir o solo, recursos hídricos e reduzir a biota (fauna e flora) local. Sua resistência geral é inferior, também, a madeiras nativas que tenham seu ciclo vegetativo cumprido.

Outro grave problema dessas madeiras consiste em sua imunização contra fungos e xilófagos (cupins), pelo método CA (arseniato de cobre cromatado), em que substâncias tóxicas penetram na madeira com o objetivo de preservá-la, aumentando sua vida útil.

Tels(((1))) 327---4742/// 326---9876/// 9234---2350/// 719---6490

IDHEA ––– INSTITUTO PARA O DDDEEESSSEEENNNVVVOLLLVVVIIIMMMEEENNNTTTO DA HHHAAABBBIIITTTAAAÇÇÇÃÃÃO EEECCCOLLLÓÓÓGGGIIICCCAAA idhea@@@idhea...com...br w...idhea...com...br

PVC – Policloreto de vinil, plástico largamente utilizado na construção civil para produção de tubos e conexões, capas de fios e cabos elétricos, esquadrias, forros, portas e cortinas. Trata-se de um material condenado na Construção Sustentável em todo o mundo. Sua fabricação e uso implicam em:

Consumo de grandes quantidades de energia, superior a todos os outros termoplásticos

Formação de dioxina, uma das substâncias tóxicas mais perigosas existente Insumos utilizados para sua composição final, tais como estabilizantes, cargas, plastificantes, pigmentos, biocidas e retardantes de chamas. Alguns desses insumos são conhecidos carcinogênicos e outros podem causar esterilidade humana, como os ftalatos e organoestânicos

Riscos ao meio ambiente em caso de degradação direta em contato com o solo Em caso de incêndio, o PVC forma ácido clorídrico (HCL), libera metais pesados e gera dioxinas.

(Parte 2 de 2)

Comentários