Mario Pedrosa

Mario Pedrosa

Mario Xavier de Andrade Pedrosa

.

25 de Abril de 1900

  • Foi um militante ,político e critico de arte, iniciador da critica de arte moderna brasileira e das atividades da oposição de esquerda Internacional no Brasil.

  • Foi critico titular do correia da manhã e depois do jornal do Brasil.

  • Filiado ao partido comunista brasileiro ,foi expulso em 1929 por sua ligação com o movimento trotskista.

Crítico de Arte

  • Destaca-se como diretor do museu de arte moderna de São Paulo, colaborando na criação do museu de Arte do Rio de Janeiro .

  • Com papel destacado no surgimento do movimento concretista foi curador da 2ªBienal Internacional de Arte de São Paulo (1953).

  • Organizou o Congresso Internacional dos Críticos de Arte sobre a cidade de Brasília.

Arte e política

  • Defensor de que a arte e a política são as duas formas mais elevadas da expressão humana.

  • Esta sua postura que exigia toda liberdade à arte impregnou a II Bienal Internacional de arte de São Paulo.

Abstração, tradição local e Concretismo

  • Apesar de engajado em um projeto político socialista, Mário Pedrosa foi contra a arte do chamado Realismo socialista.

  • Pedrosa foi um incentivador de movimentos de vanguarda como o concretista e a poesia concreta brasileira desde o seu inicio, na década de 1950.

Compreensão da realidade brasileira

  • Dois anos após o golpe militar de 1964 Pedrosa publica dois livros (A Opção Brasileira e A Opção Imperialista) onde faz um estudo e análise daquele regime e de suas determinações.

  • Em sua obra "A opção Brasileira“ ele analisa o regime militar o governo de Getúlio Vargas .

Livros publicados

  • Arte Necessidade Vital. Livraria da Casa, 1949.

  • Panorama da Pintura Moderna. Rio de Janeiro: Ministério de Educação e Saúde, 1952.

  • Dimensões da Arte. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1964.

  • A Opção Brasileira. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1966.

  • A Opção Imperialista. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1966.

  • Arte Brasileira Hoje. Com Aracy Amaral, Mário Schenberg, coord. geral de Ferreira Gullar / Rio de Janeiro : Paz e Terra , 1973 .

  • Calder. Paris : Maeght éditeur , 1975

  • Mundo, Homem, Arte em Crise. São Paulo: Editora Perspectiva, 1975.

  • Arte, Forma e Personalidade. São Paulo: Kairós, 1979.

  • A Crise Mundial do Imperialismo e Rosa Luxemburgo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

  • Arte, Forma e Personalidade. São Paulo: Kairós, 1979.

  • Sobre o Partido dos Trabalhadores. São Paulo: Ched, 1980.

  • Dos Murais de Portinari aos Espaços de Brasília. São Paulo: Editora Perspectiva, 1981.

  • Arte, Revolução, Reflexão. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 1992

  • Política da Artes. Textos Escolhidos I. São Paulo: Edusp, 1995. (org. Otília Arantes)

  • Forma e Percepção Estética. Textos Escolhidos II. São Paulo: Edusp, 1996. (org. Otília Arantes)

  • Acadêmicos e Modernos. Textos Escolhidos III. São Paulo: Edusp, 1998. (org. Otília Arantes)

  • Modernidade Cá e Lá. Textos Escolhidos IV. São Paulo: Edusp, 2000. (org. Otília Arantes)

 

Comentários