(Parte 1 de 5)

web: w.smar.com/brasil2/faleconosco.asp w.smar.com.br

Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços estão disponíveis em nosso site.

smar

Introdução

O Controlador Multi-Loop Universal CD600 Plus é a próxima geração de um Controlador Multi-Loop Smar bem sucedido e muito seguro, o CD600. Agora usando eletrônica moderna e novas tecnologias, é menor, mais leve e, comparando-se com seu antecessor, é mais poderoso.

O CD600 Plus é um controlador único poderoso dedicado que possui a capacidade de simultaneamente controlar quanto loops (único ou em cascata) com oito PIDs (quatro deles com controle adaptativo avançado) e mais de 125 blocos de controle avançado. Na seqüência para programá-lo, o usuário pode executar a aplicação do CONF600 Plus.

Para operação pessoal, o CD600 Plus oferece um painel de controle amigável com push-buttons individuais, um display de oito dígitos alfanuméricos e um hardware seguro.

Em gerenciamento de plantas, o CD600 Plus oferece modularidade com custo efetivo, gerenciamento de informação através de comunicação digital e integração de planta através de CRT baseada na estação do operador.

Aspectos Principais

• As bargraphs, display de status alfanumérico (monitoramento, alarme, parâmetros, etc.) e um teclado dedicado fazem do CD600 Plus um equipamento stand-alone completo para operação e sintonia fina.

• Quatro Loops de controle independente com mais de oito funções PID (único ou cascata).

• Oito entradas digitais e oito analógicas, oito saídas digitais e oito analógicas.

• Integrada uma fonte de alimentação de 24 Vdc, 200 mA para mais de oito instrumentos de campo.

• Uma biblioteca de blocos funcionais flexível e poderosa que trata as muitas situações do dia a dia nos controles de processos.

• Muitas configurações de controle pré-programadas incluindo cascata, razão/proporção, feed forward, split range, controle de alimentação de água de caldeira a 3 elementos, controle de coluna de destilação e muito mais.

• Configurador com interface gráfica de uso fácil para Windows XP, 2000 e NT (SP3).

• O tempo provou com segurança e disponibilidade que o CD600 Plus é um dos melhores do mercado.

CD600 Plus - Manual do Usuário IV

Índice

SEÇÃO 1 - OPERAÇÃO1.1
PAINEL FRONTAL DO CD600 PLUS1.1
SELEÇÃO DE LOOPS1.2
RECONHECIMENTO DE ALARMES1.2
ALTERANDO O BRILHO DO DISPLAY ALFANUMÉRICO1.3
SEÇÃO 2 - SINTONIA2.1
SEÇÃO 3 - PROGRAMAÇÃO3.1
OPERAÇÃO3.1
DESCRIÇÃO TÍPICA DO BLOCO3.1
LOOP3.2
TAGS3.2
COMO PROGRAMAR O CD600 PLUS3.2
EXEMPLO DE UMA CONFIGURAÇÃO3.3
SEÇÃO 4 - BIBLIOTECA DOS BLOCOS FUNCIONAIS4.1
FUNÇÃO 01 - ENTRADA ANALÓGICA (AI)4.3
OPERAÇÃO4.3
FUNÇÃO 02 - SAÍDA EM CORRENTE (CO)4.4
OPERAÇÃO4.4
FUNÇÃO 03 - SAÍDA EM TENSÃO (VO)4.5
OPERAÇÃO4.5
FUNÇÃO 04 - ENTRADA DIGITAL (DI)4.6
OPERAÇÃO4.6
FUNÇÃO 05 - SAÍDA DIGITAL (DO)4.7
OPERAÇÃO4.7
FUNÇÃO 06 - FRONTAL DO CONTROLADOR (FV)4.8
OPERAÇÃO4.8
FUNÇÃO 07 - CHAVE LOCAL/REMOTO (L/R)4.10
OPERAÇÃO4.10
FUNÇÃO 08 - ESTAÇÃO AUTO/MANUAL (A/M)4.13
OPERAÇÃO4.13
FUNÇÃO 09 - PID AVANÇADO (APID)4.17
OPERAÇÃO4.17
FUNÇÃO 10 - PID SIMPLES (PID)4.25
OPERAÇÃO4.25
FUNÇÃO 1 - CONTROLADOR STEP (STEP)4.29
OPERAÇÃO4.29
FUNÇÃO 12 - MULTIPLICADOR-DIVISOR-SOMADOR-SUBTRATOR (ARTH)4.32
OPERAÇÃO4.32
FUNÇÃO 13 - RAIZ QUADRADA (SQR)4.36
OPERAÇÃO4.36
FUNÇÃO 14 - LINEARIZAÇÃO (LIN)4.37
OPERAÇÃO4.37
FUNÇÃO 15 - DERIVATIVO/LEAD-LAG (L)4.39
OPERAÇÃO4.39
FUNÇÃO 16 - COMPENSAÇÃO DE PRESSÃO E TEMPERATURA (PTC)4.42
OPERAÇÃO4.42
FUNÇÃO 17 - POLINÔMIO (POL)4.45
OPERAÇÃO4.45
FUNÇÃO 18 - TOTALIZAÇÃO ANALÓGICA (TOT)4.47
OPERAÇÃO4.47
FUNÇÃO 19 - ENTRADA PARA TOTALIZAÇÃO DE PULSOS (P/DI)4.49
OPERAÇÃO4.49
FUNÇÃO 20 - COMPARADOR DE BATELADAS (BAT)4.53

