Comandos -eletricos

Comandos -eletricos

(Parte 4 de 7)

Dependendo da aplicação a que se destinam, podem ser: com ataque para direita e para a esquerda, como mostra a figura 3.9 (com retorno automático ou sem retorno automático);

com ataque só para a direita ou só para a esquerda (com retorno automático ou sem retorno automático). (Fig. 3.10)

Afigura 3.1, a seguir, mostra alguns tipos de acionamentos (cabeçotes) das chaves tipo fim de curso.

Funcionamento

Acionando-se o cabeçote de comando por meio das partes móveis de máquinas, como hastes, excêntricos, ressaltos etc., serão executados a abertura e o fechamento dos contatos que operam diretamente em circuitos auxiliares e de comando.

Observação

A operação dos contatos depende do sistema de acionamento de contatos.

Características

Suas principais características são: • tensão nominal de isolamento;

• corrente nominal;

• número de manobras;

• grau de proteção. Tensão nominal de isolamento - Varia de acordo com o material usado na fabricação do dispositivo. Normalmente é 500V(CA) 600V(C). Corrente nominal - É baseada na estrutura de seus contatos e bornes. Normalmente é de l0A.

Número de manobras - E o valor que define a vida útil, elétrica e mecânica do dispositivo. Entende-se pôr manobra qualquer ação sobre o dispositivo (ligar, desligar...).

Exemplo

Dez milhões de manobras, 30 milhões de manobras etc.

Grau de proteção - O grau de proteção é expresso em código, devidamente normalizado, que classifica, para determinado equipamento, sua proteção contra choques, penetração de corpos estranhos e líquidos.

Exemplo lP 65 Onde lP - significa grau de proteção Primeiro algarismo (6) - penetração total contra o contato com partes sob tensão ou em movimento. Proteção total contra penetração de pó. Segundo algarismo (5) - proteção contra jatos de água, provenientes de qualquer direção.A tabela, a seguir, mostra as diversas classificações a que estão sujeitos os invólucros dos aparelhos elétricos no que diz respeito ao grau de Proteção

Contatores

São dispositivos de manobra mecânicos, acionados eletromagneticamente, operados à distância com força de retrocesso. Construídos para uma elevada freqúência de operações e cujo arco é extinto no ar. Os contatores sâo usados para manobra de circuitos auxiliares de vários tipos, execução de motores e outras cargas, tanto de corrente contínua como alternada. (Fig. 4.1)

Constituição

O contator é dividido em sistema de acionamento (núcleo móvel, núcleo fixo e bobi na) e sistema de manobra de carga (contatos móveis e fixos e/ou câmara de faísca).

Contatos

Parte do contator por meio do qual um circuito é estabelecido ou interrompido, Existem contatos fixos e móveis e, de acordo com a utilização, contatos principais e auxiliares.

Contatos fixos

- Parte de um elemento de contato fixado à carcaça do contator. Na extremidade oposta ao corpo onde estão montados os contatos fixos são colocados os bornes para conexões, destinados à interligação do contator com outros dispositivos.

Contatos móveis

- Normalmente feitos de cobre, têm dois pontos de contatos de prata nas extremidades, movidos quando acionamos a bobina do contator.

Câmara de extinção do arco elétrico

É um compartimento do contator que envolve os seus contatos principais. Seu principal objetivo é a extinção da faísca ou arco voltaico, que surge quando se interrompe ou fecha-se um circuito elétrico. O arco orienta-se em virtude da ação da força do campo magnético próprio, dirigido do ponto de contato para fora (sopro dinâmico).

Terminais de conexão

Destinam-se à interligação do contator com outros dispositivos do circuito. Carcaça

E a parte que aloja e sustenta todos os componentes do contator; feita de matenal isolante, que oferece resistência elétrica e mecânica.

Bloco de contatos auxiliares

Compartimento onde se encontram os contatos auxiliares fixos e móveis (NA e NF).

Suporte dos contatos móveis

Sustenta mecanicamente os contatos móveis e se encontra preso ao núcleo móvel; feito de material isolante de alta resistência mecânica. Núcleo móvel Elemento feito de lâminas de ferro sobrepostas, isoladas entre si, que diminuem as perdas no ferro; acoplado mecanicamente ao suporte dos contatos móveis.

Bobina

É o elemento responsável pela criação de um campo magnético, que faz movimentar eletromecanicamente o sistema móvel do contator. É constituída por várias espiras de fio esmaltado, enroladas num carretel isolante. Quando a bobina é percorrida por uma corrente elétrica, produz um campo magnético.

Núcleo fixo

Elemento responsável pela concentração das linhas de força do campo magnético criado pela bobina, evitando que elas se dispersem.

É feito de lâminas de ferro sobrepostas, isoladas entre si. Nos contatores com acionamento em corrente alternada é inserido ao núcleo fixo um anel metálico nos pólos magnéticos, denominado anel de defasagem (anel de curto-circuito). Este anel fica sob a ação do campo magnético, proveniente de uma corrente alternada,

e sua função é evitar que ocorram ruídos e trepidações. Já que, com a passagem da corrente alternada por zero, a força magnética desaparece, o anel que está sob a ação do campo magnético sofre indução, dando origem a um campo magnético próprio do original. Com isto, a força magnética atuante nunca atinge o valor zero. (Fig. 4.3)

Observação

Acessório - supressor de sobretensão: utilizado no amortecimento das sobretensões provocadas por conta tores durante as operações de abertura. Estas sobretensões podem colocar em risco de dano componentes sensíveis à variação de tensão, ligados paralelamente com a bobina do conta tor. Tais acessórios são usados como amortecedores,circuitos RC ou Varistores. (Fig. 4.4)

Funcionamento

Quando a bobina do contator é alimentada por um dispositivo de comando (botoeiras, fins de curso etc.), cria-se um campo magnético no núcleo fixo, que atrai o núcleo móvel. Estando os contatos móveis acoplados mecanicamente ao núcleo móvel, deslocam-se ao encontro dos contatos fixos, fechando o circuito.

Para desligamento dos contatores, interrompe-se a alimentação da bobina, desaparecendo, então, o campo magnético, provocando por molas o retorno do núcleo móvel e, assim, separando os contatos que automaticamente desligam o circuito. (Fig. 4.6)

1- Núcleo Fixo 2- Bobina 3- Núcleo Móvel 4- Contato Fixo 5- Contato Móvel 6- Câmara de Extinção

Tipos de contatores

De acordo com as características elétricas e as condições de serviço, os contatores podem ser classificados em: contatores tripolares de potência e contatores auxiliares. Contatar tripolar - Destina-se a efetuar o acionamento de diversos tipos de cargas das instalações industriais, como motores elétricos, capacitores, resistências de aquecimento etc. Suas principais características são:

(Parte 4 de 7)

Comentários