AULA 05 Românico Gótico

AULA 05 Românico Gótico

•Durante a Idade Média os mosteiros tornaram-se os centros culturais da Europa, onde a ciência, a arte e a literatura estavam centralizados.

•Duração: do século V ao XV; • Dividida entre Alta Idade Média e Baixa Idade Média;

• O feudalismo era a nova ordem da sociedade de então, enquanto o Sacro Império (Império Religioso) ia se firmando politicamente;

•Em 476, com a tomada de Roma pelos povos bárbaros, tem início o período histórico conhecido por Idade Média.

•Na Idade Média a arte tem suas raízes no Cristianismo, trazendo modificações no comportamento humano;

•A arte se voltou para a valorização do espírito. Os valores da religião cristã vão impregnar todos os aspectos da vida medieval.

•A concepção de mundo dominada pela figura de Deus proposto pelo cristianismo é chamada de Teocentrismo (teos = Deus). Deus é o centro do universo e a medida de todas as coisas.

•A igreja como representante de Deus na Terra, tinha poderes ilimitados.

•Este estilo prevaleceu na Europa no período da Alta Idade Média (entre os séculos XI e XIII);

•O termo "Românico" é uma referência às influências da cultura do

Império Romano, que havia dominado durante séculos quase toda a Europa Ocidental;

•É chamada de arte Carolíngea a arte românica que data do período dominado pelo Imperador Carlos Magno;

•O Românico significou em sua época um progresso para a Europa, esgotada e embrutecida por inumeráveis invasões bárbaras que duraram quase cinco séculos. A paz que Carlos Magno impôs na Europa reflete-se nesse estilo, fundamento de toda a cultura que se seguirá a ele.

As características mais significativas da arquitetura românica são:

• Abóbadas em substituição ao telhado das basílicas; •Pilares maciços que sustentavam e das paredes espessas;

•Aberturas raras e estreitas usadas como janelas;

•Torres, que aparecem no cruzamento das naves ou na fachada; e arcos que são formados por 180 graus.

•A primeira coisa que chama a atenção nas igrejas românicas é o seu tamanho. Elas são sempre grandes e sólidas. Daí serem chamadas: fortalezas de Deus.

•A explicação mais aceita para as formas volumosas, estilizadas e duras dessas igrejas é o fato da arte românica não ser fruto do gosto refinado da nobreza nem das ideias desenvolvidas nos centros urbanos, é um estilo essencialmente clerical. A arte desse período passa, assim a ser encarada como uma extensão do serviço divino e uma oferenda à divindade.

• O transepto é a parte de um edifício de uma ou mais naves que atravessa perpendicularmente o

seu corpo principal perto do coro e dá ao edifício a sua planta em cruz. O cruzeiro é a área de intersecção dos dois eixos.

•As abóbadas das igrejas eram de 2 tipos: a abóbada de berço e a abóbada de arestas. •A arte desse período passa, assim a ser encarada como uma extensão do serviço divino e uma oferenda à divindade.

•Na arquitetura destacam-se as igrejas e mosteiros românicos; •Predomina a horizontalidade; a solidez de suas paredes com pequenas janelas, cria ambientes escuros e sombrios.

Abadia de Saint Georges de Boscherville, na Normandia Abadia de Saint Georges de Boscherville, na Normandia

•A pintura Românica teve pequena expressão. Em alguns casos, as cúpulas das igrejas possuíam pinturas murais de desenho cujos temas mais freqüentes abordavam cenas retiradas do Antigo e do Novo Testamento e da vida de santos e mártires, repletas de sugestões de exemplos edificantes.

Pantocrator de Sant Climent de Taüll

•A pintura apresenta-se nitidamente influenciada pela bizantina. São numerosos afrescos (hoje arruinados), mosaicos (encontrados na Grécia e sobretudo na Itália), murais e iluminuras.

•Uma das principais características da pintura românica é a deformação. O artista interpretava de modo místico a realidade e retratava seus sentimentos religiosos nas figuras de forma desproporcional. Ex. Cristo em tamanho maior que as outras figuras próximas a ele. As cores eram vivas e planas e os perfis bem marcados.

