TELECURSO 2000 Mecânica - 20. representa??es especiais

TELECURSO 2000 Mecânica - 20. representa??es especiais

(Parte 1 de 2)

AULA 20

VocŒ jÆ sabe que hÆ casos em que a projeçªo ortogrÆfica normal nªo permite a interpretaçªo satisfatória de todos os elementos da peça. Por isso, vocŒ aprendeu a interpretar vistas auxiliares e projeçªovistas auxiliares e projeçªovistas auxiliares e projeçªovistas auxiliares e projeçªovistas auxiliares e projeçªo com rotaçªocom rotaçªocom rotaçªocom rotaçªocom rotaçªo, que sªo tipos especiais de projeçªo ortogrÆfica. Mas, às vezes, dependendo das características da peça, nem as vistas auxiliares, nem a projeçªo com rotaçªo permitem mostrar com clareza todos os elementos que se quer analisar. Veja a peça abaixo, por exemplo.

Nas vistas ortogrÆficas normaisnormaisnormaisnormaisnormais alguns elementos, alØm de estarem representados pela linha para arestas e contornos nªonªonªonªonªo visíveis, aparecem deformados, dificultando a interpretaçªo da peça.

A face oblíqua estÆ ligada à base por uma nervura, e isto dificulta a representaçªo da vista auxiliar. Neste caso, a forma mais simples de reproduzir todos os elementos importantes da peça Ø recorrendo a um outro tipo especial de projeçªo ortogrÆfica: as vistas especiaisvistas especiaisvistas especiaisvistas especiaisvistas especiais.

Nesta aula, vocŒ aprenderÆ a interpretar, alØm das vistas especiais, as vistasvistasvistasvistasvistas localizadaslocalizadaslocalizadaslocalizadaslocalizadas e as vistas parciaisvistas parciaisvistas parciaisvistas parciaisvistas parciais.

Representaçıes especiais

20 A U L A

Introduçªo

AULA20

Vista especial Observe a peça representada em perspectiva, a seguir.

As faces desta peça sªo paralelas aos planos de projeçªo. Apesar disso, a interpretaçªo de seus elementos em projeçªo ortogrÆfica normal fica bastante prejudicada. Veja.

Para facilitar a representaçªo e interpretaçªo de peças como esta, recorremos a um outro tipo especial de projeçªo ortogrÆfica: imaginamos o observador numa posiçªo que lhe permita ver diretamente os elementos a serem representados.

Vamos chamar de A a posiçªo da qual o observador vŒ a parte lateral direita. Acompanhe, na ilustraçªo, a projeçªo desta parte no plano lateral direito.

Nossa aula

AULA20

Neste caso, os elementos da parte lateral direita, visíveis ao observador, sªo representados no plano lateral direito pela linha para arestas e contornos visíveis.

Agora, imagine o observador vendo a parte lateral esquerda da posiçªo B, na direçªo indicada pela seta.

No plano de projeçªo lateral esquerdo os elementos da parte lateral esquerda, agora visíveis ao observador, sªo representados pela linha para arestas e contornos visíveis.

Muito bem! Imagine que os dois planos laterais foram rebatidos. Veja que a face projetada no sentido de observaçªo da seta A deu origem à vista de Avista de Avista de Avista de Avista de A. A face projetada no sentido de observaçªo da seta B deu origem à vista de Bvista de Bvista de Bvista de Bvista de B. A vista de A e a vista de B sªo duas vistas especiaisvistas especiaisvistas especiaisvistas especiaisvistas especiais.

Na vista de A e na vista de B os elementos aparecem representados pela linha para arestas e contornos visíveis. Isso foi possível pela mudança da posiçªo do observador, em relaçªo às faces projetadas.

Note que, neste caso, Ø bem mais fÆcil analisar os elementos da peça na representaçªo com vistas especiais do que na representaçªo com vista lateral normal. Nesta representaçªo com vistas especiais, a vista superior Ø dispensÆvel porque as demais vistas jÆ apresentam as informaçıes necessÆrias para a execuçªo da peça.

Para simplificar ainda mais o desenho tØcnico, evitando as linhas para arestas e contornos nªo visíveis, podemos representar a vista frontal em corte.