ÍNDICE OPERAÇÃO....................................................................................................................... .................................................... 4.53

CD600 Plus - Manual do Usuário

FUNÇÃO 21 - GERADOR DE SETPOINT (SPG)4.54
OPERAÇÃO4.54
FUNÇÃO 2 - ALARME DUPLO (ALM)4.56
OPERAÇÃO4.56
FUNÇÃO 23 - LIMITADOR COM ALARME (LIMT)4.58
OPERAÇÃO4.58
FUNÇÃO 24 - LÓGICA DE 3 ENTRADAS (LOG)4.61
OPERAÇÃO4.61
FUNÇÃO 25 - TEMPORIZADOR (TMR)4.62
OPERAÇÃO4.62
FUNÇÃO 26 - SELETOR DE MAIOR E MENOR (H/L)4.64
OPERAÇÃO4.64
FUNÇÃO 27 - SELETOR INTERNO/EXTERNO (SSEL)4.65
OPERAÇÃO4.65
FUNÇÃO 28 - ATUADOR DE REGISTRO (ADJ)4.6
OPERAÇÃO4.6
FUNÇÃO 29 - SELETOR DE ENTRADA (ISEL)4.67
OPERAÇÃO4.67
FUNÇÃO 30 - SELETOR DE SAÍDA (OSEL)4.68
OPERAÇÃO4.68
FUNÇÃO 31 - CURVA DE LINEARIZAÇÃO (PNT)4.69
OPERAÇÃO4.69
FUNÇÃO 32 - VISUALIZAÇÃO GERAL (GV)4.72
OPERAÇÃO4.72
FUNÇÃO 3 - CONSTANTES (K)4.73
OPERAÇÃO4.73
FUNÇÃO 34 - SCAN (SCN)4.74
OPERAÇÃO4.74
FUNÇÃO 35 - SCAN / ATUAÇÃO DOS PARÂMETROS DO PID (PRM)4.76
OPERAÇÃO4.76
FUNÇÃO 36 - ATUAÇÃO (ATU)4.7
OPERAÇÃO4.7
FUNÇÃO 37 - ENTRADA DIGITAL COM CONTROLE DE TEMPORIZADOR (DIT)4.80
OPERAÇÃO4.80
BLOCOS FUNCIONAIS DE CONTROLE4.82
SEÇÃO 5 - CONFIGURAÇÃO RESIDENTE5.1
SEÇÃO 6 - CALIBRAÇÃO6.1
ENTRADA ANALÓGICA (AI)6.1
CALIBRAÇÃO DA ENTRADA ANALÓGICA – MODO AUTOMÁTICO6.2
CALIBRAÇÃO DAS ENTRADAS ANALÓGICAS - MODO MANUAL6.2
SAÍDA EM CORRENTE (CO)6.3
SAÍDA EM TENSÃO (VO)6.4
SEÇÃO 7 - COMUNICAÇÃO7.1
INTRODUÇÃO7.1
ENDEREÇO DO CONTROLADOR7.1
BAUD-RATE7.2
AJUSTE DO TEMPO DE CICLO7.2
SUPERVISÃO OPC7.3
REDE DE COMUNICAÇÃO SERIAL7.4
REDE DE COMUNICAÇÃO ETHERNET7.4
SEÇÃO 8 - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS8.1
ALIMENTAÇÃO E CONSUMO8.1
ALIMENTAÇÃO INTEGRAL PARA TRANSMISSORES8.1
NVRAM (MEMÓRIA NÃO-VOLÁTIL)8.1
ENTRADAS E SAÍDAS ANALÓGICAS8.1

