(Parte 1 de 4)

4Manual Técnico Operacional da Central

SAMU 192 Sergipe

Manual Técnico Operacional da Central SaMu 192 Sergipe

Livro do Aprendiz

Autores

Clóvis Rodrigues França Ronei Melo Barbosa

1ª Edição

Editora

Fundação Estadual de Saúde- FUNESA

Aracaju-SE 2011

Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe 6

Copyrigth 2011- 1ª Edição- Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe e Fundação Estadual de Saúde/FuNESa.

Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e a autoria e que não seja para venda ou para fim comercial.

Tiragem: 1.300 Impresso no Brasil

EDITORa FuNESa Elaboração, distribuição e Informações: av. Mamede Paes Mendonça, nº 629, Centro CEP: 409010-620, aracaju – SE Tel.: (79) 3205-6425 E-mail: editora@funesa.se.gov.br

Catalogação Claudia Stocker – CRB-5 1202

CDU 614/05(813.7)

F981m

ISBN: 978-85-64617-08-7

Funesa – Fundação Estadual de Saúde

Manual Técnico Operacional da Central SAMU 192 Sergipe. Livro do Aprendiz 4 / Fundação Estadual de Saúde - Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe. – Aracaju: FUNESA, 2011.

Material Didático-Pedagógico de Educação Permanente da FUNESA – Clóvis Rodrigues França (autor), Ronei Melo Barbosa (autor).

1.Educação Profissional2. Educação em Saúde 3. SAMU- Serviço de Atendimento
Móvel de Urgência-SE4. SUS – Sistema Único de Saúde de Sergipe
I. Funesa I.Manual II. Título IV. Assunto

96p. 28 cm

7 Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe

Governador Marcelo Déda Chagas

Vice-Governador Jackson Barreto de Lima

Secretário antônio Carlos Guimarães Sousa Pinto

Secretário Adjunto Jorge Viana da Silva

Diretor Financeiro andré Santos andrade

Diretora de Contratualização Marina Manzano Capeloza Leite

Diretora-Presidente Claúdia Menezes Santos

Diretora Operacional Katiene da Costa Fontes

Diretor Administrativo e Financeiro Carlos andré Roriz Silva Cruz

Coordenação de Educação Permanente andréia Maria Borges Iung

Assessora Pedagógica Ingrid Vieira Guimarães Ferreri

Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe 8

Presidente Paulo Ernani Gadelha Vieira

Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação Maria do Carmo Leal

Diretor da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca antônio Ivo de Carvalho

Vice-Diretor da Escola de Governo em Saúde Marcelo Rasga Moreira

Assessoria Técnica - ENSP/Fiocruz José Inácio Jardim Motta Pablo Dias Fortes

Autoria Clóvis Rodrigues França Ronei Melo Barbosa

Colaboradores Fábio dos Santos alves Maria da Conceição Mendonça Costa José Edvaldo Santos Márcio Xavier de Almeida Barretto

Revisão Técnica Daniele de araújo Travassos Daniele Carvalho Castro Francis Deon Kich

Revisão Ortográfica Edvar Freire Caetano

9 Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe

Validadores aline Santos Barreto ana Carolina Correia de Melo andrey Barbosa Pimenta Débora Souza Carvalho Diego Couto de almeida Eliane aparecida Nascimento Lécio Marques Vieira Souza Rita de Cássia Ribeiro Figueiredo

PROjETO GRÁFICO Imagens Publicidade & Produções Ltda.

Esta publicação é uma produção da Secretaria de Estado da Saúde e Fundação Estadual de Saúde de Sergipe com o apoio da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio arouca – ENSP.

Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe 10

Agradecimentos agradecimento especial a Escola Nacional de Saúde Pública pela cooperação técnica e apoio institucional para a produção do Material Didático-Pedagógico da FuNESa.

Agradecemos aos consultores José Inácio Jardim Motta e Pablo Dias Fortes pela orientação e intervenções ao longo da elaboração dos textos e desenvolvimento da proposta pedagógica dos livros.

Por fim agradecemos ao coletivo de trabalhadores da Secretaria de Estado da Saúde que construíram as Políticas de atenção a Saúde das várias redes assistenciais utilizadas como as bases dessa coleção.

