TELECURSO 2000 Mecânica - 02. simplificando o trabalho

TELECURSO 2000 Mecânica - 02. simplificando o trabalho

(Parte 1 de 2)

AULA 2

Simplificando o trabalho

A simplificaçªo do trabalho constitui outro meio que favorece diretamente a produtividade.

Essa simplificaçªo se relaciona com a melhoria de um mØtodo de trabalho, seja ele de natureza científica ou simplesmente surgido da prÆtica. Simplifica-se com o objetivo de aumentar a produtividade. Para isso, o mØtodo passa por alteraçıes de modo que o trabalho se torne:

lMAIS SIMPLES lMAIS BARATO lMENOS FATIGANTE lMAIS R`PIDO lMENOS PERIGOSO lCOM MELHOR QUALIDADE lMENOS POLUIDOR

Na tØcnica de simplificaçªo do trabalho sªo usados os próprios recursos humanos e materiais da empresa e poucos recursos financeiros.

Para a melhoria de mØtodo de trabalho, a simplificaçªo dÆ resultados altamente compensadores. Essa melhora só modifica o mØtodo existente e nªo pode modificar as características de projeto ou processos que sªo de competŒncia de outro departamento. Isto, no entanto, nªo impede que demos sugestıes.

Como a simplificaçªo do trabalho se liga ao modo ou mØtodo de trabalho, Ø necessÆrio saber o que se entende por modo ou mØtodo de trabalho.

MØtodo de trabalhoMØtodo de trabalhoMØtodo de trabalhoMØtodo de trabalhoMØtodo de trabalho

Se um trabalho simples for distribuído a diversas pessoas sem que se indique a elas o mØtodomØtodomØtodomØtodomØtodo a ser usado, talvez cada pessoa use um modo diferente para fazer sua tarefa. Como conseqüŒncia, os trabalhos poderªo ser feitos em tempos diferentes, com custo e qualidade variados. O que lhes falta, entªo, Ø um mØtodo de trabalhomØtodo de trabalhomØtodo de trabalhomØtodo de trabalhomØtodo de trabalho.

MØtodo de trabalho Ø um conjunto de princípios,MØtodo de trabalho Ø um conjunto de princípios,MØtodo de trabalho Ø um conjunto de princípios,MØtodo de trabalho Ø um conjunto de princípios,MØtodo de trabalho Ø um conjunto de princípios, procedimentos e tØcnicas, adotado paraprocedimentos e tØcnicas, adotado paraprocedimentos e tØcnicas, adotado paraprocedimentos e tØcnicas, adotado paraprocedimentos e tØcnicas, adotado para se fazer algo, ou a maneira como se trabalha.se fazer algo, ou a maneira como se trabalha.se fazer algo, ou a maneira como se trabalha.se fazer algo, ou a maneira como se trabalha.se fazer algo, ou a maneira como se trabalha.

2 A U L A

AULA2

Imaginemos que dois indivíduos tenham de transportar lingotes de alumínio do almoxarifado para o forno. Um indivíduo pode fazer o transporte pegando um lingote com cada mªo e colocando-os num carrinho. O carrinho Ø empurrado atØ próximo ao forno e os lingotes sªo empilhados. JÆ o segundo indivíduo decide apanhar dois lingotes de cada vez, puxando o carrinho e empilhando os lingotes, aos poucos, perto do forno.

Sªo dois mØtodos diferentes de trabalhar, e um deles deve ser mais adequado à produtividade. É preciso analisar e estudar os dois mØtodos para identificar as vantagens de cada um. Com esse estudo, Ø possível chegar ao melhor mØtodo ou forma de fazer o trabalho, ou seja, um modo de trabalhar que seja simples, rÆpido e produtivo. É o que se chama de mØtodo simplificado de trabalho.

Para adotar um mØtodo simplificado de trabalho, Ø necessÆrio que as pessoas sejam treinadas no seu uso, atØ se acostumarem com ele e trabalharem de forma entrosada. A duraçªo do treinamento vai depender dos operÆrios e do nível de dificuldade das mudanças feitas.

No início, o emprego de um novo mØtodo de trabalho pode causar dificuldades. Isto Ø normal porque toda mudança na forma de trabalho exige tempo e força de vontade para os operÆrios se adaptarem ao novo mØtodo.

É importante que todos os operÆrios usem o mesmo mØtodo para racionalizar o trabalho, ou seja, com economia de esforços, de tempo e de materiais, sem prejuízo da qualidade.