AULA20

Observe que as extremidades inferiores das vistas de A e de B B B B B foram suprimidas. As linhas de ruptura indicam o lugar onde foi feita a supressªo. As setas e letras que indicam a posiçªo e direçªo de onde foram projetadas as vistas sªo mantidas no desenho tØcnico definitivo.

As vistas especiais sªo identificadas pela expressªo: Vista de...Vista de...Vista de...Vista de...Vista de..., seguida da letra correspondente.

Na representaçªo em projeçªo ortogrÆfica especial, as vistas aparecem dispostas no local mais conveniente para a sua interpretaçªo. Verifique se vocŒ entendeu resolvendo as questıes a seguir.

Verificando o entendimento Observe o desenho.

R

a)a)a)a)a)Que vistas estªo representadas neste desenho?

R
R

b)b)b)b)b)O que indica a letra B, em cima da seta? c)c)c)c)c)A vista de A estÆ ocupando o lugar de qual vista?

Confira suas respostas, acompanhando as explicaçıes.

a)a)a)a)a) Neste desenho estªo representadas trŒs vistas ortogrÆficas: a vista frontal e duas vistas especiais. As vistas especiais sªo identificadas pelas expressıes: vista de A e vista de B.

b)b)b)b)b) A letra B indica a posiçªo do observador ao analisar a vista de B.

c)c)c)c)c) Neste desenho, a vista de A estÆ ocupando o lugar da vista superior com a vantagem de que a vista especial mostra os elementos que se quer analisar e representados pela linha para arestas e contornos visíveis. Note que estes elementos foram vistos de baixo para cima.

AULA20

E agora, veja novamente o modelo mostrado na introduçªo, em projeçªo ortogrÆfica com vistas especiais.

As vistas representadas sªo: a vista frontal e duas vistas especiais (vista de A e vista de B)

Na vista frontal aparece representada uma seçªo da nervura. A vista de A mostra, em verdadeira grandeza, os elementos visíveis da face oblíqua da peça e a nervura, representada pela linha para arestas e contornos nªo visíveis. A vista de B mostra claramente os elementos da face inferior do modelo, vistos de baixo. Na vista de B foi suprimida a representaçªo, por linhas tracejadas, da face oblíqua da peça. Nªo hÆ necessidade de mostrar a face oblíqua nesta vista, porque ela aparece claramente na vista de A.

Vistas localizadas

As vistas localizadas sªo utilizadas quando queremos realçar somente um elemento da peça, isoladamente. Veja um exemplo. Observe a peça cilíndrica com rasgo de chaveta, a seguir.

Essa peça Ø tªo simples que nem Ø necessÆrio representar 3 vistas para imaginar suas formas.

AULA 20

Mas, analisando apenas essas duas vistas, nªo dÆ para formar uma idØia exata do rasgo de chaveta. Entªo, imaginamos o observador em uma posiçªo que lhe permita ver a forma do rasgo de chaveta. Em seguida, imaginamos o rebatimento desse elemento próximo à vista principal. Veja o resultado.

As vistas localizadas, em geral, aparecem próximas aos elementos que elas representam. Elas podem ser representadas ligadas à vista principal pelo prolongamento da linha de centro. Resolva o próximo exercício, para ver se vocŒ entendeu bem.

Ø

Verificando o entendimento Analise as vistas ortogrÆficas e faça o que Ø pedido. a)a)a)a)a)Escreva nas linhas indicadas o nome de cada vista representada. b)b)b)b)b)Complete a frase: A forma do elemento representado na vista localizada

Veja agora se vocŒ acertou. a)a)a)a)a) b)b)b)b)b)A forma do elemento representado na vista localizada Ø quadrangular ou quadrada.

AULA20 Por fim, veja a perspectiva isomØtrica da peça que vocŒ acabou de analisar.

As vistas localizadas dispensam a representaçªo de vistas completas, tornando mais rÆpido e econômico o desenho.

Vistas parciais

Peças simØtricas VocŒ jÆ sabe que uma peça simØtrica, cortada ao meio por um plano de corte longitudinal ou transversal, fica dividida em duas metades iguais.

Em desenho tØcnico, quando a peça Ø simØtrica, podemos desenhar apenas uma parte da peça para representar o todo.

