dimensionamento de contatores

dimensionamento de contatores

Prof. Eng. Giovani B. de Souza1

H3 – DIMENSIONAR H3 – DIMENSIONAR

Aula 4Aula 4

Prof. Eng. Giovani B. de Souza2

4. CONTATORES4. CONTATORES DEFINIÇÃO:

Chave de operação não manual, eletromagnética, que tem Chave de operação não manual, eletromagnética, que tem uma única posição de repouso e é capaz de estabelecer, uma única posição de repouso e é capaz de estabelecer, conduzir e interromper correntes em condições normais do conduzir e interromper correntes em condições normais do circuito, inclusive sobrecargas no funcionamento.circuito, inclusive sobrecargas no funcionamento.

O contator é composto de uma bobina, contatos principais e auxiliares, mola e núcleo magnético. Sua atuação acontece quando os contatos da bobina são energizados, ocorrendo o atracamento dos contatos, ou seja, os contatos NF abrem seus contatos e os contatos NA fecham os seus contatos.

Prof. Eng. Giovani B. de Souza3

4.1 Especificação4.1 Especificação

Para especificar um contator é necessário relacionar além da corrente elétrica dos contatos principais: - Tensão da bobina ( 24 Vcc ou 24 - 110 – 220 - 380 Vca);

- Números de contatos auxiliares, especificando contatos

NA e NF; - Compatibilidade com o rele de sobrecarga;

- Tensão de isolação

ITENS OPCIONAIS OU DE REPOSIÇÃO: Também são encontrados no comércio os seguintes itens de reposição: - bobina;

- contatos principais;

- bloco de contatos auxiliares.

Prof. Eng. Giovani B. de Souza4

4.2 Categoria de Emprego4.2 Categoria de Emprego

CategoriaAplicação

Definição: Determina as condições para a ligação e interrupção da corrente e da tensão nominal de serviço correspondente, para utilização normal do contator, nos mais diversos tipos de aplicação. Para Corrente Alternada

AC1Manobras leves; carga ôhmica ou poucoindutiva

(Aquecedores, Lâmpadas incandescentes e Fluorescentes compensadas).

AC2 Manobras leves; comando de motores com anéis coletores. (guinchos, bombas, compressores). Desligamento em regime.

AC3 Serviço normal de manobras de motores com rotor de gaiola (bomba, ventiladores, compressores). Desligamento em regime.

AC4Manobras pesadas. Acionar motores com carga plena; comando intermitente (pulsatório); reversão a plena marcha e paradas por contra-correntes (ponte rolante, tornos, etc.

Prof. Eng. Giovani B. de Souza5

4.3 Esp. Corrente Principal4.3 Esp. Corrente Principal

A corrente do contato principal deve ser maior que que a corrente nominal do motor, considerando o fator de serviço do motor.

Para partida direta: K1 >= 1,10 In

Rele térmico → In Disjuntor motor → In

Para partida estrela-triângulo: K1 = k2 = 0,58 In

K3 = 0,3 In Rele térmico → 0,58 In Disjuntor motor → In

Para partida compensadora: K1 = In

K2 = 0,64 In K3 = 0,23 In Rele térmico → In Disjuntor motor → In

Prof. Eng. Giovani B. de Souza6

4.4 Exercícios4.4 Exercícios

Dimensione de forma completa a chave de partida para os seguintes motores: 1)Motor trifásico W21 de 1cv, 380V/60Hz, I pólos, supondo que o seu tempo de partida seja de 5s (partida direta). 2)Motor trifásico W21 de 10cv, 220V/60Hz, I pólos, supondo que o seu tempo de partida seja de 5s (partida direta). 3)Motor trifásico W21 de 10cv, 380V/60Hz, I pólos, supondo que o seu tempo de partida seja de 5s (partida direta). 4)Motor trifásico W21 de 100cv, 380V/60Hz, I pólos, supondo que o seu tempo de partida seja de 5s (partida direta). 5)Motor trifásico W21 de 200cv, 380V/60Hz, I pólos, supondo que o seu tempo de partida seja de 10s (partida direta).

Prof. Eng. Giovani B. de Souza7

FRANCHI, C.M. ACIONAMENTOS ELÉTRICOS, Ed. Érica, 4a. Ed., SP, 2008. Be-A-Bá da Eletricidade. Reymaster Automação-Curitiba, 2007.

Comentários