ConvØm lembrar que a simplificaçªo do trabalho liga-se diretamente ao mØtodo de trabalho com o objetivo de que ele fique melhor para se alcançar maior produtividade.

Portanto, quando vamos simplificar um trabalho, só vamos modificar o modo como se trabalha. Apesar de a troca de equipamentos velhos, a revisªo de projetos etc. serem procedimentos necessÆrios para aumento da produtividade, esses procedimentos nªo podem ser incluídos na tØcnica da simplificaçªo do trabalho porque, como jÆ vimos, eles vªo interferir nas atividades de outros departamentos.

Assinale com (X) a alternativa correta.

Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1 A troca de uma mÆquina antiga por outra moderna Ø objetivo:

a)a)a)a)a)()da tØcnica de simplificaçªo do trabalho b)b)b)b)b)()de projeto de modernizaçªo c)c)c)c)c)()de projeto de manutençªo

Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2 A necessidade de simplificar nosso trabalho estÆ relacionada com o objetivo de:

a)a)a)a)a) ( ) reduzir impostos b)b)b)b)b) ()melhorar o leiaute c)c)c)c)c)()aumentar a produtividade

Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3 A simplificaçªo do trabalho estÆ relacionada com:

a)a)a)a)a)()planejamento da produçªo b)b)b)b)b) ()mØtodo de trabalho c)c)c)c)c)()projeto de modernizaçªo de mÆquinas

Exercícios

AULA2

Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4

Se cada operÆrio de uma empresa trabalhar com um mØtodo diferente pode ocorrer: a)a)a)a)a)()falha de modernizaçªo das mÆquinas b)b)b)b)b)()falha de organizaçªo do trabalho c)c)c)c)c)()falha de horÆrio de trabalho

Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5 O emprego de um mesmo mØtodo de trabalho facilita:

a)a)a)a)a)()execuçªo de projetos b)b)b)b)b)()modernizaçªo de mÆquinas c)c)c)c)c)()simplificaçªo do trabalho

Plano para simplificaçªo do mØtodo de trabalhoPlano para simplificaçªo do mØtodo de trabalhoPlano para simplificaçªo do mØtodo de trabalhoPlano para simplificaçªo do mØtodo de trabalhoPlano para simplificaçªo do mØtodo de trabalho

Vamos tomar como exemplo a fabricaçªo de caixas de madeira para embalagem, na seçªo de marcenaria de uma empresa. As partes de madeira jÆ vŒm cortadas, de outro setor, nas medidas exatas.

MØtodo em usoMØtodo em usoMØtodo em usoMØtodo em usoMØtodo em uso

Pega-se o fundo e uma lateral maior da caixa, fixando-as com trŒs pregos.

Em seguida, pega-se a outra lateral maior, que Ø tambØm pregada com trŒs pregos. Depois sªo colocadas as laterais menores, pregando cada uma com dois pregos.

Finalmente, Ø colocado o tampo com trŒs pregos nos lados maiores e dois pregos nos lados menores. Esses pregos sªo cravados levemente (apontados) e nªo profundamente, para serem retirados facilmente quando a caixa for usada como embalagem. Depois os pregos serªo cravados totalmente.

Em seguida, as caixas sªo empilhadas num carrinho, colocado ao lado esquerdo da bancada. Quando cheio, o carrinho Ø transportado para a expediçªo e substituído por outro carrinho vazio.

MATERIAISMATERIAISMATERIAISMATERIAISMATERIAIS:::::lFundo de madeira e tampo de madeira: 400 · 300 m lLado menor de madeira: 280 · 200 m lLado maior de madeira: 400 · 200 m lPregos sem cabeça lEspessura da madeira: 10 m

EQUIPAMENTOEQUIPAMENTOEQUIPAMENTOEQUIPAMENTOEQUIPAMENTODEDEDEDEDE
PROTEOPROTEOPROTEOPROTEOPROTEOINDIVIDUALINDIVIDUALINDIVIDUALINDIVIDUALINDIVIDUAL:::::lLuvas de malha

FERRAMENTAFERRAMENTAFERRAMENTAFERRAMENTAFERRAMENTA::::: l Martelo de orelha lÓculos de proteçªo

AULA 2

Para facilitar a melhoria do mØtodo em uso nesse trabalho, vamos utilizar um plano simples mas de resultados surpreendentes, bastando, para isso, seguir os passos indicados:

1.1.1.1.1. ObservarObservarObservarObservarObservar lVerificamos que as laterais, tampos, fundos e pregos sªo abastecidos, continuamente, por um ajudante do próprio setor; lO mesmo ajudante Ø quem retira o carrinho cheio de caixas prontas. Ele as leva à expediçªo e volta com o carrinho vazio; lObservamos que, às vezes, falta matØria-prima, o que acarreta parada de produçªo por alguns minutos; lOs carrinhos, às vezes, saem com excesso de carga e nªo sªo substituídos por outro carrinho vazio, quando um cheio Ø transportado.

lEm cada caixa sªo usados 28 pregos.