Meia-vista Na representaçªo de peças simØtricas em meia-vista meia-vista meia-vista meia-vista meia-vista apenas metade dametade dametade dametade dametade da vistavistavistavistavista Ø desenhada. Vamos analisar a representaçªo de um suporte. Veja suas vistas: frontal e superior.

Agora veja trŒs maneiras diferentes de representar esta peça com meia-vista.

Nos trŒs casos, a vista superior foi representada em meia-vista. Fig. AFig. BFig. C

AULA20

Na figura A a vista frontal aparece representada sem corte. Apenas a metade anterioranterioranterioranterioranterior da vista superior aparece representada, abaixo da vista frontal. Note que a linha de simetria horizontal aparece delimitada por dois traços curtos e paralelos, perpendiculares às suas extremidades.

A linha de simetria pode tambØm ser representada sem os dois traços curtos e paralelos nas extremidades como no desenho abaixo. Mas, observe que, neste caso, as arestas ou linhas de contorno passam alØm da linha de simetria.

Na figura B, a vista frontal aparece representada com corte total. Neste caso, apenas a metade posterior da vista superior, aparece representada. A linha de simetria tambØm foi delimitada pelos dois traços curtos e paralelos em cada extremidade.

Verificando o entendimento Complete a representaçªo da meia-vista da figura B, semsemsemsemsem delimitar a linha de simetria.

Sua meia-vista ficou como a do desenho, a seguir?

Volte a analisar a figura C. C. C. C. C. A œnica diferença Ø que a vista frontal aparece representada em meio-corte. A vista superior, representada em meia-vista, Ø idŒntica à da figura B. Nos trŒs exemplos estudados nªo foi necessÆria a indicaçªo do plano de corte, porque a representaçªo Ø evidente por si. Ao ver uma meia-vista, vocŒ deve ser capaz de imaginar a vista completa correspon- dente. Isso nªo Ø difícil, uma vez que vocŒ sabe que a parte omitida Ø simØtricasimØtricasimØtricasimØtricasimØtrica à parte desenhada.

AULA20

Verificando o entendimento Assinale com um X a alternativa que corresponde à parte simØtrica da meia-vista representada abaixo.

a) a) a) a) a) ( )b)b)b)b)b)( ) c)c)c)c)c)( )d)d)d)d)d)( )

Vamos conferir? A alternativa correta Ø a C, que corresponde à metade posterior da meia-vista representada.

HÆ casos em que uma œnica vista Ø suficiente para dar uma idØia completa da peça. Se a peça for simØtrica, nada impede de representar esta vista œnica em meia-vista. Acompanhe um exemplo.

A peça cilíndrica abaixo pode ser representada atravØs de vista œnica. Veja, ao lado, a vista frontal correspondente em representaçªo normal, sem corte.

Nesse caso, a vista frontal pode ser representada em meia-vista, sem qualquer prejuízo para a interpretaçªo da peça. Compare duas possibilidades.

Mais adiante, neste curso, ao estudar a aula sobre Supressªo de VistasSupressªo de VistasSupressªo de VistasSupressªo de VistasSupressªo de Vistas, vocŒ aprenderÆ mais detalhes sobre a interpretaçªo de peças em vista œnica.

AULA20

Quarta-parte de vista HÆ casos em que a representaçªo ortogrÆfica da peça pode ser ainda mais da vista Ø desenhada para representar o todo. Ao analisar uma quarta parte da vista vocŒ deve imaginar que a peça foi dividida em quatro partes iguais, mas apenas uma delas foi representada. Veja um exemplo.

A peça seguinte Ø composta por formas cilíndricas com um furo passante quadrangular. Trata-se de uma peça simØtrica. Observe a peça em perspectiva e, ao lado, duas vistas normais: vista frontal e vista lateral esquerda.

Imagine a vista lateral dividida em quatro partes iguais, como mostra a ilustraçªo.

Cada uma dessas quatro partes representa uma quarta parte de vista. Veja, a seguir, a representaçªo ortogrÆfica da peça com quarta parte de vista.

As vistas representadas sªo a vista frontal e vista lateral esquerda. A vista frontal aparece representada em corte, com aplicaçªo de meia-vista. A vista lateral esquerda aparece representada com aplicaçªo de quarta parte de vista. Note os dois traços curtos e paralelos nas extremidades das linhas de simetria. A representaçªo de meia-vista e quarta parte de vista traz economia de tempo e de espaço no desenho. As vistas parciais devem ser representadas sempre que possível e conveniente.

