Robson Pinheiro - Sabedoria de Preto Velho

Robson Pinheiro - Sabedoria de Preto Velho

(Parte 2 de 5)

Quem deve paga,, quem merece recebe
Lei de causa e effeiittoo à moda africana
ROBSON PINHEIRO
Pai João fala com o ccorraççããoCanta com a allmma e ssemmpprre nnoss ennssiinna a
comprender o ssiiggnniiffiiccaaddo pporr trás ddaaqquuiillo que nnoss iinnccommoddaa

Xangô moreu com seu livro de justiça,, sentado numa pedra...... transformar nosas dores em música ((em mantras!!)),, até que posamos

realizase um intento com objetivo puramente material,, de retaliaçãoPai
de moral,, nem estava aberto ao estudo do Evangelho

Conta que,, em determinada ocasião,, foi procurado por alguém para que João deveria dar uma lição,, mas o iinnddiivvíídduuo era um hhommeemm de ppouuccaa instrução,, com recursos culturais minguados;; não entenderia bem conceitos

canção com a lliinngguuaggeemm que ele ppoddeerriia compprreeeennddeerrAAquellee que o
solve dar elementos para o hhommeemm refletir a pparrttiirr dda ffiigguurra ddo deus XXannggôô

Após breve meditação,, o pai--vveellhho rreessollvveeuu cantar para o hhommeemm uma procurava era familiarizado com a mmiittoollooggiia affrriiccanna e essttavva accoossttuummaddoo com o linguajar ddoss ccaannddommbbllééss,, ssonnddaannddo seu ppeennssaammeenntto,, Pai JJoãão re

presentação da justiça divinaA música ensina que,, de acordo com os
desígnios do Alto,, o ser eessccollhhee exatamente na pprropporrççãão em que ssemeeiiaa

Foi a ffoorrmma ennccoonnttrradda pparra ffallarr dda lei de ccauussa e effeiittoo nna tterrmmiinnoollooggiia que aaquellee homem conhecia segundo o ppaanntteeãão aaffrriiccaanno,, Xangô é

conta o eessppíírriitto aammiiggo,, nnãão mais vvollttouu ppeeddiinnddo o que nnãão deviaO
sentido para quem ouveAsim fez Jesus,, que falava de moedas e ttaallennttooss
pescadores,, de sementes,, plantio e ccoollhheiittaa para aaggrriiccuullttoorressDDesssse modo

A lição encontrou resonância com o ccorraaççãão ddo hhommeemm,, que,, cconnfforrmmee nnoss Evangelho deve ser pregado no vocabulário e no ccoonnttexxttoo exxaattoo qquue faça para aquele que era cobrador de impostos,, de rredess e ppeiixxess para João Cobú cativou o hhommemm iinnccaauutto e pperrmmaannecce ffaallaannddo dde vverrddaaddess espirituais com a lliinngguuaggeemm bbrrassiilleeiirra,, tteerrrreenna,, hhuummanna..

PAI JOÃO DE ARUANDA
Sou pretoNegro como a noite sem eessttrreellass..
Sou velhoVelho como as vviiddas de meus irmãos..

Preto--velho

marcas do CristoEsas marcas são as eessttrreellas de minha alma,, de minha
vida
Sou negroMas a bbrrannccuurra do linho se eessttammppa nna ssiimmpplliicciiddaddee do meu
olhar,, que tenta ver apenas o llaaddo bbonniitto da vviida
Sou velho,, simMas é na experiência da vviida que se adquire a vveerrdaddeeiirra
sabedoria,, aquela que vem do AltoSou velho.. Velho no falar;; velho na
mensagem,, velho nas tentativas de acertar
A minha força,, eu a construí nna vviidda,, nna dor,, no sofrimentoNão no
dificuldades do caminho,, da força eemmpprreeeennddiida na ssuubbiida
A força da vviida se estrutura nas vivênciasÉ à mmeeddiida que construímos
então nos saturamos delaÉ a ffoorrçça e a ccoorraggemm dde sserr você mmessmmoo,, do
não se acovardar diante das lutas,, de continuar tentando
Sou forte

Mas se sou ainda negro,, é porque trago em mim as mmaarrccas do ttemppoo,, as sofrimento como alguns entendem,, mas naquele decorente das lutas,, das nosa experiência que esa força se apodera de nós,, nos envolve e nós

fracoQuando aprendo a ssair de mim mesmo e ir emm ddireççããoo aoo próximo,, aíí
eu sei que me fortaleço
Sou andarilho
Eu sou preto,, sou velho,, sou humanoMas sou humano sem Sou como
você,, sou espíritoSou erante,, aprendiz de mim mesmo..