As partes das caixas, menos os pregos, estªo colocadas na bancada, fora do alcance mÆximo das mªos, o que obriga o operador a se dobrar para fazer a caixa.

A altura da bancada Ø de 750 m em relaçªo ao piso. Por isso, o trabalhador precisa se abaixar muito para colocar as primeiras caixas prontas no carrinho.

AlØm disso, o trabalhador só pode trabalhar de pØ porque nªo hÆ cadeira para ele se sentar.

Este primeiro passo Ø o de observar. Devemos observar toda a seqüŒncia do mØtodo de trabalho usado, anotando detalhes, desde quando a matØria-prima ou o produto semi-acabado chega ao seu posto de trabalho atØ como eles sªo retirados e transportados para outros postos.

Observe, portanto, os detalhes que vocŒ acha importantes para depois analisÆ-los.

2.2.2.2.2.Dividir o mØtodoDividir o mØtodoDividir o mØtodoDividir o mØtodoDividir o mØtodo

Neste passo vocŒ deve registrar todos os movimentos do trabalhador para fazer a caixa. Ao lado de cada movimento registrado, indique jÆ, se for o caso, o que deve ser modificado.

400 m280 m400 m tampo ou fundo da caixalado maior

200 m200 m 300 m lado menor

2 MOVIMENTOSMOVIMENTOSMOVIMENTOSMOVIMENTOSMOVIMENTOSMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICA˙ÕES A SEREM FEITAS

2 MOVIMENTOSMOVIMENTOSMOVIMENTOSMOVIMENTOSMOVIMENTOSMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICAÕES A SEREM FEITASMODIFICA˙ÕES A SEREM FEITAS

Tempo cronometrado: mØdia de 10 medidas: 6,3 minutos para montar uma caixa.

Como vocŒ viu no exemplo, o modo como o trabalhador faz a caixa Ø descrito de uma maneira simples, mas bem detalhada e na seqüŒncia dos acontecimentos. Essa descriçªo permite uma visªo clara para, depois, vocŒ simplificar o trabalho. As idØias para melhorar o mØtodo sªo anotadas ao lado de cada movimento registrado. Use uma linguagem que vocŒ entenda.

TambØm vocŒ deve observar e registrar outros aspectos do trabalho, como, por exemplo:

lmanejo de ferramentas lmanejo de matØria-prima ltrabalho de mÆquina ltrabalho manual

AULA2Ainda, vocŒ deve registrar o seguinte: ltempo de execuçªo de cada produto; use um cronômetro comum, ou peça auxílio aos colegas de departamento de mØtodos; ldistâncias percorridas; use uma trena comum; lquantidade de caixa feitas por hora; lquantidade de matØria-prima.

3.3.3.3.3. CriticarCriticarCriticarCriticarCriticar

Após descrever o mØtodo em uso, vamos criticÆ-lo, isto Ø, fazer perguntas a nós mesmos e tentar responder a elas: lPor que pegar prego tantas vezes? lÉ possível fazer melhor? lA seqüŒncia do trabalho pode ser outra? VocŒ pode fazer outras perguntas.

Criticar significa colocar em dœvida como estÆ sendo feito o trabalho para que ele possa ser melhorado. Adote uma atitude interrogativa, isto Ø, levante questıes para cada movimento que foi registrado no quadro de descriçªo de movimentos. Tente responder às questıes, colocando em dœvida a necessidade de cada movimento. As perguntas podem ser as que seguem:

lPor que Ø feito? lÉ necessÆrio fazŒ-lo? lSeria possível fazer melhor? lPor que nesta quantidade? lPor que sou eu que faço? lSou suficientemente competente? lPreciso ser mais treinado? lPor que Ø feito no meu posto de trabalho? lNªo poderia ser feito antes? Ou depois? lNªo poderia ser feito com outra tarefa? lPor que Ø feito desse jeito? lPor que Ø feito com esses meios?

Em resumo, as perguntas sªo feitas para responder ao seguinte:

O que deve ser feito? Onde? Quando?Por quŒ? Como? Com quem?

