NBR - 15575 - Parte - 1 - a - 6 - completa

NBR - 15575 - Parte - 1 - a - 6 - completa

(Parte 1 de 8)

Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho. Parte 1:

Requisitos gerais APRESENTAÇÃO

1) Este 1º Projeto de Norma foi elaborado pela CE-02.136.01 - Comissão de Estudos de Desempenho de Edificações – do ABNT/CB-02 - Comitê Brasileiro da Construção Civil, nas reuniões de:

2) Não tem valor Normativo;

3) Aqueles que tiverem conhecimento de qualquer direito de patente devem apresentar esta informação em seus comentários, com documentação comprobatória.

ParticipanteRepresentante

4) Tomaram parte na elaboração deste Projeto: FABIO LUIZ CAMPORA ABAI

SANDRA TRAVASSOS ABCEM MARIO WILLIAM ESPER ABCP INÊS LARANJEIRAS S. BATTAGIN (SECRETÁRIA) ABCP/MASTER ENGENHARIA DAVIDSON F. DEANA ABCP ARY FONSECA JUNIOR ABCP AURINILCE PORT NASCIMENTO ABCP EDUARDO B. MULLEN ABECE ARCINDO VAQUERO ABESC PAULO R. L. SANCHEZ ABNT/CB-02 ROSE DE LIMA ABNT/CB-02 ROBERTO ZULLINO ABRAMAT LAURA MARCELLINI ABRAMAT GILBERTO ALVES MARTINS AESABESP FABÍOLA RAGO AFEAL JORGE NEVES MOLL AMANCO BRASIL RUBENS MOREL N. REIS ANAMACO

SILVIO R. B. DE CARVALHO ANDIV-ABNT/CB-37 ALDO M. SIMÕES ANDIV MARCO ANTONIO FIORENTINO APEMEC ARNALDO CHRISTOFI ARC ENGENHARIA M. REGINA O. PERTUSIER ASBEA CARLOS ROBERTO DE LUCA ASTIC/ABRAGESSO MARCLEO F. SACCO ASTIC/PRESERVAN MAURÍCIO M. PAGANI ASTRA S/A ANDRÉ PIRES SILVEIRA ASTRA S/A PAULO GRANDISK AUTÔNOMO ANDRE DE CARLI AUTÔNOMO ANTONIO CELSO A SILVA AUTÔNOMO CLAUDIO A SAYEG BARBARA ENGENHARIA ANA CAROLINA F. CARPENTIERI BLOCO BRASIL ERICH ENTSCHEV JR. BRASILIT ANTONIO RODOLFO JUNIOR BRASKEM LUIS H. M. DE PAOLI BRAZIL REALTY/CYRELA LUIZ GUILHERME M. ZIGMANTAS CAIXA ECONÔMICA FEDERAL EDUARDO DANNEMANN CAIXA ECONÔMICA FEDERAL JAMES A ROQUE CAIXA ECONÔMICA FEDERAL EVERTON ELTZ CAIXA ECONÔMICA FEDERAL ELIAS CUNHA NETO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL SOLANGE Y. AKIAMA CAMARGO CORRÊA CIMENTOS DANIEL SARTORI CARDINALI S/A ROBERTO INABA CBCA LEONARDO M. D. FIGUEIREDO CDHU SERGIO ARTHUR DE ANDRADE CDHU REMY D. OLIVEIRA NETO CEBRACE MAX JUNQUEIRA CECRISA DANIEL GOLDSTEIN COINSTAL KELLY GUILHERME CONSTRUTORA TARJAB PAULO EDUARDO PACCO CONSTRUTORA TARJAB