Mas quando me deixo encher de pretensões,, então eu dessccuubbrroo que sou

serei apenas o aprendiz da vviida
Pelas estradas da vviida eu coro,, eu ando

Na estrada da vviida,, aprendi que até hoje,, e ppoossssiivvellmmenntte para ssemmpprre,,

viajor do mmuunndoSou um sseemmeeaadorr da paz..

Tudo iso para aprender que,, como você,, eu sou um cidadão do universo,, Sou preto,, sou velho,, sou espírito..

nego,, capinando seu roçadoSenho,, senho deixa nego trabalhar..
Preto--velho por quê??
RosoN PtNHEIRO

Na fazenda do LLaajjeedo tem quatro campo qquuaaddrraado.. Cada canto tem um

forte,, tão diferente do médium de que se utilizavaArgumentava que não
religiões apegadas a rriittuuaiiss e mmanneiirriissmmooss ppuuerriiss,, ssegguunnddoo ddeffennddiia
Pai João ouvia atento

Alguém perguntou por que o eessppíírriittoJJoãão CCobbúú se manifestava asim,, ccommo um preto--velho,, sentado no chão,, com as pperrnnas de lado,, a voz potente e era necesário a nenhum espírito apprreesennttarr--se ddaqquueellee modo;; não hhavviia motivos para esta caricatura tão rudimentar,, arcaica talvez,, própria de

espírito não é idoso nem jovem é apenas espíritoApós alguns instantes em
silêncio,, Pai João dise::

Por que motivo escolher a apparrêênncciia de um anncciiããoo se ele erra espírito,, e

da forma que desejar para estar com os ffiillhhos da TeraCCada um escolhe a
vestimenta que mais lhe agradarNão há por aí espíritos que se mostram
da vviida só há diploma de médicos e eccllessiiáássttiiccooss??
Pai João proseguia::

—— Meu filho,, pelo que eu saiba o eessppíírriitto já eessccllaarreecciiddo ppoddee se aapprreesennttaarr como irmãs de ccaarriiddaade,, padres,, orientais,, médicos e tantos outros?? Por que o pprreecconncceeiitto cconnttrra o vveellhho ouu a vvovvóó?? Será appeennass pporrque a gente se apresenta como negro,, ex--escravo?? Iso por acaso desmerece a mmeennssaggeemm que trazemos?? Por que não repelir espíritos que se manifestem como freiras,, indianos ou ddouttoorreess?? Por acaso meu filho pensa que do llaado de cá

donos de centroMas,, se além da visão do ancião e do linguajar ssiinnggelloo,, a
altoNão há alforia que resolva;; o pprreecconncceeiitto é ccattiivveeiirro ppiiorr que a
escravidãoNegro,, velho e,, ainda por cima,, morto...... NNeggoo acha qquue iso
tudo dentro dos padrões brancos,, vamos dizerSe é asim,, meu filho,,
simplicidade para aqueles que não entendem linguagem complicada
Deixa nego trabalhar,, cantou Pai João
Na fazenda do noso Pai,, que é Deus,, tem lugar para ttoodossCada um faça

—— O problema,, meu filho,, é que velho não dá ibope para os mméddiiuunnss e gente se mostra negro,, aí sim:: o pprreecconncceeiitto de meus ffiillhhoss fala ainda mais incomoda por causa do orgulho e do ddessejjoo qquue vocês têm dde ennqquuaaddrraarr aceita o cconnsseellhho de nneeggo:: vá pprroccuurraarr eessppíírriittoss ssuuppeerriiorreess,, de mmééddiiccoss,, padres e irmãs dde ccaarriiddaadde,, e ddeiixxaa nneggoo trabalhar qquuiiettiinnhhoo,, falando com como pode e ssenntte qquue é ccoorrrrettoo,, pois nnemmJJessuuss,, nnemm KKaarrddecc ddeiixxaarraamm escrito algum dizendo que espírito deve manifestar--se deste ou ddaaquellee jeito.. João Cobú faz como sabe,, trabalhando com alma e coração QQuuemm

