Vinte Ficcoes Breves Antologia De Contos Argentinos E Brasileiros Contemporaneos

Vinte Ficcoes Breves Antologia De Contos Argentinos E Brasileiros Contemporaneos

(Parte 1 de 7)

VINTE FICÇÕES BREVES antologia de contos argentinos e brasileiros contemporâneos

Organização de Violeta Weinschelbaum

VEINTE FICCIONES BREVES antología de cuentos argentinos y brasileños contemporáneos

Compilación de Violeta Weinschelbaum

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 1

© UNESCO 2002 Edição publicada pelo Escritório da UNESCO no Brasil Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 2

VINTE FICÇÕES BREVES antologia de contos argentinos e brasileiros contemporâneos

Organização de Violeta Weinschelbaum

VEINTE FICCIONES BREVES antología de cuentos argentinos y brasileños contemporáneos

Compilación de Violeta Weinschelbaum

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 3

Edições UNESCOBRASIL

Conselho Editorial da UNESCO no Brasil

Jorge Werthein Cecilia Braslavsky Juan Carlos Tedesco Adama Ouane Célio da Cunha

Comitê para a Área de Cultura

Jurema de Souza Machado Marta Pavese Porto Mary Garcia Castro

Revisão:Mirna Saad Vieira e Luz Maria Pires da Silva Assistente Editorial:Larissa Vieira Leite Diagramação: Paulo Selveira Projeto Gráfico:Edson Fogaça

© UNESCO, 2002

Vinte Ficções Breves: Antologia de contos argentinos e brasileiros contemporâneos /organizado por Violeta Weinschelbaum. – Brasília : UNESCO, 2002. 224p.

ISBN: 85-87853-61-9

1. Literatura Argentina 2. Contos Argentinos 3. Literatura Brasileira 4. Contos Brasileiros I. UNESCO I. Weinschelbaum, Violeta.

CDD 860

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Representação no Brasil SAS, Quadra 5 Bloco H, Lote 6, Ed. CNPq/IBICT/UNESCO, 9º andar. 70070-914 - Brasília - DF - Brasil Tel.: (5 61) 321-3525 Fax: (5 61) 322-4261 E-mail: UHBRZ@unesco.org.br

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 4

Apresentação09
Presentación1
Prólogo13
Prólogo17
1.Aqueles dois21

Abstract . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .07 Caio Fernando Abreu

2.Duchamp en México31

César Aira

3.Como o máscara de ferro5

Marina Colassanti

4.Un ciudadano en la tormenta59

Marcelo Cohen

5.Família é uma merda75

Rubem Fonseca

6.Muchacha punk83

Fogwill

7.Incompreensão107

Ana Miranda

8.Vivir en la salina109

Elvio Gandolfo

Sumário Sumário Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 5

9.Duelo antes da noite . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .121 João Gilberto Noll

10.La fiesta ajena125

Liliana Heker

1.O jardim das oliveiras131

Nélida Piñón

12.Antieros151

Tununa Mercado

13.Informe de um gago157

Sergio Sant’Anna

14.La nena161

Ricardo Piglia

15.Curare167

Olga Savary

16.Con el desayuno169

Juan José Saer

17.Atualidades francesas175

Moacyr Scliar

18.Amsterdam,79179

Matilde Sánchez

19.Conto de verão n°2:bandeira branca203

Luis Fernando Veríssimo

20.¿Cómo vuelvo?207

Hebe Uhart

Biografias Biografías211
Nota sobre la compiladora223

Nota sobre a organizadora Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 6

This book is an anthology ofcontemporary Argentinean and

Brazilian stories.Through a selection ofa wide variety ofauthors,this book aims to point out the way literature takes part in certain contemporary debates.Brazil and Argentina are countries that have similar stories in some ways and very different in others.This diversity in traditions,mutual influences and asymmetry are what make them both such rich countries. This selection does not seek to push homogeneity.It seeks to highlight the pluralism,diversity and representative factors ofboth countries.The anthology encompasses human rights,the culture ofpeace and the fight against physical violence,torture and repression as well as the battle against inquisition,discrimination and oppression in any form.The book does not aim to create a pedagogicaleffect.On the contrary,the idea is to demonstrate the impact that narrativestories can have.That is why texts that merely use fiction as an excuse to send a political or ideological message were purposely not selected.

