histologia - TECIDO NERVOSO

histologia - TECIDO NERVOSO

TECIDO NERVOSO

  • Características

- distribuído pelo organismo; forma rede de comunicação; dividido em: SNC (encéfalo e medula espinhal) e SNP (nervos e gânglios).

  • Funções

- detectar, transmitir, analisar, utilizar informações geradas por estímulos sensoriais; organizar e coordenar, direta ou indiretamente, o funcionamento de quase todas as funções do organismo; tecido nervoso associado a sistema endócrino.

  • Componentes

- neurônios (transmite o impulso nervoso) e células de glia (neuroglia).

  • NEURÔNIO

Responsáveis pela recepção, transmissão e processamento de estímulos; liberam neurotransmissores. Três componentes:

- dendritos: prolongamentos numerosos; função de receber os estímulos do meio ambiente; aumentam a superfície celular; tornam-se mais finos à medida que se ramificam.

- corpo celular ou pericário: contém o núcleo e do qual partem prolongamentos; rico em REG; conjuntos de cisternas e ribossomos são os corpúsculos de Nissl.

- axônio: prolongamento único, especializado na condução de impulsos que transmitem informações do neurônio para outras células; também chamados de fibras nervosas mantém seu diâmetro constante.

  • Classificação dos NEURÔNIOS

  1. Formato

- neurônio multipolar: mais de dois prolongamentos celulares.

- neurônio bipolar: possuidores de um dendrito e de um axônio.

- neurônios pseudo-unipolares: próximo ao corpo celular, prolongamento único, mas este logo se divide em dois.

Os neurônios pseudo-unipolares aparecem na vida embrionária e sob forma de neurônios bipolares; neste tipo de neurônio, o estímulo captado pelos dendritos transita diretamente para o terminal axônico, sem passar pelo corpo celular.

A grande maioria dos neurônios é multipolar.

  1. Função

- neurônio motor (efetor): controlam órgãos efetores, tais como glândulas exócrinas e endócrinas e fibras musculares.

- neurônio sensitivo: recebem estímulos sensoriais do meio ambiente e do próprio organismo.

- interneurônio (conexão): estabelecem conexões entre outros neurônios, formando circuitos complexos.

  • SINAPSE

Relação funcional de um neurônio com outro sem que haja contato com os dois; responsável pela transmissão unidirecional dos impulsos nervosos; a maioria das sinapses transmite informações por meio da liberação de neurotransmissores (são substâncias que, quando se combinam com proteínas receptoras, abrem ou fecham canais iônicos); a sinapse se constitui por um terminal axônico (terminal pré-sináptico) que traz o sinal; região na superfície da outra célula, onde se gera um novo sinal (terminal pós-sináptico); espaço delgado entre os dois terminais (fenda pós-sináptica).

Sinapse de um axônio com o corpo celular: axo-somática.

Sinapse com um dendrito: axo-dendrítica.

Sinapse entre dois axônios: axo-axônica.

- sinapses químicas: transmissão do impulso é mediada pela liberação de certas substâncias.

- sinapses elétricas: as células nervosas unem-se por junções comunicantes.

  • CÉLULAS DA NEUROGLIA (só no SNC)

Para estudo usam-se métodos especiais de impregnação pela prata ou pelo ouro.

- ASTRÓCITOS PROTOPLASMÁTICOS: encontrados na substância cinzenta; maior número de prolongamentos que são curtos e muito ramificados.

- ASTRÓCITOS FIBROSOS: prolongamentos menos numerosos e mais longos; localizam-se na substância branca.

- MICRÓGLIA: célula de defesa; detecta antígenos (tem a função de macrófago); participam do reparo do SNC.

- OLIGODENDRÓCITOS: produzem bainha de mielina que servem de isolantes elétricos.

- CÉLULAS DE SCHWANN: mesma função dos oligodendrócitos, porém localizam-se em volta dos axônios do SNP. Cada célula de Schwann forma mielina em torno de um segmento de um único axônio.

  • FIBRAS NERVOSAS

- FIBRAS MIELÍNICAS: torna o impulso nervoso mais rápido; mais calibroso o axônio, maior o número de envoltórios concêntricos (bainha de mielina); a membrana plasmática da célula de Schwann se enrola em volta do axônio, essa membrana se funde e dá origem à mielina.

- FIBRAS AMIELÍNICAS: não tem o processo de isolamento elétrico; axônios de pequeno diâmetro são envolvidos por uma única dobra da célula envoltória; não ocorre enrolamento em espiral; no SNC são mais numerosos.

  • SISTEMA NERVOSO CENTRAL

- cérebro, cerebelo e medula espinhal.

- Substância Cinzenta: corpos celulares dos neurônios, células da glia, prolongamentos de neurônios; predomina na superfície do cérebro e do cerebelo, constituindo o córtex cerebral e o córtex cerebelar.

- Substância Branca: prolongamentos dos neurônios, oligodendrócitos e outras células da glia; predomina nas partes mais centrais.

  • MENINGES

São membranas de tecido conjuntivo.

- Dura-máter: tecido conjuntivo denso.

- Aracnóide: uma parte em contato com a dura-máter e sob forma de membrana, e outra constituída por traves que ligam a arcnóide com a pia-máter; formada por tecido conjuntivo sem vasos sanguíneos.

- Pia-máter: muito vascularizada e aderente ao tecido nervoso.

  • SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO

- nervos, gânglios nervosos e terminações nervosas.

  • NERVOS

São feixes de fibras nervosas envolvidas por tecido conjuntivo; são esbranquiçados, devido aos seus conteúdos em mielina e colágeno; epineuro: camada fibrosa mais externa, que reveste o nervo e preenche os espaços entre os feixes de fibras nervosas; perineuro: revestecada feixe de fibra nervosa; endoneuro: cada axônio é envolvido pela bainha de células de Schwann.

Comentários