TELECURSO 2000 Mecânica - 01. organizando o trabalho

TELECURSO 2000 Mecânica - 01. organizando o trabalho

(Parte 1 de 2)

AULA 1

Neste módulo, vocŒ vai estudar algumas noçıes bÆsicas de organizaçªo do trabalho.

Na primeira aula Ø analisada a importância do trabalho para o bem de cada um, da sociedade e da naçªo.

Considerando que vocŒ trabalhe numa empresa, seja ela grande ou pequena, Ø feito um estudo do significado de produçªo e de produtividade. VocŒ vai ver que uma empresa pode ter uma boa produçªo, ou seja, uma grande quantidade de produtos, fabricados de forma rÆpida, com baixo custo e de boa qualidade.

Em seguida, Ø feito um estudo de posto de trabalho, que Ø a Ærea em que o operÆrio realiza seu trabalho. Neste estudo, vocŒ vai conhecer os princípios de economia de movimentos. Esses princípios facilitam a realizaçªo de um trabalho com menos esforço físico e de forma inteligente.

Na segunda aula, vocŒ encontra informaçıes relativas à simplificaçªo do trabalho, que consiste numa sØrie de procedimentos para tornar o mØtodo de trabalho mais simples, mais rÆpido e menos cansativo.

Ainda, Ø feito um estudo do significado de perdasperdasperdasperdasperdas que acontecem devido a desperdíciosdesperdíciosdesperdíciosdesperdíciosdesperdícios de material, de mÆquinas, de tempo e de esforços. Os desperdícios, ou seja, o resultado do que Ø feito sem economia, vªo causar refugosrefugosrefugosrefugosrefugos - peças malfeitas e que nªo podem ser aproveitadas - e a necessidade de retrabalhoretrabalhoretrabalhoretrabalhoretrabalho, isto Ø, de fazer novamente uma peça que foi feita com erros ou mau acabamento.

Na terceira aula, vocŒ recebe noçıes de como fazer um leiaute ou arranjo físico do local de trabalho. O objetivo dessa aula Ø mostrar como se pode organizar o espaço de trabalho para alcançar maior nível de produçªo e de produtividade, sem excesso de movimentaçªo.

Na quarta aula, vocŒ vai conhecer uma tØcnica chamada Just-in-timeJust-in-timeJust-in-timeJust-in-timeJust-in-time ou

Bem-a-tempoBem-a-tempoBem-a-tempoBem-a-tempoBem-a-tempo. Essa tØcnica permite à empresa produzir somente o que for pedido e vai ser vendido, sem, portanto, correr riscos de prejuízos. Ao mesmo tempo, a tØcnica facilita o trabalho de equipe, sendo que uma mesma pessoa pode fazer trabalhos diferentes e, assim, ter oportunidade de crescer profissionalmente.

Na quinta aula, sªo descritos dois departamentos - departamento de recursos humanos e departamento de planejamento. O objetivo Ø o de mostrar, numa organizaçªo tradicional de empresa, como os setores ou departamentos se relacionam entre si. ConvØm lembrar que, hoje, essa forma de organizaçªo tem sido substituída por outra, mais moderna, na linha de reengenhariareengenhariareengenhariareengenhariareengenharia.

No final das cinco aulas, vocŒ encontra os gabaritos dos exercícios. Assim, vocŒ terÆ oportunidade de fixar melhor as informaçıes apresentadas nas aulas.

AUTORIAAUTORIAAUTORIAAUTORIAAUTORIA JosØ Luiz Campos Coelho Nivia Gordo

Organizaçªo do trabalho

Apresentaçªo

AULA 1

Para executar qualquer tarefa com sucesso, Ø preciso que nos organizemos antes. Organizar significa pensar antes de iniciarmos a tarefa. Mas pensar em quŒ? lNa maneira mais simples de fazer a tarefa, evitando complicaçıes ou controles exagerados. lNo modo mais barato de fazer a tarefa. lNo meio menos cansativo para quem vai realizar a tarefa. lNum procedimento que seja mais rÆpido. lEm obter a melhor qualidade e o resultado mais confiÆvel. lNa maneira menos perigosa de fazer a tarefa. lNuma forma de trabalhoque nªo prejudique o meio ambiente, ou seja, que nªo cause poluiçªo do ar, da Ægua e do solo.