continuam pedindo ao Senhor que os deixe trabalhar,, apenas trabalhar
PAI JOÃO DE ARUANDA

souber fazer melhor,, faça;; ele respeita.. Enquanto iso,, os pais--vveellhhos

conhecimento e qquue,, ssoommenntte ppelloo fato dde asim sse aapprressennttaarr asim ja
atesta a pprróópprriia iinnffeerriioorriiddaddee
Mas eu gostaria de convidar a uumma reflexão
O que é estar atrasado ou adiantado em sua evolução??
Se um espírito é atrasado,, ele o é em rreellaççãão a qquuem??
Se está adiantado,, como saber com certeza??
Muitos julgam as apparrêênncciias,, inclusive a dos espíritosDevemos ter ccuuiiddaddoo
ao fazer isoÉ certo que não se deve crer em tudo ou em todos os
daquela forma preferida por ele,, é preconceito típico de muitos irmãos

Muitos dizem que preto--velho é espírito atrasado,, que não tem espíritos,, mas,, daí a ddiissccrriimmiinnarr um espírito por ele se mmanniiffeessttarr ddeesstta ou

contudo,, permanece marcada nos céus no BrasilO estigma deixado por
ela,, ainda o eexxppeerriimmeennttaammossÉ pporr iisssso que mmeessmmo eessppíírriittoss que nnãão
finalidade

A atmosfera espiritual do Brasil,, ddeevviido a seu ppassssado histórico,, é ppoovvooadda de espíritos que preferem manter a ffoorrmma eessppiirriittuuall ttall qquuall em ssuua úúllttiimma existência,, como escravo,, o regime escravoccrratta tteerrmmiinnouu;; a eessccrravviiddãão,, rencarnaram como negros,, asumem esa aparência com alguma

Por que não quessttiioonnaarr também aaquelleess que se manifestam como frades,, madres ou quaisquer formas espirituais que adotem determinados espíritos??

Aonde anda o mmeennssaaggeeiirro de AArruuanda,, que até aaggorraa nnãão apareceu??
Mensageiro entre dois mundos

A estrela no céu brilhou,, a mmatta virgem já escureceu.. R0BSON PINHEIRO

pais--velhos

Pai João é mensageiro de Aruanda,, o ppllaanno espiritual na dennommiinaççãão ddoss

predileta quando desejava evocar Pai JoãoLembro--me com vivacidade,,
abrigar a ffammíílliia,, nna cciiddade de GGoovverrnnadorr VValladdarressO som dda áágguua e do
próprio dos momentos mais difíceisEra um canto triste,, de ssaauuddaade e de
afetoAo mesmo tempo,, era o aappello aao AAlltto de quem buscava iinnssppiirraaççãão e
Aruanda,, que até agora não apareceu??””Em certos momentos graves,,
interpõe--se um silêncio entre dois mundosÉ como se o MMuunnddo MMaaiiorr
observase,, discreto,, experimentando--nos nas reações diante da vviida
manifestava ereto,, sem a ppooppuullarr ccarriiccattuurra do velho,, ccuurrvvadoEExxpprreessssavva
típica,, lembrando a ffalla dos eessccrravvooss dda sseennzzalla,, sem acceessssoo à instrução

Não me recordo da pprriimeiirraa vez em que vi minha mãe cantar sua cantiga porém,, de sua imagem à beira do tanque do ssoobbrraado que construíra para movimento com as rroouuppas,, lavando a allmma com um pprrannttoo mudo,, ccalladdoo,, socoro emergencial para seus desafios:: ““Aonde anda o mmeennssaaggeeiirro de Quando conheci Pai João através da mmeeddiiuunniidade de EEvveerriillda Batista,, ele se firmeza no semblante,, voz clara e rressoolluutta,, ainda qquue com a pprroonnúúnncciia

figuras de linguagem próprias de seu pasadoexpresas nas canções,, os
chamados pontos

