Access Avançado

Access Avançado

(Parte 1 de 6)

ii

NetoDADOS

Índice

Introdução ao MS-Access: 1

Recapitulação: 1

Tabelas: 1

Consultas: 1

Formulários: 1

Relatórios: 1

Segurança: 2

Antes de começar : 2

Proteção dos dados 2

Exercício: 3

Consultas: 4

Usando SQL no MS-Access 4

Consultas União 4

Consulta Definição de Dados 6

Tipos de dados do SQL compatíveis com o Access 6

Consulta Passo Através 8

Criar sub-consultas 8

Diferenças entre consultas Ação e consultas seleção 8

Alterando dados com consultas Ação 9

Consulta Criação de Tabela: 9

Exercício I 10

Consulta exclusão: 10

Exercício II 10

Consulta Atualização: 10

Exercício III 10

Consulta anexação: 11

Exercício IV 11

Estruturando formulários 12

Criando Controles 12

Controles vinculados, não vinculados e calculados 12

Definindo propriedades de controle 13

Personalizando formulários 14

Alterando ordem de tabulação 14

Criando outros controles utilizando a caixa de ferramentas 15

Fornecendo uma lista de opções com uma caixa de listagem ou uma caixa de combinação 16

Criando um Formulário/sub-formulário sem a ajuda do Assistente 17

Vinculando um formulário e um sub-formulário 18

Exercício V 19

Calculando um total para um grupo de registros 19

Exercício VI 20

Estruturando relatórios 21

Adicionando seções 21

Cabeçalho do Relatório 21

Cabeçalho da Página 21

Para adicionar cabeçalho e rodapé a um relatório ou página 21

Cabeçalho do Grupo 21

Para adicionar cabeçalho e rodapé a um grupo 21

Seção detalhe 22

Rodapé do grupo 22

Rodapé da página 22

Rodapé do relatório 22

Exercício VII 23

Usando expressões em relatórios 23

Macros 24

O que é uma macro? 24

Porque usar macros? 24

Fazer seus formulários e relatórios trabalhem juntos 24

Encontrar e filtrar registros automaticamente 25

Definir valor em controles 25

Garantir a precisão dos dados 25

Definir propriedade de formulários, relatórios e controles. 25

Automatizar transferências de dados 25

Criar o seu próprio ambiente de trabalho personalizado 25

Criando uma Macro 26

Para criar uma macro 26

A Janela Macro 26

Adicionando ações a uma Macro 27

Definindo argumentos 28

Salvando uma Macro 28

Criando um grupo de macro 29

Usando condições em macros 30

Lista de ações de Macro 32

Respondendo a eventos em formulários 34

Fazendo Formulários trabalharem em conjunto 34

Atribuindo macros de validação a eventos de formulário e de controle 35

Exibindo mensagens de validação diferentes para condições diferentes 36

Criando nossos próprios menus 38

Definição do Menu 38

Definição da Barra de Menu 39

Atribuindo uma Barra de Menu a um formulário 39

Módulos 40

Estrutura do Módulo 40

Declarando Variáveis 40

Tipos de Dados 41

Usando dados contidos nos Formulários 42

Objetos de Banco de Dados 43

Validação de campos com módulos 44

Introdução ao MS-Access:

Recapitulação:

Tabelas:

Uma coleção de dados de mesmo assunto ou tópico, uma tabela armazena os dados em Registros (linhas) e Campos (colunas)

Consultas:

Objeto que seleciona registros e campos armazenados nas tabelas. Você pode pensar numa consulta como uma pesquisa num conjunto particular de dados.

Formulários:

Objeto no qual você coloca controles para a entrada, exibição e edição de dados nos campos.

Relatórios:

Objeto que apresenta os dados formatados e organizados segundo as especificações do usuário.

