Resumo - Clínica Cirúrgica

Resumo - Clínica Cirúrgica

(Parte 13 de 13)

Requerem intubação duodenal e administração IV de hormônios; pouco disponíveis

Detecção de insuficiência pancreática exócrina leve, moderada, ou grave

Colecistocinina (CCK) Medida de amilase, tripsina e lípase após CCK IV

Secretina e CCK Meidade de volume/ secreção do HCO3 e das enzimas acima.

Teste indireto que requer intubação duodenal

Teste de Lundh Medida da concentração da tripsina duodenal após a ingestão de uma refeiçãopadrão

Não requer administração IV de hormônios

Requer intubação duodenal; requer anatomia normal, incluindo mucosa de delgado normal; pouco disponível

Detecção de insuficiência pancreática exócrina moderada a grave, quando os testes diretos não podem ser feitos

Testes indiretos que não requerem intubação duodenal

Gordura fecal Ingestão oral de 70 – 100g/dia de gordura, seguida de dosagem fecal de gordura em 72h

Proporciona uma avaliação quantitativa da esteatorréia

Requer avaliação quantitativa da ingestão dietética de gordura e da gordura fecal

Detecção de esteatorréia

NBT (Bentiromida) Ingestão oral de NBT-PABA com uma refeição, seguida da dosagem da absorção do PABA

Proporciona uma simples avaliação de uma insuficiênica pancreática grave

Não detecta disfunções exócrinas leves ou moderadas; resultados podem ser anormais nas doenças com lesão de mucosa do intestino delgado

Detecção de insuficiência pancreática grave

Dilaurato de fluoresceína Ingestão oral de dilaurato com uma refeição, seguida da dosagem da absorção da flouresceína

Dosagem de elastasequimiotripsina fecal

Determinação da excreção fecal das enzimas pancreáticas

Exame simples e de fácil execução

Não detecta disfunções exócrinas leves; patologias gastrointestinais não pancreáticas podem dar falso-positivo

Detecção de insuficiência pancreática moderada a grave

(Parte 13 de 13)

Comentários