Supervisão do trabalho é um tema que tem sido discutido há vários anos no âmbito da saúde e observa-se, empiricamente, uma resistência entre os trabalhadores do setor, justamente por trazer em seu bojo a questão do controle da produção do trabalho dos diversos atores dos serviços de saúde (SILVA, 2002).

      • Supervisão do trabalho é um tema que tem sido discutido há vários anos no âmbito da saúde e observa-se, empiricamente, uma resistência entre os trabalhadores do setor, justamente por trazer em seu bojo a questão do controle da produção do trabalho dos diversos atores dos serviços de saúde (SILVA, 2002).
      • Supervisão era voltada exclusivamente para fiscalização, policiamento visando fins lucrativos e obtenção de maior produtividade de cada pessoa. Assegurava o cumprimento das ordens, detecção de falhas e aplicação de sanções.

  • Mas esta visão está mudando. Os líderes de enfermagem necessitam lidar com o poder e a política das organizações de forma totalmente diferente, tendo que desenvolver estratégias na formação de equipe e estabelecimento de credibilidade.

  • Pelo fato dos detentores terem credibilidade em apoio a seus atos, tem capacidade de conseguir que as coisas sejam feitas, o que fortalece a base; ficam menos coercitivos e apegados a regras, seus colegas e subordinados tornam-se mais cooperativos. Habilidade política para criação de consenso, inclusão e envolvimento (Stahl, 1999).

    • O papel do supervisor mudou para orientador e facilitador no
    • ambiente de trabalho. Os problemas diagnosticados servem
    • de subsídios para o planejamento visando sempre a melhoria
    • e ao crescimento do pessoal. O prestígio e a autoridade do
    • supervisor são legitimados quando vem dos subordinados,
    • tendo por base o respeito, a postura profissional e a
    • competência.

TÉCNICAS E INSTRUMENTOS PARA SUPERVISÃO

  • TÉCNICAS E INSTRUMENTOS PARA SUPERVISÃO

  • Técnicas – observação direta, análise de registros, entrevista, reuniões, discussão em grupos, demonstração, orientação, estudo de caso, dinâmica de grupos, análise de situação pelo método científico, etc.

  • Instrumentos – prontuário do paciente, a prescrição de enfermagem, o plano de supervisão, o cronograma, o roteiro, o manual de serviço juntamente com as normas, procedimentos e rotinas, plano de desenvolvimento do funcionário e outros.

2. Execução da função de supervisão – deve ter competência

  • 2. Execução da função de supervisão – deve ter competência

  • profissional, habilidade, crença no potencial do ser humano e na

  • importância do envolvimento de todos os funcionários nas

  • decisões, relativas às rotinas de trabalho, visando à manutenção

  • de uma assistência de Enfermagem eficaz.

  • ASPECTOS RELEVANTES NO DESENVOLVIMENTO DA FUNÇÃO

  • Ter sensibilidade e respeito pelos valores e crenças do grupo de trabalho; percepção; cognição (sobre si mesmo e sobre o mundo).

  • Capacidade de integrar pessoas.

  • Prevenir que situações no trabalho não seja desmotivador

  • para as pessoas.

  • Saber orientar quanto à inadequação de comportamento do

  • ambiente social e ambiente de trabalho.

Coordenação das atividades desenvolvidas com os pacientes de uma unidade de enfermagem por pessoas de outros serviços, bem como a coordenação das atividades do pessoal de apoio no que se refere a recursos materiais.

  • Coordenação das atividades desenvolvidas com os pacientes de uma unidade de enfermagem por pessoas de outros serviços, bem como a coordenação das atividades do pessoal de apoio no que se refere a recursos materiais.

  • Norteia a caracterização de recursos humanos e materiais, facilitando a avaliação da assistência prestada, o que permite verificar o alcance de padrões mínimos oferecendo subsídios aos indicadores de custo e rendimento, indicando também áreas que requerem aprimoramento.

  • Agente na comunicação – o registro serve de intercomunicação para toda a equipe prestar o atendimento individualizado e contínuo.

  • Agente de educação contínua – acrescenta novos conhecimentos durante as reuniões para socializar as informações. Privilegiar a Educação Permanente em Saúde.

Comentários