TELE...nica - 24. supress?o de vistas em pe?as prism?ticas e piramidais

TELE...nica - 24. supress?o de vistas em pe?as prism?ticas e piramidais

(Parte 1 de 2)

AULA 24

Em determinadas peças, a disposiçªo adequada das cotas, alØm de informar sobre o tamanho, tambØm permite deduzir as formas das partes cotadas. Isto significa que, em certos casos, cotando a peça de maneira apropriada, podemos “economizar” a representaçªo de uma ou atØ duas vistas sem qualquer prejuízo para a interpretaçªo do desenho.

A representaçªo do objeto, com menos de trŒs vistas, Ø chamada de representaçªo com supressªo de vistassupressªo de vistassupressªo de vistassupressªo de vistassupressªo de vistas. Suprimir quer dizer eliminar, omitir, impedir que apareça.

Na representaçªo com supressªo de vistas uma ou mais vistas deixam de ser representadas.

Como isto Ø possível? É o que vocŒ vai saber, estudando esta aula.

VocŒ vai aprender a ler e a interpretar desenhos tØcnicos representados em duas vistas e em vista œnica.

VocŒ ficarÆ conhecendo, tambØm, certos símbolos que ajudam a simplificar a cotagem de peças, tornando possível a supressªo de vistas. Este assunto: Supres-Supres-Supres-Supres-Supressªo de Vistassªo de Vistassªo de Vistassªo de Vistassªo de Vistas, tem grande aplicaçªo no desenho tØcnico.

Supressªo de vistas iguais e semelhantes

Duas vistas sªo iguais quando tŒm as mesmas formas e as mesmas medidas.

Quando tŒm apenas as formas iguais e medidas diferentes, sªo chamadas de semelhantes.

VocŒ vai iniciar o estudo de supressªo de vistas analisando um caso bem simples. Observe o prisma de base quadrada, representado a seguir.

Supressªo de vistas em peças prismÆticas e piramidais

Introduçªo

Nossa aula

24 A U L A

AULA 24

No desenho tØcnico, à direita, estªo representadas as 3 vistas que vocŒ jÆ conhece: vista frontal, vista superior e vista lateral esquerda. Estas trŒs vistas cotadas dªo a idØia da peça.

Como a vista frontal e a vista lateral esquerda sªo iguais, Ø possível suprimir uma delas. A vista frontal Ø sempre a vista principal da peça. Entªo, neste caso, a vista escolhida para supressªo Ø a vista lateral esquerda.

Veja como fica o desenho tØcnico do prisma com supressªo da lateral esquerda.

As cotas bÆsicas deste prisma sªo:

altura - 60 m; largura - 40 m e comprimento - 40 m.

Veja um outro exemplo.

O desenho tØcnico a seguir apresenta um prisma retangular com um furo quadrado passante, em trŒs vistas.

AULA24

Note que a vista lateral esquerda Ø semelhante à vista frontal. Neste caso, a vista lateral esquerda pode ser suprimida. Veja.

Mesmo com a supressªo da lateral esquerda, todas as informaçıes importantes foram mantidas, pois a cota da largura foi transferida para a vista superior. Verifique se vocŒ Ø capaz de interpretÆ-las, resolvendo o próximo exercício.

Verificando o entendimento

a)a)a)a)a)As cotas bÆsicas do modelo sªo: comprimento =;
largura =; e altura = .................................
b)b)b)b)b)O furo passante quadrado medede lado.
c)c)c)c)c)A localizaçªo do furo Ø dada pela

Analise o desenho tØcnico anterior e complete as questıes:

Veja agora as respostas esperadas: a)a)a)a)a) comprimento: 30 m, largura: 20 m e altura: 40 m; b)b)b)b)b) medida de cada lado do furo passante: 12 m; c)c)c)c)c) a localizaçªo do furo Ø dada pela linha de simetria, que indica que o furo Ø centralizado.

Nos dois exemplos analisados, a vista suprimida foi a lateral esquerda. Mas, dependendo das características da peça, a vista superior tambØm pode ser suprimida. Veja. O desenho tØcnico abaixo representa um pino de seçªo retangular em trŒs vistas.

