Glossario de Oceanografia

Glossario de Oceanografia

(Parte 4 de 11)

ALTERAÇÃO ADIABÁTICA DE TEMPERATURA – compressão ou descompressão de um fl uido sem ganho ou perda de calor para o meio. O trabalho executado no sistema produz elevação ou diminuição da temperatura.

ALTIMETRIA – processo de medida de altitude por métodos geométricos, barométrico, geodésicos etc. Técnica que utiliza satélites para determinação da topografi a dinâmica dos oceanos, p. ex.: Topex-Poseidon.

ALTITUDE – corresponde à distância, em metros, medida na vertical, entre o nível médio das águas do mar e um dado lugar. Dependendo da posição

do lugar em relação ao nível do mar, a sua altitude pode ser positiva (se o lugar encontra-se acima do nível do mar), ou negativa (se o lugar encontrase abaixo do nível do mar).

ALTO-MAR – parte do mar que fi ca fora das águas territoriais de uma nação. ALTURA DE MARÉ – diferença de nível entre a preamar e baixa-mar.

ALTURA DE ONDA – distância vertical entre a crista e a cava de uma onda (ver fi g., p. 92).

ALUVIÕES – reservatórios detríticos depositados por ação fl uvial. Quando litifi cados, podem ser denominados de aluviões antigos ou paleoaluviões.

AMBIENTE DE BAIXA ENERGIA – região de baixa hidrodinâmica que permite a acumulação de sedimentos de grãos muito fi nos.

AMPLITUDE – magnitude do deslocamento de uma onda em relação ao valor médio. Para uma onda harmônica simples, é o máximo deslocamento da sua média. Para movimentos mais complexos, costuma-se tomar como amplitude a metade da distância média entre os máximos e mínimos.

AMPLITUDE DE MARÉ – diferença entre a altura de uma preamar e uma baixa-mar.

AMONIFICAÇÃO – produção de amônio pela decomposição da matéria orgânica.

ANALITO – elemento ou substância investigada em uma análise química ou em determinação analítica.

ÂNION – espécie química carregada negativamente, devido ao ganho de elétrons. ANFIPRÓTICA – substância que pode se comportar como ácido ou base.

ANGLIANO – termo utilizado no Reino Unido para designar o estádio glacial do Éon pleistocênico referente à glaciação Mindel dos Alpes.

ÂNODO – eletrodo onde ocorre oxidação numa célula eletroquímica.

ANOMALIA DO VOLUME ESPECÍFICO – é a diferença entre volume específi co da água do mar em relação ao volume específi co da água do mar a uma temperatura de 0ºC e salinidade 35, sob pressão constante.

ANOMALIA MAGNÉTICA – distorção no campo magnético.

ANOVA – acrônimo para análise de variância. Método estatístico que permite múltiplas comparações de médias de populações de dados.

ANÓXIA – condição que indica ausência de oxigênio. Antônimo de óxia. ANÓXICO – que indica ausência total de oxigênio. ANSA – ver enseada (ver foto b, p. 119).

ANTÁRTICA – região, tanto continental como marítima, que se estende ao redor do pólo antártico ou pólo sul. Ver círculo polar antártico.

ANTEDUNA – duna pouco desenvolvida que se localiza na região anterior a praia, e que possui pequenas dimensões (ver foto c, p. 121, fi g. a, p. 130).

ANTEPRAIA – região da praia que se inicia no nível médio da maré baixa e estende-se mar adentro, além da zona de arrebentação, representando uma zona de máxima movimentação de sedimentos (ver foto c, p. 127).

ANTIANO – termo utilizado no Reino Unido para designar o intervalo interglacial do Pleistoceno correlacionado ao interglacial Tigliano da Escandinávia.

ANTICICLONE – movimento circular de um fl uido formado a partir de uma zona de alta pressão. No hemisfério sul esse movimento é para esquerda e no hemisfério norte é para a direita. No Equador, o sentido é indefi nido.

ANTICICLONE ANTÁRTICO – centro de alta pressão sobre o continente Antártico. ANTICICLONE ÁRTICO – centro de alta pressão que aparece na região ártica.

ANTICICLONE DA SIBÉRIA – área de alta pressão que se forma sobre a Sibéria durante o inverno. No verão, torna-se uma área de baixa pressão.

ANTICICLONE DO PACÍFICO – ou alta do Pacífi co, é um centro de alta pressão subtropical quase permanente no Oceano Pacífi co.

ANTICLINAL – termo aplicado na tectônica para designar dobras convexas, no sentido dos produtos geológicos mais recentes.

ANTIPRÓTON – partícula de massa, spin e carga igual à do próton, porém de sinal contrário e não faz parte do núcleo. Também é conhecida como próton negativo.

ANTONIANO – estádio interglacial do Éon pleistocênico que ocorreu entre as glaciações Nebraskaniana e Kansaniana na região que era ocupada pela

Calota Laurentiana.

ANTROPOCENO – período mais recente da história da Terra que marca a infl uência das atividades humanas sobre o clima e o funcionamento dos ecossistemas terrestres.

APERIÓDICO – que não está sujeito a períodos. APOCENTRO – ponto das órbitas dos astros mais distante do ponto de atração.

APOGEU – o ponto da órbita em que a Lua, ou qualquer outro satélite, achase mais distante da Terra.

AQUECIMENTO GLOBAL – fenômeno climático de larga extensão referente a um aumento da temperatura média superfi cial global que vem acontecendo nos últimos 150 anos.

AQUÍFERO – rochas ou estruturas sedimentares costeiras capazes de armazenar água subterrânea. Ex.: dunas fi xas e móveis.

AR ANTÁRTICO – ar cujas características são adquiridas na região antártica. O ar antártico é mais frio que o ar ártico.

AR ÁRTICO – ar cujas características são adquiridas principalmente no inverno, sobre a superfície ártica de gelo e neve.

AR CONTINENTAL – ar cujas características são adquiridas sobre a terra. AR POLAR – ar com características adquiridas em altas latitudes.

AR TROPICAL – ar cujas características são adquiridas sobre baixas latitudes.

O ar tropical marítimo desenvolve-se sobre os mares tropicais e subtropicais, sendo muito quente e úmido. O ar tropical continental é também muito quente, porém seco.

ARCO INSULAR – cadeia de ilha vulcânica originada a partir de uma zona de subducção de duas placas oceânicas, margeada por uma fossa submarina, com alto fl uxo de calor e alta sismicidade.

AREIA – sedimento clástico inconsolidado composto por partículas no intervalo granulométrico de 0,062 a 2 m.

AREIA CALCÁRIA – sedimentos inconsolidados compostos predominantemente por carbonato de cálcio, com intervalo granulométrico de 0,062 a

2 m (ver foto b, p. 116).

ARENITO – rocha sedimentar oriunda da consolidação de grãos de areia por um cimento de origem química. (ver foto c, p. 123).

ARGILA – sedimento detrítico inconsolidado formado por partículas com granulometria inferior a 0,004 m.

ARGILITO – rochas sedimentares formadas por argilas litifi cadas cuja orientação dos minerais ocorre em camadas.

ARQUEANO – Éon compreendido entre 3,85 e 2,85 bilhões de anos atrás. Está entre os éons Hadeano e Proterozóico.

ARQUIPÉLAGO DE ABROLHOS – arquipélago constituído de cinco ilhas

(Parte 4 de 11)

Comentários