É fÆcil tratar cada um desses itens isoladamente para tomar providŒncias. O problema surge quando desejamos tratar todos os itens juntos. Podemos, por exemplo, escolher uma forma mais rÆpida de realizar uma tarefa. Entretanto, essa forma pode afetar a qualidade e a segurança, tornando o trabalho perigoso.

Se, por exemplo, precisamos trocar rapidamente uma lâmpada queimada sobre a mÆquina de trabalho, podemos fazer a troca subindo na mÆquina. Mas esse procedimento nªo Ø bom, porque pode nos levar a um acidente. O correto seria usarmos uma escada. A tarefa seria mais demorada mas a segurança e a qualidade estariam asseguradas.

Portanto, todos os itens devem ser pensados juntos, para que no final haja equilíbrio entre eles, de modo que um nªo prejudique o outro.

AlØm disso, precisamos pensar, tambØm, na quantidade e qualidade das pessoas e dos materiais necessÆrios, na hora e no local em que eles devem estar. Antes de iniciar o trabalho, precisamos providenciar:

l mÆquinas lferramentas adequadas e em bom estado l matØria-prima lequipamentos diversos, inclusive os de segurança ltempo necessÆrio lpessoas qualificadas etc.

Organizando o trabalho

1 A U L A

AULA 1

Quando fazemos, com antecedŒncia, um estudo de todos os fatores que vªo interferir no trabalho e reunimos o que Ø necessÆrio para a sua execuçªo, estamos organizando o trabalhoorganizando o trabalhoorganizando o trabalhoorganizando o trabalhoorganizando o trabalho para alcançar bons resultadosalcançar bons resultadosalcançar bons resultadosalcançar bons resultadosalcançar bons resultados.

Trabalho do homem

Sempre trabalhamos em funçªo de um objetivo, que pode ser a fabricaçªo de um produto ou a realizaçªo de um serviço. Serviço Ø o trabalho feito por uma pessoa para satisfazer a uma necessidade, como, por exemplo, consertar uma torneira. A torneira Ø consertada sem ser modificada. Produto Ø o resultado de um trabalho de fabricaçªo.

Quando fazemos algum produto, causando modificaçıes nas suas características físicas ou químicas, ou quando fazemos um serviço, estamos realizando um trabalho com uma finalidade.

Se, por exemplo, misturamos vÆrias matØrias-primas e levamos a mistura ao forno, as matØrias se fundem num só produto. Ocorre uma transformaçªo química, uma vez que mudam as características das matØrias-primas.

Por outro lado, se pegamos um pedaço de aço e o usinamos num torno, transformando-o numa peça, causamos uma transformaçªo física sem que se transformem as características químicas do aço.

Todas essas transformaçıes sªo feitas graças à participaçªo física ou intelectual do homem.

Importância dos trabalhos físico e intelectual

Quando carregamos uma pequena barra de aço para levÆ-la à fresa, esse trabalho Ø mais físico do que intelectual, pois estamos usando a nossa força muscular.

AULA1

Ao fazer um desenho mecânico, estamos realizando um trabalho mais intelectual do que físico.

Quase tudo que estÆ à nossa volta Ø fruto do trabalho dos homens, desde a sua criaçªo atØ a sua execuçªo. De manhª, ao tomar cafØ com leite e comer pªo com manteiga, podemos imaginar quantas pessoas colaboraram com seu trabalho físico e intelectual para termos esses produtos. Graças ao trabalho e à capacidade dessas pessoas, conseguimos viver com maior conforto e saœde.

O ser humano moderno nªo conseguiria viver sem o trabalho de todos. Podemos imaginar, tambØm, a importância do nosso trabalho para a sociedade. Muitas vezes, relacionamos essa importância com o salÆrio que recebemos. Mas, alØm do salÆrio, nosso trabalho tem um grande valor pelos benefícios que ele oferece a muitas pessoas.

É comum nos aborrecermos com a aquisiçªo de um produto que apresenta defeitos ou ficarmos decepcionados com um profissional que nos atende mal. Muitas vezes isso se deve ao fato de os trabalhadores nªo saberem a importância de seu trabalho.

É necessÆrio que nosso trabalho seja bem-feito, da maneira mais eficiente e eficaz. É comum ouvir pessoas reclamando de um mau atendimento, mas, por outro lado, essas mesmas pessoas trabalham mal nos seus próprios postos de trabalho. É o caso de perguntar por que reclamar dos outros se tambØm nªo trabalhamos bem?

