(Parte 2 de 20)

-doença e a enfermagem

Ao envolvermos a Ciência da Enfermagem nessa constituição interativa do ser, essa teoria nos mostra o sentido do viver humano em um plano biopsicossocial-espiritual e da completa harmonia e equilíbrio desse ser com o ambiente que o circunda, exemplifica o Modelo de Adaptação de Roy.

8-Teoria de Relação Interpessoal de Travelbee e Peplau :

As relações interpessoais constituem-se em instrumentos do cuidado em saúde que vem sendo utilizados pela enfermagem por meio das contribuições de Joyce Travelbee e Hildegard Peplau, nas décadas de 50 e 60 do século passado.

A relação de ajuda , segundo essa Teoria somente seria possível quando o enfermeiro tornar-se um elo entre os pacientes a quem presta cuidado e sua realidade. Sendo desta forma, cada pessoa teria maior iniciativa no desenvolvimento de habilidades pessoais e uma co-participação de forma ativa nos cuidados prestados pelos profissionais.

Em geral muito usado em Enfermagem Psiquiátrica. No entanto, mesmo sendo um conhecimento produzido por uma área específica, esse fator possibilitou a socialização de novas experiências terapêuticas, trazendo esse conhecimento em contribuições ao ensino e à prática assistencial do enfermeiro.

O processo de relação interpessoal de Travelbee é sustentado em quatro fases fundamentais:

Fase de Pré-interação: É a fase em que o enfermeiro começa a construir sua vinculação, compreendendo a real situação de pacientes e familiares.

Fase Inicial: É a fase do primeiro encontro, mostrando o grau do comprometimento do profissional em ajudar e seus objetivos com o relacionamento interpessoal.

Fase de Identidades: Nesta fase em que o paciente e sua família podem-se apresentar pouco mais hostis, fazendo um aparato com a competência do profissional e podendo até tentarem a manipulação do Profissional. É nesta fase em que os envolvidos entendem-se como seres humanos, detectando dificuldades, impotências e incompatibilidades.

Fase de Término: É a finalização do processo de relacionamento interpessoal, seja por alta hospitalar, desinteresse da família ou paciente, agravamento do quadro do paciente ou outras razões. É comum nesta etapa surgirem sentimentos como os de gratificação, indiferença.

9- Teoria de Ambientalista de Florence Nightingale:

Esta direcionada ao cuidado de enfermagem ao ser humano em sua inter-relação fundamental com o meio ambiente.

O controle do ambiente é o sustentáculo desta teoria nos postulados de Nightingale, avaliando as condições e influências externas que irão afetar a vida e o desenvolvimento do organismo, capazes de anteceder, eliminar ou contribuir para a saúde, doença e morte.

Percebe-se que esta teoria mostra que os ensinamentos de Florence Nightingale influenciaram o ambiente hospitalar e a Enfermagem ao utilizar os preceitos da teoria Ambientalista no dia-a-dia da assistência em unidades de saúde , principalmente em hospitais e UTIs seu processo de recuperação e cura tornarse o mais rápido , quando proporcionamos o ambiente mais acolhedor para o internado.

10-Teoria de tornar-se humano de Parse:

De acordo com a Teoria de Rosemarie Rizzo Parse, “Tornar-se Humano”, a Enfermagem é centrada na ciência humana cujo foco central é o ser humano.

Parse afirma que a essência da enfermagem é o relacionamento enfermeiro - pessoa e, seu intuito principal é a qualidade de vida sob a perspectiva da pessoa. Quando o Enfermeiro aplicar a Teoria de Parse, respeita a própria visão de qualidade de vida de cada um, que, lógico, difere de uma pessoa para outra, e não tenta mudar essa visão para ser consistente com sua própria perspectiva.

indivíduos/família e comunidade

A enfermagem é aplicada nas situações de crise e/ou mudanças vivenciadas pelo

2000)

A prática de enfermagem, na teoria de Parse, é direcionada em guiar as pessoas e famílias para participarem do cuidar de sua saúde (HICKMAN,

Essa teoria é importante na formação profissional, pois, permite ao Enfermeiro contemplar o ser humano holisticamente. – o enfermeiro direciona o indivíduo ou a família a planejar sua mudança nos padrões de saúde a serem vividos, ou seja, a possibilidade de planejar mudanças para alcançar a saúde.

10- teoria do Modelo conceitual de Rogers:

O modelo procura promover uma interação harmoniosa entre o homem e o seu ambiente.

O modelo reforçar a sensibilização dos seres humanos, e direcionar ou redirecionar o padrão de interação entre homem e seu ambiente para o máximo de saúde potencial.

Considera nesta teoria que o homem é um todo unificado que tem a sua própria integridade e que manifesta características que são mais do que a soma das suas partes e várias delas para ser integrado em um meio ambiente. Martha Rogers no que diz respeito à saúde, define como um valor definido pela cultura do indivíduo e, desta maneira, um estado de "harmonia" ou bem-estar. A teoria reitera que o estado da saúde não pode ser ideal, mas é a melhor condição para uma pessoa, pó quanto quando usamos essa teoria, o potencial para o máximo de saúde é bastante variável.

