Glossário de fitoterápicos

Glossário de fitoterápicos

(Parte 1 de 2)

Fitoterapia: glossário

ABCESSOS: Coleção de pus dentro de tecidos orgânicos, em conseqüência de inflamação.

ABSINTISMO: Intoxicação pelo uso ou abuso de absinto. ÁCIDO GRAXO: Composto químico gorduroso, constituinte de óleos.

ADIPOSE: Aumento, em regra patológico, de gorduras no tecido celular subcutâneo; obesidade.

ADRENÉRGICO: Ativado pela adrenalina. Em geral se aplica às fibras nervosas do sistema nervoso simpático.

ADSORÇÃO: Fixação das moléculas de uma substância (o adsorvato) na superfície de outra substância (o adsorvente).

ADSORVENTE: Substância que adsorve.

ADSTRINGENTE: Produto que contrai os tecidos orgânicos, promovendo o fechamento dos poros.

AFECÇÃO: Alteração da saúde. Perturbação patológica localizada em determinado órgão. Doença, Enfermidade.

ALBUMINA: A mais importante classe de proteínas animais ou vegetais. Caracteriza-se por sua solubidade na água e coagulabidade pelo calor.

ALBUMINÚRIA: Presença de albumina na urina.

ALCOOLATURA: Produto da maceração de uma planta em álcool, o mesmo que tintura.

ALOPECIA: Calvície; rarefação progressiva dos pêlos, reversível ou não, podendo ir até certo grau de atrofia, porém sem êxito cicatricial.

AMENORRÉIA: Ausência de menorréia ou menstruação; amenia. ANOREXIA: Redução ou perda de apetite para alimentos. ANTIEDEMATOSO: Que combate o edema. ANTIESPASMÓDICA:Que alivia espasmos. ANTIFLOGÍSTICO: Agente terapêutico para combater a inflamação; revulsivo.

ANTIOXIDANTE: Qualquer classe de composto que se adiciona a outras substâncias para retardar a oxidação, a deterioração, e rancificação.

ANTISSÉPTICO: Que inibe e detém a ação dos micróbios infectantes.

ANTRACENO: Carboneto de hulha, cristalino; usado para preparar matérias corantes.

ANTRAQUINONAS: Corante derivado do antraceno.

ARRITMIA: Alteração no rítmo cardíaco devida a perturbações na condutibilidade do estímulo neuromuscular.

ASTENIA: Perda de forças; esgotamento.

ATAXIA: Incoordenação motora, com tremor intencional, desordens da palavra, nistagmo, anisocoria, fenômenos cerebelares conseqüentes a infecções agudas ou intoxicações.

ATEROMA: Cisto sebáceo; degeneração da parede interna de artérias, com formação de depósitos de colesterina e sais de cálcio.

ATEROMATOSE: Estado mórbido caracterizado pela presença de ateromas.

ATEROSCLEROSE: Processo patológico crônico e progresivo de deposição de produos do metabolismo orgânico. Atinge todas as artérias, porém mais freqüentemente as coronárias, as cerebrais e a aorta.

ATONIA: Deficiência de tono. Estupor com imobilidade completa observada na forma catatônica da demência precoce e em estados depressivos ou melancolia atônica.

voltar ao topo

BACTERICIDA: Que destrói ou mata germes, especificamente bactérias; germicida.

BÉQUICO: Diz-se de, ou medicamento contra tosse; antitussígeno. BLENORRAGIA: Eliminação de muco. BRADIPNÉIA: Respiração lenta. voltar ao topo

C CARCINOGÊNICO: Que produz cancêr.

CÁRDIA: Abertura superior ou esofágica do estômago.

CARMINATIVO: Que atenua o desenvolvimento dos gases no estômago e no intestino.

CATAPLASMA: Papa medicamentosa que se aplica entre dois panos, a uma parte do corpo dolorida ou inflamada.

CATÁRTICO: Purgativo; medicamento que apressa e aumenta a evacuação intestinal e provoca purgação.

CATATONIA: Integridade da contratilidade voluntária, com tendência a tomar posturas voluntárias ou passivas, por enfraquecimento mental da vontade. É uma psicose miotônica que na demência precoce assume mais alto grau.

CIANOSE: Coloração azulada da pele; em regra, decorre de vício cardíaco congênito ou deficiência circulatória.

CIRROSE: Alteração degenerativa com proliferação regenerativa, promovendo endurecimento e coloração amarelada.

CLISTER: Introdução de líquido através do reto.