Segurança:

Antes de começar :

Deve-se criar uma cópia de reserva do banco de dados do grupo de trabalho, SYSTEM.MDA, onde o Microsoft Access armazena as especificações das opções de cada usuário e as configurações da barra de ferramentas. Em um ambiente de multi-usuário, o banco de dados do grupo de trabalho também contém as informações de cadastro de segurança do seu grupo. Se o seu arquivo SYSTEM.MDA for perdido ou danificado, você não poderá iniciar o Microsoft Access. Uma vez feita uma cópia de reserva desse arquivo, só será preciso copiá-lo novamente caso haja mudanças nas opções, barra de ferramentas ou nas informações da cadastro de segurança.

Proteção dos dados

Proteger uma informação pode ser uma parte importante no desenvolvimento de um banco de dados do Microsoft Access. Através da proteção ao seu banco de dados, você poderá controlar o que um usuário ou um grupo de usuários pode fazer com objetos do banco de dados.

A segurança do Microsoft Access é composta de várias partes que precisam estar no lugar antes que a segurança se conclua: grupos de trabalho, usuário e contas do grupo, posse, e atribuições de permissão.

Para proteger um banco de dados:

1

Atribuir senha ao usuário Administrador; sair do Access e Logar como Administrador

2

Definir grupos de usuários

3

Definir permissões do grupo

4

Criar usuários

5

Tirar as permissões dos grupos Usuários e Administradores

6

Colocar os usuários que vão administrar o banco de dados no grupo Administradores

Importante: Você precisa remover as permissões do usuário administrador e do grupo de usuários, que inclui todos os usuários em um grupo de trabalho. Até que você remova estas permissões, os usuários poderão ter permissões involuntárias para objetos. Tendo, uma vez, as permissões removidas, os usuários passarão a ter somente as que você atribuiu.

Para assegurar a proteção do banco de dados, é importante acrescentar uma senha à conta do administrador e às contas do proprietário e administrador designadas. Adicionalmente, você poderá acrescentar uma senha às contas criadas para usuários ou instruí-los para acrescentar às suas próprias senhas.

Observações: A segurança depende da relação entre contas do grupo de trabalho do Microsoft Access e das atribuições de permissão em seu banco de dados. O Microsoft Access armazena informação de conta com o grupo de trabalho e atribuições de permissões no arquivo (.MDB) do banco de dados.

Exercício:

Implemente a segurança no banco de dados do curso, criando três grupos:

  • DBA - administrador (Todas as permissões)

  • Gerentes - usuário (somente para leitura)

  • Digitadores - usuário (com permissões para leitura, gravação, exclusão e atualização)

Consultas:

Usando SQL no MS-Access

A Structured Query Language SQL é uma linguagem muito usada na consulta, atualização e gerenciamento de banco de dados relacionais. Cada consulta criada no MS-Access tem uma instrução SQL associada que define as ações daquela consulta. Normalmente é mais conveniente usar a grade QBE e as ferramentas gráficas de estruturação de consulta do Access para criar e modificar consultas. Mas se você está familiarizado com SQL, pode usar instruções SQL para:

Consultas União

É uma consulta específica SQL que cria um resultadocontendo dados de todos os registros especificados em duas ou mais tabelas. Pelo contrário, uma consulta baseada em uma associação cria um dynaset contendo dados somente de registros cujos campos relacionados encontram uma condição especificada.

Por exemplo, uma consulta união da tabela clientes e data da tabela fornecedores resulta um Resultado que contém todos os registros especificados em ambas as tabelas, a de clientes e a de fornecedores.

A consulta união a seguir, consiste de duas instruções SELECT que retornam os nomes de empresa e cidades que estejam tanto na tabela Fornecedores como na tabela Clientes, e sejam do Brasil.

A seguinte consulta união consiste de duas instruções SQL SELECT que retornam os nomes de companhias e cidades que estão nas tabelas Fornecedores e Clientes e são do Brasil.

