computaçao quimica

computaçao quimica

(Parte 2 de 5)

SWF: Arquivos do programa Flash. Utilizados como animação de pequenas figuras ou de páginas da internet.

BMP: arquivos gerados pelo programa Paint SCR: arquivos de proteção de tela ou vírus.

Pastas: locais virtuais condicionados nas unidades para armazenar os arquivos para uma melhor organização dos dados no computador. Também conhecido como diretório.

Unidade é a representação das partições ou drives presentes no computador através de letras do nosso alfabeto.

A: Drive de Disquete C: Disco Rígido (1ª partição) D: Disco Rígido (2ª partição) E: unidade camaleão, ou seja, dependendo de qual drive tenhamos instalado, poderá ser: CDROM, DVDROM, CDRW. DVDRW ou uma parte do disco rígido quando

particionado. Figura 9 - Unidades de um Computador

1 Computação para Química DQ/CCEN/UFPB

Sistemas Operacionais: são programas que gerenciam o hardware (parte física) e o software (parte lógica) do computador. Exemplos:MS-DOS, Microsoft Windows, Linux, OS/2, UNIX

Linguagem de programação: é uma linguagem artificial criada pelo homem para informar ao computador o que fazer. Exemplos: Fortran, COBOL, Pascal, C e C++, Java e Java script.

Tradutores – são os interpretadores e os compiladores que traduzem a linguagem de programação para linguagem de máquina.

Software Aplicativo: são programas desenvolvidos para trabalhos específicos como o Microsoft Excel (planilha eletrônica) ou o Microsoft Word (editor de texto)

Software Utilitário são programas que fazem a manutenção do computador e das unidades, a segurança do computador ajudam a aumentar o desempenho da máquina. Exemplos: Antivírus, desfragmentador , scandisk e etc.

Ferramentas do Sistema (apenas Windows) - São programas utilitários que visam “melhorar”o desempenho do computador e “corrigir” possíveis defeitos nas unidades.

Scandisk - Permite a correção de falhas nas gravações dos arquivos e/ou setores defeituosos quando for possível, pois da “lesão” na superfície das unidades magnéticas o mesmo poderá ou não “consertar”. (verificação de disco).

Desfragmentador - Uma gravação de dados nas unidades é feita de forma fragmentada. A desorganização (fragmentação) gera nas unidades uma certa lentidão quando solicitamos a abertura de um arquivo. Por isso temos que desframentá-las para não ocasionar “sonolência” ao computador. Possui a finalidade de organizar os dados nas unidades magnéticas entre as trilhas e os setores, deixando assim, todos os dados de forma linear.

Assistente de Backup – Define-se backup como a cópia de arquivos para a segurança/manutenção do computador.

12 Claudia de F. Braga & Glaucio Jefferson A. Gomes

Evolução do sistemas operacionais MS DOS

DOS 1.0 Lançado em 1981 para IBM-PC.

Suportava 16kB de RAM, e drives de disquete de 5 ¼ “ de 160kB.

DOS 1.1 Com os problemas da versão anterior corrigidos passa a suportar drives de disquetes de 3 ½ “ de 320 KB

DOS 2.0 Foi suporte para o lançamento do IBM

XT em 1983. Possuia o dobro de comandos da versão anterior, suportava HDs de até 5MB

DOS 2.1 Foi suporte para o lançamento do IBM

PCjr. Poucas melhorias DOS 3.0Concebido para suportar o “novo” hardware IBM-AT. Alguns comandos de rede foram adicionados

DOS 3.1 Mais comandos de rede adicionados

DOS 3.2 Passa a suportar drives de disquetes de 3 ½ “ de 720KB

DOS 3.3 Passa a suportar IBM PS/2 e o novo drive drives de disquetes de 3 ½ “ de

1440KB. Novos caracteres internacionais foram adicionados (suporte para 17 países).

DOS 4.0 DOS Shell adicionado, corrigidos alguns problemas da versão anterior.

DOS 5.0 Implementado em 1991, incluía gerenciamento de memória superior e f d M12 ferramentas de Macro

DOS 6.x Suporte para Microsoft Windows, desfragmentador de disco,compressão de arquivos, backups, anti-virus, etc.

