DEGRADAÇÃO DE TALENTOS

DEGRADAÇÃO DE TALENTOS

(Parte 1 de 8)

- Trabalho de Defesa

Direcção Estratégica apresentado à Fundaçã Miguel de Cervantes, Es

AUTOR: António Migue ANMDEOS127

ORIENTADOR: Dr Diego de tese, para a obtenção do grau d com especialidade em Organizaçõe ão Universitária Ibero-americana, Univer spanha.

go Jacob Kurtz

Ndalatando, Angola Abril de 2015.

de Mestre em ões de Saúde, rsidad Europea

- Trabalho de Defesa Direcção Estratégica apresentado à Fundaçã Miguel de Cervantes, Es

AUTOR: António Migue ANMDEOS127

Orientado por: Dr Diego de tese, para a obtenção do grau d com especialidade em Organizaçõe ão Universitária Ibero-americana, Univer spanha.

o Jacob Kurtz

Ndalatando, Angola Abril de 2015 de Mestre em ões de Saúde, rsidad Europea

Com amor e carinho, dedico este trabalho ao meu Pai, que já repousa entre os defuntos no cemitério Municipal de Cazengo e que muito gostaria que se fizesse presente para apreciar o fruto de sua educação;

as hastes

A minha Mãe, que apesar da idade que não lhe perdoa, vê-se ainda honrada e homenageada com este trabalho, pela educação que me incutiram na companhia daquele, fui andando entre

Meus filhos, para poderem seguir o exemplo de bem fazer, ser e estar, mesmo com escassos recursos sob alcance.

Meu incansável tio Kibenda Panzo Mwata, pela coragem que me incutiu em poder enfrentar momentos difíceis e ensinou-me a ultrapassá-los.

À Deus, nosso Pai Celestial, pela inteligência que me deu na união de ideias, e pela protecção que me tem concedido, fazendo com que este projecto de formação culminasse pela sua graça.

À família, que sempre me acompanhou tanto nos momentos de maior desequilíbrio, podendo ser o suporte para que eu não tivesse uma queda livre.

Aos amigos (as), como companhia indispensável nos momentos alegres e até mesmo quando não me encontrasse com boa disposição, foram sempre o calmante jamais visto; com maior destaque o meu compadre Gaspar da Silva (Três-Três) e António Dala.

Aos docentes, que incansavelmente deram o seu máximo para incutir o que não fazia parte de mim (o conhecimento avançado).

Ao orientador Dr Diego Kurtz, que com o seu saber soube colocar o necessário e o importante dentro de mim.

Ao meu superior hierárquico, pela paciência que teve comigo, porque muitas vezes tive de prejudicar o trabalho para atender questões ligadas a formação.

A todos, OBRIGADO.

Eu António Miguel Zangui, com Bilhete de Identidade nº 005549736KN044, do Arquivo do Kwanza-Norte, aluno do programa académico, Mestrado em Direcção Estratégica das Organizações de Saúde, declaro:

O conteúdo do presente documento é um reflexo do meu trabalho pessoal e manifesto que antes de qualquer notificação de plágio, cópia ou falta de fonte original, sou responsável directo legal, económico e administrativo sem afectar o Director do trabalho, a Universidade e quantas instituições tenham colaborado nesse trabalho, assumindo as consequências derivadas das tais práticas.

Autorização VI

Ndalatando, Angola Janeiro de 2015

Para: Fundação Universitária Ibero-americana – FUNIBER

Att: Direcção Académica

Por este meio autorizo a publicação electrónica da versão aprovada do meu projecto final sob o título “DEGRADAÇÃO DE TALENTOS” no campus virtual e noutros espaços de divulgação electrónica desta instituição.

Informo os dados para a descrição do trabalho

Título Degradação de Talentos no sector da saúde, algumas tendências na província do Cuanza-Norte Autor António Miguel Zangui

Resumo

A falta de políticas de desenvolvimento do pessoal que vise a prossecução da actualização das suas carreiras no sector da saúde, a falta de motivação do pessoal e a falta de recursos materiais nas instituições, tudo isso e muito mais, reflecte num aproveitamento inadequado dos talentos em termos de recursos humanos, cujas consequências são reflectidas na falta de RH nos municípios e consequente atendimento inadequado e não humanizado.