AULA2

4.4.4.4.4.Elaborar o novo mØtodoElaborar o novo mØtodoElaborar o novo mØtodoElaborar o novo mØtodoElaborar o novo mØtodo

Depois de observar, registrar e criticar o modo como as caixas sªo feitas, vocŒ jÆ tem condiçıes para melhorar esse modo de trabalhar. Para isso, vocŒ precisa identificar quais modificaçıes devem ser feitas. Por exemplo: eliminar movimentos, reduzindo o nœmero de vezes que se pega pregos e que se pega e deixa o martelo sobre a bancada.

Outras modificaçıes para a simplificaçªo do trabalho: Combinar:Combinar:Combinar:Combinar:Combinar:Pega laterais menores e depois, as maiores.

Redispor:Redispor:Redispor:Redispor:Redispor:Colocar as laterais maiores e menores antes de colocar o fundo da caixa.

Melhorar:Melhorar:Melhorar:Melhorar:Melhorar: Acessórios astuciosos

-Providenciar cepo de madeira do tamanho interno da caixa para facilitar a montagem das laterais. O cepo deve ter abas com ranhuras para encaixe das laterais. Embaixo do cepo deve haver um eixo que possibilite o conjunto girar sobre a bancada.

-Colocar os pregos mais próximos à montagem das caixas.

Zonas de trabalho:Zonas de trabalho:Zonas de trabalho:Zonas de trabalho:Zonas de trabalho:-Colocar a matØria-prima ao alcance dos braços.

-Levantar a bancada atØ a altura correta (aproximadamente, na altura do umbigo de um homem em pØ) e providenciar assento alto com apoio para os pØs e encosto para as costas.

Outras providŒncias para simplificar e melhorar o trabalho:

lDeterminar quantias mínimas de materiais (no caso, 8 unidades) de cada parte da caixa para solicitar mais materiais. Quando o trabalhador verificar que só hÆ 8 unidades, deve avisar ao abastecedor, colocando um cartªo vermelho sobre a bancada. Quando o carrinho estiver quase cheio, faltando 5 caixas para completÆ-lo, avisar o encarregado por meios de um cartªo amarelo, para retirar o carrinho e deixar outro carrinho vazio.

lMudar o carrinho para o lado direito e construir uma rampa em madeira (as caixas sªo leves). A rampa facilita a tarefa do trabalhador de modo que ele nªo precise se abaixar.

Com essas idØias postas em prÆtica, o novo mØtodo se reduz aos procedimentos colocados a seguir.

AULA2

Tempo cronometrado (mØdia de dez medidas) = 3,2 minutos. A cronometragem deve ser realizada após uma semana de uso do novo mØtodo. Vimos, assim, que com pequenos gastos e idØias podemos melhorar bastante o trabalho com vantagens para todos: funcionÆrios, empresas e consumidores.

MELHORE!

fl fl

AULA2

VocŒ viu como, a partir da anÆlise crítica, foi possível elaborar um novo mØtodo. Foram verificadas todas as possibilidades para simplificÆ-lo na seguinte ordem de importância:

Em resumo:Em resumo:Em resumo:Em resumo:Em resumo: lDesenvolva suas próprias idØias, discutindo-as com outras pessoas. lDescreva o novo mØtodo, por escrito, dizendo quais pessoas o ajudaram. lFaça a mediçªo do tempo. lFaça novas medidas de distâncias, se as distâncias anteriores foram modificadas. lCompare os resultados com o mØtodo anterior. lFaça experiŒncia do novo mØtodo. lVerifique se houve interferŒncias nªo autorizadas no projeto ou processo. lVeja se todos os fatores para alcançar a produtividade foram considerados e equilibrados.

5. Aplicar o novo mØtodo5. Aplicar o novo mØtodo5. Aplicar o novo mØtodo5. Aplicar o novo mØtodo5. Aplicar o novo mØtodo

Só depois de mostrar aos colegas e superiores as vantagens do novo mØtodo a ser posto em prÆtica, inicia-se a sua aplicaçªo.

Outras medidas devem ser tomadas, como: fazer o cepo giratóriocepo giratóriocepo giratóriocepo giratóriocepo giratório e a rampa para os carrinhos, a serem colocados no lado direito da bancada. Aumentar as “pernas” da bancada, para ela se tornar mais alta, e colocar um apoio para os pØs. A cadeira alta foi obtida em outros setores da própria empresa, como, por exemplo, a seçªo de desenho. Os sinais para abastecer (cartªo vermelho) e retirar carrinho (cartªo amarelo), podem ser feitos em cartolina nas respectivas cores, com tamanho de 200 m · 200 m para serem vistos com facilidade.

(Parte 1 de 2)

Comentários