SELECT [Nome da empresa], [Cidade]

FROM [Fornecedores]

WHERE Pais="Brasil"

UNION SELECT [Nome da empresa], [Cidade]

FROM [Clientes]

WHERE Pais="Brasil";

A seguinte consulta união seleciona o nome de todas as empresas e cidades que estejam nas tabelas Fornecedores e Clientes e classifica alfabeticamente os dados por cidade.

SELECT [Nome da empresa], [Cidade]

FROM [Fornecedores]

UNION SELECT [Nome da empresa], [Cidade]

FROM [Clientes]

ORDER BY [Fornecedores], [Cidade];

A consulta união a seguir renomeia o campo "Nome da empresa" para "Nome do cliente/fornecedor" na saída da consulta;

SELECT [Nome da empresa] AS [Nome do cliente/fornecedor], [Cidade]

FROM [Fornecedores]

UNION SELECT [Nome da empresa] AS [Nome do cliente/fornecedor], [Cidade]

FROM [Clientes];

A consulta união a seguir utiliza a instrução UNION ALL para recuperar registros duplicados:

SELECT [Nome da empresa], [Cidade]

FROM [Fornecedores]

UNION ALL SELECT [Nome da empresa], [Cidade]

FROM [Clientes];

Consulta Definição de Dados

Este tipo de consulta cria uma tabela sem adicionar nenhum registro a ela, é interessante quando precisamos criar tabelas temporárias. Veja o exemplo:

CREATE TABLE [SÓCIOS]

(Código COUNTER,

Nome TEXT (50),

Rua TEXT (50),

(CONSTRAINT CódigoDoSócio PRIMARY KEY ([Código]));

No exemplo acima é criada uma tabela Sócios com os seguintes campos:

Campo

Tipo

Tamanho

Código

Contador

4 bytes

Nome

Texto

50

Rua

Texto

50

A palavra chave CONSTRAINT indica que em seguida vem o nome de um índice chamado CódigoDoSócio, entre parêntesis vem o nome do campo que faz parte deste índice e opcionalmente a clausula PRIMARY KEY para indicar a chave primária da tabela.

Tipos de dados do SQL compatíveis com o Access

Tipo de dado

Tamanho

Descrição

BINARY

1 byte

Para consultas em tabelas anexadas em produtos de banco de dados que definem um tipo de dados Binário. O Microsoft Access não usa o tipo de dados Binário.

BIT

1 byte

Valores Sim e Não e campos que contém apenas um entre dois valores.

BYTE

1 byte

Um valor inteiro entre 0 e 255.

COUNTER

4 bytes

Um número incrementado automaticamente pelo Microsoft Access quando um novo registro é adicionado a uma tabela. No Jet database engine, o tipo de dado para este valor é Long.

CURRENCY

8 bytes

Um inteiro dimensionado entre -922.337.203.685.477,5808 e 922.337.203.685.477,5807.

Tipo de dado

Tamanho

Descrição

DATETIME(Consulte DOUBLE)

8 bytes

Um valor data ou hora entre os anos 100 e 9999.

SINGLE

4 bytes

Um valor ponto flutuante de precisão simples com um intervalo de -3,402823E38 a -1,401298E-45 para valores negativos, 1,401298E-45 a 3,402823E38 para valores positivos e 0.

DOUBLE

8 bytes

Um valor ponto flutuante de precisão dupla com um intervalo de -1,79769313486232E308 a -4,94065645841247E-324 para valores negativos, 4,94065645841247E-324 a 1,79769313486232E308 para valores positivos e 0.

SHORT

2 bytes

Um inteiro curto entre -32.768 e 32.767

LONG

4 bytes

Um inteiro longo entre -2.147.483.648 e 2.147.483.647.

LONGTEXT

1 byte por caracter

Zero até um máximo de 1,2 gigabytes. (Consulte Text.)

LONGBINARY

Como definido

Zero a um máximo de aproximadamente 1 gigabyte. Usado para objetos OLE.

TEXT

1 byte por caracter

Zero a 255 caracteres.

Exercício

(Parte 1 de 6)

Comentários