1 Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe

Apresentação

Prezados alunos este manual não tem a pretensão de esgotar todos os conhecimentos relacionados ao atendimento pré-hospitalar móvel e sim, promover discussões sobre a sistematização da Política Nacional de atenção ás urgências, em especial, o papel do SaMu 192 Sergipe neste contexto.

a ferramenta pedagógica adotada neste trabalho tem como objetivo organizar o conhecimento trazido pelos profissionais que compõem a Central SAMU 192 Sergipe, já que muitas vezes os conceitos prévios estão desorganizados e desvinculados das reais propostas de trabalho desenvolvidas pelo serviço, principalmente a Regulação Médica. Para isso, utilizamos situações problema que retratam muita das dificuldades encontradas pela equipe de regulação médica no dia-a-dia da Central SaMu 192 Sergipe e elaboramos atividades para discussão e fixação dos conteúdos, possibilitando aos alunos um aprendizado baseado em problemáticas.

Frisamos que o presente material possui alguns textos adaptados do Manual de Regulação Médica das urgências – SaMu 192 e do Regulamento Técnico dos Sistemas Estaduais de urgência e Emergência (Portaria nº 2.048/2002), ambos do Ministério da Saúde que, para preservar o caráter comunicativo, bem como a fluência textual, suas referências foram omitidas do corpo do texto porém, estão devidamente referenciadas ao final.

Caberá a você participar ativamente das discussões e propor alternativas para resolução das problemáticas levantadas pela situação a fim de que os conceitos formulados possam ser utilizados em sua rotina diária na Central SaMu 192 Sergipe.

Esperamos que ao término da leitura do livro e realização das atividades, os princípios básicos da Regulação Médica, bem como as rotinas diárias e as atribuições de todos que compõem a Central SaMu 192 Sergipe possam ser compreendidos. E ainda que os conceitos absorvidos estejam em consonância aos ideais propostos pelo Sistema Único de Saúde.

Coordenação do SaMu 192 Sergipe.

12 Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe

Introdução …13
Capitulo 1 …15
Situação- problema:um plantão que se inicia16
1.1 SaMu 19217
1.2 Rotinas e atribuições da equipe da Central SaMu 192 Sergipe18
Capítulo 2 …25
Situação- problema:e o plantão continua26
2.1 a abordagem ao usuário do SaMu 19227
2.2 Operacionalização da Central SaMu 19229
2.3 Sistema informatizado – SRSaMu …32
Capitulo 3 …37
Situação- problema:classificando o risco38
3.1 atendimento às urgências39
3.2 Síndromes operacionais da regulação médica …42
3.3 Caracterização dos veículos utilizados no SaMu 192 Sergipe51
Capítulo 4 …5
Situação- problema:avaliando a cena56
4.1 Elementos primordiais de uma cena57
4.2 Comunicação: ferramenta essencial para regulação médica …58
Capítulo 5 …61
Situação- problema: administrando o caos62
5.1 Incidente com múltiplas vítimas (IMV) …64
5.2 Produtos perigosos (P) …69
Capítulo 6 …7
6.1 Regulação de situações especiais78

Sumário Referências......................................................................................................................90

13 Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe

Introdução

O Serviço de atendimento Móvel de urgência - SaMu 192 é um programa de âmbito Federal com responsabilidade Tripartite (união, Estados e Municípios), e através do número de acesso nacional 192, criado pelo Decreto Presidencial 5.055/2004, tem como finalidade acolher e prestar socorro à população com agravos à saúde. Com este serviço, as três esferas de governo estão conseguindo reduzir o tempo de internação em hospitais, as sequelas decorrentes da falta de socorro precoce e consequentemente o número de óbitos.

O SaMu 192 atende urgências em qualquer lugar: nas residências, locais de trabalho e vias públicas. Funcionando 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde, como auxiliares/ técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos e condutores de veículos de urgência, os quais atendem às urgências clínicas, cirúrgica, gineco-obstétrica, pediátrica, traumáticas e de saúde mental. O acionamento do serviço é realizado por solicitação telefônica, de forma gratuita, através do número nacional de atendimento às urgências o 192 (cento e noventa e dois), onde a ligação é atendida por técnicos na Central SaMu 192, dentre eles o médico, que identifica a gravidade do caso e, imediatamente, faz a leitura da situação apresentada e inicia o atendimento, orientando o paciente, e/ou a pessoa que fez a chamada, sobre as primeiras condutas a serem tomadas.