Programa Mestrado em Direcção Estratégica das Organizações de Saúde Palavras-chaves Trabalho, Talentos, Saúde, Técnicos, Abandono Contactos 913581997 e 939514272 ou antoniozangui@yahoo.com.br

Atentamente

“…o que sabemos é uma gota, o que ignoramos é um oceano…” (Isaac Newton)

O tema “Degradação de Talento no sector da saúde, algumas tendências na Província do Kwanza-Norte” tem como objectivo geral a “identificação das causas que estão na base da degradação de talentos no sector da saúde na província do Kwanza-Norte”; sendo um dos dilemas que coloca directivos de um lado e funcionários do outro, este fenómeno comum neste sector da vida social, tem várias causas direitas principais que vão desde a falta de motivação do pessoal, a ausência de recursos para o trabalho, salários baixos em relação o custo de vida na sociedade inserida, assim como a falta de atenção por parte dos directivos bem como a inadequada qualificação em termos de promoção dos técnicos com base a sua formação e como que não bastasse um enquadramento inexistente tendo em conta o nível académico adquirido pelos funcionários. Em suma a falta de políticas de desenvolvimento do pessoal que vise a prossecução da actualização das suas carreiras no sector da saúde, a falta de motivação do pessoal e a falta de recursos materiais nas instituições; tudo isso reflecte num aproveitamento inadequado dos talentos em termos de recursos humanos, cujas consequências são reflectidas na falta de RH em quase todas as unidades sanitárias do Serviço nacional de Saúde na província e consequente atendimento inadequado às populações. Metodologicamente para a execução deste trabalho, e com vista a dar mais ênfase no enfoque, na realidade vivida, optei por um estudo de caso. Cabendo aos directivos uma tomada de atitude para proporcionar serviços transparentes e necessários que vise a uma motivação do pessoal no nível do sector que dirigem.

a) Palavras-chaves: Trabalho, Talentos, Saúde, Técnicos, Abandono.

LISTA DE TABELAS …………………………………………………X

SECÇÃO I 2. - KWANZA-NORTE: ASPECTOS GERAIS CONTEXTUAIS …………...………….. 17

1.3. TRABALHO NO ACTUAL CONTEXTO ……………………………………………………2
2.5. SALVAMENTO EM TEMPO REAL E OPORTUNO DO SECTOR DA SAÚDE…………35

CAPÍTULO 5. RESULTADOS E DISCUSSÕES

Figura 1 – Mapa da província ………………………………………..……………………………19

LISTA DE SIGLAS MINSA – Ministério da Saúde DPS – Direcção provincial da saúde GPKN – Governo provincial do Kwanza-Norte EFTS – escola de formação de técnicos de saúde RH – Recursos Humanos RMS – Repartições Municipais de saúde ICGA – Instituto de cartografia e geofísica de Angola PMDS – planos municipais de desenvolvimento sanitária FUNIBER – fundação ibero-americana KN – Kwanza-Norte HP – Hospital Provincial HMI – Hospital materno Infantil PS – Posto de Saúde LGT- lei Geral de trabalho OMS – Organização mundial de saúde CPS – Cuidados primários de saúde HM – Hospitais municipais MINDEF – Ministério da defesa

LISTA DE ABREVIATURAS Cap. I – capítulo I Tab. – Tabela Fig. - Figura a.c – antes de cristo Nac. - Nacional Sup. - Superior Aux. - Auxiliar Enf. - enfermeiro Técn. - Técnicos Diagn. - Diagnóstico Administ. – Administração / administrativo Prov. - Província Hosp. - Hospital