Iluminuras

•Destaca-se o desenvolvimento das

Iluminuras, arte que alia a ilustração e a ornamentação, muito utilizada em antigos manuscritos, ocupando normalmente as margens, como barras laterais, na forma de molduras;

Catedral de Pisa

A mais famosa é a Catedral de Pisa sendo o edifício mais conhecido do seu conjunto o campanário que começou a ser construído em 1.174. Trata-se da Torre de Pisa que se inclinou porque, com o passar do tempo, o terreno cedeu.

•A escultura românica esta diretamente associada à arquitetura, com estátuas-colunas, e que desenvolve-se nos relevos de pórticos e arcadas.

• A escultura desenvolveu-se com um caráter ornamental, onde o espaço em branco dos frisos, capitéis e pórticos é coberto por uma profusão de figuras apresentadas de frente e com as costas grudadas na parede.

• As imagens encontradas são as mais diversas, desde representações do demônio, até personagens do Velho Testamento

Capitel: escultura na parte superior das colunas

A decoração em relevo consiste geralmente em figuras de animais fantasiosos e demônios (representam as tormentas a que os pecadores, após a morte, seriam submetidos).

• As figuras humanas se alternam com as de animais fantásticos, e mesmo com elementos vegetais.

A temática das cenas representadas é religiosa. Isso se deve ao fato de que os relevos, além de decorar a fachada, tinham uma função didática, já que eram organizados em faixas, lidas da direita para a esquerda.

•O estilo gótico predominou na Europa no período da Baixa Idade Média (final do século XIII ao XV);

•O estilo gótico é, predominantemente, um estilo arquitetônico;

•No fim da Idade Média, o velho continente se deparou com o renascimento comercial, a decadência do feudalismo, o êxodo rural e, juntamente com tudo isso, uma série de mudanças de caráter ideológico, filosófico e religioso;

•Durante essas mudanças, ocorridas entre os séculos XI e XII, surgiu a necessidade da criação de uma arte mais adequada à nova realidade.

•O termo “gótico” foi dado mais tarde pelos italianos renascentistas;

•A arte gótica surgiu como uma própria consequência do crescimento urbano, revelando características peculiares na arquitetura, como:

•A verticalização (uma alusão ao céu, ao divino);

•A grandiosidade;

•A precisão dos traços, além do emprego de rosácea e da abóbada cruzada.

•Entre as principais catedrais góticas, podemos citar a Catedral de Notre Dame de Paris e a Catedral de Notre Dame de Chartres.

•A Catedral de Milão é um exemplo da arte gótica na arquitetura. •Em geral, as construções eram bastante ricas e detalhadas, demonstrando justamente todo o progresso técnico e material que o renascimento comercial havia proporcionado.

Catedral de Reims - França Catedral de Reims - França

•A Arquitetura Gótica possui o Arco Ogival, utilizado nas Abóbadas, Portas, Janelas, Aberturas, Arcadas e Galerias, normalmente suportados por reforços ricamente decorados.

•A escultura gótica somente pode ser compreendida em toda a sua importância se entregada ao esquema arquitetônico ao qual estava subordinada.

•Tal como na pintura, a escultura é, sobre tudo, religiosa;

•As Gárgulas são elementos escultóricos que possuem a função de escoar as águas pluviais, normalmente são representadas por animais.

Estátuas colunares do portal oeste da Catedral de Chartres, c. 1145-15.

•Temas religiosos (santos, anjos, etc.); • Na maioria das vezes eram usadas cores claras; •A ilusão de espaço e do volume, aplicando a perspectiva, o claro e o escuro, assim com maior realismo na paisagem e nos movimentos do corpo.

Na última fase da pintura gótica, nos anos de 1400 a 1500, apareceram os pintores pré-renascentistas. Distinguiam-se pela progressiva libertação do convencionalismo bizantino e da minúcia oriunda das miniaturas.

Vídeos

Mosteiro Românico Catedral de Notre Dame Paris

Bibliografia

•SANTOS, M. Graças V. Proença. História da Arte. 16ª ed. São Paulo: Ática, 2008.

•1) GOMBRICH, EH.. A História da Arte. 16ª ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Cientificos, 1999.

•2) SANTOS, Maria G. V. P. dos.. História da Arte. 1ª ed. São Paulo: Atica, 2010.

•Histórianet.com • Históriadaarte.com

Comentários