A preguiça dos jovens de classe média paulistana

A preguiça dos jovens de classe média paulistana

  A “preguiça” de jovens da classe média paulistana

Problema

  • A opção de jovens, classe média alta, em não trabalharem, segundo matéria da Folhateen, caderno da Folha de São Paulo pode ser tida como algo prejudicial ou algo benéfico?

Bruno Wolfsdorf, 21 anos

  • “Meu dia começa às 13h, horário que costumo acordar, depois vou para o videogame ou computador”

  • Mochilão pela Europa de um ano.

  • Ele também estudou gastronomia e fala inglês, espanhol e hebraico.

  • O jovem costuma sair todos os dias nos bairros Itaim Bibi, Vila Madalena e Morumbi.

Andréa M., 22 anos

  • "Vivem me dizendo para ir trabalhar. Mas agora, no inverno, prefiro é ficar embaixo das cobertas.“

  • "Em plena quarta-feira, fui à praia com uma amiga. Se eu estivesse trabalhando, isso não seria possível"

  • Formada em gastronomia

  • Fala espanhol fluente.

Comentários