AULA24

Note que a vista superior e a vista lateral esquerda sªo semelhantes. Neste caso, tanto faz representar o desenho com supressªo da vista superior como da vista lateral esquerda. Compare as duas alternativas.

Em qualquer dos casos, Ø possível interpretar o desenho, pois ambos contŒm todas as informaçıes necessÆrias. Vamos entªo à interpretaçªo dos desenhos.

Verificando o entendimento

a)a)a)a)a)Qual a vista suprimida na figura A? R:
b)b)b)b)b)Qual a vista suprimida na figura B? R.:
Comprimento:; largura: .............; altura: .........................

Responda às questıes. c)c)c)c)c)Analise a figura A ou a figura B e indique as cotas bÆsicas da peça:

R.:

d)d)d)d)d)Quais sªo as cotas que indicam o tamanho do corpo do pino? Fig. BFig. BFig. BFig. BFig. B

Fig. AFig. AFig. AFig. AFig. A

AULA24

da peça sªo: comprimento = 32; largura = 28e altura = 30; d)d)d)d)d) as cotas que indicam

Veja, a seguir, as respostas corretas: a)a)a)a)a) na figura A foi suprimida a vista superior; b)b)b)b)b) na figura B foi suprimida a vista lateral esquerda; c)c)c)c)c) as cotas bÆsicas o tamanho do corpo do pino sªo: 20, 2 e 23.

Supressªo de vistas diferentes

Observe a perspectiva do prisma com rebaixo e furo e, as trŒs vistas ortogrÆficas correspondentes.

As trŒs vistas sªo diferentes. Mesmo assim Ø possível imaginar a supressªo de uma delas, sem qualquer prejuízo para a interpretaçªo do desenho.

Como vocŒ jÆ sabe, a vista frontal Ø a vista principal. Por isso deve ser sempre mantida no desenho tØcnico. Temos entªo que escolher entre a supressªo da vista superior e da vista lateral esquerda.

VocŒ vai comparar os dois casos, para concluir qual das duas supressıes Ø mais aconselhÆvel. Veja primeiro o desenho com supressªo da vista superior:

Note que, apesar de o furo estar representado nas duas vistas, existem poucas informaçıes sobre ele: analisando apenas essas duas vistas nªo dÆ para saber a forma do furo. Analise agora a outra alternativa.

24A vista lateral esquerda foi suprimida. Note que agora jÆ Ø possível identificar a forma circular do furo na vista superior.

Agora, baseado nas anÆlises dos dois desenhos, responda à questªo a seguir.

Verificando o entendimento

R.:

Qual das vistas Ø mais aconselhÆvel suprimir? Por quŒ?

VocŒ pode ter usado palavras diferentes, mas deve ter respondido que Ø mais aconselhÆvel suprimir a vista lateral esquerda, porque a vista frontal e a vista superior dªo melhores informaçıes sobre a peça.

Para completar, analise as cotas do desenho tØcnico anterior. As cotas bÆsicas sªo: comprimento = 50; largura = 2; altura = 12. As cotas de tamanho do rasgo sªo: 28, 2 e 6. As cotas de tamanho do furo sªo: diâmetro = 10; profundidade = 6. A medida da profundidade do furo Ø dada indiretamente pela subtraçªo da cota da altura da peça (12) e profundidade do rasgo (6). As linhas de simetria indicam tratar-se de peça simØtrica. Entªo nªo hÆ necessidade de cotas de localizaçªo do rasgo e do furo pois fica subentendido que estes elementos sªo centralizados.

Analise outro exemplo. Observe a perspectiva de outro modelo prismÆtico e seu desenho tØcnico, ao lado.

Compare as trŒs vistas e observe que elas sªo diferentes entre si. Assim, Ø necessÆrio analisar qual vista serÆ suprimida. O que vocŒ acha? É preferível fazer a supressªo da vista superior ou da vista lateral esquerda?

AULA24Verificando o entendimento Assinale com um X a representaçªo mais aconselhÆvel.

b) b) b) b) b) ( )

VocŒ acertou se escolheu a alternativa b. Note que este Ø o desenho que dÆ melhores informaçıes sobre a forma da peça. Analisando a vista frontal tem-se a informaçªo de que o furo da peça Ø redondo e centralizado no sentido longitudinal. A vista lateral esquerda mostra que a peça tem a forma da letra L e permite visualizar a forma do chanfro.