SHIRLEY REGINA BEREZUTCHI GERDAU AÇOMINAS S/A MONICA CAMARGO GIBWOOD FLÁVIO LEAL MARANHÃO GRANEX ALFONSO ANTONIO GILL GSI/NUTAU/USP ALEXANDRE ITIU SEITO GSI/NUTAU/USP JOSÉ MOACYR F. DE ARAÚJO GSI/NUTAU/USP ROSARIO ONO GSI/NUTAU/USP VALDIR PIGNATTA E SILVA GSI/NUTAU/USP JOÃO DE VALENTIN HEXAGRAMA JOÃO HONÓRIO DE MELLO FILHO IAB MIGUEL G. FABREAVES IAB JERÔNIMO CABRAL P. F. NETO IBAPE/SP CATIA MAC CORD COELHO IBS FERNANDO JOSÉ E. DE MATOS IBS ANDRÉ ARANHA CAMPOS INMAX MARCO A NABUCO ARAÚJO INMETRO/ACÚSTICA ADILSON LOURENÇO ROCHA IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas CLAUDIO MITIDIERI IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas ERCIO THOMAZ IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas FULVIO VITORINO IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas JOSÉ CARLOS TOMINA IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas MARIA AKUTSU IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas MARIA DE FATIMA NETO IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas PETER JOSEPH BARY IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas JOSÉ PAULO JEREISSATI JEREISSATI ENGENHARIA MAURÍCIO MARQUES RESENDE L. A FALCÃO BAUER LEONEL TULA L. A FALCÃO BAUER ALVARO S. BARBOSA JR. LENC LABORATÓRIO CHRISTIAN JOSÉ NOGUEIRA LENC LABORATÓRIO AIRTON MAFFIEI LIDER LUIZ ALBERTO LUCIO LUCIO ENGENHARIA PRISCILA DE FRANÇA PINHEIRO LUCIO ENGENHARIA

FERNANDO CORRÊA SINDUSCON/SP JORGE BATLOUNI NETO SINDUSCON-SP/TECNUM LUIZ FERNANDO BUENO SINDUSCON-SP/GAFISA MAURÍCIO L. BIANCHI SINDUSCON/SP PAULO EDUARDO F. DE CAMPOS SINDUSCON/SP RENATO GENIOLI SINDUSCON/SP RENATO MAURO SINDUSCON/SP SERGIO VIEIRA DA SILVA SVS PROJETOS (IN MEMORIAN) ADRIANA TERESA DIAS TAEL CLAUDIO S. GOLDSTEIN TATI CONSTRUTORA MAURI RESENDE VARGAS TECSTEEL ENGENHARIA SIMONE NAKAMOTO TESIS LUIZ HENRIQUE CEOTTO THISMAN SPEYER PROPERTIES EDUARDO IOSHIMOTO TIGRE S/A FERNANDO LENTE ANDRADE TIGRE S/A ALAN SCHNALZER TOLEDO FERRARI FABIANO F. NUNES TOLEDO FERRARI MARCO MASSABKI TOLEDO FERRARI TELMA SUIZU TOLEDO FERRARI JOSÉ EDUARDO D. LOBO TOLEDO FERRARI HELI ALVES GARCIA TUPY FUNDIÇÕES MARCELO T. S. CALDEIRA TUPY FUNDIÇÕES FRANCISCO CARLOS RODRIGUES UFMG – Univ. Federal de Minas Gerais LUIS CARLOS BONIN UFRGS – Univ. Federal do Rio G. do Sul ENEDIR GHISI UFSC – Universidade de Santa Catarina MAURÍCIO RORIZ UFSC – Universidade de Santa Catarina ROBERTO LAMBERTS UFSC – Universidade de Santa Catarina PATRÍCIA AULICINO UNICAMP NEIDE M. N. SATO UNINOVE ALDO PELLICIOTTI USEPLAC PAULO CESAR ARCOVERDE LELLIS USIMINAS MARCOS STORTE VIAPOL

Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho. Parte 1:

Requisitos gerais Residential buildings up to five storied – Performance. Part 1: General requirements

Palavras-chave: Desempenho. Edifício Habitacional. Descriptors: performance. Residential building.

Sumário

Prefácio

A.2Edificações em fase de projeto
A.3Avaliação de edifício existente
A.4Avaliação do desempenho térmico de edificações por meio de medição

1 Escopo 2 Referências Normativas 3 Termos e definições 4 Exigências do usuário 5 Incumbências dos intervenientes 6 Avaliação do desempenho 6.1 Generalidades 6.2 Avaliação do desempenho 7 Desempenho estrutural 8 Segurança contra incêndio 9 Segurança no uso e na operação 10 Estanqueidade 1 Desempenho térmico 12 Desempenho acústico 13 Desempenho lumínico 14 Durabilidade e manutenabilidade 15 Saúde, higiene e qualidade do ar 15.1 Generalidades 16 Funcionalidade e acessibilidade 17 Conforto tátil e antropodinâmico 18 Adequação ambiental ANEXO A (normativo) Avaliação do desempenho térmico de edificações por meio de simulação computacional e por medição – Procedimentos A.1 Introdução ANEXO B (normativo) Procedimento de avaliação do desempenho lumínico B.1 Generalidades B.2 Método de cálculo B.3 Medição in loco ANEXO C (informativo) Considerações sobre durabilidade e vida útil C.1 Conceituação C.2 Determinação da vida útil ANEXO D (informativo) Diretrizes para o estabelecimento de prazos de garantia D.1 Introdução D.2 Diretrizes D.3 Instruções

ANEXO E (informativo) Níveis de Desempenho E.1 Generalidades E.2 Desempenho térmico E.3 Desempenho lumínico E.4 Durabilidade e manutenabilidade E.4.1 Generalidades

Prefácio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais Temporárias (ABNT/CEET), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no âmbito dos ABNT/CB e ABNT/ONS, circulam para Consulta Nacional entre os associados da ABNT e demais interessados.