além de funcionar como um excelente observatório do sistema de saúde, o SaMu 192 tem um forte potencial para amenizar uma das maiores queixas dos usuários do Sistema Único de Saúde (SuS), que corresponde à demora do atendimento, por isso, estrategicamente foi o primeiro componente da Política Nacional de atenção às urgências a ser implementado. O nível de resposta insuficiente das urgências, historicamente falando, termina por provocar a superlotação das portas dos hospitais e pronto-socorros, mesmo quando a doença ou quadro clínico não sejam caracterizados como atendimentos de emergência. Essa realidade contribui para que as referidas instituições de saúde não consigam oferecer um atendimento de qualidade, acolhedor e humanizado.

Lançado em setembro de 2003 pelo governo federal o SaMu 192, foi instituído como componente Pré – Hospitalar Móvel da Política Nacional de Atenção às Urgências, através da Portaria GM/MS Nº. 1864 de 29 de setembro de 2003 e regulamentado pelas Portarias GM/MS 1863, de 29 de setembro de 2003 e Portaria GM/MS Nº. 2048, de 05 de novembro de 2002.

a política tem como foco principal as seguintes ações:

√Organizar o atendimento de urgência em todos os níveis de atenção à saúde (unidades básicas de saúde e Programa Saúde da Família, Pronto-atendimentos 24 horas e unidades hospitalares com porta aberta para às urgências);

Portarias ministeriais que implementam a Política de Atenção Integral às Urgências:

Portaria nº 2.048/GM, de 05/1/2002 (Regulamenta o atendimento das urgências e emergências).

Portaria nº 1.863/GM, de 29/09/2003 (Institui a Política Nacional de Atenção às Urgências, a ser implantada em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão).

Portaria nº 1.864/GM, de 29/09/2003 (Institui o componente pré-hospitalar móvel da Política Nacional de Atenção às Urgências, por intermédio da implantação de Serviços de Atendimento Móvel de Urgência em municípios e regiões de todo o território brasileiro: SAMU- 192).

Portaria nº 2.072/GM, de 30/10/2003 (Institui o Comitê Gestor Nacional de Atenção às Urgências).

Portaria nº 1.828/GM, de 02/09/2004 (Institui incentivo financeiro para adequação da área física das Centrais de Regulação Médica de Urgência em estados, municípios e regiões de todo o território nacional).

Portaria nº 2.420/GM, de 09/1/2004 (Constitui Grupo Técnico - GT visando avaliar e recomendar estratégias de intervenção do Sistema Único de Saúde – SUS, para abordagem dos episódios de morte súbita).

Portaria nº 2.657/GM, de 16/12/2004 (Estabelece as atribuições das centrais de regulação médica de urgências e o dimensionamento técnico para a estruturação e operacionalização das Centrais SAMU-192).

Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe 14

√Estruturar o atendimento pré-hospitalar móvel SaMu 192; √Reorganizar as grandes urgências e os pronto-socorros em hospitais;

√Criar a retaguarda hospitalar para os atendimentos às urgências;

√Estruturar os Núcleos de Educação em urgência (NEu/NEP);

√Proporcionar humanização do atendimento integral nas unidades de urgência;

√Estruturar o atendimento pós-hospitalar.

a Rede Nacional SaMu 192 atualmente conta com algo em torno de 157 serviços habilitados e distribuídos em todas as capitais brasileiras e em várias cidades totalizando 1.372 (mil trezentos e setenta e dois) municípios e uma cobertura populacional de aproximadamente 109 (cento e nove) milhões de pessoas (Dados do Ministério da Saúde – MS, através do site: w.saude.gov.br). a proposta do Governo Federal, através do Ministério da Saúde, é implantar o serviço em todo o território nacional, respeitadas as competências das três esferas de gestão (Federal, Estaduais e Municipais). O serviço é custeado em 50% pelo governo federal cabendo aos municípios e/ou regionais, com supervisão dos Estados, os 50% restante.

