TELECURSO 2000 Mecânica - 04. inc?ndio ? fogo!

TELECURSO 2000 Mecânica - 04. inc?ndio ? fogo!

4 AULA

Durante muitos sØculos, a humanidade dependeu de fenômenos naturais, como as descargas elØtricas sob a forma de raios, por exemplo, para obter o fogo. Com o tempo, o homem aprendeu a fazer o fogo e a usÆ-lo em seu benefício. Conhecer o segredo do fogo passou a ser fator de superioridade sobre quem nªo possuia esse conhecimento.

Hoje em dia Ø muito fÆcil obter o fogo. Utilizamos o fogo o tempo todo e raramente ou nunca nos damos conta do que estamos fazendo. Nªo hÆ dœvida de que o fogo Ø um elemento extremamente œtil ao homem. PorØm, ainda hoje, o fogo Ø um fenômeno que, às vezes, escapa ao nosso controle e acarreta conseqüŒncias desastrosas.

Mas, afinal, o que Ø o fogo? Como tŒ-lo do nosso lado, ao nosso serviço?

Como evitar que ele se torne sinônimo de perigo e destruiçªo? O que cada um de nós pode fazer para evitar que o fogo seja um risco fora de controle?

Esses sªo alguns dos assuntos analisados nesta aula. Depois de estudÆ-los, esperamos que vocŒ se sinta sensibilizado quanto aos procedimentos que dependem de vocŒ para evitar que o fogo se transforme em tragØdia.

O que Ø o fogo

O fogo Ø um fenômeno químico denominado combustªo. É uma reaçªo química que desprende calor e luz, alterando profundamente a substância que se queima. Para formaçªo do fogo sªo necessÆrios trŒs elementos, que reagem entre si.

·Combustível, que alimenta o fogo e serve de campo para sua propagaçªo.

Combustível Ø tudo que queima, que pega fogo. Os combustíveis podem ser sólidos (madeira, papel, tecidos etc.), líquidos (Ælcool, gasolina, óleo etc.) ou gasosos (acetileno, butano, metano etc.). Substâncias combustíveis que queimam muito rapidamente sªo chamadas inflamÆveis. É o caso da gasolina, por exemplo, citada anteriormente como combustível líquido.

·Calor, que dÆ início ao fogo, mantendo-o e propagando-o pelo combustível.

O calor provØm de fontes que se encontram ao nosso redor como, por exemplo, a brasa de um cigarro ou a chama de um fogªo de cozinha.

·Comburente, Ø o ativador de fogo que dÆ vida às chamas. O comburente mais comum Ø o oxigŒnio, elemento presente no ar que respiramos.

IncŒndio Ø fogo!

4 A U L A

Introduçªo

Nossa aula

AULABasta juntar o combustível, o comburente e uma fonte de calor, com a intensidade ideal, que teremos

como resultado o fogo. Ou seja, teremos formado o Triângulo do fogo.

Lembramos que a falta de um desses elementos implicarÆ o nªo surgimento do fogo e, conseqüentemente, a nªo manutençªo da chama. Ultimamente vem sendo incluído mais um elemento: a reaçªo em cadeia, como mostra a figura ao lado.

A prevençªo

Temos grandes incŒndios em nossas memórias: os edifícios Andraus, Joelma,

CESP, ocorridos nos œltimos anos na cidade de Sªo Paulo. Após cada um desses grandes incŒndios, a œnica certeza que ficou Ø a que todos eles começaram de um pequeno foco iniciado com a formaçªo do triângulo do fogo. Um pequeno foco pode ser um fósforo aceso jogado por engano num cesto de lixo ou um curtocircuito num aparelho de ar-condicionado.

Episódios como os dos trŒs edifícios podem ser evitados desde que se impeça a formaçªo do triângulo do fogo. Isso pode ser conseguido por meio de prevençªo. E prevenir incŒndios Ø tarefa de todos nós.