CLOROSE: Anemia peculiar à jovens, na época púbere ou prepúbere e que produz coloração verde na pele.

COLÁGENO: Tecido também chamado conjuntivo e que produz substância gelatinosa pela fervura em água. Substância fundamental do tecido conjuntivo que além de encher as lacunas dos tecidos parenquimatosos produz fibras colágenas, elásticas e reticulares.

COLAGOGO: Diz se de, medicamento que excita a secreção da bílis. COLECISTITE: Inflamação da vesícula biliar. COLERÉTICO: Que ativa a produção e a secreção da bílis.

COLÓIDE: Semelhante à cola; glutinoso. Substância amarelada, gelatinosa, que resulta da degeneração coloidal.

COMPRESSA: Chumaço de gaze ou outro material usado para fazer compressão sobre qualquer parte. As vezes pode conter medicamentos, ou proporcionar apenas calor.

CONSTIPAÇÃO: Prisão de ventre. Resfriado, gripe, gripe comum. CÓRTEX: Córtice, cortiça, casca. Camada externa de órgão. CORTISONA: Hormônio do córtex supra-renal.

CREATINÚRIA: Aumento da taxa de creatina na urina. voltar ao topo

DECOCÇÃO: Preparação normalmente utilizada para as ervas não aromáticas (que contém princípios estáveis ao calor) e para drogas vegetais constituídas por sementes, raízes, cascas e outras partes duras, de maior resistência à ação da água quente. Numa decocção, coloca-se a erva - dividida em porções miúdas - na quantidade prescrita de água fervente. Cobre-se e deixa-se ferver em fogo lento por até 20 min. A seguir, deve-se coar e espremer a erva com um pedaço de pano ou coador. O produto, morno, pode ser usado em aplicações externas, mediante compressas.

DEMULCENTE: Emoliente. DEPURAR: Tornar puro, limpar, purificar. DESMINERALIZAR: Retirar ou perder sais minerais do organismo. DIAFORESE: Transpiração ou perspiração profusa. DIAFORÉTICA: Que provoca sudação; sudorífico. DISMENORRÉIA: Menstruação dolorosa. DISPEPSIA: Distúrbio da função digestiva. DISPNÉIA: Respiração difícil; dificuldade para respirar.

DISTROFIA: Nutrição deficiente ou errada; distúrgio da nutrição, caracterizada por falta de assimilação.

DISÚRIA: Pertubação na secreção urinária; micção difícil e dolorosa. DIURÉTICO: Que favorece a secreção urinária; que provoca diurese. DIVERTÍCULO: Bolsa que sai de cavidade. voltar ao topo E

ECZEMA: Alteração cutânea caracterizada por formação de vesículas, rubefação, exsudação, formação de crostas e descamação acompanhada de prurido, eprovocada por muitas causas (tóxicas, irritativas, metabólicas e outras).

ELEFANTÍASE: Doença crônica caracterizada pela hipertrofia de uma parte do corpo, em conseqüência de edema duro, acompanhado de fibrose do tecido celular subcutâneo.

ELETRÓLITO: Substância que, em solução, conduz a corrente elétrica e é por ela decomposta.

EMENAGOGO: Diz-se de, ou medicamento que faz vir o mênstruo. EMÉTICO: Que provoca vômito.

EMOLIENTE: Produto que exerce efeito calmante sobre a pele e as mucosas inflamadas, combatendo o endurecimento dos tecidos e devolvendo-lhes flexibilidade e maciez.

ENDÓCRINO: Relativo a secreção interna. Que segrega internamente; refere-se a glândula que têm canais excretores, que derraman seus produtos na circulação sanguínea ou linfática.

ENDÓGENO: Que se origina dentro do organismo. ENTERO-HEPATITE: Inflamação dos intestinos e do fígado.

ENTORSE: Série de lesões, variáveis segundo o tipo de articulação e a intensidade do traumatismo, que se produzem numa articulação que sofreu movimento que não chega a ocasionar luxação, resultando, pois, de traumatismo ligamentar.

ENURESE: Incontinência de urina; enuresia. EPILEPTIZAR: Provocar ou produzir ataques epiléticos.

EPITÉLIO: Tecido, de que há alguns tipos, que cobre superfícies interna e externa do corpo, inclusive vasos e outras pequenas cavidades.

ERISIPELA: Doença infecciosa da pele e tecido subcutâneo, com mermelhidão e inchação, febre e dores, provocada por estreptococos.

ERITEMA: Vermelhidão mórbida da pele, de aspectos diferentes, por congestão dos capilares.