VI ENTRADAS DIGITAIS (DI1 A DI8)............................................................................................................................8.1

Índice

SAÍDAS DIGITAIS (DO1 A DO8)8.2
CONDIÇÃO DE INSTALAÇÃO8.4
FRONTAL DO PAINEL8.4
ETIQUETA COM DIAGRAMA DE BORNES8.5
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS8.7
LISTA DE ACESSÓRIOS8.7
LISTA DE PARTES SOBRESSALENTES8.7
CÓDIGO DE PEDIDO8.8
SEÇÃO 9 - INSTALAÇÃO9.1
VERIFICAÇÃO INICIAL9.1
CONDIÇÕES LOCAIS PARA INSTALAÇÃO9.1
CONDIÇÕES AMBIENTAIS9.1
PRECAUÇÕES CONTRA RUÍDOS ELETROMAGNÉTICOS9.1
INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO9.2
FIAÇÃO9.3
CD600 VERSUS CD600 PLUS9.7
INTRODUÇÃO10.1
ASPECTOS PRINCIPAIS10.1
SEÇÃO 10 - INSTALAÇÃO DO SISTEMA10.3
REQUISITOS DO SISTEMA10.3
INSTALAÇÃO10.3
SEÇÃO 1 - OPERAÇÃO1.1
ARQUIVOS DE PROJETO1.1
CRIANDO UM ARQUIVO DE PROJETO1.1
ABRINDO UM ARQUIVO DE PROJETO1.1
SALVANDO UM ARQUIVO DE PROJETO1.2
INFORMAÇÕES DO DOCUMENTO1.2
IMPORTANDO UM ARQUIVO DE PROJETO1.3
EXPORTANDO A CONFIGURAÇÃO1.3
IMPRIMINDO DOCUMENTOS1.3
CONFIGURANDO A IMPRESSORA1.4
VISUALIZANDO A IMPRESSÃO1.4
SEÇÃO 12 - INTERFACE CONF600 PLUS12.1
ATRIBUINDO NOMES AOS LOOPS12.1
BARRA DE FERRAMENTAS PRINCIPAL12.2
BARRA DE FERRAMENTAS DESENHO12.3
BARRA DE FERRAMENTAS ORDENAÇÃO12.3
BARRA DE FERRAMENTAS ALINHAMENTO12.4
PALETA CORES12.4
PROPRIEDADES DO DOCUMENTO12.4
PROPRIEDADES DO OBJETO12.7
BARRA DE FERRAMENTAS DE PROPRIEDADES DO DOCUMENTO12.7
BARRA DE FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO12.7
SELECIONANDO O IDIOMA12.7
CONVERTENDO A LISTA DA CONFIGURAÇÃO EM GRÁFICO DE ESTRATÉGIA12.8
BLOQUEAR EDIÇÃO12.8
SEÇÃO 13 - CONFIGURAÇÃO RESIDENTE13.1
SEÇÃO 14 - CONFIGURAÇÃO DE PROJETO14.1
ATIVANDO A LISTA DE BLOCOS14.1
ADICIONANDO BLOCOS À LISTA DE BLOCOS14.1
ADICIONADO BLOCOS À ÁREA DE DESENHO14.2

CONF600 PLUS ARRASTANDO BLOCOS NA ÁREA DE DESENHO..............................................................................................14.3

