(Parte 1 de 14)

Autor: Davi Rodrigues Pinto

Formatado: Fonte: Arial, Não Negrito

Formatado: Recuo: Primeira linha: 0 cm

Formatado: Fonte: Arial, Não Negrito

Formatado: Fonte: (Padrão) Arial

Manual .NET Base Página 2 de 63

Manual .NET do Desenvolvedor

Microsoft Consulting Services

Excluído: Manual .NET Base.doc

Manual .NET Base Página 3 de 63

I. Desenvolvendo em N Camadas6
a. Serviços de Apresentação6
b. Serviços de Negócio6
c. Camada de Gerenciamento7
d. Camada de Regras de Negócio7
Recomendações8
Implementando Componentes de Negócio com .NET9
e. Camada de Dados1
Recomendações para a criação das classes da camada de dados1
Ao implementar Componentes de Acesso a Dados13
Exemplo de Componente para a Camada de Dados14
f. Serviços de Dados14
g. Comunicação entre Camadas (entre Classes)15
I. Utilizando XML15
I. Web Forms e ASP.NET16
a. Dicas ao Programar ASP.NET16

Sumário

(que utilizavam VBScript)17
b. Nomenclatura de Variáveis19
c. Escopo de Variáveis20
d. Nome de Métodos20
e. Comentários em VB21
IV. Win Forms - VB2
a. Recomendações ao Projetar Windows User Interfaces2
b. Nomenclatura de Variáveis e Métodos23
c. Escopo de Variáveis23
d. Constantes24
e. Indentação24
f. Componentes e Classes25
V. Dicas de Performance26
a. Turbinando código VB.NET26
Seguem algumas regras de otimização para código .NET26
VI. ADO.NET – Acessando Dados31
VII. Web Services3

Dicas de Visual Basic 7 para programadores ASP

Excluído: 5

Excluído: 5 Excluído: 5 Excluído: 6 Excluído: 6

Excluído: 7 Excluído: 8 Excluído: 10

Excluído: 10 Excluído: 12 Excluído: 13 Excluído: 13 Excluído: 14

Excluído: 14

Excluído: 15 Excluído: 15

Excluído: 16 Excluído: 18

Excluído: 19

Excluído: 19 Excluído: 20 Excluído: 21

Excluído: 21 Excluído: 2 Excluído: 2 Excluído: 23 Excluído: 23 Excluído: 24

Excluído: 25

Excluído: 25 Excluído: 25 Excluído: 30 Excluído: 32

Excluído: Manual .NET Base.doc

a. Procedimento3
b. Exemplo34
VIIINET Remoting...........................................................37

Manual .NET Base Página 4 de 63

a. Procedimento38
b. Gerenciando as Transações Automáticas com COM+39
c. Transações Automáticas em Classes .NET41
d. Implementando Workflows de Negócio usando BizTalk42
X. Gerenciamento de Exceções (Erros)4
XI. Tarefas Mais Comuns46
a. Tratamento de Log e Auditoria46
Auditoria46
Auditoria na interface do usuário (UI)47
Auditoria na Camada de Negócio47
Auditoria na Camada de Acesso a Dados47
b. Rotinas em lotes47
c. Criação de arquivos seqüenciais47
d. Sistemas sem fio48
e. Aplicações Assíncronas (MSMQ)49
Vantagens do uso de comunicação baseada em mensagens:49
Desvantagens do uso de comunicação baseada em mensagens:49
Cenários típicos para Comunicação Assíncrona49
Exemplo C#50
Exemplo Visual Basic51
f. Dicas sobre o MS Message Queue51
Controle de Timeouts52
XII. Documentação de Projeto54
XIII. Recomendações de Design5
XIV. Comunicação Segura entre Componentes56
XV. Migrando aplicações para .NET57
XVI. Escolha seu Objetivo58
a. Escalabilidade58
b. Disponibilidade58
c. Facilidade de Manutenção59
d. Segurança59
e. Facilidades de Gerenciamento Operacional60
XVII. Índices61
XVIII. Referências62

IX. Interagindo com componentes COM (Unmanaged Code)37

Excluído: 32 Excluído: 3

Excluído: 36

Excluído: 36

Excluído: 37 Excluído: 38 Excluído: 40 Excluído: 41 Excluído: 43

Excluído: 45

Excluído: 45

Excluído: 45 Excluído: 46 Excluído: 46 Excluído: 46 Excluído: 46 Excluído: 46

Excluído: 47

Excluído: 48

Excluído: 48 Excluído: 48 Excluído: 48 Excluído: 49 Excluído: 50 Excluído: 50 Excluído: 51 Excluído: 53 Excluído: 54

Excluído: 5

Excluído: 56 Excluído: 57

Excluído: 57 Excluído: 57 Excluído: 58 Excluído: 58

Excluído: 59

Excluído: 60 Excluído: 61

Excluído: Manual .NET Base.doc

Manual .NET Base Página 5 de 63

Excluído: Manual .NET Base.doc

Manual .NET Base Página 6 de 63

I. Desenvolvendo em N Camadas

O desenvolvimento em N Camadas continua sendo o cerne da arquitetura de aplicações distribuídas. Porém, agora com o advento dos Web Services o desenvolvimento em camadas rompe fronteiras ampliando as possibilidades de uso de componentes distribuídos separados pela Internet.

Note que nos referimos a N camadas e não simplesmente a três camadas, pois seguindo-se a orientação de diversas boas práticas de programação, chega-se a uma estrutura de camadas ainda mais refinada.

Diversas interpretações podem dar espaço quando falamos em camadas: podemos pensar em camadas físicas definidas por máquinas, camadas definidas por aplicações que conversam entre si, camadas funcionais, e assim por diante. Como forma de padronizar a abordagem e permitir um melhor entendimento dos aspectos comuns aos projetos e tirar o máximo proveito do desenvolvimento de software em componentes, partimos para uma abordagem conceitual e lógica que identifica e separa as funcionalidades do software em serviços. Esses serviços são, então, classificados logicamente em três categorias, a saber:

(Parte 1 de 14)

Comentários