Podemos concluir que todos nós devemos trabalhar com dedicaçªo e eficiŒncia para o bem comum.

Produtividade e produçªoProdutividade e produçªoProdutividade e produçªoProdutividade e produçªoProdutividade e produçªo

Obtemos maior produtividade quando organizamos nosso trabalho e tomamos as medidas adequadas para a sua execuçªo.

Mas o que Ø produzir com produtividade? É obter um produto de boa qualidade com menor preço de custo, em menos tempo e em maior quantidade. Isso Ø conseguido graças ao desempenho do trabalhador.

A produçªo Ø o aspecto da produtividade que indica a quantidade de produtos fabricados numa determinada unidade de tempo.

AULA1

Suponhamos, por exemplo, que numa certa fÆbrica sejam produzidas dez bicicletas por hora. Esse fato refere-se à produçªoproduçªoproduçªoproduçªoproduçªo. JÆ a produtividadeprodutividadeprodutividadeprodutividadeprodutividade Ø algo mais do que isso. Pode ser que as bicicletas nªo apresentem boa qualidade e que seu custo seja alto. Houve produçªo mas nªo houve produtividade.

A produtividade Ø de muita importância para toda a naçªo. Em primeiro lugar, ela beneficia os usuÆrios do nosso produto ou serviço porque eles sªo atendidos com boa qualidade e a baixo custo. Beneficia tambØm a empresa, que consegue manter-se ativa graças aos lucros obtidos. E ainda beneficia o funcionÆrio, possibilitando-lhe permanŒncia na empresa e progresso profissional.

Dessa forma, podemos concluir que a produtividade Ø um dos principais meios para o progresso da naçªo, uma vez que beneficia a todos e ajuda o desenvolvimento social e econômico.

Para alcançar um nível ótimo de produtividade, temos, na prÆtica, uma sØrie de princípios e procedimentos. Os principais deles serªo estudados a seguir.

Posto de trabalho

É o local definido e delimitado para a realizaçªo de uma atividade qualquer.

Esse local deve ter tudo que Ø necessÆrio para o trabalho: mÆquinas, bancadas, material, ferramental, instalaçıes etc. Num posto de trabalho, podem trabalhar uma ou mais pessoas.

A organizaçªo do espaço do posto de trabalho Ø de grande importância para se obter produtividade, ou seja, para se produzir mais, com menos esforço, tempo e custo, sem perda da qualidade.

Para essa organizaçªo, Ø valiosa a tØcnica baseada nos princípios deprincípios deprincípios deprincípios deprincípios de economia de movimentoseconomia de movimentoseconomia de movimentoseconomia de movimentoseconomia de movimentos.

AULA1Princípios de economia de movimentos Esses princípios orientam procedimentos para reduzir movimentos do

gens. De acordo com tais princípios,o trabalho deve ser organizado com base

profissional e aumentar a produtividade. A idØia bÆsica desses princípios Ø a de que nªo se deve fazer nada que seja desnecessÆrio. Normalmente, esses princípios sªo empregados em trabalhos contínuos, manuais e em pequenas montanas seguintes idØias:

Deve haver concordância entre o esforço a ser feito e os mœsculos a serem utilizados num trabalho físico. Pela ordem, devemos usar os mœsculos dos dedos. Se estes nªo forem suficientes para o esforço despendido, vamos acrescentando a força de outros mœsculos: do punho, do antebraço, do braço e dos ombros.

Essa quantidade de mœsculos deve ser usada de acordo com a necessidade: nem mais, o que seria desperdício de energia; nem menos, porque a sobrecarga de um só mœsculo pode causar problemas sØrios ao trabalhador.

Quando um pintor usa um pincel mØdio para pintar uma porta numa determinada altura, ele deve usar os mœsculos dos dedos mais os mœsculos dos punhos. Se utilizasse tambØm o antebraço, estaria fazendo esforço desnecessÆrio.

As mªos e os braços devem trabalhar juntos. Sempre que possível, deve-se organizar o trabalho de modo que ele possa ser realizado com as duas mªos ou os dois braços num mesmo momento e em atividades iguais.

