Apostila Teoria Musical I

Apostila Teoria Musical I

(Parte 1 de 5)

TEORIA MUSICAL

1º ANO FUNDAMENTAL

PREFÁCIO

A Escola de Música Harmonia apresenta nesta apostila o conteúdo da aula de Teoria da Musica correspondentes ao 1º ano de estudos, onde se poderão encontrar todos tópicos a serem desenvolvidos nas aulas.

O conhecimento da teoria musical é um cimento fundamental e imprescindível para o estudo sério de um instrumento.

Está aula abarcará desde o aprendizado do ritmo, elemento básico para a interpretação em conjunto, ate a leitura e escrita de partituras, que facilitará o aprendizado das obras musicais

O estudo sério da teoria musical requer compromisso e trabalho, porém é pensando em você aluno, que a escola Harmonia se propõe acompanhar seu esforço em pro da excelência sob as artes musicais, que é expressão de nossas vidas.

Camboriú, janeiro de 2006.

Prof.Alberto Damián Montiel

ÍNDICE

I – Música

5

1.1 Som

5

1.2 Propriedades

5

1.3 Elementos

5

II – Notação Musical e Duração

6

2.1 Nota

6

2.2 Pauta

7

2.3 Claves

7

2.4 Notas Suplementares

9

2.5 Linha de Oitava

10

2.6 Figuras

10

2.7 Pausa

11

2.8 Figura e pausas que deixaram de ser usadas

11

2.9 Ligadura

12

2.10 Fermata

12

2.11 Ponto de Aumento

13

2.12 Ponto de diminuição – Staccato

13

III – Articulações

15

3.1 Legato

15

3.2 Non legato

15

3.3 Staccato

15

3.4 Tenuta

16

3.5 A linha curva e suas diferentes funções

16

IV – Sinais de Repetição

18

4.1 Nas notas

18

4.2 Nos compassos

20

V – Sinais de dinâmica

23

VI – Andamentos

25

VII – Compassos

29

7.1 Compasso

29

7.2 Como separar compasso

29

7.3 Tempos

29

7.4 Compasso simples

30

7.5 Fórmulas de Compasso

30

7.6 Compasso Composto

30

7.7 Compasso Correspondente

31

7.8 Acentuação Métrica

32

7.9 Notação de compasso

33

7.10 Análise de compasso

33

VIII – Síncope e Contratempo

37

8.1 Síncope

37

8.2 Contratempo

37

IX – Quiálteras

38

9.1 Quiálteras Aumentativas

39

9.2 Quiálteras Diminutivas

39

X – Solfejo

40

XI – Alterações

41

I – MÚSICA

Podemos definir música como a arte de combinar os sons; de acordo com suas propriedade e elementos, ordenados sob as leis da estética; expressando idéias, sentimentos e emoções.

1.1 SOM

É a impressão produzida em nosso aparelho auditivo pelas vibrações de um corpo.

a) Som musical: É aquele que se apresenta perfeitamente definindo, o que depende regularidade das vibrações do corpo sonoro.

b) Ruído: É o som indefinido, isto é, aquele que é produzido por vibrações irregulares.

1.2 PROPRIEDADES

a) Duração: É chamada de duração o tempo no qual o som é produzido, sendo representado pelas figuras de notas.

b) Intensidade: A intensidade do som é a propriedade que designa ser mais forte ou mais fraco, usando na grafia musical os sinais de dinâmica.

c) Altura: A altura do som se determina por ser mais grave, mais agudo ou intermediário (som médio), representado pelas posições das claves e notas na pintura.

d) Timbre: É a qualidade do som, pode-se por ele identificar sua origem. É através do timbre que identificamos se um som vem do instrumento, como por exemplo, o piano, flauta; ou da voz humana.

1.3 ELEMENTOS

a) Melodia: É uma sucessão de sons, formando um sentido musical.

b) Ritmo: É o movimento dos sons regidos pela sua maior ou menor duração.

c) Harmonia: São sons agrupados simultaneamente que obedecem as leis da estética.

Considera-se imprescindível a participação desses três elementos para uma expressão musical.