AULA20

Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1 Assinale com um X a perspectiva correspondente ao desenho tØcnico da peça.

b) b) b) b) b) ( ) c) c) c) c) c) ( )

Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2

Assinale com um X a alternativa que corresponde às vistas ortogrÆficas representadas.

b)b)b)b)b)( )Vista frontal, vista superior, vista especial;
d)d)d)d)d)( )Vista frontal, vista especial, vista inclinada.

a)a)a)a)a)( ) Vista frontal, vista especial, vista auxiliar; c)c)c)c)c)( ) Vista frontal, vista especial, vista especial; Exercícios

AULA20

Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3

Indique, no desenho abaixo, as posiçıes das quais o observador estÆ vendo as vistas especiais.

Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4

Analise as vistas ortogrÆficas e escreva C C C C C se a frase estiver certa ou E se a frase estiver errada.

( ) A face projetada no sentido da seta A deu origem à vista de A.

AULA20

Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5 Assinale com um X o(s) desenho(s) que apresenta(m) vista localizada.

a) a) a) a) a) ( )b) b) b) b) b) ( ) c)c)c)c)c)( )d) d) d) d) d) ( )

Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6

Escreva nas linhas indicadas, os nomes das vistas ortogrÆficas representadas no desenho.

Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7

Analise a perspectiva e assinale com X as vistas ortogrÆficas que lhe correspondem.

a) a) a) a) a) ( )b)b)b)b)b) ( ) c)c)c)c)c)( )d) d) d) d) d) ( )

AULA20

Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8

Assinale com um X a perspectiva que corresponde às vistas ortogrÆficas representadas.

a) a) a) a) a) ( )b) b) b) b) b) ( ) c) c) c) c) c) ( )

Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9

Assinale com um X a(s) peça(s) que podem ser representadas com vistas parciais (meia-vista ou 1/4 de vista) a) a) a) a) a) ( )b) b) b) b) b) ( ) c)c)c)c)c)( )d) d) d) d) d) ( )

Exercício 10Exercício 10Exercício 10Exercício 10Exercício 10

Assinale com um X a alternativa correta. O desenho abaixo mostra:

a)a)a)a)a)( ) vista frontal em meio corte; vista superior e lateral esquerda em meiavista.; b)b)b)b)b)( ) vista frontal em meio corte; vista superior em meia-vista e vista lateral em 1/4 de vista; c)c)c)c)c)( ) vista frontal e superior em meia-vista; vista lateral esquerda em 1/4 de vista; d)d)d)d)d)( ) vista frontal em meio corte; vista superior e lateral esquerda em 1/4 de vista.

AULA20

Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1

Os conjuntos de vistas ortogrÆficas abaixo sªo identificados pelas letras:

a, b b b b b, c c c c c. Escreva, nos parŒnteses, a letra que corresponde ao conjunto para o qual a frase Ø verdadeira.

a) a) a) a) a) ( )b) b) b) b) b) ( ) c) c) c) c) c) ( )

( )A vista frontal aparece representada em meia-vista e a lateral esquerda por quarta parte de vista.

( )A vista frontal estÆ representada em meio corte e a vista superior em meia-vista.

( )A vista frontal aparece representada sem corte e apenas a parte anterior da vista superior estÆ representada. ( )A peça estÆ representada em vista œnica, com aplicaçªo de meia-vista.

Exercício 12Exercício 12Exercício 12Exercício 12Exercício 12

Assinale com um X o desenho que corresponde à parte simØtrica da meia-vista representada abaixo.

a) a) a) a) a) ( )b)b)b)b)b) ( ) c)c)c)c)c)( )d) d) d) d) d) ( )

Exercício 13Exercício 13Exercício 13Exercício 13Exercício 13

No desenho abaixo a vista frontal aparece representada em corte e a vista lateral esquerda em meia-vista. Represente, no quadriculado ao lado, a mesma vista frontal representada em meia-vista e a lateral representada por quarta parte de vista. Use os dois traços curtos e paralelos para delimitar as linhas de simetria.

(Parte 1 de 2)

Comentários