I - INTRODUÇÃO 12

Tanto no passado como na actualidade, não se pode falar em talento sem falar de recursos humanos que carregam tal condição necessária, muitas vezes sem que seja dado o verdadeiro sentido em termos de globalização contextual nas empresas dos nossos dias. Ao citar talentos, estou a me referir, a inclinação natural ou adquirida de um indivíduo realizar uma determinada actividade, facilitando o sucesso. No Cristianismo a palavra foi usada como símbolo de riqueza, isto é, antiga moeda grega, que visava a sua multiplicação ou degradação total (Bíblia Sagrada, Evangelho de S. Mateus capítulo 25: 14 – 28). Segundo o “Novo Dicionário de Língua Portuguesa”da Editorial Domingos Barreira, talento corresponde a engenho, capacidade, habilidade e etc; estas qualidades podem ser naturais ou adquiridas de acordo à experiência do meio envolvente e a vontade do próprio homem em adaptar-se rapidamente à aprendizagem. Classificar o talento é dar significado naquilo que é positivo para as pessoas e que determina uma execução também positiva em termos de resultados. No contexto actual, falar de talento é olhar o homem em relação a sua execução perfecionalizante e motivadora levando a resultados positivos tanto nas áreas técnicas quanto administrativas. Já quanto à degradação, no “Novo Dicionário de Língua Portuguesa” da Editorial Domingos Barreira, o define como sendo a destruição ignominiosa dum grau ou duma dignidade; deterioração; aviltamento ou mudança insensível e contínua; em suma trata-se de desgaste. Sendo o talento natural ou adquirido, também pode se desvanecer ao longo do tempo dependendo do uso que a pessoa faz do seu talento ou dependendo das circunstâncias em que o homem portador desta virtude for tratado. Muitas organizações nacionais e internacionais só não progridem positivamente porque fazem mau aproveitamento do talento dos recursos humanos que possuem. Assim sendo posso definir “degradação de talentos” como sendo a destruição gradual das virtudes ou capacidades de realizar uma determinada actividade com a perfeição necessária, motivada por um determinado problema que surge como barreira. Tratarei fundamentalmente de encetar minha preocupação baseando-me nos funcionários do sector da saúde nesta Província sendo o que mais barreiras apresenta no aproveitamento dos talentos que possui, tendo em conta os funcionários que vão abandonando os serviços para outros sectores da vida social, assim como a própria condição social dos funcionários. Primeiramente tratarei de identificar as causas que estão na base deste subaproveitamento e também averiguar as consequências que advém da perca de talentos neste sector. Olhando pelo rendimento anual de uma maneira global da Província em termos de resultados e organização institucional, se podem identificar vários factores envolventes a partir da área de recursos humanos, não só pela avaliação de desempenho, mas também por outros factores que possam acautelar o serviço no aproveitamento do homem como recursos indispensáveis na organização e entre eles, está acometida a comunicação pelo uso de barreiras que Teixeira, Sebastião em seu livro Gestão das Organizações, aponta como as barreiras técnicas, barreiras de língua e as barreiras psicológicas, sendo estas últimas responsáveis por muitos desalentos de motivação; assim como as diferenças no tratamento que se deve dar ao homem como

13 processador da vida social, por fim “as dissonâncias.”(citadas por Teixeira, em seu livro gestão das organizações, pág. 121). “A produção nas organizações não só depende de um único recurso, mas sim dos recursos humanos, recursos materiais e recursos financeiros” Manuela Frederico e Maria Leitão (2002, pág. 107). Tudo depende do tratamento que a organização comandada pelo próprio recurso humano, estiver a dar aos outros recursos para que possam produzir e reproduzir. Então qual tem sido o papel do directivo quanto a esta situação? Acima de tudo que estilo de direcção se usa? Estas e outras perguntas me guiarão no entendimento em torno do tema.