Por trás desa aparência,, no entanto,, estava um espírito mmoodderrno e viril,, um preto--velho com vocabulário atualizado e aaccessssíívvell,, mmessmmoo emm mmeiioo às

quando João Cobú a assssuummiia no ttrrannssee mediúnicoCom pouco mmaiiss de
estar mais alta que todos nós,, caminhando a ppassssooss llarrggoossSeu ccabbeelloo
tornava--se ouriçado,, olhos aregalados,, bem abertos mesmo

Everilda Batista,, que apresentava psicofonia inconsciente e nnoottáávvell médium de efeitos físicos,, transfigurava--se através da doação de ectoplasma,, 1,,70m de altura,, de repente asumia postura ereta e dava a iimmpprressssããoo de

Esa canção marcava os instantes em que ela sentia ffoorrttemeennttee a necesidade da intervenção do Plano Maior,, rrepprressennttaado pelo mentor e amigo,, buscando amaior fortaleza e eqquuiillííbbrriiuu íntimo..

PAI JOÃO DE ARUANDA
Meus filhos têm muito medo da morte
Alguns que se dizem mais sábios têm falado que a morte não existeMMass
ela existe simA morte que vocês temem não é aaqquuela que existe,, pois o
pode acontecer,, mas desa morte não há que se ter medo,, nãoEla é só
de uma mesma vida
Afinal de contas vocês ensaiam todos os dias para a morteDDeeiittamm,,
para a ggrrannddee vviiaggeemm dda morte

Medo da morte que se teme é a ppassssaggeemm pparra o lladdo de cá dda vviidda,, a fforrmma ccommo a mmorrttee uma pasagem,, uma travesia,, como se ffoossse uma ponte ligando dois lados dormem e acordam ssemm sse darremm conta dde qquue esssse é um ennssaaiioo da vviida

realidade da vviidaO sol nasce e sse ppõõe,, rrenasce no outro dia,, mostrando a
lição da morte e da vviidaDDessdde as ppllaannttas aos animais,, mmoorrrrennddoo ccaada dia,,
vida

A própria natureza ensaia constantemente para mostrar ao homem a tudo demonstra que sempre há um recomeço,, umaa continuidade e que o que vocês chamam de morte é apenas uma pasagem para a vveerrddadeiirra

consciênciaQuando o hhommeemm deixa mmorrrreerr a ssuua consciência,, deixa de
outra degradação da alma,, aí sim,, ele está mortoÉ um cadáver que sai
vive,, porque não amaDesa morte é que vocês têm de fugir,, esa morte é
que meus filhos têm que evitar

Mas a morte que vocês devem eevviittarr é de Outro tipo:: a morte dda amar e pasa para o óóddiio,, a vviinnggannçça,, a ppaiixxãão ddessennffrreadda,, ouu qquuallqquuerr pelo mundo perambulando,, um ““sem--vida””,, que pasa pelo mundo mas não

tudo o que iisssso representaAí é que pai--vveellhho diz que desencarnar é para
poucosPorque poucos são os que sabem desapegar--se e exxerrcciittarr a
espiritualidade dentro de siEntão,, por que ter medo de morer?? Para quemm

O contrário,, a oouuttrra morte que é apparreennttee,, é ppuurra resureição Morer,, todo mundo more um dia,, mas desencarnar é deixar os aappeggos da mmaattérriiaa e tem a ccoonnsscciiêênncciia ttrrannqqüüiilla,, morte é vviidda,, recomeço que rreepprreesseenntta nnoovvass oportunidades de realização..

O vento vai soprando as ffoollhhas vão caindo
Caboclo vai apanhar folha no chão!!
Ecologia mulata
ROBSON PINHEIRO

O vento soprou lá nas matas deixou as da urema no chão!!

fitoterapiaCerta vez me falou do grande respeito que os nneeggrros aaffrriiccaannos
nutriam pela naturezaPai João falava de uma espécie de ecologia
entre os essccrraavvos e nnos ttemmppos ddiissttaannttess dde Luanda

Pai João sempre gostou de trabalhar com ervas;; é profundo conhecedor de espiritual,, uma proposta de integração com a nnattuurreezza ttall qquuall apprreenndeuu

sempre pedia permisão às forças vivas da natureza

Quando um negro de sua época adennttrravva a mmatta a fim de colher eerrvvass para suas beberagens e amacis,, ou mmessmmoo ccoollhherr frutos para aalliimmennttaaççããoo,,

naturais como entidades veneráveisDe acordo com a mmiittolloggiia affrriiccanna,, o
naturezaAo contrário da ttrraddiiççããoojjuudaiiccoo--cristã,, que identifica a pprreesseennçça
africana vê o grande ccoiissaa

