giulio carlo argan

giulio carlo argan

A partir da década de 1930 giulioargan passa a ser conhecido no meio acadêmico internacional com seus estudos sobre arte medieval e renascentista. A importância de sua obra é tal que seus livros são considerados bibliografia fundamental de cursos de história da arte do mundo todo. Em sua obra, destacam-se livros como: Arte Moderna, Clássico e Anticlássico, História da Arte como História da Cidade.

O livro abre um conjunto de ensaios em que o homem surge perante a natureza enquanto autor de sua transformação, e a cidade, com a monumentalidade da figura da vida humana no planeta.

A obra fundamental de Giulio Carlo Argan (1909-1992), um dos maiores historiadores e críticos do século XX, apresenta-nos milênios de história da arte em uma prosa literária e envolvente, combinada à agudeza crítica.

Já consagrada no ensino de história da arte na Itália há três décadas, a obra é lançado pela primeira vez no Brasil, acompanhando a nova edição italiana pela Sansoni, revista e apurada graficamente. A narrativa e as análises de Argan, que também foi prefeito de Roma e elegeu-se senador pelo Partido Comunista Italiano, são entremeadas e enriquecidas pelas "leituras críticas”.

uma compilação de textos de filósofos, historiadores e críticos de arte de diversas épocas, como André Chastel, Platão, Meyer Schapiro, Erwin Panofsky, Rudolf Wittkower e Giorgio Vasari. Todos os volumes trazem, ainda, glossário de técnicas e termos artísticos.

Os escritos incluídos neste livro reafirmam a identidade entre cidade e arte. Propõem uma metodologia que parte da definição da história da arte como história de uma fenomenologia complexa de objetos produzidos segundo a tecnologia do artesanato numa dimensão espaço-temporal que é a própria cidade. .

O historiador Giulio Carlo Argan realiza em Walter Gropius e a Bauhaus um completo estudo sobre esse genial arquiteto alemão e o seu grande feito - a criação da escola de arte Bauhaus. Tida como a fonte da maior e mais original expressão do modernismo na arquitetura, suas influências situam-se além do mundo do design. Na opinião de vários pesquisadores, a fundação do instituto deu origem ao mais importante movimento artístico do século XX e revolucionou as artes plásticas como um todo. O livro de Argan, originalmente publicado em 1951, também se transformou em uma obra de referência. Walter Gropius e a Bauhaus é até hoje o principal trabalho sobre o tema e ficou marcado como um dos mais intensos exercícios em crítica de arte já realizados.

Segundo o crítico e historiador de arte Giulio Carlo Argan, os "'ready-mades' podem ser lidos como gesto gratuito, como ato de protesto dessacralizante contra o conceito 'sacro' da 'obra de arte', mas também como vontade de aceitar na esfera da arte qualquer objeto 'finito', desde que seja designado como 'arte' pelo artista".

Comentários