Vigilância global prevenção e controlo das doenças respiratórias crónicas uma abordagem integradora

Vigilância global prevenção e controlo das doenças respiratórias crónicas uma...

(Parte 1 de 11)

1169-056 LisboaPORTUGAL

CISCOS – Centro de Investigação em Saúde Comunitária Departamento Universitário de Saúde Pública da Faculdade de Ciências Médicas Campo dos Mártires da Pátria, 130

Título Original: “Global surveillance, prevention and control of CHRONIC RESPIRATORY DISEASES A comprehensive approach”

Coordenação: Professor Doutor Jorge Torgal

Tradução: Dra. Maria Cristina Moniz Pereira Dra. Maria Isabel Fajardo

Revisão: Dra. Nídia Gonçalves Maria Isabel Alves

Edição: Direcção-Geral da Saúde Publicado pela Organização Mundial de Saúde em 2007

Vigilância global, prevenção e controlo das

Uma abordagem integradora

Lisboa, 2008

Direcção-Geral da Saúde w.dgs.pt

Ministério da Saúde

Catalogação para a Biblioteca da OMS

Vigilância global, prevenção e controlo das doenças respiratórias crónicas: uma abordagem integradora / editores: Jean Bousquet and Nikolai Khaltaev.

1. Doenças do tracto respiratório – epidemiologia. 2. Doenças do tracto respiratório – etiologia. 3. Doença Pulmonar, Obstrutiva Crónica – epidemiologia. 4. Doença Pulmonar, Obstrutiva Crónica – etiologia. 5. Factores de Risco. 6. Doença Crónica – prevenção e controlo. 7. Planeamento estratégico. 8. Política de Saúde. I. Organização Mundial de Saúde. I. Bousquet, Jean. II. Khaltaev, Nikolai. IV. Título: Um mundo onde todas as pessoas possam respirar livremente.

ISBN 978-972-675-183-0 (classifi cação NLM: WF 140) © World Health Organization 2007

Todos os direitos reservados. As publicações da Organização Mundial de Saúde podem ser obtidas em WHO Press, World Health Organization, 20 Avenue Appia, 1211 Geneva 27, Switzerland (tel.: +41 2 791 3264; fax: +41 2 791 4857; e-mail: bookorders@who.int). Pedidos para permissão de reprodução ou tradução das publicações da OMS – tanto para venda como para distribuição não-comercial – devem ser dirigidas à WHO Press, na morada acima (fax: +41 2 791 4806; e-mail: permissions@who.int).

As designações empregues e a apresentação do material nesta publicação não implicam a expressão de qualquer opinião por parte da Organização Mundial de Saúde no que se refere ao estatuto legal de qualquer país, território, cidade ou área ou às suas autoridades, ou relativamente às suas fronteiras ou limites. As linhas a tracejado nos mapas representam linhas de fronteira aproximadas para as quais pode não haver ainda um acordo total.

A menção de empresas específi cas ou fabricantes específi cos de produtos de determinado produtor não implica que estes sejam apoiados ou recomendados pela Organização Mundial de Saúde em detrimento de outros de natureza similar que não sejam mencionados. Exceptuando erros e omissões, os nomes dos produtos proprietários são distinguidos com letras iniciais maiúsculas.

Todas as precauções razoáveis foram tomadas pela Organização Mundial de Saúde para verifi car a informação contida nesta publicação. No entanto, o material publicado está a ser distribuído sem qualquer tipo de garantia, quer expressa quer implícita. A responsabilidade pela interpretação e uso do material recai sobre o leitor. Em quaisquer circunstâncias será a Organização Mundial de Saúde responsável por danos causados pelo seu uso.

Os autores identifi cados são os únicos responsáveis pelas ideias expressas nesta publicação. Impresso em Portugal. Esta publicação foi produzida sob a direcção geral de Jean Bousquet and Nikolai Khaltaev (Editores).