The authors that make up this anthology are:Caio Fernando

Abreu, César Aira, Marcelo Cohen, Marina Colassanti, Fogwill, Rubem Fonseca,Elvio Gandolfo,Liliana Heker,Tununa Mercado,Ana Miranda, João Gilberto Noll,Ricardo Piglia,Nélida Piñón,Juan José Saer,Matilde Sánchez,Sergio Sant’Anna,Olga Savary,Moacyr Scliar,Hebe Uhart and Luis Fernando Veríssimo.

Abstract

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 7

Como assegura com propriedade o Relatório Mundial da UNESCO sobre a Diversidade Criadora,nenhuma cultura é uma entidade hermeticamente fechada.Todas as culturas influenciam outras e são por elas influenciadas.Ademais,a pluralidade e a diversidade devem ser vistas como condições privilegiadas de enriquecimento da vida e da ampliação dos saberes.Mais ainda,a diferença deve ser vista como possibilidade e potencialidade de exploração de novos horizontes para a ressignificação da utopia e da esperança.

No marco desses princípios,emerge a necessidade de promover o diálogo entre as nações e suas culturas por meios das diferentes expressões e formas artísticas.Como a busca de uma cultura de paz está na raiz da criação da UNESCO e constitui a matriz geradora de suas ações nas diferentes amplitudes de seu mandato,a UNESCO Brasil, em sua luta incessante de perseguir o impossível,pensou e concebeu um projeto de organizar e editar um livro de contos de autores brasileiros e argentinos que abordasse,de diferentes ângulos,a temática dos direitos humanos e da tolerância.Coube a Violeta Weinschelbaum a tarefa de organizá-lo,o que o fez com extrema sensibilidade e conhecimento do campo literário.

Além do objetivo de organizar um livro de contos que retratasse pela ficção o esforço humano por um ideal de paz e não violência,buscousetambém,como diz sua organizadora,destacar o modo como a literatura participa de determinados debates contemporâneos.Sem dúvida,a literatura continua a exercer o seu papel no destino das sociedades.Escritores e poetas como Sarmiento,Euclides da Cunha, Otávio Paz,Borges,Guimarães Rosas e tantos outros,que compõem o extraordinário acervo da literatura latino-americana,continuam a ser expressões legítimas de aspirações e sonhos que foram prometidos e ainda não realizados.

Apresentação Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 9

A escolha dos autores para integrar esta Antologia de Contos não poderia ter sido melhor.O critério foi o da diversidade e o do pluralismo, mesmo porque será na riqueza da diferença que haverá de ser construída a nova ética.Acrescente-se o critério da "autonomia estética",imprescindível nas políticas de cultura.Ademais,a antologia proporciona ao leitor a experiência de diversos pontos de vista para favorecer o intercâmbio,a reflexão conjunta e a possibilidade de conhecimento mútuo entre Brasil e Argentina,países com origens diferentes,que lutam por um futuro comum,qual seja,o de fortalecimento democrático de suas sociedades e de suas identidades na perspectiva de cenários onde a economia,caminhando “pari-passu”com a cultura,consiga devolver a todas as pessoas o sentido prospectivo da vida.

Jorge Werthein Diretor da UNESCO no Brasil

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 10

Presentación

Como dice con propiedad el Informe Mundial de la UNESCO sobre la Diversidad Creadora,ninguna cultura es una entidad herméticamente cerrada.Todas las culturas se influyen mutuamente y se dejan influir.Además,la pluralidad y la diversidad deben ser consideradas como condiciones privilegiadas de enriquecimiento de la vida y de la ampliación de los saberes.Más aún,la diferencia se debe pensar como posibilidad y potencialidad de exploración de nuevos horizontes para resignificar la utopía y a la esperanza.

