Telecurso 2000. Ensaio de Materiais. - ensaio de materiais - cap. 19

Telecurso 2000. Ensaio de Materiais. - ensaio de materiais - cap. 19

(Parte 2 de 2)

a)deve ser fabricado com substâncias absorventes, que favorecem a ação de mata-borrão; b)quando aplicado, deve cobrir a superfície de exame, promovendo assim o contraste; c)precisa ter granulação fina; d)tem de ser fácil de aplicar, resultando numa camada fina e uniforme; e)deve ser umedecido facilmente pelo penetrante; f)deve ser de fácil remoção, para a limpeza final; g)deve aderir à superfície; h)não deve ser tóxico, nem atacar a superfície de exame.

Como ocorre com os líqüidos penetrantes, existem também no mercado vários tipos de reveladores, para diversos tipos de aplicação. O critério de escolha deve ser similar ao do líqüido penetrante.

Os reveladores são classificados da seguinte maneira: −de pó seco

São constituídos de uma mistura fofa de sílica e talco que deve ser mantida seca. São indicados para uso em sistemas estacionários ou automáticos. Vêm caindo em desuso devido à falta de confiabilidade para detectar defeitos pequenos.

−revelador aquoso

Neste tipo de revelador, o pó misturado com água pode ser aplicado por imersão, derramamento ou aspersão (borrifamento). Após a aplicação, as peças são secas com secador de cabelo, ou em fornos de secagem.

−revelador úmido não aquoso

Neste caso, o talco está misturado com solventes-nafta, álcool ou solventes à base de cloro. Eles são aplicados com aerossol ou pistola de ar comprimido, em superfícies secas.

A função principal desse revelador é proporcionar um fundo de contraste branco para os penetrantes visíveis, resultando em alta sensibilidade.

−revelador em película

É constituído por uma película adesiva plástica contendo um revelador que traz o líqüido penetrante para a superfície.

À medida que a película seca, formam-se as indicações das descontinuidades. Este método permite que, após o ensaio, possa destacar-se a película da superfície e arquivá-la.

Dica Hoje já existem no mercado kits que fornecem o produto de limpeza (solvente), o líqüido penetrante e um revelador. Estes kits são de grande valia, pois facilitam muito a vida do inspetor. Mas devemos consultar as especificações de ensaio para poder escolher o kit com os produtos mais adequados.

Exercícios

Marque com um X a resposta correta:

1.O ensaio por líqüidos penetrantes teve seu início: a)()na fabricação de cascos de navios; b)()nas pontes da África; c)()nas torres de alta tensão americana; d)()nas oficinas de manutenção das estradas de ferro, em várias partes do mundo.

2.Numere de 1 a 5, a seqüência correta de execução do ensaio por líqüidos penetrantes. a)()remoção do excesso de líqüido penetrante; b)()preparação e limpeza da superfície de ensaio; c) ( ) revelação; d)()aplicação do líqüido penetrante; e)()inspeção e limpeza da peça.

3.Para que a imagem da descontinuidade fique visível, devemos contrastar com o líqüido penetrante um: a) ( ) revelador; b)()outro líqüido penetrante mais forte; c)()água com soda cáustica; d) ( ) líqüido incolor.

4.Assinale com um C as proposições corretas, que exprimam vantagens em usar o ensaio por líqüidos penetrantes: a)()o treinamento é simples e requer pouco tempo do operador; b)()o ensaio pode revelar descontinuidades da ordem de até 1mm; c)()só podemos ensaiar peças de determinado tamanho; d)()a interpretação dos resultados é fácil de fazer.

a)
b)
c)
d)

5.Escreva abaixo quatro características que um bom líqüido penetrante não pode deixar de ter.

Gabarito

4.As afirmações a e d estão corretas.

5.Escrever pelo menos quatro dos itens da página onde está o título: Um bom líqüido penetrante

(Parte 2 de 2)

Comentários