Os principais contribuidores foram: Alvaro A. Cruz, Eva Mantzouranis (2003-2006), Paolo M. Matricardi (2002-2005) e Elisabetta Minelli (World Health Organization); Nadia Aït-Khaled, Eric D. Bateman, Carlos Baena-Cagnani, Michael Boland, Sonia A. Buist, G. Walter Canonica, Kai-Hakon Carlsen, Ronald Dahl, Leonardo M. Fabbri, Yoshinosuke Fukuchi, Lawrence Grouse, Marc Humbert, Claude Lenfant, Jean Luc Malo, Walter T. McNicholas, Ruby Pawankar, Klaus F. Rabe, F. Estelle R. Simons, Archie Turnbull, Erkka Valovirta, Paul van Cauwenberge, Giovanni Viegi, Chris Van Weel, Sally Wenzel and Nanshan Zhong.

Foram recebidos conteúdos valiosos na forma de contribuições, revisões inter-pares, sugestões e críticas de Tim Armstrong, Michal Krzyzanowski, Doris Ma Fat, Salah-Eddine Ottmani, Annette Pruess-Ustun, Eva Rehfuess, Luminita Sanda and Kenji Shibuya (World Health Organization); Ali Ben Kheder, Paulo Camargos, Yu Zhi Chen, Alexander Chuchalin, Peter M. Calverley, Adnan Custovic, Habib Douagui, Wytske J. Fokkens, Amiran Gamkrelidze, Tari Haahtela, Suzanne Hurd, Abai Kabatayevich Baigenzhin, You-Young Kim, Ali Kocabas, Carlos Luna, Fernando D. Martinez, Sylvia Mavale-Manuel, Mário Moraes de Almeida, Paul O’Byrne, Solange Ouedraogo, James P. Kiley, Rogelio Perez-Padilla, Todor Popov, José Rosado-Pinto, Kazimierz Roszkowski-Pliz, Alkis Togias, Arzu Yorgancioglu, Mahamad Yousser e Osman Yusuf.

A revisão editorial foi feita por Angela Haden e Pieter Desloovere.

Livro: desenho e layout, Zando F. Escultura; capa: desenho e layout, Reda Sadki; fotografi as: Marko Kokic (capa), Patrick Szymshek (Pelé) e George Herringshaw (Rosa Mota).

O desenvolvimento e produção do relatório foram coordenados por Pieter Desloovere, que foi também responsável pela versão para o sítio da Internet.

A Aliança Global contra as Doenças Respiratórias Crónicas deseja agradecer o generoso apoio fi nanceiro a: GlaxoSmithKline, Nycomed- -Altana Pharma US, Inc., Chiesi Farmaceutici S.p.A, Merck & Co. Inc, Pfi zer Inc., Schering Plough Corporation, Astra Zeneca R&D Lund, Boehringer-Ingelheim Int. GmbH, Novartis Pharma AG, Sanofi -Aventis e Stallergènes SA.

Dra. Catherine Le Galès-Camus, Subdirectora Geral da OMS, Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental vii

A.P.J. Abdul Kalam, Ex-presidente da República da Índia viii Rosa Mota, Maratonista e campeã olímpica da maratona, Portugal ix Edson Arantes do Nascimento, Pelé, Futebolista famoso, Brasil ix

VISÃO GLOBAL 1

1. O Peso das Doenças Crónicas 1 2. Doenças Respiratórias Crónicas Evitáveis: Um Grave Problema de Saúde Global 5 3. Um Mecanismo para a Acção: A Aliança Global contra as Doenças Respiratórias Crónicas (Global Alliance Against Chronic Respiratory Diseases - GARD) 10

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS CRÓNICAS 12

FACTORES DE RISCO PARA AS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS CRÓNICAS 38

9. Causas e Consequências das Doenças Respiratórias Crónicas 38 10. Fumo do Tabaco: A Maior Ameaça em Países de Altos Rendimentos, bem como em Países de Baixos e Médios Rendimentos 42 1. Poluentes do Ar Interior: Os Assassinos Não Reconhecidos em Países de Baixos e Médios Rendimentos 47 12. Poluentes do Ar Exterior 48 13. Alergénios 50 14. Exposição ocupacional 52 15. Dieta e Nutrição 54 16. Doenças Respiratórias Crónicas Pós-Infecciosas 56