En el ámbito de esos principios,surge la necesidad de estimular el diálogo entre las naciones y sus culturas utilizando sus diferentes expresiones y formas artísticas.Ya que la búsqueda de una cultura de paz está arraigada en la creación de la UNESCO y es la matriz generadora de sus acciones en toda la amplitud de su mandato,la UNESCO Brasil, en su lucha incesante por perseguir lo imposible,pensó y concibió el proyecto de hacer una antología de cuentos de autores brasileños y argentinos que abordase,desde diversos ángulos,la temática de los derechos humanos y de la tolerancia.Violeta Weinschelbaum realizó la compilación,con extrema sensibilidad y conocimiento del campo literario.

Además del objetivo de editar un libro de cuentos que retratase,a través de la ficción,el esfuerzo humano por un ideal de paz y no violencia, se intentó también,como lo afirma su antóloga,destacar el modo en que la literatura participa de determinados debates contemporáneos.Sin duda,la literatura continúa ejerciendo su papel en el destino de las sociedades.Escritores y poetas como Sarmiento,Euclides da Cunha, Octavio Paz,Borges,Guimarães Rosa y muchos otros que componen el extraordinario conjunto de la literatura latinoamericana,continúan siendo expresiones legítimas de aspiraciones y sueños que fueron prometidos y aún no se han realizado.

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 1

La selección de los autores que integran esta antología de cuentos no podría haber sido mejor.El criterio fue la diversidad y el pluralismo, ya que la nueva ética se construirá en la riqueza de la diferencia.Añádase también el criterio de la "autonomía estética",imprescindible en toda política de cultura.Además,la antología proporciona al lector la experiencia de diversos puntos de vista para favorecer el intercambio,la reflexión en conjunto y la posibilidad de mutuo conocimiento entre Brasil y Argentina,países con diferentes orígenes que luchan por un futuro común,el del fortalecimiento democrático de sus sociedades y de sus identidades en la perspectiva de escenarios donde la economía,avanzando codo a codo con la cultura,pueda devolverles a todas las personas el sentido prospectivo de la vida.

Jorge Werthein Director de la UNESCO

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 12

As antologias têm sido pensadas,muitas vezes,de modo cartográfico,como mapas traçados para orientar o leitor em uma determinada literatura,com um rumo específico;ou então para abandoná-lo,sem bússola,no meio de um território escolhido e limitado.Não obstante,o Mapa a que tendem,platônicos,os mapas,Borges já o disse com rigor, têm as dimensões do império e coincidem pontualmente com ele.

Os vinte contos que escolhi entre a totalidade que compõe o mapa da ficção breve contemporânea argentina e brasileira apenas apontam um dos caminhos,teimoso e volúvel.Como toda teimosia,esse percurso tem sua própria lógica e suas marcas.

Interessa-me destacar o modo como a literatura participa de determinados debates contemporâneos.O Brasil e a Argentina são países com histórias que,sob alguns aspectos,se parecem e,em outros, apresentam diferenças notáveis.Nessa diversidade,nas tradições,nas influências recíprocas e nas assimetrias,os dois se enriquecem.Assim,a presente seleção não quis forçar a homogeneidade mas,pelo contrário, destacar o pluralismo,a diversidade e a representatividade.Embora a antologia tenha por eixos os direitos humanos,a cultura da paz,a luta contra a violência,a discriminação e a opressão em qualquer das suas formas,não busca em absoluto um efeito pedagógico.Por isso,não são interessantes os textos que usam a ficção como mera escusa para transmitir uma mensagem política ou ideológica.

Na infância, esta região vulnerável, inteligente, pícara, desprotegida e ingênua,a discriminação,a injustiça ou a violência parecem exacerbar a crueldade.Os contos de Luis Fernando Veríssimo,Liliana Heker e João Gilberto Noll põem a infância em primeiro plano e mostram,com três enfoques distintos,o diálogo com o universo dos adultos.O "Conto de verão nº 2" apresenta uma certa imunidade das crianças em relação ao sistema discriminatório dos grandes;Noll,em "Duelo antes da noite" e Heker em "La fiesta ajena",pelo contrário,evidenciam como,em alguns