ERITRÓCITO: Glóbulo vermelho, ou hemácia.

ESCARA: Crosta proveniente de mortificação de tecidos, produzida por gangrena ou cautério.

ESCORBUTO: Doença devida à carência de vitamina C, e que se caracteriza por tendência às hemorragias; mal-de-luanda.

ESPASMO: Distúrbio motor dependente de irritação sobre qualquer ponto de arco reflexo, espinhal ou bulbo-espinhal, caracterizado por contração involuntária violenta de um músculo ou grupo de músculos.

ESTERÓIDE: Produto hormonal de várias glândulas: ovário, testículo, córtex supra-renal e placenta, representando metabólitos urinários, após sofrerem numerosas transformações intermediárias. EUTROFIA: Estado de boas condições nutritivas; estado nutritivo normal. EUTRÓFICO: Que apresenta desenvolvimento normal.

EXANTEMA: Eflorescência cutânea, peculiar às febres eruptivas. Doença euruptiva.

EXÓGENA: Que se desenvolve ou origina fora do organismo. EXPECTORANTE: Que facilita a saida das secreções das vias respiratórias.

EXSUDAÇÃO: Ato de exsudar. Eliminação de substância adventícia, depositada em tecidos. Eliminação de substância através da pele.

voltar ao topo

FAGOCITOSE: Ação de fagocitar; englobamento de microrganismos ou outras células, pelos fagócitos.

FEBRE PERNICIOSA: Febre prejudicial; nociva; de caráter muito grave. FEBRÍFUGO: Que combate a febre; medicamento antitérmico.

FIBROBLASTO: Célula de tecido conjuntivo, achatada, irregular, que forma o tecido fibroso do corpo; fibrócito.

FIBROMA: Tumor constituído de tecido fibroso.

FITOTERAPIA: Tratamento das doenças com utilização de remédios de arigem vegetal (isto é, por meio de drogas vegetais secas ou recém-colhidas e seus extratos naturais).

FLATULÊNCIA: Distenção por gases no intestino, estômago, etc.

FLAVONÓIDE: Pigmento vegetal que contribui para a coloração amarela, vermelha ou azul de diversas flores e frutos.

FOTOSSENSIBILIDADE: Sensibilidade às radiações luminosas. FUNGICIDA: Que destrói fungos. voltar ao topo G GALACTÓGENO: Que produz leite. GASTROENTERITE: Inflamação do estômago e intestino.

GEMA: Qualquer parte do vegetal que pode dar origem a um novo indivíduo, como acontece com os rebentos, bulbos, gomos, etc.; broto novo do caule, com folhas.

GLAUCOMA: Afecção ocular com aumento da tensão do globo ocular, atrofia da retina e cegueira.

GLOMÉRULO: Vasos sanguíneos enovelados, dentro de uma cápsula, onde a urina é filtrada do sangue.

GOTA: Forma hereditária de artrite, caracterizada por hiperuricemia e recidivas paroxísticas agudas, e ocorre, em geral, numa única articulação periférica, seguindo-se remissão completa do fenômeno clínico.

GRANULOCITOSE: Aumento excessivo de leucócitos da série granulosa de Schilling.

voltar ao topo

H HEMATOMA: Efusão de sangue; tumor que contém sangue. HEMATOPOESE: Formação e desenvolvimento de sangue. HEMATÚRIA: Emissão de sangue pela urina.

HEMÓLISE: Liberação da hemoglobina; consiste na separação da hemoglobina das hemácias.

HEPATOBILIAR: Relativo ao fígado e à bile.

HIDRAGOGO: Que provoca eliminação de água; que produz purgação hídrica.

HIDRÓLISE: Decomposição de substância por meio da água.

HIDROPISIA: Acumulação anormal de líquido seroso em tecidos ou em cavidade do corpo.

HIPERCOLESTEROLEMIA: Excesso de colesterol no sangue. HIPERLÍPEMIA: Excesso de lípedes no sangue. HIPERTENSOR: Que aumenta a pressão sanguínea HIPOCINESIA: Diminuição da atividade motora. HIPOCOLESTEROLEMIA: Diminuição da taxa de colesterol no sangue. HIPOGLICEMIA: Taxa de glicose no sangue abaixo do normal.

HIPOGLICEMIANTE: Diz se de, droga ou substância que tem a propriedade de reduzir a concentração de glicose no sangue e pode ser usado como antidiabético.

HIPOTENSOR: Que baixa a pressão sanguínea. HIPOTERMIA: Diminuição da temperatura normal.