É fundamentada na concepção de homem. O modelo teórico foi baseado em um postulado de pressupostos que descrevem os processos vitais do homem, caracterizando como:

O Homem ser

Unitário, Aberto, Unidirecional, Seus padrões e organização, Sentimentos, Pensar.

Martha Rogers fundamentou sua teoria em quatro blocos:

a) Campo energia é caracterizado como a unidade fundamental para a vida como para os inertes.

b)Universo de sistemas abertos: ela diz que a energia campos são abertos e intermináveis, mas interligados.

c) Padrões: são as particularidades de cada campo.

d) Tetradimensionalidade: é um não-linear, sem domínio espacial ou temporal atributos.

A finalidade da teoria é ajudar as pessoas a atingir seu máximo potencial de saúde. Para a teoria ter seu efeito faz-se necessário que o enfermeiro promova interação harmoniosa entre o homem e o seu ambiente.

A Assistência de enfermagem é feita por meio de um processo planejado, que compreende a busca de dados, o diagnóstico de enfermagem, estabelecimento de metas, a curto e longo prazo e de melhores cuidados de enfermagem planejados em busca do atendimento aos resultados.

Este método de Rogers é essencialmente dedutivo, lógico, em que a enfermagem vai comprovar uma nova perspectiva do sistema mundial nova forma de pensar a respeito do fenômeno de enfermagem.

O homem é o foco dessa teoria que fundamenta o sistema teórico de enfermagem, para efetivação de uma enfermagem segura. Enfatiza o SAE.

12- Teoria do Cuidado ético de Benner:

Benner (1982) Esta autora trouxe contribuições de grande valor no que respeita ao conhecimento, quando diferenciar o conhecimento teórico – "saber o quê", do conhecimento prático – "saber como".

A experiência do Enfermeiro trará a "proficiência" que para a autora da teoria seria intelectual e científica que pode ser entendida como a associação entre conhecimento teórico e da prática (Lopes e Lourenço, 1998).

Benner (1982; 1984) diz que nenhum profissional começa como perito e que o ser humano passa por cinco níveis de experiência: principiante, principiante avançado, competente, proficiente e perito. Os enfermeiros segundo esta teoria serão considerados tanto melhores profissionais quanto mais próximos dos padrões de excelência definidos estiver o seu desempenho e a excelência no exercício da prática de enfermagem, o qual só conseguimos quando a praticamos.

Conhecimento Ético na enfermagem, este componente é considerado o conhecimento moral da enfermagem. Envolve julgamentos éticos constantes e, frequentemente, implica confrontar valores, normas, interesses ou princípios. O conhecimento ético não descreve ou prescreve a decisão a ser tomada, ao contrário, ele mostra o insight das possíveis escolhas a serem realizadas, e os seus porquês.

vacinal das popula-ções infantil e idosaNas

O setor de saúde, uma categoria de trabalhadores ocupa singular função. Para cumprir um dos mais importantes papéis sociais e de grande relevância econômica, o trabalhador de enfermagem muito avançou cientificamente para atender às atuais e crescentes exigências, nesse campo.Diagnósticos mais precisos, cirurgias mais seguras com pósoperatório melhor monitorado; maior cobertura muitas e diferentes etapas de todos essesprocessos, o trabalhador de enfermagem tem necessária presença.Com mais de 40 especialidades no Brasil, o domínio de sua práticainclui:

• Prestação de cuidados diretos e a avaliação de seu impacto;• Defesa dos interesses dos pacientes e da saúde em geral;• Supervisão e delegação de tarefas;• Direção e gestão;• Ensino e pesquisa

Da chapa de Raios X ao Arco em C Tridimensional, muita coisa mudou para os trabalhadores da saúde. Para a enfermagem, uma da sgrandes mudanças consistiu no despertar de sua consciência como categoria trabalhadora, ao se tornar crescentemente participante daluta pela conquista de seus direitos. Direito a melhores condições devida, direito à saúde e à segurança do trabalho.Nos últimos 20 anos, para tanto contribuíram: as conquistas, nessesquesitos, obtidas por outras categorias de trabalhadores; a epidemiade AIDS e o recrudescimento da tuberculose; o aumento das patolo-gias psicossociais na sua própria pele; enfim, o reconhecimento desua própria vulnerabilidade aos riscos ocupacionais, tendo em vistaalgumas das características já apontadas em

Riscos do trabalho de Enfermagem

. E, isso, pelo fato de a enfermagem ser:• O maior grupo individualizado de trabalhadores de saúde;• Prestadora de assistência ininterrupta, 24 horas por dia;• Executora de cerca de 60% das ações de saúde;• A categoria que mais entra em contato físico com os doentes;• Por excelência, uma profissão feminina;

• Bastante diversificada em sua formação.

Parte 2- A Norma Regulamentadora 32 (NR 32) considera

Risco biológico

(Parte 2 de 20)

Comentários