Esta Norma, sob o título geral de Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho, é constituída pelas seguintes partes:

Parte 1: Requisitos gerais Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos internos Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas Parte 5: Requisitos para os sistemas de coberturas Parte 6: Requisitos para os sistemas hidrossanitários O Anexo B tem caráter Normativo e os Anexos A, C, D, E, F e G são informativos.

Introdução

Normas de desempenho são estabelecidas buscando atender exigências dos usuários, que, no caso desta Norma, referem-se a sistemas que compõem edifícios habitacionais de até cinco pavimentos, independentemente dos seus materiais constituintes e do sistema construtivo utilizado.

O foco desta Norma está nas exigências dos usuários para o edifício habitacional e seus sistemas, quanto ao seu comportamento em uso e não na prescrição de como os sistemas são construídos.

A forma de estabelecimento do desempenho é comum e internacionalmente pensada por meio da definição de requisitos (qualitativos), critérios (quantitativos ou premissas) e métodos de avaliação, os quais sempre permitem a mensuração clara do seu cumprimento.

As Normas, assim elaboradas, visam de um lado incentivar e balizar o desenvolvimento tecnológico e, de outro, orientar a avaliação da eficiência técnica e econômica das inovações tecnológicas.

Normas de desempenho traduzem as exigências dos usuários em requisitos e critérios, e não substituem as Normas prescritivas, todavia são complementares a estas últimas.

Por sua vez, as Normas prescritivas estabelecem requisitos com base no uso consagrado de produtos ou procedimentos, buscando o atendimento às exigências dos usuários de forma indireta.

A abordagem desta Norma explora conceitos que muitas vezes não são considerados em Normas prescritivas específicas como, por exemplo, a durabilidade dos sistemas, a manutenabilidade da edificação, o conforto tátil e antropodinâmico dos usuários.

A interrelação entre Normas de desempenho e Normas prescritivas deve possibilitar o atendimento às exigências do usuário, com soluções tecnicamente adequadas. Portanto esta Norma de desempenho e as Normas precritivas são simultaneamente utilizadas.

Todas as disposições contidas nesta Norma, são aplicáveis aos sistemas que compõem edifícios habitacionais de até cinco pavimentos, projetados, construídos, operados e submetidos a intervenções de manutenção que atendam às instruções específicas do respectivo manual de operação, uso e manutenção.

Requisitos e critérios particularmente aplicáveis a determinado sistema são tratados separadamente em cada Parte desta Norma.

A Parte 1 se refere às exigências dos usuários e aos requisitos gerais comuns aos diferentes sistemas, estabelecendo as diversas interações e interferências entre estes.

1 Escopo

1.1 Esta Norma estabelece os requisitos e critérios de desempenho que se aplicam ao edifício habitacional de até cinco pavimentos, como um todo integrado, e que podem ser avaliados de forma isolada para um ou mais sistemas específicos.

1.2 Esta Norma não se aplica a obras em andamento ou a edificações concluídas até a data da entrada em vigor desta Norma, nem a projetos protocolados nos órgãos competentes até seis meses após a data da entrada em vigor desta Norma. Também não se aplica a obras de reformas, nem de “retrofit”.

1.3 Esta Norma pode ser utilizada como um procedimento de avaliação do desempenho de sistemas construtivos.

1.4 Os requisitos estabelecidos nesta Parte 1 da Norma (Seções 7 a 17) são complementados pelos requisitos estabelecidos nas Partes 2 a 6.

NOTA Os requisitos e critérios estabelecidos nesta Norma podem ser aplicados a edifícios habitacionais ou sistemas com mais de cinco pavimentos, excetuados aqueles que dependem diretamente da altura do edifício habitacional.

1.5 Os sistemas elétricos das edificações habitacionais fazem parte de um conjunto mais amplo de Normas com base na ABNT NBR 5410 e, portanto, os requisitos de desempenho para esses sistemas não estão estabelecidos nesta Norma.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas).