HIPOTIREOIDISMO: Atividade deficiente da tereóide; estado mórbido conseqüente a hipofunção desta glândula.

HISTERIA: Alteração com variado número de sintomas, de origem psíquica, relacionados ao sitema motor, sensorial, visceral ou mental.

voltar ao topo

ICTERÍCIA: Derrame de bile no sangue, com anemia, pigmentação amarela generalizada da pele, deposição da bile nos tecidos, adinamia, bradicardia.

IMPETIGEM: Afecção cutânea inflamatória caracterizada pelo arparecimento de pústulas insuladas.

INFUSÃO: Preparação utilizada para todas as drogas ricas em componentes voláteis, aromas delicados e princípios ativos que se degradam pela ação combinada de água e do calor. Normalmente, trata-se de drogas constituídas por flores, botões e folhas. As infusões são obtidas fervendo-se a água necessária, que é derramada sobre a erva já separada, colocada noutro recipiente. Após a mistura, o recipiente permanece coberto por um tempo médio de 10 minutos, quando se trata de plantas frágeis, folhas e flores. Para raízes, caules e cascas, o prazo médio é de 1 hora. As infusões devem ser ingeridas quentes ou mornas, nunca ferventes ou muito frias. Podem ser usadas também para banhos (locais ou de todo o corpo) e para umidificar uma compressa de gaze ou de algodão a ser aplicada na pele. A utilização precisa ser imediata; excepcionalmente, uma infusão pode ser conservada em local fresco durante algumas horas e, na geladeira, por até 24 horas.

INTERAÇÃO: Ação que se exerce mutuamente entre duas ou mais coisas; ação recíproca.

INTUMESCER: Aumentar de volume, inchar. ISQUEMIA: Redução ou deficiência de sangue pela contração dos vasos. voltar ao topo

L LENITIVO: Que adoça ou acalma; calmante.

LEUCORRÉIA: Corrimento vaginal simples; fluor albus, flôres brancas. LISE: Destruição, como a que ocorre em células, incluindo bactérias. LITÍASE: Formação de pedras ou cálculos. LOMBALGIA: Dor na região lombar; lumbagem. LÚMEN: Abertura; calibre de canal; tubo ou vaso sanguíneo. voltar ao topo

MACERAÇÃO: Preparação (realizada a frio) que consiste em colocar a droga vegetal dentro de um recipiente contendo álcool, óleo, vinho ou otro líquido (raramente usa-se a água). Dessa forma, os princípios ativos são dissolvidos por simples contato, num período que varia de poucas horas a alguns dias. O recipiente precisa ter fechamento hermético e permanecer em lugar quente, protegido da luz solar direta. Deve ser agitado periodicamente. Findo o tempo previsto, filtra-se o líquido através de um pano, espreme-se a erva e acrescenta-se a quantidade de solvente necessária para obter o volume final desejado.

METEORISMO: Presença de gás em excesso no tubo gastrintestinal. MIDRÍASE: Dilatação mórbida da pupila.

MUCILAGEM: Parte viscosa de gomas, usada como emoliente, colóide protetor ou cola.

MUSCARINA: Alcalóide do Agaricus muscarius, usado como tonicardíaco e diaforético.

MUTAGÊNICO: Agente químico capaz de provocar mutações. voltar ao topo

N NEFRITE: Inflamação do rim.

NEOPLASIA: Neoformação. Produção de tecido diferente do normal, em órgão.

NODOSO: Que tem nós. NORMOTENSIVO: Que apresenta pressão sanguínea normal. voltar ao topo

O OLIGOMENORRÉIA: Menstruação anormalmente escassa. OLIGURESE: Deficiência de secreção urinária.

OSTEOMALÁCIA: Doença por carência de fósforo, cálcio e vitamina D, que provoca amolecimento dos ossos.

OSTEOPOROSE: Formação areolada dos ossos por alargamento dos canis de Havers; rarefação do osso.

voltar ao topo

P PARÊNQUIMA: Elementos nobres ou funcionais de um órgão.

PECTINA: Carbo hidrado da parte interna da casca de frutos cítricos e da maçã, ou arabinato, com sais de cálcio e magnésio.

PEROXIDAR: Oxidar no mais elevado grau. PIELITE: Inflamação do bacinete renal.

PRURÍDO: Coceira, comichão, sintoma de dermatoses; ou decorrente da menopausa, de fundo neurótico, por deficiência estrogênica.

(Parte 1 de 2)

Comentários