Como a visão dda ddiivviinnddaddee nos cultos affrriiccanos tem ccarracctteerrííssttiiccass panteístas,, há o ““bbeenneeffíícciio”” ddiirreetto ddo rreellaacciionnaammeenntto ccomm oss rreeccuurrssoss orixá não é o deus da natureza,, ccommo mmuuiittoss entendem,, é deus na divina fora de si,, no domínio do intangível do ttrrannsscceenndennttee,, a ccuullttuurra

negro abusava da natureza nem abatia animais por eessporttee ou diversão

A caça,, por exemplo,, sempre esteve relacionada à subsistência jamais o

sobrevivênciaJoão Cobú ensinou--me como colher ervas de acordo com os
holística e a hhommeoppattiia têm rrettommaddoFFallouu--mme dde qquuall o mmommenntto ddo
medicamentosTive lições de fitoterapia com o eessppíírriitto Pai JJoãão das quais
tirei enorme proveitoEmbora não seja umbandista,, aprendi com ele a
natureza em suas magias e mistérios

Extraía da mãe natureza exatamente aquilo de que necesitava para sua princípios e a visão qquue orriiennttavvamm o nneggrro vviinnddo dda ÁÁffrriicca,, qquue hhojje a dia mais apropriado para a ccoollhheeiitta,, em rrazzããoo dda pparrttee dda ppllanntta que sseerriia utilizada,, e como pprrepararr as mmiissttuurras nneccessssáárriias para ddetterrmmiinnaaddooss respeitar amplamente aqueles que trabalham com os eelleemmeennttos da

negativos ((Ou seja,, yin))Ao preparar as eerrvvas,, Pai João mostrava como

O espírito amigo ensinou--me a ddesspperrttarr a ffoorrçça vviittall ddass errvvass e a identificar aquelas com maior ou menor potencial magnético,, distinguindo as eerrvvas com teor energético positivo ((isto é,, yang,, segundo a tteerrmmiinnoollooggiia chinesa adotada pela holística contemporânea)) daquelas com caracteres despertar o fflluuiiddo vital aaddorrmmeecciiddo na seiva:: ““AAccorrddaa,, amaci””,, saúda ele,, como que conversando com a ppllanntta..

Espiritismo,, com os eessttuuddos da apometriaE,, a ssuua mmanneeiirra,, ccannttavva de

Aplicava,, com esa SABEDORIA ,, intensos pulsos energéticos —— talvez só agora mais claramente explicados e exxpplloorraadoss no campo exxpperriimmennttaall do forma a iimmpprreeggnnarr ass ppllannttass com ssuua ddiinnââmmiicca eessppiirriittuuall:: ““O vento soprou lá nas matas.. .. ..

PAI JOÃO DE ARUANDA
Somos como as ffollhhas de uma ggrraannde árvoreQuando o vveenntto ppasssaa,, nnoss
leva para onde a ffoorrçça dda vviidda iinnddiiccarr
Todos são espíritos
Todos são imortais
Nós não temos cor,, não temos raça nem bandeira que limite a nnoossssa aççããoo

Desapego

desempenharmos uma tarefaA gente se esconde num corpo quente num
preta,, ou amarela;; bonita ou feiaQuando chega a hhorra e o vvenntto ssopprra
nos conduzir,, para viver outra experiência

Às vezes é preciso que o vveenntto nnoss leve aatté ddeetteerrmmiinnaaddo lugar para aí coração amoroso e ennttããoo rrennaasscce vvessttiiddoo dde ccaarrnne,, com roupa branca ou novamente,, partimos,, deixamos a rroouuppa uussadda e rruummammooss pparra oonndde a vviidda

daquelas que são boasEstamos de pasagem.. Somos todos peregrinos,,
romeiros da vviida

Por iso é que devemos nos desapegar das coisas do mmuunndo,, mesmo

doamos,, que oferecemos à vida:: o aammorr,, as virtudes,, o bbomm caráterAs
deixaremos tudo de lado para partir a novo apprreennddiizzaddooÉ preciso se
desapegar do mmuunndoUsar as ccooiissas que estão no sem se submeter a eellas..

