CANTEIRO - DE - OBRAS 2011 1Doc - pdf

CANTEIRO - DE - OBRAS 2011 1Doc - pdf

(Parte 1 de 3)

UVA – Engenharia Civil – Edificações I – 2011.2 1

Canteiro de obra é a denominação genérica dada ao local onde serão desenvolvidas as diversas atividades necessárias à realização de uma obra de engenharia.

A NBR - 12.284 define canteiro de obras como “conjunto de áreas destinadas à execução e apoio dos trabalhos da indústria da construção, dividindo-se em áreas operacionais e áreas de vivência”.

A NR-18 (Norma Regulamentadora nº18) define canteiro de obras como “área de trabalho fixa e temporária onde se desenvolvem operações de apoio e execução de uma obra”.

O planejamento e a organização do canteiro de obras devem preceder à realização dos serviços de cada etapa da obra a fim de serem evitadas improvisações que fatalmente levam a desorganização da obra, ociosidade e subutilização dos equipamentos e mão-deobra, transporte desnecessário e armazenamento inadequado dos materiais, desperdícios, perdas de produtividade, de tempo e de qualidade, levando a perdas financeiras irrecuperáveis.

A logística aplicada ao planejamento e organização do canteiro de obras de edificação constitui-se em um processo de ações multidisciplinares voltadas à otimização, à racionalização e à eficácia do suprimento, recebimento, armazenamento, movimentação, disponibilização e uso dos insumos, materiais, ferramentas, equipamentos, mão-de-obra e informações nas frentes de trabalho.

A organização do canteiro consiste, em resumo, no uso racional do terreno não ocupado pela edificação para instalação da “fábrica” que vai produzir a edificação – O Canteiro de obras.

São fatores condicionantes do planejamento e organização do canteiro:

O tipo, natureza e complexidade da obra;

Topografia e condições ambientais;

As características dos materiais empregados;

Os processos e métodos construtivos empregados;

Os tipos de equipamentos empregados;

Os prazos de execução de cada etapa e da obra total;

A quantificação e tipificação da mão-de-obra a ser utilizada em cada etapa.

O projeto do canteiro de obras é parte inicial integrante do processo de construção, responsável pelo seu arranjo físico (layout) e pelo dimensionamento e localização das áreas de recebimento e armazenagem de materiais, das áreas de trabalho, de vivência e de

UVA – Engenharia Civil – Edificações I – 2011.2 2 apoio, das vias de circulação e transporte, necessárias ao desenvolvimento das operações de apoio e de execução dos serviços.

O projeto do canteiro de obras deve contemplar cada fase da obra, de forma integrada e evolutiva, de acordo com as características de cada uma delas e se adequar ao processo de produção empregado, de modo a oferecer condições satisfatórias de segurança, saúde e motivação aos trabalhadores dos serviços.

O projeto do canteiro de obras deve atender a uma política de segurança de trabalho voltada à prevenção de acidentes, à promoção da saúde e proteção da integridade física dos trabalhadores, de clientes e de terceiros, mantendo as atividades em padrões adequados de produtividade com qualidade de serviço.

Os programas voltados à segurança, à saúde, à prevenção de acidentes e à preservação das condições de trabalho e do meio ambiente, devem ser tratados em conjunto e devem ser elaborados antes da implantação de um Canteiro de Obras.

O canteiro de obra é planejado para cada fase ou etapa distinta da obra, modificandose a fim de se adequar a cada nova fase com o objetivo de obter o melhor desempenho das atividades ali desenvolvidas. Este vai sendo modificado ao longo da execução da obra em função dos materiais presentes, dos serviços a serem executados, dos equipamentos utilizados e da mão-de-obra alocada nos serviços, de forma racional e otimizada.

As etapas da obra podem ser genericamente divididas em:

1. Fase Inicial – corresponde à movimentação de terra, execução das fundações e do subsolo;

2. Fase Intermediária – fase de grande volume de produção: estrutura, coberta, alvenaria e instalações;

3. Fase Final – fase de revestimentos e acabamento da obra.

A administração de materiais no canteiro visa à garantia de existência continua de estoque, organizado de modo à nunca faltar nenhum dos itens que o, dentro de um fluxo de caixa adequado ao planejamento do empreendimento.

1) Aprovação dos projetos: Alguns dos projetos estão sujeitos à aprovação prévia em diferentes órgãos ou empresas de serviço público. Os principais são:

1. Projeto de Arquitetura – Prefeitura Municipal. 2. Projeto de Instalação Elétrica – Concessionária de energia elétrica.

3. Projeto de Instalação Hidro-sanitária – Prefeitura Municipal e/ou Concessionária de Água e esgoto.

4. Projeto de Instalação Contra Incêndio – Corpo de Bombeiros. 5. Projeto de Instalação Telefônica – Concessionária de Telefonia.

2) Licenciamento ambiental – Licenças concedidas pelos órgãos ambientais do Município,

Estado e União que analisam o impacto ambiental do empreendimento.