Figura 10 – Logo MS DOS Figura 1 - Tela MS DOS

13 Computação para Química DQ/CCEN/UFPB

Windows

Windows 3.x - Foi a primeira versão do Windows que permitiu aos usuários utilizarem os processadores de 32 bits da Intel (o DOS só opera 16 bits) A partir desse momento veio a grande utilização da GUI (Interface Gráfica do Usuário) que revolucionou o mercado da Informática. As versões do Microsoft Windows (3.0, 3.1, Groups 3.1) não são sistemas operacionais, na realidade são aplicativos do DOS. Essas versões não possibilitam a multitarefa preemptiva (utilização de vários programas ao mesmo tempo pelo processador)

Windows 9.x

O Windows 95 é de fato um sistema operacional que permitia o processamento de dados de 16 bits e também programas de 32 bits.O Windows 98 foi lançado em 1998, sendo uma versão melhorada do W95, oferecendo melhor estabilidade, conectividade com a Internet e atualizações de drivers, ou seja, houve um melhoramento no Plug and Play. O Windows ME – Milênio foi lançado em 2000 e trouxe “dores de cabeça” para os usuários, pois o mesmo veio com várias falhas (bugs) o que tornava o sistema instável.

O Windows NT foi projetado para computadores de 32 bits especificamente para computadores cliente/servidor, o mesmo é formador por dois componentes o Windows NT Workstation e Windows NT Server.

O Windows NT work é utilizado nos computadores do tipo desktop individuais que estão conectados a uma rede no qual existe um servidor com WinNT Server instalado.

Windows XP -É o mais utilizado atualmente.

Figura 12 - Logo Windows

14 Claudia de F. Braga & Glaucio Jefferson A. Gomes

Em 2005 foi lançado o Windows Vista. Provavelmente em 2009 será lançado o Windows Seven.

1995: Windows 95 1996: Windows NT Workstation 4.0 1998: Windows 98 1999: Windows 98 SE 2000: Windows Millennium Edition (Windows Me) 2000: Windows 2000 Professional 2001: Windows XP 2001: Windows XP 64-Bits

Linux

O aparecimento do SistemaOperacional LINUX foi originado a partir do Sistemas Unix. O LINUX começou a ter vida em 01/01/1991 nas mãos de Linus Torvalds um finlandês que a princípio tinha a criação do Sistema com passatempo. Em 16/01/1992 o Linux é oficialmente licenciado de acordo com a GNU (General Public License). Esse sistema ganhou força na comunidade acadêmica por ser um software (gratuito) e de código aberto. Atualmente, é

o único Sistema Operacional grátis do mundo.

Uma das difernças do Linux é o fato de ter vários desktops (áreas de trabalho) – KDE, GNOME e Window maker. O “Office” do Linux chama-se Open Office. Além disso o Linux tem Compatibilidade ‐Vmware e permite ao usuário rodar todo Windows dentro nele sem que seja necessário reiniciar o computador.

Versões do Linux e sua estrutura de diretórios:

Pressionando-se no teclado

+ E Abrir o Windows Explorer + F Abrir a ferramenta Pesquisar

+ R Abrir o comando Executar

+ D Abrir o Desktop

+ M Minimizar todas as janelas

+ L Bloquear o computador (para o WXP Professional e 2003 server)

Figura 16 - Logo Linux

Figura 18 - Versões do Linux Figura 17 - Estrutura de diretórios

15 Computação para Química DQ/CCEN/UFPB

1.1 Windows Funcionamento e Dicas – Cuidados básicos ao manusear computadores.

Gravação de CDs

A gravação de CDs de dados (aqueles que são lidos pelos computadores) pode ser feita basicamente de duas formas:

Uma delas é “fechando o disco”. Neste caso mesmo que haja uma parte do CD não preenchida essa parte é “queimada” para que não seja possível adicionar novos dados.

A outra é criando uma multisessão onde apenas uma parte do CD é utilizada e o restante não ocupado ainda fica livre para receber novos dados. Cada vez que adiciona-se novos dados a um CD cria-se uma nova seção do CD. Ou seja cada gravação corresponde a uma seção.

