Economia socialista

Economia socialista

(Parte 1 de 5)

Paul Singer João Machado

EEEEECONOMIACONOMIACONOMIACONOMIACONOMIASOCIALISTASOCIALISTASOCIALISTASOCIALISTASOCIALISTA

Socialismo em discussão

Fundação Perseu Abramo

Instituída pelo Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores em maio de 1996

Diretoria

Luiz Dulci – presidente

Zilah Abramo – vice-presidente

Hamilton Pereira – diretor Ricardo de Azevedo – diretor

Editora Fundação Perseu Abramo

Coordenação Editorial Flamarion Maués

Revisão

Maurício Balthazar Leal

Vera Lúcia Pereira Rogério Chaves

Capa e Projeto Gráfico Gilberto Maringoni

Ilusstração da Capa Biba Rigo

Editoração Eletrônica Augusto Gomes

Impressão Cromosete Gráfica

1a edição: junho de 2000 – Tiragem: 5 mil exemplares

Todos os direitos reservados à

Editora Fundação Perseu Abramo

Rua Francisco Cruz, 234 – CEP 04117-091 – São Paulo – SP – Brasil

Telefone: (1) 5571-4299 – Fax: (1) 5573-3338 Na Internet: http://www.fpabramo.org.br – Correio eletrônico: editora@fpabramo.org.br

Copyright © 2000 by Editora Fundação Perseu Abramo — ISBN 85-86469-32-7

Luiz Inácio Lula da Silva5

Apresentação

Antonio Candido9

Prefácio

Paul Singer1
Crítica da visão clássica1
Centralização planejada X autogestão18
A economia centralmente planejada23
Planejamento e mercado34
O socialismo como autogestão39
A organização socialista da produção45
A economia socialista no sistema socialista47
Bibliografia49
Notas e referências50
João Machado51
A visão clássica e sua real incidência no PT51

Economia Socialista Comentários Os “implantes socialistas” .................................................................................... 56

Intervenções do público65
Aldo Fornazieiri65
Eduardo Suplicy6
Max Altman67
Arlindo Chinaglia69
Fernando Haddad70
Luiz Inácio Lula da Silva72
José Genoíno74
Comentários finais7
Paul Singer – Planejamento e mercado7
João Machado – A conversa do mercado80

4 ECONOMIA SOCIALISTA Sobre os autores ...................................................................................83

5SOCIALISMO EM DISCUSSÃO

Apresentação Luiz Inácio Lula da Silva

Em meados de 1999, visitei Antonio Candido para conversar um pouco sobre nosso país, nossos desafios e nossas esperanças. Além de saborear as deliciosas histórias que ele sempre conta, fui brindado com algumas doses da espantosa sabedoria que jorra do alto daqueles 82 anos de uma vida bem vivida, repleta de lutas e marcada por absoluta coerência de ponta a ponta.

Fiz a ele um pedido que apresentei como convocação. Solicitei que emprestasse sua enorme autoridade intelectual, moral e política para estimular a retomada de alguns debates fundamentais para despertar a criatividade e reanimar o ímpeto de uma esquerda que, mesmo representando o que há de mais promissor em nossa terra, nunca está imune aos vícios do acomodamento e ao apego à rotina.

Trocamos idéias sobre alguns temas prioritários e sobre possíveis alternativas para romper o marasmo intelectual que vinha caracterizando nosso país, sob o já longo reinado de FHC.

Antonio Candido ficou de pensar. Algum tempo depois, convidou Paul Singer e Francisco de Oliveira, e eles três, junto com Paulo Vannuchi, meu assessor no Instituto Cidadania, realizaram inúmeras reuniões e consultas até conceber os Seminários Socialismo e Democracia, que o Instituto promoveu em parceria

6 ECONOMIA SOCIALISTA com a Fundação Perseu Abramo e a Secretaria Nacional de Formação do PT, de abril a junho deste ano.

Foram realizados seis seminários que abordaram o socialismo a partir de vários ângulos, para um plenário sempre superior a cem pessoas, entre dirigentes do PT, da CUT, parlamentares, lideranças de movimentos populares, membros de equipes de governo, ONGs, intelectuais, estudantes e convidados em geral. Já na carta-convite para o evento, explicamos que nossa idéia era discutir o que queremos entender por socialismo hoje, para o Brasil e para o mundo. E que não existia, de nossa parte, qualquer concepção prévia de socialismo e de como alcançá-lo. Queríamos retomar um clima de discussão aberta, no qual pudéssemos expor livremente todas as nossas certezas e dúvidas. Sem exclusão de nenhuma corrente ou facção.