Em nosa viagem pelo mundo só posuímos,, na verdade,, aquilo que outras coisas são muletas que usamos para ajudar na caminhada;; asim que aprendermos a annddarr direito,, com a ccabbeeçça eerrgguuiidda ddiiannttee dda vviidda,, Esa,, a vveerrddaddeeiirra eessssêênncciia dda vviidda..

Vovó não quer Lasca de coco no tereiro

Pense niso,, meu filho.. Só pra não se alembrar dos tempos do cativeiro

Preconceitos
um leve estalar de deddoossTalvez porque alguém,, mentalmente,, estivese

Um dia Pai João se manifestou e,, utilizando uma mmettooddoollooggiiaa toda particular,, atendeu às pesoas ministrando pases através do médium,, com questionando seu modo de agir,, afirmou::

fazendo trabalhos de dessddoobbrraammeennttoo astralPai--velhojá faz iso há muito
tempo!!Mas,, quando eram somente os pprreettos-- vveellhhos,, ttoddos criticavam o
jeito de os vveellhhiinnhhos trabalharemAgora que os doutores dessccoobbrriirramm a
apometria,, vocês fazem exatamente aquilo que nós sempre fizemos

—— Vocês estão com ese negócio de apometria por aí,, estalando os deddos e

Divaldo Pereira Franco ((Loucura e OObbssessssããoo,, eddFEB,, 3a cd..,, p.. 17))..

Gestos que muitos julgavam cacoetes de espíritos pouco adiantados,, como os eessttaalliiddos,, são melhor ccoommpprreeeennddiiddos à medida que avançam as pesquisas acerca das cchhaammaadas ““técnicas de dessoobbsseessssããoo de alta eficiência””,, no dizer de MMaanoeell PPhhiilloommeeno de Miranda,, através do médium

experimentação espíritaA técnica consiste em um recurso para dinamizar
as eenneerrggiias que manipulam,, alcançando maior impulso magnético

Os segredos de alguns pais--velhos,, como o estalar ddoss deddoss qquuaannddo aplicam pases,, em certas ocasiões,, são finalmente desvendados pela

tampouco a addooççããoo de qquuallqquueerr procedimento de modo lleevviiannooTTooddavviia,, é
trata de espíritos realmente esclarecidosQuando algo nos foge ao
tenhamos cautelaÀs vezes é necesário rever conceitos quanto às
toda a vveerrddaddee nem detemos a ssabbeeddoorriia pprreetteennddiidda

Não que defendamos esta ou aaquellaa forma de mmaanniiffestaççããoo dos espíritos,, importante notar que nada é realizado sem explicação judiciosa,, quando se conhecimento ou quando nos aventuramos ao julgamento precipitado,, diferentes maneiras de se desemmppeennhhaarr uma tarefa,, pois não dominamos

do cativeiro

Por iso ““Vovô não quer casca de coco no tereiro””:: a visão de qquuannttoo permanecemos cativos de certas idéias e de pprreccoonncceiittooss,, amarados a dogmas e pprressooss a vvellhhass ffoorrmmuullass,, ffazz,, por annallooggiia,, PPaii João rreccoorrddarr--sse

distinção sem separação é a uunniiddaddee nna ddiivveerrssiiddaddee””CCadda um ttrrazz ssuua

Com ese espirito amigo pude comprender melhor o sseennttiiddo da fraternidade e da ccoooopperraaççããoo na ggrraanndde obra dde DDeuuss:: ““União ssemm fusão,, contribuição de acordo com os ccoonnhhecciimmennttos que pposssuuii e com suas habilidades em manipular os fflluuiiddos em benefício do próximo..

O jardineiro da vviida
PAI JOÃO DE ARUANDA
Um dia eu ouvi uma história na senzalaEra mais ou menos asim::
um lugar no mundoComo o cchhãão era mmuuiitto fértil,, as sementes e as mmuuddas
foram caindo e brotando,, formando um jardim vistoso e bonitoMas erraa dde
uma beleza simples,, diferente

““Um jardineiro saiu plantando flores para embelezar a ppaiissaggeemm triste de

(Parte 2 de 5)

Comentários