Geralmente os programas de gravação de CDs/DVDs como o Nero (mais conhecido) mostram antes de começar a queima de um cd a opção de fazer ou não multisessão no disco

ATENÇÃO: A opção de multisessão apesar de muito prática apresenta alguns riscos se não forem tomados alguns cuidados. Sempre que for adicionar dados a um CD já gravado deve-se observar se os dados já existentes estão sendo reconhecidos pelo programa gravador, ou seja, se os mesmos aparecem junto com os dados novos adicionados. Caso isso não ocorra, não se deve proceder com a gravação, pois o programa pode reconhecer o disco como limpo e criar uma seção como sendo a primeira, fazendo com que as seções anteriores não sejam lidas posteriormente. Desta forma os dados estarão no CD, mas não serão lidos pela unidade pois serão ignorados pela mesma. Para evitar isso evite tentar criar uma nova seção em um disco com um programa diferente do que foi utilizado para criar a primeira. Às vezes até mesmo versões diferentes de um mesmo programa podem não reconhecer seções anteriores no disco. Portanto CUIDADO na hora de fazer um disco com várias seções.

Dica: Sempre que possível tenha mais de uma cópia dos dados importantes para evitar transtornos devido a perda de dados por qualquer motivo.

Figura 19 – Nero: Gravação em multisessão

16 Claudia de F. Braga & Glaucio Jefferson A. Gomes

Vírus de computador

Em 1923 Len Eidelmen apresentou em um seminário sobre segurança computacional um programa auto-replicante. No ano seguinte na 7th Annual Information Security Conference foi mostrado que tal programa podia também modificar outros programas para que seja possível instalar cópias de si mesmo.

Em 1986 tais programar passaram a ser chamados de “Vírus de Computador”, o primeiro deles o “Brain” , um vírus de boot, era transmitido por um disquete contaminado. Daí surgiram muitos outros como o Elk Cloner Criado por Richard Skrenta ou o “I LOVE YOU” um vírus considerado bastante pesado pois deletava dados importantes para o bom funcionamento do sistema operacional.

Até 1995 eram conhecidos cerca de 5 mil vírus de computador. Até 1999 esse numero sobe para mais 20 500. Até 20 já eram conhecidos 49 0 vírus diferentes. Em 2001 conheciam 58 0, até 2005 já eram 72 010 vírus catalogados. Até que em 2007 o número de vírus conhecidos já era superior a 150 0.

Hoje existem vários tipos de vírus vamos ver os mais conhecidos:

Vírus de Boot (inicialização): São vírus que iniciam antes mesmo de carregar o sistema operacional eles podem causar danos graves ao computador pois podem apagar arquivos essenciais ao inicialização sistema operacional.

Time Bomb (bomba de tempo): São aqueles que permanecem “adormecidos” por um intervalo de tempo (definido pelo desenvolvedor que o programou). Quando tal tempo é esgotado eles agem geralmente tornando o computador incapaz de iniciar o sistema operacional ou apagando dados do usuário.

Worm (minhocas ou vermes): Geralmente não causam muito dano ao sistema operacional porém se replicam em alta velocidade e podem apagar dados do usuário ou torna-los inelegíveis (impossíveis de ler).

Figura 20 Figura 21 - Evolução dos vírus de computador

17 Computação para Química DQ/CCEN/UFPB

Trojan (cavalo de tróia): São vírus bastante perigosos pois dão espaço para que outros vírus sejam instalados no computador. Além disso, permitem que o computador receba comandos sem o conhecimento do usuário. Estes (assim como muitos outros) sã colocados embutidos em transições de slides que intertem o usuário enquanto procedem sua instalação.

Keylogger (capturador de teclas): Esses vírus trazem um risco extremamente grande pois são capazes de armazenar as teclas digitadas pelo usuário em formulário de internet entre INCLUSIVE SENHAS. A grande maioria das fraudes que envolvem vírus são realizadas com o auxilio de keyloggers Tanto que hoje em dia a grande maioria dos bancos pedem para que o usuário digite sua senha de acesso a conta em teclados virtuais desenvolvidos por eles próprios para evitar a ação desse tipo de vírus. Porem deve-se sempre ter muito cuidado com os dados que são digitados no computador pois tais vírus podem reuni-los e enviá-los a seus criadores através da internet sem o conhecimento do usuário.