propostas de gestão de RH no sector da saúde na Província

Assim sendo este trabalho encontra-se encetado em termos de organização por capítulos e secções que descreve-se abaixo do seguinte modo: A primeira secção é uma parte introdutora que enceta os aspectos organizacionais do trabalho, após uma corrida pelo passado que nos levou até nos dias de hoje; ainda nesta parte fez-se uma justificação que responde a pergunta porque deste trabalho, a importância do trabalho tendo em conta os pontos de vistas diversificados em que o trabalho se apresenta, o cultural, psicológico e o social; fez-se também uma incursão para se entender a administração a luz da ordem bíblica e a luz de alguns teóricos ao longo dos tempos assim como se falou da origem da palavra; ainda a nível introdução, fez-se perceber também sobre a gestão sanitária de como foi entendida no passado e os domínios pelo qual a corrida é a organização também no nível hospitalar. A segunda secção descreve pormenorizadamente os aspectos globais da Província, seu clima e os aspectos socioeconómicos, demográficos, divisão administrativa, rede sanitária funcional e não funcional assim como a rede precária, foram focados os aspectos tais como os níveis de atendimento funcionais e os níveis de atenção primária constantes na Província do kuanza-norte e finalmente estão apresentados os objectvos que se encontram divididos em gerais e específicos. A terceira secção descreve uma concepção fundamental do tema que o subdivide em cinco capítulos: No Primeiro Capítulo, fizeram-se as descrições de algumas definições do trabalho relacionando-os no passado e contexto actual, assim como foram descritas na generalidade as modalidades de emprego em Angola. Já no segundo Capítulo, definiu-se o tema do trabalho “degradação de talentos” suas causas, as regras jurídicas quanto ao abandono de lugares assim como se descreveu o papel do estado localmente. No terceiro capítulo, fez-se uma descrição não menos importantes dos recursos humanos no sector da saúde a nível da Província do Cuanza-norte, assim como fez-se também algumas No quarto e quinto capítulos, estão descritas as metodologias e os resultados e discussões que nortearam este trabalho.

a) Justificação

- O tema desperta desde o ponto de vista sociocultural uma atenção sem precedentes se, se pensar nas sociedades cuja educação é muito reduzida em termos de hábitos de avaliação administrativa e onde o papel do directivo de alto nível hierárquico ainda é muito limitado.

- Olhando pelas comunidades funcionais, vê-se que maioritariamente as degradações de talentos que aparecem têm até certo ponto um cunho da alta direcção da empresa em atendimento as necessidades básicas em termos de motivação dos funcionários tendo em conta as várias causas de que se encetam.

- Um olhar atento pelo sector da saúde nos nossos dias, os danos mentais em que os funcionários do nível mais baixo de execução ou mesmo do nível intermédio têm sido vítimas fruto de lideranças encetadas, levou-me a escolher este tema, para que contribua na mentalização e tomada de consciência da própria sociedade e como meio dos responsáveis das unidades sanitárias mudarem em termos de conduta e seguimento.

b) Importância

- De um lado este trabalho constitui o resultado de uma pesquisa realizada com vista o levantamento de muitos aspectos importantes que se pretenda levar a conhecimento não só dos directivos e trabalhadores das instituições administrativas de saúde, mas também as unidades de atendimento que duma maneira específica exige-se a mudança de sua conduta quanto ao tema em descrição.

- Por outro lado é importante também que se saiba de que este tema ajudará de uma maneira geral a contribuir na mudança de atitude para que se considere e reconsidere o funcionário como um ser humano que leva consigo sentimentos, emoções, competências e necessidades que devem ser atendidas e como que não bastasse necessidade de se desenvolver.

Este trabalho de uma maneira geral sua importância aparece em várias facetas das quais descrevemos algumas: - Do ponto de vista cultural, contribui na mudança do comportamento das comunidades, tendo em conta as fantasias que se fazem presente quanto ao comportamento falível de muitas organizações na aplicação do que (Teixeira, 1998), chamou de Cultura Risco Reduzido, Feedback Lento. - Do ponto de vista psicológico, contribui na redução negativa do subjectivismo quanto ao desemprego, evitando consequências psicológicas como depressões e outras, levando as pessoas a aceitarem as suas novas condições de vida. - Do ponto de vista social, este trabalho vai contribuir consideravelmente para que as sociedades e instituições evitem o uso abusivo de exclusão, considerando as várias facetas que encerra, tendo em conta a desestruturação das famílias quando se perde o emprego.

(Parte 1 de 8)

Comentários