Com este pequeno livro estamos iniciando a publicação do conteúdo básico desses seminários. Por razões de ordem editorial, começamos com o tema Economia Socialista, que na verdade foi o segundo da série. Todos os demais serão também publicados em fascículos como este. Neste volume temos o excelente texto que Paul Singer produziu para o seminário, o comentário de João Machado, o resumo de sete intervenções do plenário e duas intervenções finais de Singer e Machado, revisadas por eles. Vale registrar ainda que os trabalhos do dia foram coordenados pela companheira Zilah Abramo, vice-presidente da Fundação Perseu Abramo.

Queremos que este material seja amplamente divulgado em todo o país, que seja reproduzido, que estimule outros textos e publicações, afastando todas as ameaças de inércia e de mesmice. Queremos que seminários desse tipo sejam realizados nos vários estados, repetindo o produtivo ambiente de franqueza, polêmica, respeito e seriedade que marcou os seminários. Sobretudo nas atividades de formação política, a contribuição deste caderno pode ser muito grande.

O êxito e a ampla aprovação obtidos nesta primeira fase tornam obrigatório o prosseguimento das discussões em 2001, focalizando aspectos cada vez mais

7SOCIALISMO EM DISCUSSÃO concretos e específicos do tema. Já era essa a idéia dos organizadores dos seminários. Eles agora cuidarão da tarefa com ânimo redobrado, escalando adequadamente a rica pluralidade de craques ainda não convocados, entre dirigentes partidários, sindicalistas e intelectuais.

Penso que dessa forma estaremos construindo, juntos, uma compreensão do socialismo que esteja realmente à altura das exigências do novo século e que nos habilite a lutar por vitórias que são imperativas e inadiáveis no grave cenário de crise social, injustiças e desigualdades que vem sendo imposto aos brasileiros já de longa data.

São Paulo, junho de 2000

8 ECONOMIA SOCIALISTA 8 ECONOMIA SOCIALISTA

9SOCIALISMO EM DISCUSSÃO

Prefácio

Esta série de seminários é um começo. Vamos analisar a experiência que ela produzir a fim de preparar a série do ano que vem, levando em conta os resultados, retificando o planejamento, recolhendo as opiniões. Felizmente, o que não falta no PT são pessoas capazes de atuar como expositores e comentadores. Elas serão progressivamente convidadas, atendendo sempre à gama de opiniões que caracteriza o partido.

Sabemos que o pragmatismo das ações políticas deve ser equilibrado pela referência constante aos princípios teóricos, que para nós se encarnam na palavra socialismo. Sabemos também que no momento há muita hesitação e muita dúvida a respeito do socialismo. A derrocada da União Soviética e a descaracterização da social-democracia na Europa são fatores que contribuíram para gerar esses sentimentos. Mas o socialismo é algo mais vasto que suas manifestações históricas e continua a ser o caminho mais adequado às lutas sociais que tenham como finalidade estabelecer o máximo possível de igualdade econômica, social, educacional como requisito para a conquista da liberdade de todos e de cada um.

Isso mostra que o socialismo é conceito e realidade válidos e legítimos, tornando necessário estudá-lo, debatê-lo, ajustá-lo ao tempo. Só assim um partido

Antonio Candido

10 ECONOMIA SOCIALISTA como o PT evitará o risco de perder sua bússola ideológica na dispersão das necessárias operações táticas. De fato, sabemos que a referência constante à reflexão e ao debate é indispensável nas organizações políticas de esquerda, porque sem isso elas podem desfigurar seus componentes mais válidos e naufragar no oportunismo. Há uma solidariedade profunda entre teoria e ação, e uma das contribuições mais importantes do marxismo é a idéia de que pensar corretamente a sociedade leva à necessidade de transformá-la. E nisto reside uma das razões de ser do socialismo.

Esperemos que esses seminários sejam o começo de uma atividade permanente, que ajude o PT a conservar sua capacidade de luta política correta. Mesmo porque, na diversidade de nossas tendências internas, há um grande ponto de encontro, que mantém nossa comunhão e nossa solidariedade fraternal acima das diferenças: esse ponto de encontro é precisamente o socialismo.

(Parte 1 de 5)

Comentários