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº 176, de 24/10/2000 Código de Defesa do Consumidor. Lei Nº 8078, de 1/9/1990 ABNT NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão ABNT NBR 5419 Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas ABNT NBR 5629 Execução de tirantes ancorados no terreno ABNT NBR 5649 Reservatório de fibrocimento para água potável - Requisitos ABNT NBR 5671 Participação de intervenientes em serviços obras de engenharia e arquitetura ABNT NBR 5674 Manutenção de edificações ABNT NBR 6118 Projeto de estruturas de concreto ABNT NBR 6122 Projeto e execução de fundações ABNT NBR 6136 Blocos vazados de concreto simples para alvenaria - Requisitos ABNT NBR 6479 Portas e vedadores – Determinação da resistência ao fogo ABNT NBR 6565 Elastômero vulcanizado – Determinação do envelhecimento acelerado em estufa ABNT NBR 7190 Projeto de estruturas de madeira

ABNT NBR 7398 Produto de aço ou ferro fundido revestido de zinco por imersão a quente – Verificação da aderência do revestimento

ABNT NBR 7400 Produto de aço ou ferro fundido – Revestimento de zinco por imersão a quente – Verificação da uniformidade do revestimento

ABNT NBR 8044 Projeto geotécnico ABNT NBR 8094 Material metálico revestido e não-revestido – Corrosão por exposição à névoa salina ABNT NBR 8096 Material metálico revestido e não-revestido - Corrosão por exposição ao dióxido de enxofre ABNT NBR 8491 Tijolo maciço de solo-cimento

ABNT NBR 8681 Ações e segurança nas estruturas ABNT NBR 80 Projeto e execução de estruturas de aço de edifícios: método dos estados limites ABNT NBR 9050 Acessibilidade à edificações, mobiliário e espaços equipamentos urbanos ABNT NBR 9062 Projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado ABNT NBR 9077 Saída de emergência dos edifícios ABNT NBR 9441 Execução de sistemas de detecção de alarme de incêndio ABNT NBR 10151 Acústica – Avaliação do ruído em áreas habitadas, visando o conforto da comunidade ABNT NBR 10152 Níveis de ruído para conforto acústico ABNT NBR 10834 Bloco vazado de solo-cimento sem função estrutural ABNT NBR 10837 Cálculo de alvenaria estrutural de blocos vazados de concreto ABNT NBR 10898 Sistema de iluminação de emergência ABNT NBR 11173 Projeto e execução de argamassa armada ABNT NBR 11682 Estabilidade de taludes ABNT NBR 12693 Sistema de proteção por extintores de incêndio ABNT NBR 13281 Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Requisitos

ABNT NBR 13434 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico. Parte 1: Princípios de projeto. Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores

ABNT NBR 13103 Instalação de aparelhos à gas para uso residencial – Requisitos dos ambientes ABNT NBR 13438 Blocos de concreto celular autoclavado ABNT NBR 13523 Central de gás liquefeito de petróleo (GLP) ABNT NBR 13714 Sistema de hidrantes e de mangotinhos para combate a incêndio ABNT NBR 13858-2 Telhas de concreto - Parte 2: Requisitos e métodos de ensaio ABNT NBR 13932 Instalações internas de gás liquefeito de petróleo (GLP) – Projeto e execução ABNT NBR 13933 Instalações internas de gás natural (GN) – Projeto e execução

ABNT NBR 14024 Central de gás liquefeito de petróleo (GLP) – Sistema de abastecimento a granel – Procedimento operacional

ABNT NBR 14037 Manual de operação, uso e manutenção das edificações – Conteúdo e recomendações para elaboração e apresentação

ABNT NBR 14323 Dimensionamento de estruturas de aço de edifícios em situação de incêndio ABNT NBR 14432 Exigências de resistência ao fogo de elementos construtivos de edificações ABNT NBR 14570 Instalações internas para uso alternativo dos gases GN e GLP – Projeto e execução ABNT NBR 14762 Dimensionamento de estruturas de aço constituídas por perfis formados a frio - Procedimento ABNT NBR 15200 Projeto de estruturas de concreto em situação de incêndio

ABNT NBR 15210-1 Telha ondulada de fibrocimento sem amianto e seus acessórios - Parte 1 - Classificação e requisitos

ABNT NBR 15215 Iluminação natural Parte 3: Procedimento de cálculo para a determinação da iluminação natural em ambientes internos

(Parte 1 de 8)

Comentários