Se, por exemplo, temos de colocar uma porca num parafuso, dar meia-volta na porca e colocar a peça numa caixa de embalagem, devemos fazer esse trabalho com as duas mªos e os dois braços. Numa empresa, esse tipo de trabalho pode ser feito de modo rÆpido e eficiente pelo trabalhador, desde que se façam as adaptaçıes necessÆrias no posto de trabalho e que o trabalhador passe por um treinamento.

braçodireitobraço esquerdo operador

1/2 volta da porca parafusos porcas operador braçoesquerdo braço direito caixas paraembalagemcaixas para embalagem encaixe p/ o parafuso parafusos porcas parafusos porcas caixas para embalagem

AULA1

Os movimentos dos braços e das mªos devem ser feitos em curvas contínuas, isto Ø, sem paradas e, se possível, de forma combinadacombinadacombinadacombinadacombinada. Um exemplo de movimento em curvas Ø o de encerar que, em vez de vaivØm, deve ser feito em círculos contínuos.

Um exemplo de movimento combinado Ø o que fazemos quando pegamos um parafuso com as mªos e o seguramos de modo que sua posiçªo fique adequada para encaixÆ-lo num furo.

Quando necessitamos transportar coisas, poderemos lançÆ-las em vez de carregÆ-las, se a distância assim o permitir. Esse lançamento deve seguir uma trajetória chamada balísticabalísticabalísticabalísticabalística porque descreve uma curva igual ao caminho que faz uma bala disparada de uma arma de fogo. É o que fazem os pedreiros ao usarem pÆs para lançar areia de um local para outro.

5. Ritmo

O trabalho deve ser feito com ritmo, ou seja, cadŒncia. Quando andamos uma longa distância, devemos manter um ritmo constante, de modo que nªo nos cansemos andando muito rÆpido, nem demoremos andando muito devagar.

Mas Ø preciso lembrar que cada pessoa tem um ritmo próprio. Assim, o trabalhador deve seguir o seu próprio ritmo e mantŒ-lo constantemente.

Ao serrar uma barra de aço de bitola fina, por exemplo, com uma serra manual, o movimento de vaivØm deve ter um ritmo normal. Um movimento excessivamente rÆpido, alØm de cansar quem estÆ serrando, pode resultar num corte malfeito, sem boa qualidade. TambØm pode causar reduçªo da produçªo pois o trabalhador, após excessivo esforço, vŒ-se obrigado a parar por muito cansaço.

AULA1

É preciso demarcar bem a zona de trabalho, que Ø a Ærea da extensªo das mªos do trabalhador quando ele movimenta os braços, sem precisar movimentar o corpo.

No plano horizontal, temos a chamada zona ótimazona ótimazona ótimazona ótimazona ótima, adequada para a realizaçªo de tarefas mais precisas, em que sªo movimentados os dedos e os punhos.

Quando usamos dedos, punho e antebraço na execuçªo de um trabalho, estamos usando a zona normalzona normalzona normalzona normalzona normal, conforme ilustra a figura abaixo.

A zona de alcance mÆximo dos braços corresponde à Ærea denominada zonazonazonazonazona mÆximamÆximamÆximamÆximamÆxima. AlØm desse limite, nªo Ø recomendÆvel a realizaçªo de nenhuma tarefa.

Todas as ferramentas, materiais, botıes de comando e pontos de operaçªo devem estar sempre colocados nessas Æreas, seguindo, se possível, a seqüŒncia: zona ótima, zona normal, zona mÆxima.

zona máxima zona normal zona ótima

AULA 1

7. Altura do posto de trabalho

A altura do posto de trabalho Ø um dos aspectos importantes para manter o conforto do trabalhador e evitar cansaço. Sempre que possível, a pessoa deve ter liberdade para trabalhar em pØ ou sentada, mudando essas duas posiçıes de acordo com sua disposiçªo física. Portanto, as mÆquinas e bancadas devem ter altura adequada à altura do trabalhador para ele trabalhar em pØ. Para seu conforto, deve haver um assento alto, regulÆvel, que lhe possibilite trabalhar sentado. No entanto, existem trabalhos que só podem ser feitos com o trabalhador sentado, como Ø o caso dos motoristas, e trabalhos que só podem ser feitos em pØ, como Ø o caso dos cozinheiros à frente do fogªo.

(Parte 1 de 2)

Comentários