telecurso 2000 - volume 3 - processos de fabricação - 59proc3

telecurso 2000 - volume 3 - processos de fabricação - 59proc3

59AULA59 A U L A

Apesar de todos os cuidados, as peças usinadas e mesmo as de acabamento em mÆquina, como Ø o caso da retificaçªo, apresentam sulcos ou “riscos” mais ou menos visíveis, decorrentes das arestas das ferramentas de corte ou das pontas agudas dos grªos abrasivos.

Mesmo em superfícies finamente acabadas pela retificaçªo, uma lente de aumento mostra irregularidade na superfície das peças.

Com a finalidade de eliminar o mais possível essas irregularidades e de deixar as superfícies com dimensıes exatas e, ainda, melhorar o aspecto visual das peças, existem operaçıes especiais que serªo vistas nestas duas œltimas aulas: brunimento, polimento, lapidaçªo, superacabamento e rodagem. Normalmente, essas operaçıes sªo utilizadas após os processos de usinagem, como tornear, furar, fresar etc.

Nesta aula, vamos estudar as operaçıes de brunimento, lapidaçªo e polimento.

Brunimento

O brunimento Ø um processo mecânico de usinagem por abrasªo, empregado no acabamento de peças. Durante o processo, os grªos ativos do brunidor entram em contato com a superfície da peça. Esta gira lentamente e o brunidor desloca-se ao longo da geratriz da superfície de revoluçªo com movimentos alternativos de pouca amplitude e freqüŒncia relativamente grande.

Na maioria dos casos, o brunimento Ø feito com uma ferramenta especial de retificaçªo, constituída de segmentos de material abrasivo, montados em grupo. A figura, a seguir, ilustra essa ferramenta, denominada brunidorbrunidorbrunidorbrunidorbrunidor.

Ao girar, o brunidor faz um movimento vertical oscilante de subir e descer. A diferença entre retificaçªo e brunimento consiste na velocidade de rotaçªo. No brunimento ela jÆ Ø bem menor e o trabalho Ø feito com pressªo maior, de 3 a 8 kgf/cm3, ou seja, de 30 a 80N/cm2.

Brunimento, lapidaçªo, polimento

Nossa aula brunidor

AULAA operaçªo de brunimento Ø realizada em cilindros de motores, alojamento de Œmbolos hidrÆulicos, canos de canhªo etc. Durante o giro e avanço, o brunidor Ø sempre guiado pela peça.

O brunimento externo Ø aplicado na usinagem de eixos e Ærvores.

Lapidaçªo Lapidar Ø retificar superfícies de peças com elevado grau de acabamento.

Antes da lapidaçªo, coloca-se um líquido, Ægua ou óleo, sobre uma placa metÆlica. Em seguida, espalha-se pó abrasivo sobre o líquido.

A seguir, passa-se a superfície da peça a lapidar sobre a placa preparada, imprimindo-lhe movimentos circulares, conforme ilustra a figura.

Geralmente, usa-se o processo de lapidaçªo em blocos-padrªo, pinos e furos.

Existem machos especiais para lapidar. Eles possuem ranhuras e dispositivos de formas variadas que servem para recolher o excesso de pó abrasivo.

brunimento lapidação

AULAQuanto mais duro for o material da peça a ser lapidada, maior deve ser a dureza do grªo abrasivo.

Polimento

Polir Ø um processo mecânico de acabamento de uma peça que visa tornar sua superfície lisa e de aparŒncia espelhada. O polimento, portanto, propicia boa qualidade de acabamento de um produto final.

Numa superfície cortada com ferramenta podemos perceber as marcas de usinagem sob a forma de estrias. Essas estrias, que sªo formadas pela ferramenta de corte, convencional ou por rebolo, recebem o nome de rugosidades que podem ser medidas e consideradas em termos de qualidade de acabamento.

A operaçªo de polir tem as seguintes finalidades: •dar, a qualquer superfície, acabamento de boa apresentaçªo, espelhado, sem que a superfície precise ter precisªo de formas e de medidas; •criar uma camada superficial de proteçªo da peça, impedindo a açªo corrosiva de Æcido, de certos sais químicos, ferrugem etc.; •preparar peças a serem submetidas a operaçıes de revestimento superficial por galvanoplastia, como niquelagem e cromagem. Depois dessas operaçıes, melhorar o aspecto da superfície, dando às peças niqueladas ou cromadas um brilho mais vivo.