A prevençªo Ø um assunto tªo importante que mereceu atØ legislaçªo específica. No Brasil, a própria Constituiçªo e a Consolidaçªo das Leis do Trabalho determinam que sejam cumpridas normas que tŒm por objetivo garantir condiçıes seguras de trabalho.

A NR-----23, que trata de Proteçªo Contra IncŒndio, estabelece que todas as empresas devem possuir proteçªo contra incŒndios, saídas para a rÆpida retirada do pessoal em caso de incŒndio, equipamentos para combater o fogo em seu início e pessoas treinadas no uso desses equipamentos.

Para pesquisar!

Que tal conhecer melhor a NR-23? Procure-a na biblioteca mais próxima ou no setor de segurança de sua empresa. Tome conhecimento de todo o conteœdo da norma e discuta com seus colegas de trabalho e de estudo em que ela pode ser œtil para vocŒs.

Como evitar incŒndios?

Para ser bem sucedido na prevençªo de incŒndios, Ø preciso, antes de mais nada, ter mentalidade prevencionista e espírito de colaboraçªo. A melhor medida para prevenir incŒndios, como jÆ foi dito, Ø evitar a formaçªo do triângulo do fogo, o que pode ser conseguido por meio de algumas medidas bÆsicas, como por exemplo:

·armazenamento adequado de material; ·organizaçªo e limpeza dos ambientes;

·instalaçªo de pÆra-raios;

·manutençªo adequada de instalaçıes elØtricas, mÆquinas e equipamentos.

AULAAnalise cada uma das medidas apresentadas a seguir e depois verifique se elas estªo sendo observadas em seu ambiente de trabalho e em sua casa.

Armazenamento

Materiais inflamÆveis devem ser guardados fora dos edifícios principais, em locais bem sinalizados, onde a proibiçªo de fumar deve ser rigorosamente obedecida.

Organizaçªo e Limpeza

AlØm de tornarem o ambiente de trabalho mais agradÆvel, evitam que o fogo se inicie e se propague por um descuido qualquer. Lixo espalhado geralmente Ø fonte inflamÆvel, podendo ter como conseqüŒncia a ocorrŒncia de incŒndios.

TambØm o setor administrativo deve merecer muita atençªo, pois o volume de material combustível, representado por móveis, cortinas, carpetes e forros Ø muito grande, possibilitando grande risco de incŒndio.ÁLCOOLBENZINA

AULAPÆra-raios

Os incŒndios provocados pelos raios sªo muito comuns. Todas as edificaçıes devem possuir a proteçªo do pÆra-raios, cuja instalaçªo e manutençªo periódica devem ser feitas por especialistas.

Um pÆra-raios conta essencialmente de uma haste metÆlica disposta verticalmente na parte mais alta do edifício a proteger. A extremidade superior da haste termina em vÆrias pontas (geralmente trŒs) e a inferior Ø ligada à Terra por meio de um cabo metÆlico que Ø introduzido profundamente à Terra.

Manutençªo adequada de instalaçıes elØtricas, mÆquinas e equipamentos

Cuidado com as instalaçıes elØtricas, que ocupam um dos primeiros lugares como fonte causadora de incŒndio. Elas devem ser projetadas adequadamente e receber manutençªo constante. Fios e componentes desgastados devem ser substituídos. Devem ser evitadas, tambØm, as improvisaçıes ou gambiarras e a realizaçªo de serviços na Ærea somente deve ficar a cargo de pessoas capacitadas.

Os equipamentos e mÆquinas devem receber manutençªo e lubrificaçªo periódicas, para evitar o aquecimento que gera calor, colocando em risco o ambiente de trabalho.

Muito bem. Chegou a hora de verificar se vocΠentendeu bem as regras apresentadas.

AULAObserve a cena a seguir e aponte os 7 erros, que mostram situaçıes em desacordo com as regras bÆsicas de prevençªo contra incŒndios.