Prólogo Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 13 casos,se reproduzem,como num espelho,as estruturas adultas perversas nas relações da infância. O Brasil é um país construído a partir da diversidade,marcado por suas heranças culturais e étnicas.Um dos modos de reivindicar a diferença é acentuar seus traços distintivos.Em "Curare",Olga Savary coloca no primeiro plano a brasilidade como valor,a recuperação do telúrico e do indígena através da mitologia e da inclusão do tupi. Também do ângulo da experimentação formal,"O jardim das oliveiras" avança em torno à violência física,à tortura,à repressão e à inquisição como disparadores narrativos.Embora não se trate de um texto claramente político,é quase impossível não estabelecer um vínculo com aqueles contos que tomam por tema a violência gerada pelos regimes totalitários,as ditaduras,as perseguições políticas.Nessa linha se inscrevem,evidentemente,as histórias de Saer,Sánchez e Scliar, organizadas a partir de diferentes modos de viver,recordar ou sofrer as conseqüências das ditaduras argentinas e brasileiras e,no caso de "En el desayuno",também das seqüelas da guerra.

A discriminação supõe que uma certa ordem foi voluntária ou involuntariamente transgredida.Essa única ordem admissível – que pode chamar-se "nor malidade" física, heterossexualidade, superioridade do homem sobre a mulher,beleza,inteligência,simpatia – assinala um limite.Fora dele,está o outro,o estrangeiro.Essa grande categoria do alheio está desenvolvida explicitamente em vários dos contos selecionados."Como o máscara de ferro" é prístino nesse sentido. Paulatinamente,a personagem se converte,ele próprio,no outro:seu rosto se transforma na face de um chinês,tornando-se,assim,ineludível a convivência com o estrangeiro.Fogwill,de seu lado,trabalha o estrangeirismo na linguagem,sua correlação sintática,e a impossibilidade da tradução.

Infelizmente,a atualidade da América Latina está muito ligada às crises econômicas e políticas que resultam numa forte opressão social. Esta forma de violência,freqüentemente ignorada como tal,foi também um dos eixos desta antologia.A personagem de "Duchamp en México" amaldiçoa os imperativos do turista e passeia procurando evitar o inevitável:o consumo."Vivir en la salina",por outro lado,afasta-se do humor

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 14 para mostrar o cruzamento entre a violência física,as hierarquias laborales arbitrárias e o mundo difícil dos trabalhadores das salinas.Publicado originalmente em uma revista que não costuma incluir textos narrativos, o conto de Marcelo Cohen é uma exceção no conjunto da sua obra.Cohen escolhe um gênero – uma forma particular do realismo – e o questiona. Essa experimentação formal declarada parece ser a maneira com que "Un ciudadano en la tormenta" constrói a realidade argentina atual.

Para preparar esta antologia,precisei aprofundar-me no Brasil,país que me abre uma e outra vez as suas portas magnânimas,e mergulhar na sua literatura.Quero agradecer aos que me ajudaram nas etapas muito diversas desta tarefa feliz e inconclusa:Paula Arellano,João Bandeira, Wagner Carelli,Péricles Cavalcanti,Lídia Chaib,Michel Laub,Gilda Mattoso,Arnaldo Niskier,Rubem Portela e Caetano Veloso.

A Graciela Speranza quero agradecer por ter sido um guia valiosíssimo,de maneira involuntária,sem a preocupação consciente do elevado grau de seus préstimos.

Por fim,agradeço profundamente a Carlos Bustos sua presença invariável;a Hernán Díaz,sua amizade,os votos e os vetos;a Max Gurian,o apoio incondicional;e a Jorge Werthein,a confiança.

Violeta Weinschelbaum

Miolo Antologia FINAL 21.02.03 12:01 Page 15

Las antologías han sido pensadas,a menudo,de manera cartográfica,como mapas trazados para orientar al lector en una determinada literatura,con un rumbo específico;o para abandonarlo,sin brújula,en medio de un territorio elegido y acotado.Sin embargo,el Mapa hacia el que tienden,platónicos,los mapas,ya lo ha dicho Borges con rigor,tiene el tamaño del imperio y coincide puntualmente con él.

(Parte 1 de 7)

Comentários