II – NOTAÇÃO MUSICAL E DURAÇÃO

2.1 NOTA

O som musical é representado na escrita por um sinal chamado nota. As notas, por sua vez, são representadas por figuras, que variam de acordo com a duração do som. Veja:

a) Conheça as partes de uma nota:

nota

haste

colchete

ou

barra, quando unidas em grupo.

b) As notas musicais são sete:

dó – ré – mi – fá – sol – lá – si

Quando essas notas são executadas consecutivamente damos o nome de escala. Que poderá ser ascendente ou descendente.

SI

SI

SOL

SOL

MI

MI

2.2 PAUTA

A pauta ou pentagrama, é um conjunto de 5 linhas e 4 espaços, onde são escritas as notas musicais e várias notações, como claves, fórmulas de compasso, entre outras.

As linhas e os espaços da pauta são contados de baixo para cima.

2.3 CLAVES

As sete notas musicais que já citamos, só receberão nome na escrita, como sua altura, se tivermos no início da pauta um sinal chamado clave.

As claves originam-se das letras do alfabeto que representavam os sons musicais, antes de receberem os nomes que hoje usamos; da seguinte forma:

A

B

C

D

E

F

G

Si

Mi

Sol

G: clave de Sol

F: clave de Fá

C: clave de Dó

Com o passar do tempo, foram sendo deformados por aqueles que copiavam, formando hoje novos símbolos. Veja sua transformação:

G

C

F

Atualmente é usada a clave de Sol da 2ª linha, a clave de Fá da 4ª linha; e muito raro a clave de Dó da 3ª e 4ª linhas, como mostra o quadro acima. Conheça as claves que eram usadas em tempos passados:

Utilizando mais uma clave para melhor leitura musical, tornando-se mais fácil, assim não precisamos escrever tantas linhas suplementares. Ex.:

Exercícios:

  1. Escreva o nome das notas abaixo:

  1. Faça as notas, nas claves pedidas:

c) Escreva as notas nas claves determinadas:

d) Desenhe todas as claves que você conhece:

2.4 AS NOTAS SUPLEMENTARES

A altura do som está representada na seguinte ordem:

Agudo

Grave

No entanto, as notas não se restringem apenas na pauta; elas podem ultrapassar tanto para cima da pauta, quanto para baixo; denominamos assim notas suplementares.

  1. Notas suplementares superiores: quando encontra-se acima da pauta.

b) Notas suplementares inferiores: quando encontra-se abaixo da pauta.

Escreva tanto nas linhas, quanto nos espaços pelas mesmas. Costuma-se usar até 5 linhas, porém não é limitado esse número de linhas.

2.5 LINHA DE 8ª

A linha de oitava (8ª), pode ser colocada acima ou abaixo de uma ou várias notas, indicando que as mesmas devem ser executadas respectivamente uma 8ª acima ou abaixo.

Ex.: Notação

Execução

Ex.: Notação

Execução

A linha de 8ª tem por finalidade facilitar a leitura das notas suplementares, sendo por isso muito empregada.

Além desse motivo, atualmente se usa também, para ornamentar as músicas.

2.6 FIGURAS

As figuras representam as várias durações dos sons musicais, sua grafia é diferente uma da outra.

As figuras mais usadas são:

Semibreve

Mínima

Semínima

Colcheia

Semicolcheia

Fusa

Semifusa

A semibreve é a figura de maior duração e é tomada como unidade numa divisão proporcional dos valores; é a única que compreende todas as demais.

Veja o quadro:

Nesse capítulo o professor entrará no tema COMPASSO, retornando para essa seqüência após término do capítulo.

2.7 PAUSA

Pausa é o silêncio na música, sua duração é variável. Sua representação é correspondente ás figuras e sua duração também.

Figura

Pausa

2.8 FIGURAS E PAUSAS QUE DEIXARAM DE SER USADAS:

a) Breve ou valendo o dobro da semibreve.

b) Longa valendo o dobro da breve.

c) Máxima valendo o dobro da longa.

d) Quartifusa valendo metade da semifusa.

As pausas obedecem a mesma proporção das figuras.

2.9 LIGADURA

a) Ligadura de Valor

Linha curva traçada sobre duas notas adjacentes da mesma altura para indicar que a Segunda nota não deve soar separadamente, e que o som da 1ª será prolongado de modo que corresponda ao valor de tempo de ambas as notas.

A ligadura também é usada para acordes.

Ex.:

b) Ligadura de som

(Parte 1 de 5)

Comentários