Sem dœvida, a cena anterior mostra absurdos que nªo devem ocorrer em ambiente algum. Veja se vocŒ identificou todos eles: os cilindros de oxigŒnio estªo soltos e próximos à instalaçªo elØtrica e aos tambores de óleo, que estªo armazenados em local impróprio, desprotegidos e próximos da soldagem; as caixas estªo mal empilhadas; a almotolia (lubrificador de mÆquinas) estÆ jogada no chªo, que por sua vez apresenta manchas de óleo; próximo ao esmeril observa-se uma ligaçªo improvisada de dois fios desencapados e um tambor de lixo. Para completar, os trabalhadores que estªo esmerilhando nªo usam óculos de proteçªo e um deles usa cadeira inadequada. Isso nªo Ø um local de trabalho, mas sim uma bomba-relógio!

Os primeiros cinco minutos

Em qualquer incŒndio, os cinco primeiros minutos sªo decisivos. Se o fogo nªo for dominado nesse prazo, a tendŒncia Ø ele escapar ao controle. Por essa razªo Ø tªo importante evitar que os incŒndios comecem, ou pelo menos, se começarem, devem ser extinguidos rapidamente.

Toda empresa deve ter um plano de prevençªo e combate a incŒndios e um sistema de controle que proporcione rÆpida comunicaçªo e correspondente tomada de providŒncias. Ele orienta muito sobre a utilizaçªo de equipamentos, retirada das pessoas e, ainda, sobre os primeiros socorros.

Do mesmo modo, toda empresa deve organizar sua brigada de incŒndios, composta por pessoas treinadas para verificar condiçıes de riscos de incŒndio ou explosªo; combater o fogo no seu início, buscando romper o triângulo do fogo; isolar as Æreas, combater o incŒndio usando hidrantes ou extintores, assim como coordenar e comandar toda açªo de abandono da Ærea de risco.

Esse grupo deve conhecer os tipos de incŒndios mais provÆveis de acontecer na empresa a que pertence e ter, entre seus membros, elementos de diversos setores, especialmente das Æreas de manutençªo e supervisªo que, pelas características de suas atividades, estªo checando freqüentemente as irregularidades.

AULATodo incŒndio Ø igual?

Parece difícil pensar que alguØm vÆ se preocupar com teorias sobre tipos de incŒndio, quando estiver numa situaçªo de risco. Entretanto, esse Ø um conhecimento muito importante e œtil porque somente conhecendo a natureza do material que queima, poderemos descobrir a forma correta de extingüi-lo e utilizar o agente extintor adequado.

Diferentes tipos de materiais provocam diferentes tipos de incŒndios e requerem, tambØm, diferentes tipos de agentes extintores. Em funçªo do tipo de material que se queima, existem quatro classes de incŒndios, descritas a seguir.

( * ) Com a corrente desligada, este tipo de incŒndio passa a ser combatido como se fosse de classe A ou B.

Atençªo:

·nos fogos classe A, em seu início, poderªo ser usados ainda pó químico seco ou gÆs carbônico!

·a extinçªo de incŒndios tipo D requer a utilizaçªo de pós especiais, de acordo com o metal envolvido no incŒndio.

Para extinçªo do fogo podemos utilizar o sistema hidrÆulico ou os extintores de incŒndio.

`gua Espuma

GÆs carbônico Pó químico seco Espuma

GÆs carbônico Pó químico seco

Pó químico seco especial Limalha de ferro Grafite

IncŒndios envolvendo materiais sólidos que queimam em superfície e profundidade e deixam resíduos. Ex.: madeira, papelªo, tecidos etc.

IncŒndios envolvendo materiais líquidos e gasosos, que queimam em superfície e nªo deixam resíduos (nªo hÆ formaçªo de brasas).

IncŒndios envolvendo toda linha de materiais energizados, isto Ø, ligados (*) Ex.: motores, equipamentos elØtricos etc.

IncŒndios envolvendo materiais pirofóricos, isto Ø, que se inflamam quando entram em contato com o ar. Ex.: MagnØsio, Titânio, Zircônio etc.

AULAO sistema hidrÆulico Ø constituído por hidrantes, que sªo dispositivos existentes em redes hidrÆulicas, facilmente identificÆveis pela porta vermelha

com visor, e chuveiros automÆticos, que sªo sistemas de encanamento de Ægua acionados automaticamente quando ocorre elevaçªo da temperatura, evitando a propagaçªo do fogo.