UVA – Engenharia Civil – Edificações I – 2011.2 3

3) A.R.T. / CREA - Anotação de Responsabilidade Técnica no Conselho Regional de

Engenharia, Arquitetura e Agronomia, de todos os autores dos projetos e dos responsáveis pelas suas respectivas execuções.

4) Alvará de construção – É emitido pela Prefeitura Municipal do Município onde será executada a obra após a aprovação dos projetos.

5) Matrícula da obra no INSS – Cadastro Específico no INSS – C.E.I. da obra.

6) Comunicação prévia da obra à DRT – É obrigatória a comunicação à Delegacia Regional do Trabalho, antes do início das atividades, das seguintes informações:

1. Endereço da obra; 2. Qualificação (CEI – INSS, CNPJ ou CPF) do contratante, empregador ou condomínio; 3. Número máximo de empregados previsto (inclusive subempreiteiros) e 4. Datas previstas de início e término da obra.

As placas da obra são confeccionadas em chapas de metal (zinco, aço zincado, alumínio) com armação de madeira ou aço, destinadas a fornecer informações sobre a obra. O conteúdo, dimensões e especificações são regulamentados pela legislação municipal ou especificados no contrato de execução da obra.

O CREA (Conselho Regional de Engenharia, Agronomia e Arquitetura) exige que seja afixada na frente principal da obra uma placa com os nomes, registros e anotações das empresas e dos profissionais responsáveis envolvidos nos projetos e execução da obra.

Os órgãos de licenciamento exigem a afixação de placa contendo os dados da licença em formato padronizado para facilitar a sua fiscalização.

Outras placas são colocadas a fim de dar maiores informações ao público sobre a obra, como as empresas fornecedoras e produtos envolvidos na execução da obra.

Uma vistoria minuciosa e um histórico do terreno devem ser feitos antes da elaboração dos projetos com a finalidade de localizar a existência de elementos tais como: tubulações enterradas de qualquer natureza, poço, cacimbão, fossa, sumidouro, restos de edificações, nascentes, aterros de qualquer natureza, córregos, etc.

detectados, tais como formigueiros, tronco de árvores, tubulações, erosões, etc

Uma vistoria minuciosa deve ser novamente feita no terreno, antes da implantação do canteiro, a fim de se fazer o reconhecimento dos elementos já detectados e mencionados nos projetos e especificações, bem como detectar novos elementos não

❏ Serviços utilizados na preparação do terreno:

Desmatamento – Retirada da vegetação de grande porte, devidamente autorizada pelo órgão ambiental competente, sendo feita manualmente com o uso de moto-serra ou por máquinas e equipamentos adequados.

UVA – Engenharia Civil – Edificações I – 2011.2 4

Roçado – Corte dos pequenos arbustos, feito manualmente com roçadeira ou por processo mecânico.

Destocamento – Extração dos tocos de árvores e arbustos resultantes do desmatamento.

Capina – Retirada de toda a vegetação rasteira, feita manualmente com enxada ou equipamento.

Desentulho e Limpeza – Consiste na retirada de todo material indesejável na obra.

Terraplenagem – Consiste no conjunto de operações de corte, escavação, carga, transporte, descarga, compactação e acabamento, executadas no terreno natural a fim de dar uma nova conformação topográfica desejada. É indispensável o acompanhamento dos trabalhos pelo serviço de topografia.

PCMAT – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Civil

Segundo a NR-18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da

Construção, estão obrigados à elaboração e ao cumprimento do PCMAT os estabelecimentos com 20 (vinte) trabalhadores ou mais, e deve contemplar todas as exigências contidas na NR-18 e na NR-9 – PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais em todos os seus aspectos, bem como outros dispositivos complementares de segurança.

O PCMAT deve ser elaborado por profissional legalmente habilitado na área de segurança do trabalho. Compete ao Empregador estabelecer, implementar e assegurar o seu cumprimento como atividade permanente no canteiro de obras, devendo mantê-lo na obra à disposição da fiscalização da DRT – Delegacia Regional do Ministério do Trabalho.

O programa serve como ponto de partida para que se implante um Sistema de Gestão da Segurança do Trabalho.

O PCMAT composto pelos seguintes documentos:

a) Memorial sobre condições e meio ambiente de trabalho nas atividades e operações, levando-se em consideração riscos de acidentes e de doenças do trabalho e suas respectivas medidas preventivas; b) Projeto de execução das proteções coletivas em conformidade com as etapas da execução da obra; c) Especificação técnica das proteções coletivas e individuais a serem utilizadas; d) Cronograma de implantação das medidas preventivas definidas no PCMAT; e) Layout inicial do canteiro de obra, com previsão de dimensionamento das áreas de vivência; f) Programa educativo contemplando a temática de prevenção de acidentes e doenças do trabalho.

UVA – Engenharia Civil – Edificações I – 2011.2 5

PPRA – Programa de Prevenção e Riscos Ambientais

Segundo a NR-9, fica estabelecida a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do PPRA, visando à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e conseqüente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.

PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

Segundo a NR-7, ficam estabelecidas a obrigatoriedade e a implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do PCMSO, com o objetivo de promoção e preservação da saúde do conjunto dos seus trabalhadores.

SESMT – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho

Cabe ao SESMT a função de centralizar o planejamento da segurança, em consonância com a Produção, e descentralizar sua execução.

CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

À CIPA cabe a função, como um órgão interno da Empresa, de ser um divulgador das normas de segurança e de realizar algumas funções executivas estabelecidas na legislação em vigor, tais como: elaborar Mapa de Riscos, discutir acidentes ocorridos, convocar reuniões extraordinárias, etc.

A NR-5 traz informações completas sobre Eleição, Registro, Curso para

Componentes de CIPA e detalhes para o seu funcionamento, bem como modelo dos documentos a serem elaborados, que permitem à Produção implantar uma CIPA, mesmo sem ter Profissional da Área de Segurança do Trabalho em seu quadro de efetivo.

Ordens de Serviço Sobre Segurança e Medicina do Trabalho

Às Ordens de Serviço sobre Segurança e Medicina do Trabalho, cabe universalizar as responsabilidades, não só sobre segurança e saúde do trabalhador, como também sobre os processos de execução dos serviços. As ações para Prevenção de Acidentes e Doenças do Trabalho deverão ter a participação e o envolvimento de todos os setores da estrutura organizacional e de seus colaboradores, sendo as responsabilidades compatíveis com os diversos níveis no organograma funcional da empresa. A meta de “Acidente Zero”, apesar de utópica, deverá ser sempre perseguida.

Qualquer indivíduo de estiver dentro de um canteiro de obras deverá usar os equipamentos de proteção individual adequados – Capacete, botas, luvas, óculos, protetor auricular, cinto de segurança, etc. A empresa deve providenciar todos os EPI’s, visando eliminar o risco de acidente no ambiente de trabalho, inclusive para visitantes.

UVA – Engenharia Civil – Edificações I – 2011.2 6

PROFISSIONAIS EPIs – EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

Pedreiro Capacete, botas de couro ou PVC, luvas, cinto de segurança

(se exposto a altura superior a 2m)

Servente Capacete, botas de couro ou PVC, luvas, máscara contra poeira, cinto de segurança (se exposto a altura superior a 2m)

Pintor Capacete, botas de couro ou PVC, luvas, máscara contra poeira, cinto de segurança (se exposto a altura superior a 2m)

Carpinteiro Capacete, botas de couro ou PVC, máscara contra poeira, cinto de segurança (se exposto a altura superior a 2m)

Operador de serra Capacete, botas de couro ou PVC, protetor facial, protetor auricular, máscara contra poeira

Armador (“Ferreiro”) Capacete, botas de couro ou PVC, máscara contra poeira, luva raspa de couro, cinto de segurança (altura superior a 2m)

Encanador / Eletricista Capacete, botas de couro ou PVC

O empregador deve fornecer gratuitamente a todos os empregados todos os equipamentos necessários. O seu uso é obrigatório pelo empregado, passivo de demissão por justa causa.

O Capacete de segurança é distribuído nas seguintes cores: Administração

Carpinteiros

Ferreiro

Pedreiro Servente

Demais Profissionais (eletricista, bombeiros, operadores, etc.)

A distração é um dos maiores fatores de acidentes. Trabalhe com atenção e dificilmente se acidentará;

UVA – Engenharia Civil – Edificações I – 2011.2 7

O canteiro de obras é lugar de trabalho. As brincadeiras devem ser reservadas para horas de folga;

Seus olhos não se recuperam depois de perdidos. Use óculos protetores sempre que o seu trabalho o exigir;

A pressa é companheira inseparável dos acidentes. Faça tudo com tempo para trabalhar bem e com segurança.

Quando não souber ou tiver dúvida sobre algum serviço, pergunte ao seu mestre ou encarregado;

As suas mãos levam para casa o alimento de sua família. Evite pô-las em lugares perigosos.

Comunique ao encarregado toda e qualquer anormalidade ou defeito que notar nas máquinas ou ferramentas;

Não improvise ferramentas, procure uma que seja adequada para seu serviço;

Utilizem em seus trabalhos, ferramentas em bom estado de conservação, para prevenir possíveis acidentes;

Não fume em lugares onde se guardam explosivos e inflamáveis;

Coopere com seus companheiros em benefício da segurança de todos e siga os conselhos do encarregado;

Ao empregador é obrigado o fornecimento dos equipamentos de proteção individuais e coletivos;

O empregado está obrigado a usar os equipamentos de proteção para prevenir acidentes e evitar doenças profissionais;

Mostre ao novo companheiro os perigos que o cercam no trabalho;

Cada acidente é uma lição que deve ser apreciada, para evitar maiores desgraças;

Todo o acidente tem uma causa que é preciso ser pesquisada, para evitar a sua repetição;

(Parte 1 de 3)

Comentários