PLANO DE ACÇÃO POR ETAPAS 57

17. Abordagem GARD 57 18. Calcular o Impacto, Identifi car Factores de Risco e Efectuar Vigilância 62 19. Apelar à Tomada de Medidas 6 20. Implementar a Prevenção e a Promoção da Saúde 70 21. Melhorar o Diagnóstico das Doenças Respiratórias Crónicas e das Alergias Respiratórias 79 2. Controlar as Doenças Respiratórias Crónicas e Alergias Aumentando o Acesso aos Medicamentos 85 23. Doenças Respiratórias Crónicas Pediátricas e Alergias Respiratórias 98 24. Identifi car fases de implementação regulamentar 101

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 105

vii

As doenças respiratórias crónicas, tais como a asma e a doença pulmonar obstrutiva crónica, fazem mais de quatro milhões de vítimas por ano e afectam centenas de milhões de pessoas. Estas doenças prejudicam a saúde e o bem-estar dos doentes e têm um impacto negativo na família e na sociedade. Particularmente vulneráveis são as mulheres e as crianças, sobretudo em países de baixos e médios rendimentos, onde estão expostas diariamente à poluição dentro de casa devido à utilização de combustíveis sólidos para cozinhar e para aquecimento. Nos países de altos rendimentos, o tabaco é o factor de risco mais importante para as doenças respiratórias crónicas e, em certos países, continua a aumentar o número de fumadores entre as mulheres e os jovens.

A OMS lançou recentemente a Global Alliance against Chronic Respiratory Diseases (Aliança Global contra as Doenças Respiratórias Crónicas – GARD). Encabeçada pela OMS, a GARD reune os conhecimentos de organizações nacionais e internacionais, instituições e agências, com o objectivo de melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas afectadas pelas doenças respiratórias crónicas.

Vigilância Global, prevenção e controlo das doenças respiratórias crónicas: uma abordagem integradora chama a atenção para o grande impacto das doenças respiratórias crónicas em todo o mundo, para além de destacar os factores de risco e as formas de prevenir e tratar estas doenças.

Espero que esta publicação sirva não só como fonte de informação, mas também de inspiração, a todos aqueles que pretendem combater as doenças respiratórias crónicas. Enfrentando esta epidemia global, será possível evitar muito sofrimento e salvar milhões de vidas.

Dra. Catherine Le Galès-Camus Subdirectora Geral da OMS Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental

viii

É necessário haver uma melhor vigilância, no sentido de identifi car a magnitude das doenças respiratórias crónicas relativamente aos mais carenciados e desfavorecidos. As doenças respiratórias crónicas evitáveis, afectam sobretudo os idosos e as crianças. Vigilância Global, prevenção e controlo das doenças respiratórias crónicas: uma abordagem global deveria ser um guia prático dos bons princípios a seguir pelos doentes e pelo público em geral. Estendo as minhas saudações e felicitações a todos aqueles que estão associados a esta missão, e desejo o maior sucesso à Aliança Global contra as Doenças Respiratórias Crónicas.

A.P.J. Abdul Kalam Ex-Presidente da República da Índia

Atingir um objectivo tão importante como vencer as doenças respiratórias crónicas assemelha-se a uma maratona: é um grande esforço, mas com energia, saber, apoio e vontade de ganhar está ao nosso alcance. Estou convicta de que a Aliança Global contra as Doenças Respiratórias Crónicas ganhará a luta contra as doenças respiratórias crónicas, que provocam quatro milhões de mortes por ano.

Rosa Mota Maratonista e campeã olímpica da maratona, Portugal

Apraz-me saber que a Aliança Global contra as Doenças Respiratórias Crónicas já tem uma equipa global formada. Sendo uma equipa, cada um dos membros contribuirá com os seus pontos fortes, tal como acontece no futebol. Em conjunto, o trabalho de equipa da Aliança prestará ajuda aos milhões de pessoas que sofrem de doenças respiratórias crónicas, incluindo aquelas que, no meu país, não têm acesso aos tratamentos essenciais.

Edson Arantes do Nascimento, Pelé Futebolista famoso, Brasil

As doenças crónicas são a principal causa da morte prematura de adultos, em todas as regiões do mundo. No entanto, de um modo geral têm sido negligenciadas, em termos de políticas internacionais de saúde e desenvolvimento. O relatório global sobre doenças crónicas da OMS (Organização Mundial de Saúde) apresenta os dados actuais sobre o peso da doença e preconiza o incremento de iniciativas urgentes, de modo a prevenir e controlar as doenças crónicas (1,2).

(Parte 1 de 11)

Comentários