Os extintores sªo aparelhos que servem para extingüir instantaneamente os princípios de incŒndio. De modo geral, sªo constituídos de um recipiente de metal contendo o agente extintor. Os extintores mais utilizados sªo: Extintor de `gua Pressurizada, Extintor de GÆs Carbônico, Extintor de Espuma Mecânica e Extintor de Pó Químico Seco.

Verificando o entendimento

Baseado no que vocΠaprendeu, pense, discuta com seus colegas e responda:

·um trabalhador acionou um motor elØtrico que produziu uma fagulha que caiu num monte de estopa, iniciando um pequeno incŒndio que atingiu um recipiente com gasolina, provocando uma pequena explosªo e um grande susto.

a)Como vocŒ classificaria tal incŒndio? b)Que medida tomaria para extingui-lo? c)O que teria feito para evitar que tudo isso acontecesse?

De acordo com as informaçıes que acabamos de ver, enquanto o fogo atingiu a estopa, tínhamos um incŒndio Classe A; quando atingiu a gasolina, um líquido inflamÆvel, tínhamos tambØm um incŒndio Classe B. Para a estopa, o Extintor de `gua Pressurizada; para a gasolina, o Extintor de Espuma Mecânica, GÆs Carbônico ou de Pó Químico Seco poderiam ser utilizados. Para evitar que tudo acontecesse, bastaria a remoçªo da estopa e da gasolina das proximidades do motor e seu armazenamento em local adequado.

AULAProvidŒncias em caso de incŒndio

Como vocŒ jÆ aprendeu, todo esforço deve ser feito para prevenir a ocorrŒncia de incŒndios. Mas, se apesar de todos os cuidados, ainda assim um incŒndio vier a acontecer e vocŒ se encontrar no meio dele, alguns procedimentos poderªo ajudÆ-lo a sair-se dessa situaçªo com um mínimo de conseqüŒncias desagradÆveis.

Analise com atençªo as recomendaçıes a seguir. Reflita sobre elas e preparese psicologicamente para fazer o melhor que puder, caso esse tipo de infortœnio venha a lhe acontecer.

·acionar o alarme

·chamar o corpo de bombeiros (Telefone 193)

·desligar mÆquinas, aparelhos elØtricos e bloquear entrada de energia

·abandonar a Ærea imediatamente, de forma organizada, sem correrias

A brigada de incŒndio deve entrar em açªo imediatamente, isolando a Ærea e combatendo o fogo em seu início. Assim que o corpo de bombeiros chegar, deve ser notificado sobre a classe de incŒndio (A, B, C ou D). Nessas situaçıes, o mais importante Ø manter a calma e acalmar os demais, pois o tumulto e o corre-corre somente causam confusªo e nªo ajudam em nada.

Exercício 1

Imagine que vocŒ acaba de chegar à empresa, numa segunda-feira. Esteve de fØrias e, ao chegar, percebe que ocorreram vÆrias modificaçıes no ambiente físico da empresa. Ao passar pelo escritório, percebe que hÆ, em cada uma das tomadas, um T com trŒs aparelhos ligados em cada um deles. Os telefones foram mudados de lugar e hÆ fios de extensıes que estªo nas passagens entre as mesas. Na Ærea de produçªo tambØm houve mudanças, e hÆ duas mÆquinas ligadas à mesma tomada. Na frente dessas mÆquinas, os fios da prensa foram emendados com fita crepe e duas lâmpadas instaladas provisoriamente estªo com fios descascados. AlØm disso, hÆ dois galıes de gasolina próximos de um torno mecânico. Analise a situaçªo e compare-a com o que vimos atØ agora. É uma situaçªo de risco de incŒndio? Se vocŒ acha que sim, liste abaixo as medidas de prevençªo que vocŒ acha que podem ser tomadas. Lembre-se do que falamos no tópico Como evitar incŒndios?

Exercícios

Comentários