Biologia Celular: Divisão Celular

Biologia Celular: Divisão Celular

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA

DIVISÃO CELULAR

Professor: Fábio Mendonça

Disciplina: Biologia Celular

Aluna: Mariana Torres Mourão

Curso: Licenciatura Plena em Ciências Biológicas

Turma: 1ª período/LB3 2012.1

Recife, 2012

Universidade Federal Rural de Pernambuco

DIVISÃO CELULAR

Trabalho apresentado à disciplina de Biologia Celular do curso superior de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas da Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Recife, 2012

SUMÁRIO

  1. Introdução........................................................................................... 4

  2. Mitose.................................................................................................. 5

2.1 Prófase.......................................................................................... 5

2.2 Metáfase........................................................................................ 6

2.3 Anáfase......................................................................................... 6

2.4 Telófase......................................................................................... 7

2.5 Citocinese..................................................................................... 8

3. Meiose.................................................................................................. 9

3.1 Prófase I........................................................................................ 9

3.2 Metáfase I...................................................................................... 9

3.3 Anáfase I........................................................................................ 9

3.4 Telófase I....................................................................................... 9

3.5 Intercinese..................................................................................... 9

3.6 Prófase II....................................................................................... 10

3.7 Metáfase II..................................................................................... 10

3.8 Anáfase II...................................................................................... 10

3.9 Telófase II e citocinese................................................................ 10

4. Referências bibliográficas.................................................................. 11

  1. INTRODUÇÃO

Para que ocorra a origem de novas células, é necessário que dentre as mesmas, ocorra a divisão celular. Desta maneira, as células dividem-se, produzindo células filhas idênticas à mãe, ou seja, com o mesmo número de cromossomos ou então, células com a metade desses cromossomos. É através deste mecanismo que todos os seres vivos se reproduzem e dão continuidade a sua espécie.

  1. MITOSE

Antes do processo, ocorre a interfase. É nesse período não pertencente ao fenômeno mitótico que a atividade metabólica está intensa, as células crescem, duplicam o DNA e guardam energia para fazerem a mitose. Existem quatro fases dentro da mitose:

    1. Prófase: Os cromossomos replicados, cada um consistindo em duas cromátides-irmãs intimamente associadas, se condensam. Ao redor do núcleo, o fuso mitótico que é composto por um conjunto de fibras (microtúbulos) se forma entre os dois centrossomos, que se replicaram e se distanciaram. Nessa fase, o nucléolo começa a desaparecer e o núcleo absorve água, aumentando assim o volume celular e desorganizando a carioteca. No final, curtas fibras do fuso, provenientes dos centrossomos, unem-se aos centrômeros e assim, cada cromátide-irmã fica ligada a um dos polos da célula.

Figura 1. Processo de início da mitose: prófase.

Fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Citologia2/nucleo7.php

Obs.: Alguns autores consideram uma fase antes da metáfase: a prometáfase. Isso ocorre pelo fato dos centrossomos, na prófase, ainda estarem alinhados na região equatorial da célula.

    1. Metáfase: É nesta fase que os cromossomos apresentam o seu maior grau de condensação. Os mesmos são alinhados no equador do fuso, ou seja, no meio da célula e ficam presos aos microtúbulos que ligam as cromátides-irmãs a polos opostos do fuso mitótico. No final desta fase, os centrômeros se duplicam.

Figura 2. Esquema da metáfase.

Fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Citologia2/nucleo8.php

    1. Anáfase: As cromátides-irmãs se separam sincronicamente e formam dois cromossomos-filhos, sendo cada um deles lentamente puxado em direção ao polo do fuso ao qual está ligado. Os microtúbulos encurtam e os polos do fuso também se distanciam. Temporariamente, a célula fica tetraploide.

Figura 3. Cromossomos posicionados em anáfase.

Fonte:http://djalmasantos.wordpress.com/2011/08/26/testes-de-divisao-celular-55/

    1. Telófase: Durante esta fase, os dois conjuntos de cromossomos-filhos chegam aos polos do fuso e se descondensam. Um novo envelope nuclear é remontado em volta de cada conjunto, completando a formação de dois novos núcleos e a reconstituição da carioteca a partir de vesículas do retículo endoplasmático, marcando assim, o fim da mitose.

Figura 4. Telófase ocorrendo.

Fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Citologia2/nucleo9.php

    1. Citocinese: O citoplasma é dividido em dois por um anel contrátil de filamentos de actina e miosina, que comprime a célula em duas e dá origem as células-filhas, cada qual com seu núcleo e organelas. É a última fase da mitose e dependendo da célula, a divisão pode acontecer no momento em que a anáfase ocorre.

Figura 5. Citocinese em esquema pedagógico e no momento que ocorre na célula.

Fonte:http://www.esec-odivelas.rcts.pt/BioGeo/ficha_mito.htm

  1. MEIOSE

Diferentemente da mitose, a meiose é um tipo de divisão celular, onde a célula diploide produz quatro células haploides, sendo assim, uma divisão reducional. É com essa redução no número cromossômico que o lote de cromossomos das espécies é conservado e com a meiose formam-se gametas com metade deste lote, ou seja, no momento da fecundação, o número de cromossomos é reestabelecido. Mesmo compreendendo duas etapas, os cromossomos apenas se duplicam uma vez, durante a interfase, período esse que antecede a mitose e também, a meiose.

3.1 Prófase I: Os cromossomos homólogos duplicados pareiam devido à atração que ocorre entre eles. É a fase mais longe e por tal motivo, é dividida em cinco períodos: leptóteno (os cromossomos condensam-se e tornam-se visíveis), zigóteno (cromossomos homólogos juntam-se aos pares), paquíteno (os cromossomos tornam-se mais curtos e espessos), diplóteno (inicia-se a separação e os quiasmas tornam-se visíveis, evidenciando a troca de pedaços entre cromossomos, processo conhecido como crossing-over) e por fim a diacinese (cromossomos migram para o meio da célula).

3.2 Metáfase I: Os cromossomos se distribuem pelo região mediana da célula e são presos por fibras de um só polo.

3.3 Anáfase I: As fibras se encurtam e o fuso separa os cromossomos, que se conduzem aos polos opostos da célula. Os centrômeros não se duplicam, assim, as cromátides-irmãs continuam unidas.

3.4 Telófase I: O citoplasma se divide e formam-se duas células-filhas haploides, isto é, sem cromossomos homólogos.

3.5 Intercinese: Curto intervalo entre as duas etapas da divisão da meiose.

3.6 Prófase II: Os centríolos duplicam novamente e as células em que houve formação da carioteca, esta começa a se desintegrar.

3.7 Metáfase II: Os cromossomos, dispostos no meio celular, prendem-se pelo centrômero às fibras do fuso mitótico, que partem de ambos os polos a partir de agora.

3.7 Anáfase II: A duplicação dos centrômeros ocorre e as cromátides-irmãs separam-se.

3.8 Telófase II e citocinese: O citoplasma se divide e quatro células-filhas haploides (sem cromossomos homólogos e com metade do número de cromossomos da célula inicial) surgem.

Figura 6. Todas as fases da meiose.

Fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Citologia2/nucleo13.php

  1. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  • Biologia Molecular da Célula – 5ª edicação, Alberts; Johnson; Lewis; Raff; Roberts e Walter.

  • Biologia 1 – 3ª edição, Armênio Uzunian e Ernesto Birner

Comentários