Geralmente, o polimento Ø feito por uma ferramenta na for ma de um disco ou conjunto de discos, revestidos com substâncias abrasivas. Podem tambØm ser utilizadas lixas ou bastıes abrasivos.

O disco abrasivo pode ser de madeira, feltro ou tecido. Estes materiais impregnados de pasta ou pó abrasivo agem como o rebolo, por meio de suas superfícies cilíndricas ou planas.

Os discos abrasivos sªo feitos de material semi-rígido (feltro aglomerado) ou muito flexível (flanela). O abrasivo que os recobre Ø colado ou fixado com adesivo.

O polimento pode ser radial e axial. No polimento radial radial radial radial radial apóia-se o disco abrasivo sobre a peça a ser polida e o disco gira em grande velocidade: aproximadamente, 45 a 50 m/s ou 2700 a 3000 m/min.

AULANesse contato, a superfície da peça vai se desgastando atØ ficar homogŒnea e lisa.

No polimento axialaxialaxialaxialaxial, o disco abrasivo gira sobre um eixo, em contato com a superfície a ser polida. Neste caso, o disco abrasivo acompanha a superfície da peça por movimentos de plasticidade ou elasticidade.

Durante o contato da ferramenta com a peça, a superfície desta Ø desgastada e vai sendo polida pela ferramenta, de acordo com a granulaçªo abrasiva.

Uma superfície de exatidªo dimensional Ø sempre polidapolidapolidapolidapolida, o que se obtØm por retificaçªo, rodagem e superacabamento. Por exemplo, o bloco-padrªo.

Outra aplicaçªo do polimento Ø na confecçªo de moldes plÆsticos.

TambØm pode ser polida qualquer superfície que nªo necessite de exatidªo dimensional. Por exemplo: punho de manivela, volante de comando, que posteriormente sªo cromados.

Polimento manual

O polimento manual Ø realizado com lixas, pó ou bastªo abrasivos que possuem granulaçªo finíssima. Este processo Ø muito empregado na confecçªo de moldes plÆsticos. Os moldes plÆsticos tŒm cavidades que moldam a peça que se deseja produzir. Para essa peça apresentar uma superfície lisa, a cavidade de injeçªo deve ser polida tanto para atender a este primeiro caso como para facilitar o fluxo de plÆstico ou material a ser injetado no molde.

Por ser um processo manual, esse polimento requer uma dedicaçªo muito grande do polidor, alØm de um senso crítico de qualidade, pois depende dele boa parte da qualidade do produto final.

Agora, veja o que vocŒ aprendeu. Faça os exercícios a seguir e confira suas respostas com as do gabarito.

Marque com X a œnica resposta correta.

Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1 Brunir, polir, lapidar sªo operaçıes de:

a)a)a)a)a) ( ) afiaçªo; b)b)b)b)b) ( ) acabamento; c)c)c)c)c) ( ) ajuste; d)d)d)d)d) ( ) fresamento; e)e)e)e)e) ( ) retificaçªo.

Pare! Estude! Responda!

AULAExercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2 O que diferencia brunimento de retificaçªo Ø:

a)a)a)a)a)()formas de corte; b)b)b)b)b)()movimento da mesa; c)c)c)c)c)()grau de rugosidade; d)d)d)d)d)()nível de espessura; e)e)e)e)e)()velocidade de rotaçªo.

Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3 Para dar acabamento em cilindros de motores, Ø recomendÆvel:

a)a)a)a)a) ( ) brunimento; b)b)b)b)b) ( ) lapidaçªo; c)c)c)c)c) ( ) retificaçªo; d)d)d)d)d) ( ) polimento; e)e)e)e)e) ( ) lixamento.

Uma superfície de comexatidªo dimensional Ø sempre:

Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4 a)a)a)a)a) ( ) brunida; b)b)b)b)b) ( ) lapidada; c)c)c)c)c) ( ) lixada; d)d)d)d)d) ( ) rodada; e)e)e)e)e) ( ) polida.

Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5

Para dar acabamento em blocos-padrªo, a operaçªo adequada denomina-se: a)a)a)a)a) ( ) lapidaçªo; b)b)b)b)b) ( ) brunimento; c)c)c)c)c) ( ) torneamento; d)d)d)d)d) ( ) retificaçªo; e)e)e)e)e) ( ) fresagem.

Comentários