Semiologia 02 - roteiro prático de anamnese e exame físico

Semiologia 02 - roteiro prático de anamnese e exame físico

(Parte 3 de 3)

Anão hipofisário:tem a cabeça e o tronco normalmente proporcionados, mas pequenos. Apresentam membros desproporcionalmente longos emrelação ao corpo.

Anão raquítico:depende do mau desenvolvimento e deformidades da coluna e dos ossos, destacando uma escoliose e o encurvamento dos ossos das pernas.

g)Fácies:normal, hipocrática, renal, leonina, adenoideana, parkinsoniana, basedowiana, mixedematosa, acromegálica, cushingóide, mongolóide, de depressão, pseudobulbar, da paralisia facial periférica, miastênica, de deficiente mental, etílica, escrerodérmica.

h)Atitude e decúbito a.Voluntárias: ortopnéia, atitude genupeitoral, atitude de cócoras, atitude parkinsoniana, atitude de decúbito (lateral, dorsal, ventral, posição antálgica). b.Involuntárias: atitude passiva, opistótono.

i)Mucosas: coloração (descoramento, cianose, icterícia), umidade e presença de lesões.

j)Pele e fâneros

Pele:coloração, continuidade ou integridade, umidade, textura, espessura, temperatura, elasticidade, mobilidade, turgor, sensibilidade e presença de lesões elementares;

Fâneros: avaliar tipo de implantação, distribuição, quantidade, coloração e outras características, como brilho, espessura e consistência, dos cabelos; forma, implantação, espessura, superfície, consistência, brilho e coloração das unhas; k)Tecido celular subcutâneo e panículo adiposo:distribuição e quantidade.

l) Linfonodos

Avaliar: localização, tamanho ou volume, consistência, mobilidade, sensibilidade e alterações da pele circunjacente;

Avaliar: grupos ganglionares da cabeça e pescoço (submentonianos; submandibulares; amigdalianos; cervicais superficiais, profundos e posteriores; occipitais, auriculares anteriores e posteriores); axilares e supratrocleares; inguinais.

Arlindo Ugulino Netto–CL NICA M DICA –INTERNATO P9 –2011.2 m)Medidas antropométricas:circunfer ncias corporais (craniana, abdominal, quadril), peso e altura, IMC (peso/altura ) .

Referência de circunferência abdominal

Homens Mulheres

Baixo risco< 94cm<80cm Médio risco94 –102cm80 –88cm Alto risco >102cm >88cm n) Biótipo: longil neo, mediol neo, brevel neo o)Sinais vitais:temperatura, pulso, frequ ncia card aca e frequ ncia respirat ria.

Arlindo Ugulino Netto–CL NICA M DICA –INTERNATO P9 –2011.2

2.1. Exame do Aparelho Respirat rio

Inspe o oEst tica:tipo tor cico (normal, globoso, infundibuliforme, cariniforme, escoliose, cifose, gibosidade); presen a de heteromorfias tor cicas; colora o e presen a de les es da pele; aspecto das mamas; presen a de nodula es; musculatura; presen a de vasos (circula o colateral); abaulamentos (difusos ou localizados); retra es ou deformidades localizadas. oDin mica:expansibilidade, freq ncia e ritmo respirat rios, tipo respirat rio e presen a detiragem.

Palpa o:sensibilidade da parede tor cica; tonicidade muscular; expansibilidade; fr mito t raco-vocal (FTV); outras estruturas: mamas, pulsa es vis veis, abaulamentos, n dulos, edema.

Ausculta:avaliar a presen a e simetria do murm rio vesicular e modifica es patol gicas como: aboli o, diminui o, substitui o pela respira o br nquica; avaliar a presen a de ru dos advent cios: roncos e sibilos, estertores finos, estertoresgrossas, atrito pleural; avaliar a ausculta da voz: broncofonia, pectoril quia.Quando a ausculta normal, relata-se: murm rios vesiculares presentes e aud veis em ambos hemit rax; aus ncia de ru dos advent cios.

2.2. Exame do Aparelho Cardiovascular

Palpa o: Ictus cordis –descrever localiza o e intensidade –a intensidade definida atrav s da medida da rea do choque de ponta em polpas digitais; presen a de fr mitos na regi o pr -cordial n o relacionados com os movimentos respirat rios –se presentes pesquisar sua irradia o.

Ausculta: descrever ritmicidade (ritmo regular, ritmo de galope, ritmo irregular); frequ ncia card aca – auscultar por um minuto, preferencialmente no foco mitral; intensidade das bulhas card acas nos quatro focos principais de ausculta (bulhas normo, hiper ou hipofon ticas); desdobramentos ou presen a de 3 ou 4 bulha; presen a ou aus ncia de sopros –se presente, localizar em que foco mais aud vel e em seguida se sist lico ou diast lico; tipo de sopro –em crescendo, decrescendo ou crescendo-decrescendo, pan sist lico ou diast lico, presen a de cliques ou estalidos de abertura.Quando aausculta card aca normal, relata-se: bulhas card acas normofon ticas; ritmo card aco regular em 2 tempos.

2.3.Exame do Abdome Ausculta: presen a dos ru dos hidroa reos e sua frequ ncia.

Inspe o: descrever tipo de abdome (plano, globoso, escavado); simetria; colora o; presen a de abaulamentos ou retra es; cicatriz umbilical; presen a de circula o colateral ou aranhas vasculares.

Superficial –tens o; sensibilidade da parede abdominal, presen a de nodula es; a musculatura abdominal; presen a de hernia es. Profunda –palpa o das v sceras abdominais; pesquisa de massas palp veis; palpa o do f gado –se palp vel, descrever localiza o em rela o ao rebordo costal direito, sensibilidade, consist ncia, superf cie, borda; presen a de nodula es hep ticas; ves cula biliar; ba o –se palp vel, descrever localiza o em rela o ao rebordo costal esquerdo; sensibilidade, consist ncia, superf cie.Pesquisa dos sinais: Sinal de Murphy

Sinal de Blumberg

Sinal de Rowsing

Manobra de Valsalva Piparote

Sinal de Torres-Homem

Percuss o: som timp nico –pode estar diminu do ou aumentado.

(Parte 3 de 3)

Comentários