No Estado, o SaMu 192 Sergipe foi criado através da Lei Nº. 5.470 de 18 de novembro de 2004 e publicado no Diário Oficial Nº. 24657, do dia 2/1/2004. A Portaria Ministerial GM/MS Nº. 4, de 02 de janeiro de 2007, habilitou o SaMu 192 Sergipe como integrante da Rede Nacional SaMu 192. Em 07 de janeiro de 2009, o Governador do Estado assinou o Decreto de no 25.892, que é o Regulamento Técnico do SaMu192 no Estado de Sergipe e o Decreto Estadual 2.589 que define e normatiza o sistema interfederativo.

O SaMu 192 Sergipe presta assistência a uma população de aproximadamente 1,5 milhões habitantes, contemplando 74 (setenta e quatro) municípios em uma área geográfica de 21.910,348 Km2, chegando a uma média de 4.500 (quatro mil e quinhentos) atendimentos mês, predominando 15 a 20% da ocorrências para as uSa (unidade de Suporte avançado) e 80 a 85% para as uSB (unidade de Suporte Básico), com remoções assistidas e medicalizadas, onde os pacientes são removidos para Hospitais Regionais, Locais e de alta Complexidade no interior e na capital do Estado. Esta grade de referência é previamente pactuada através do Comitê Interfederativo do Estado a fim de garantir as parcerias firmadas entre todos os atores envolvidas no atendimento às urgências (Instituições de saúde, Conselhos de Classes, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Órgãos ambientais, Forças armadas, entre outros), bem como a continuidade da assistência nos âmbitos intra e pós-hospitalar.

Capítulo 1 Capítulo 1

16 Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe

Situação-problema Um plantão que se inicia...

Manhã de segunda-feira, por volta das 7 horas, as equipes da Central SAMU 192 Sergipe e Bases Descentralizadas, estão se acomodando em seus devidos lugares, ao mesmo tempo em que participam da passagem do plantão.

Dr. Barretão, um dos médicos reguladores do período, já devidamente alocado em sua cadeira na central, dá início às suas atividades e, de imediato, recebe a informação que a USA que dá cobertura a BR 101 não está funcionando por problemas mecânicos.

Nesse momento, Augusto, um dos TARM, passa uma ligação de um usuário solicitando socorro:

- Dr., estou com o Sr. Samuel na linha e o mesmo está relatando, de maneira agitada, que acaba de presenciar um acidente automobilístico na BR 101, segundo ele trata-se de um capotamento de um veículo de passeio. Estou passando a ligação...

ATIVIDADE 1

1. No seu entendimento, o que é uma Central SAMU 192? E Bases Descentralizadas?

2. Como você se comportaria ao assumir o plantão na Central

SAMU 192? Quais são os pontos relevantes na “passagem do plantão na Central SAMU 192”?

3. Quais os profissionais que compõem as equipes do SAMU 192 Sergipe (Regulação médica e Intervencionista)?

Utilize seus conhecimentos prévios para responder aos questionamentos.

17 Manual Técnico Operacional da Central Samu 192 Sergipe

1.1 SAMU 192 a Rede Nacional SaMu 192 tem como meta garantir a universalidade, equidade e integralidade no atendimento às urgências clínicas, traumáticas, gineco-obstétricas, pediátricas e psiquiátricas, além de:

consubstanciar as diretrizes de regionalização da atenção às urgências, mediante a adequação criteriosa da distribuição dos recursos assistenciais, conferindo concretude ao dimensionamento e implantação de sistemas estaduais, regionais e municipais e suas respectivas redes de atenção; desenvolver estratégias promocionais da qualidade de vida e saúde capazes de prevenir agravos, proteger a vida, educar para a defesa da saúde e recuperar a saúde, protegendo e desenvolvendo a autonomia e a eqüidade de indivíduos e coletividades (BRaSIL, 2003, art 2º)

Os pilares de sustentação do SaMu 192 são formados por elementos estratégicos: Central de Regulação Médica das urgências, unidades Móveis de atendimento, Núcleo de Educação Permanente, acolhimento e Humanização.

a Central SAMU 192 tem como papel fundamental organizar a relação entre os vários serviços, identificando a demanda, qualificando o fluxo dos pacientes no sistema e gerando uma porta de comunicação ao público em geral. através do número nacional de atenção às urgências (192), as solicitações de socorro são recebidas, avaliadas, hierarquizadas e atendidas por ordem de prioridade de acordo com as decisões do médico regulador.

(Parte 1 de 4)

Comentários