CD600 Plus - Manual do Usuário

ADICIONANDO O BLOCO DE COMUNICAÇÃO14.4
ALTERANDO PARÂMETROS DO BLOCO14.4
DELETANDO BLOCOS14.5
ALTERANDO O FORMATO DO BLOCO14.5
SEÇÃO 15 - LIGANDO BLOCOS15.1
CRIANDO UM LINK DIRETO15.1
CRIANDO UM LINK COM INTERRUPÇÃO15.2
CRIANDO UM LINK DE COMUNICAÇÃO15.3
ALTERANDO AS PROPRIEDADES DO LINK15.4
REDESENHANDO UM LINK15.5
REMOVENDO O LINK15.5
SEÇÃO 16 - COMUNICAÇÃO16.1
VERIFICANDO O ENDEREÇO DO CONTROLADOR16.1
CONFIGURANDO A COMUNICAÇÃO16.1
INICIALIZANDO A COMUNICAÇÃO16.2
FAZENDO O UPLOAD DA CONFIGURAÇÃO DO EQUIPAMENTO16.4
TRANSFERINDO A CONFIGURAÇÃO PARA O EQUIPAMENTO16.5
MOSTRANDO VALORES DE COMUNICAÇÃO16.5
MONITORANDO PARÂMETROS DE UM BLOCO16.6
ATUALIZANDO A CONFIGURAÇÃO16.6
SEÇÃO 17 - CALIBRAÇÃO17.1
ENTRADA ANALÓGICA17.1
CALIBRAÇÃO DA ENTRADA ANALÓGICA- MODO AUTOMÁTICO17.2
CALIBRAÇÃO DE ENTRADA ANALÓGICA - MODO MANUAL17.3
SAÍDA EM CORRENTE17.4
SAÍDA EM VOLTAGEM17.4
SEÇÃO 18 - TUTORIAL CONF600 PLUS18.1
INICIANDO O CONFIGURADOR18.1
CRIANDO UMA NOVA CONFIGURAÇÃO18.2
CONSTRUINDO A ESTRATÉGIA18.2
ADICIONANDO BLOCOS18.2
MOVIMENTANDO BLOCOS18.3
LIGANDO BLOCOS FUNCIONAIS18.3
CRIANDO TODOS LINKS18.5
REDESENHANDO LINKS18.5
VERIFICANDO O AMBIENTE18.5
MUDANDO VALORES DE PARÂMETRO18.6
MUDANDO VALORES DE PARÂMETRO DO BLOCO PID (043)18.6
ALTERANDO VALORES DO PARÂMETRO DO BLOCO AI (001)18.6
APÊNDICE A - GUIA RÁPIDO DE INSTALAÇÃOA.1
FERRAMENTAS E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA INSTALAÇÃOA.1
PROCEDIMENTOSA.1
INSTALAÇÃO MECÂNICA DO CONTROLADORA.1
INSTALAÇÃO ELÉTRICA DO CONTROLADORA.3
CONFIGURAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE CONTROLEA.5
IMPLEMENTANDO A COMUNICAÇÃO ENTRE O CONTROLADOR E O COMPUTADORA.5
APÊNDICE B – FORMULÁRIO PARA SOLICITAÇÃO DE REVISÃOB.1
RETORNO DE MATERIAISB.2

VIII APÊNDICE C – TERMO DE GARANTIA SMAR........................................................................................C.1

Seção 1

Painel Frontal do CD600 Plus

O painel frontal do CD600 Plus apresenta 3 barras de LEDs, um display alfanumérico, um grupo de teclas para ajustes e controle, e leds para sinalização.

Figura 1.1 - Painel Frontal

SP Indicação do Setpoint do loop monitorado. Esta indicação é obtida na barra gráfica de 101 leds, na cor verde.

PV Indicação da Variável de Processo do loop monitorado. Esta indicação é obtida na barra gráfica de 101 leds, na cor vermelha.

MV Indicação da Variável Manipulada. Esta indicação é obtida na barra gráfica de 41 leds, na cor vermelha.

Desde que o usuário possa livremente configurar a visualização de cada loop, as três barras gráficas podem também ser usadas para outros propósitos.

CD600 Plus - Manual do Usuário

TECLAS DESCRIÇÃO Seleciona a variável que será mostrada no display alfanumérico.

Seleciona o loop a ser monitorado no frontal do painel.

Aumenta o valor da variável mostrada no display. Diminui o valor da variável mostrada no display.