Atualmente devido a grande quantidade de pessoas que acessam sites de relacionamento como o Orkut tem crescido o numero de vírus que são colocados em tais páginas. Os vírus de Orkut são em sua maioria Trojans e Keyloggers. Muitos deles enviam scraps infectados para toda a lista de amigos do usuário como se o próprio os enviasse. Para evitá-los nunca clique em links ou imagens que não tenham procedência

comprovadamente conhecida

Computador no estado Zumbi

Ocorre quando um computador encontra-se infectado por programas que permitem a terceiros controlá-lo com intuito de disseminar arquivos maliciosos. O estado Zumbi é resultado da DESATUALIZAÇAO de programas preventivos (antivírus) em computadores.

Antivírus

São programas desenvolvidos para detectar e prevenir a presença de softwares maliciosos em um computador. Baseiam-se em um BANCO DE DADOS QUE PRECISA SER ATUALIZADO. Pois a cada dia novos vírus surgem na rede. Ou seja: Não adianta apenas ter instalado o antivírus, e necessário atualizá-lo sempre.

Figura 2

Figura 23 - Nunca esquecer

18 Claudia de F. Braga & Glaucio Jefferson A. Gomes

Precauções

De forma geral para evitar problemas causados por vírus de computador basta tomar algumas precauções simples como:

Ter sempre um Software Antivírus atualizado no computador. Sempre que possível escanear computador a procura de vírus que adquiridos. Tomar cuidado com anexos contidos em emails mesmo os vindos de amigos Ter sempre cuidado com CDs e Pendrivers de procedência duvidosa.

Não sair clicando em tudo que lhe pedirem na internet e principalmente DESISTA: Você não ganhará nada por ser o 999999999999999º usuário a acessar um site.

Não clicar em links de scraps suspeitos principalmente os vindos da lista de amigos.

Nunca digitar números de conta e principalmente senhas em computadores desconhecidos ou suspeitos.

19 Computação para Química DQ/CCEN/UFPB

2. - Internet

2.1 A Internet no Brasil e a RNP

No Brasil, os primeiros embriões de rede surgiram em 1988 e ligavam universidades do Brasil a instituições nos Estados Unidos. No mesmo ano, o Ibase começou a testar o AlterNex, o primeiro serviço brasileiro de internet não-acadêmica e não-governamental. Inicialmente o AlterNex era restrito aos membros do Ibase e associados e só em 1992 foi aberto ao público.

O primeiro backbone brasileiro foi inaugurado em 1991, destinado exclusivamente à comunidade acadêmica. Mais tarde, em 1995, o governo resolveu abrir o backbone e fornecer conectividade a provedores de acesso comerciais.

A partir de 1997, iniciou-se uma nova fase na internet brasileira. O aumento de acessos a rede e a necessidade de uma infra-estrutura mais veloz e segura levou a investimentos em novas tecnologias. Entretanto, devido a carência de uma infraestrutura de fibra óptica que cobrisse todo o território nacional, primeiramente, optouse pela criação de redes locais de alta velocidade, aproveitando a estrutura de algumas regiões metropolitanas. Como parte desses investimentos, em 2000, foi implantado o backbone RNP2 com o objetivo de interligar todo o país em uma rede de alta tecnologia.

Atualmente, o RNP2 conecta os 27 estados brasileiros e interliga mais de 300 instituições de ensino superior e de pesquisa no país. A partir de 2005, a comunicação entre os Pontos de Presença (PoPs) da rede começou a ser ampliada com o uso de tecnologia óptica, o que elevou a capacidade de operação a 1 Gbps.2

2.2 Internet para Química

A internet avançou rapidamente e abrange as várias áreas de conhecimento científico. Vamos conhecer a partir daqui alguns sites de interesse na química. 3

(Parte 2 de 5)

Comentários