Seleciona o Setpoint Local ou Remoto do loop monitorado.

Confirmação de Alarme.

Seleciona o modo Automático ou Manual do loop monitorado.

Aumenta o valor da MV, se o controle estiver no modo Manual. Quando esta tecla é pressionada , o valor de saída é mostrado no display.

Diminui o valor da MV, se o controle estiver no modo Manual. Quando esta tecla é pressionada, o valor de saída é mostrado no display.

Fail: Quando está ligado, indica que o controlador está na condição de falha.

Cycle: Pisca a cada 10 ciclos, durante o tempo de ajuste do ciclo (refira-se à Seção 8 - Comunicação).

Adjust: Quando está ligado, indica que a variável mostrada no display pode ter seu valor mudado pelas teclas <> e <>.

1, 2, 3 ou 4 – Quando está ligado, indica o loop o qual as variáveis mostradas no painel se referem. L – Quando está ligado, indica que o loop respectivo está trabalhando com Setpoint Local. L desligado significa Setpoint Remoto. M – Quando está ligado, indica que o loop respectivo está trabalhando no modo Manual. M desligado significa Operação Automática.

ou - Quando está ligado, indica uma situação de alarme alta () ou baixa ().

Seleção De Loops

Um toque rápido na tecla <LP> faz com que o display mostre, por alguns segundos, o TAG do loop que está sendo monitorado. Um toque mais demorado na tecla <LP> transfere a monitoração para o loop seguinte, e o display mostra inicialmente o TAG do novo loop monitorado, e depois de alguns segundos uma de suas variáveis.

Reconhecimento De Alarmes

Independente do loop selecionado e da variável que esteja sendo mostrada no display, acontecendo qualquer alarme que tenha sido programado para indicar no frontal, o display passa a mostrar alternadamente a informação da variável e a informação "*ALARM". Além disso, um dos leds <> ou <>, do loop correspondente, passa a piscar.

Tão logo o operador pressione a tecla <ACK> pela primeira vez, aparece no display o tag que identifica a configuração, seguido da mensagem mnemônica do alarme. A mensagem ficará piscando até que o operador pressione, novamente, a tecla <ACK>, reconhecendo o alarme. Após o reconhecimento, a mensagem e o led param de piscar, mas se a condição de alarme persistir, a mensagem permanecerá. Quando a condição de alarme deixar de existir o display passa a indicar a mensagem "NO ALARM" e o led apaga.

O reconhecimento de alarme também pode ser feito automaticamente, ou seja, ao sair da condição de alarme a mensagem desaparece, não sendo necessário o reconhecimento, pelo operador, na tecla <ACK>.

Enquanto o alarme está presente, a mensagem de alarme fica armazenada numa memória de pilha, com capacidade para até 36 mensagens de alarme.

Através das teclas <Δ> e <∇>, o operador pode rodar as informações contidas na memória, checando se existe ou não outros alarmes presentes.

Operação

Dentre as mensagens de alarme que podem ser visualizadas no display, 8 podem ser escritas pelo usuário e as demais são mensagens fixas. Os blocos que podem providenciar estes alarmes e as suas características estão listados na tabela 1.1.

001 BURNOUT AI1 OUT NÃO 002 BURNOUT AI2 OUT NÃO 003 BURNOUT AI3 OUT NÃO 004 BURNOUT AI4 OUT NÃO 005 BURNOUT AI5 OUT NÃO 006 BURNOUT AI6 OUT NÃO 007 BURNOUT AI7 OUT NÃO 008 BURNOUT AI8 OUT NÃO 009 DESVIO/BURNOUT AO1 OUT NÃO 010 DESVIO/BURNOUT AO2 OUT NÃO 011 DESVIO/BURNOUT AO3 OUT NÃO 012 DESVIO/BURNOUT AO4 OUT NÃO 039 DESVIO DEV - 1 NÃO 040 DESVIO DEV - 2 NÃO 041 DESVIO DEV - 3 NÃO 042 DESVIO DEV - 4 NÃO 077 (1º comp.) BAIXO/IGUAL/ALTO LOW COMP SIM 077 (2º omp.) BAIXO/IGUAL/ALTO HGH COMP SIM 078 (1º comp.) BAIXO/IGUAL/ALTO LOW COMP SIM 078 (2º comp.) BAIXO/IGUAL/ALTO HGH COMP SIM 079 (1º comp.) BAIXO/IGUAL/ALTO LOW COMP SIM 079 (2º comp.) BAIXO/IGUAL/ALTO HGH COMP SIM 080 (1º comp.) BAIXO/IGUAL/ALTO LOW COMP SIM 080 (1º comp.) BAIXO/IGUAL/ALTO HGH COMP SIM 081 LIMITE SUPERIOR LIM H 01 NÃO 081 LIMITE INFERIOR LIM L 01 NÃO 081 VELOCIDADE VELOC 01 NÃO 082 LIMITE SUPERIOR LIM H 02 NÃO 082 LIMITE INFERIOR LIM L 02 NÃO 082 VELOCIDADE VELOC 02 NÃO 083 LIMITE SUPERIOR LIM H 03 NÃO 083 LIMITE INFERIOR LIM L 03 NÃO 084 VELOCIDADE VELOC 03 NÃO 085 LIMITE SUPERIOR LIM H 04 NÃO 085 LIMITE INFERIOR LIM L 04 NÃO 085 VELOCIDADE VELOC 04 NÃO

Tabela 1.1 - Características de Alarme

Alterando o Brilho do Display Alfanumérico

Para mudar o brilho do display alfanumérico, siga o procedimento descrito abaixo:

1- Aperte a tecla <ACK> no frontal do controlador e mantenha-a pressionada por alguns segundos até alterar a função do display e do teclado frontal para a função PID. 2- Pressione as teclas <ACK> e <DSP> simultaneamente até que o endereço de identificação do controlador seja mostrado.

3- Pressione a tecla <DSP> até chegar na função “BRIGHT”. Usando os botões<Δ> e <∇> selecione o brilho desejado para o display alfanumérico.

CD600 Plus - Manual do Usuário 1.4

Seção 2

O Ganho Proporcional, o tempo Integral e o tempo Derivativo de qualquer bloco PID, existentes na configuração do controlador, são alteráveis pelo frontal do aparelho sem a necessidade da utilização do Terminal Portátil, desde que o parâmetro CACT, do respectivo bloco, esteja devidamente configurado (CACT = 0 ou 1).

Aperte a tecla <ACK> no frontal do controlador e mantenha pressionada por alguns segundos até alterar a função do display e do teclado frontal. Independente da variável que estava sendo mostrada anteriormente, o display passa a indicar o valor do ganho proporcional do PID, do loop selecionado. Caso exista mais que um bloco PID no loop (Controle Cascata, por exemplo), aparecerá no display frontal a constante proporcional referente ao bloco PID de menor número. Neste caso, o usuário deve conhecer os blocos, que compõem o loop, para identificar qual é o PID "MESTRE" e qual é o PID "ESCRAVO".

O mnemônico de cada constante é composto de duas letras, que identificam o tipo da ação, e um número, que identifica o bloco PID a que ela pertence.

Tabela 2.1 - Número do Bloco PID correspondente à Sintonia do painel frontal

Quando a configuração existente no controlador possui mais do que um loop, utilizar a tecla <LP> para mudar de loop e ter acesso aos seus parâmetros PID. Use as teclas <Δ> e <∇> para mudar os valores das constantes do PID.

A ciranda por todos os parâmetros de sintonia dos blocos PID de um loop é feita através da tecla

<DSP>. As teclas do painel frontal (DSP, Δ ,∇ e ACK) retornam à sua função normal pressionandose a chave <LP>, ou se no período de 20 segundos não for atuada nenhuma tecla do painel frontal.

Nota: a-) A sintonia executada pelo painel pode ser desabilitada pela configuração. b-) A sintonia pode ser executada através de um computador conectado à porta de comunicação.

CD600 Plus - Manual do Usuário 2.2

Seção 3

Operação

A programação do Controlador Digital Smar CD600 Plus está baseada no conceito de blocos livres que podem ser interligados conforme a estratégia de controle definida pelo usuário.

Os blocos funcionais já existem na memória, mas não estão acessíveis ao usuário. Programar o controlador significa configurá-lo fazendo o upload necessário dos blocos para a memória do usuário- NVRAM, ligando-os juntos, e ajustando seus parâmetros de Caracterização e Ajuste para adaptarem-se a uma aplicação específica.

A troca de informações entre o algoritmo de controle utilizado e o processo, dá-se através dos blocos de entrada e saída (analógicas e/ou digitais). Estes blocos estão "fisicamente" ligados à borneira do controlador. Por exemplo, o bloco de entrada analógica nº 001, pode ser utilizado para leitura e processamento do sinal que está entrando nos bornes referentes à entrada analógica nº 001 (terminal 1).

Descrição Típica do Bloco

Os blocos descritos na Seção 4 têm uma Função de Controle, consistindo de uma ou mais operações matemáticas e/ou lógicas. A função irá relacionar as saídas com as entradas do bloco. As entradas são identificadas através de letras (A, B, C...), e as saídas são identificadas através de números. Com exceção dos blocos de entradas e saídas Analógicas e Digitais, para os quais as entradas e saídas, respectivamente, estão vinculadas fisicamente aos terminais da Borneira.

Figura 3A - Bloco Típico

Os números relacionados às saídas dos blocos são, de fato, endereços. Cada número se refere exclusivamente a uma certa saída de um certo bloco e vice-versa.

Cada bloco possui um Parâmetro de Ligação (L) para cada entrada. Um bloco com três entradas possui os seguintes Parâmetros de Ligação: LIA, LIB e LIC. Se o bloco SELETOR DE MAIOR E MENOR, mostrado na figura 3A, tem LIA = 2, isto significa que a entrada A, deste bloco, está ligada (conectada).

Como um bloco pode executar várias operações, a ativação destas operações é definida através dos Parâmetros de Caracterização (C). Por exemplo, o bloco de Entrada Analógica oferece a possibilidade de executar a extração de Raiz Quadrada (CSQR=1) ou não (CSQR=0) e oferece também a possibilidade de LINearização (CLIN=1) ou não (CLIN=0) - Veja figura 3B.

As constantes dos Blocos, que requerem freqüentes alterações durante a operação do processo, são chamadas de Parâmetros de Ajuste (A). O mesmo bloco de Entrada Analógica possui um filtro ajustável, o qual tem a constante de tempo ajustada através do parâmetro ATIM.

Há dois tipos de sinais que podem ser trocados entre os blocos: modulável e discreto. Sinais moduláveis são sinais contínuos, enquanto que sinais discretos são do tipo ON-OFF.

A transferência de sinal de um bloco para outro é feita sempre na forma de porcentagem, ainda que este sinal seja discreto (0% para nível lógico 0, 100% para nível lógico 1). Um sinal modulável, ligado a uma entrada preparada para receber sinais discretos será interpretado da seguinte forma:

CD600 Plus - Manual do Usuário

- menor que 70% : nível 0 - maior que 80% : nível 1

- entre 70% e 80% : estado anterior

Além de definir a estratégia de controle através dos parâmetros de ligação, o usuário pode entrar em cada um dos blocos utilizados e, então, proceder alterações em sua estrutura.

O sinal de saída de um bloco pode ser conectado a tantos blocos quanto se desejar.

Loop

Um loop é um conjunto de blocos interligados com a finalidade de executar uma função, tendo um bloco (único) de interface homem-máquina que possibilita a operação e/ou visualização de dados pelo frontal do controlador. O número máximo de loops por controlador é quatro.

A configuração do CD600 dispõe ainda de uma área de chamada Loop Geral, "LOOP G", o qual contém apenas blocos que podem ser usados simultaneamente por mais de um loop. Um exemplo de informação mantida no Loop Geral são as coordenadas de pontos usadas em uma curva de linearização e que também pode ser usada por diversos blocos de Entrada Analógica, simultaneamente.

O Tag do Loop Geral será sempre o Tag da configuração total executada. Todas as configurações devem ter um Loop Geral, mesmo se o programa possuir apenas um loop de controle. Se nenhum bloco for previsto para o Loop Geral, ao menos um Tag deve ser dado.

Tags

O tag é a identificação de cada loop de controle, bem como para o Loop Geral. Consiste de até 8 caracteres alfanuméricos, por exemplo:

(Parte 1 de 5)

Comentários