Desenho tØcnico com vista œnica

O nœmero de vistas do desenho tØcnico depende das características da peça representada. O desenhista sempre procura transmitir o maior nœmero possível de informaçıes sobre a peça usando o mínimo necessÆrio de vistas. Assim, existem peças que podem ser representadas por meio de uma œnica vista.

Agora vocŒ vai aprender a ler e a interpretar desenhos tØcnicos de peças representados em vista œnicavista œnicavista œnicavista œnicavista œnica. Acompanhe as explicaçıes observando, a seguir, a representaçªo da perspectiva (modelo de plÆstico n” 14) e as trŒs vistas ortogrÆficas.

AULA 24

As trŒs vistas: frontal, superior e lateral esquerda transmitem a idØia de como o modelo Ø na realidade. Veja agora o mesmo modelo, representado em duas vistas.

Observe que as cotas que antes apareciam associadas à vista lateral esquerda foram transferidas para as duas outras vistas. Assim, nenhuma informaçªo importante sobre a forma e sobre o tamanho da peça ficou perdida.

Mas, este mesmo modelo pode ser representado com apenas uma vistaapenas uma vistaapenas uma vistaapenas uma vistaapenas uma vista, sem qualquer prejuízo para sua interpretaçªo. Veja.

AULA24

Desta vez o modelo foi re- presentado em vista œnicavista œnicavista œnicavista œnicavista œnica. Apenas a vista frontal foi representada. Todas as cotas da peça foram indicadas na vista frontal. A largura da peça foi indicada pela palavra espessu-espessu-espessu-espessu-espessurarararara abreviada (ESPESPESPESPESP), seguida do valor numØrico correspondente, como vocŒ pode observar dentro da vista frontal.

Acompanhe a interpretaçªo da cotagem do modelo.

As cotas bÆsicas sªo: comprimento= 60, altura= 35 e largura= 15 (que corresponde à cota indicada por: ESP 15ESP 15ESP 15ESP 15ESP 15). Uma vez que o modelo Ø simØtrico no sentido longitudinal, vocŒ jÆ sabe que os elementos sªo centralizados. Assim, para definir os elementos, bastam as cotas de tamanho. O tamanho do rasgo

Como nªo Ø possível concluir, pela analise da vista frontal, se os furos sªo passantes ou nªo, esta informaçªo deve vir escritaescritaescritaescritaescrita, em lugar que nªo atrapalhe a interpretaçªo do desenho.

VocŒ notou que a indicaçªo da espessura da peça foi representada fora da vista frontal? Isto porque a indicaçªo da espessura da peça dentro da vista prejudicaria a interpretaçªo do desenho.

Com essas informaçıes Ø possível interpretar corretamente o desenho tØcnico da peça.

A seguir, vocŒ conhecerÆ outros recursos que possibilitam a representaçªo de peças com supressªo de vistas ou mesmo com vista œnica.

AULA24Peças quadrangulares com vista œnica Vamos retomar o modelo prismÆtico de base quadrada, usado para demons- trar a supressªo de vistas iguais. Veja a perspectiva do prisma e, ao lado, duas vistas com supressªo da vista lateral esquerda.

O prisma de base quadrangular pode ser representado tambØm com vistavistavistavistavista œnica. œnica. œnica. œnica. œnica. Para interpretar o desenho tØcnico do prisma quadrangular com vista œnica, vocŒ precisa conhecer o símbolo indicativo de quadrado e rever o símbolo indicativo de superfície plana.

Símbolo indicativo de quadrado Usamos o seguinte símbolo para identificar a forma quadrada: ¤ Este símbolo pode ser omitido quando a identificaçªo da forma quadrada for clara. É o que acontece na representaçªo da vista superior do prisma quadrangular.

Veja, agora, o prisma quadrangular representado em vista œnicavista œnicavista œnicavista œnicavista œnica.

A vista representada Ø a frontal. Note que a vista superior foi suprimida nesta representaçªo. O símbolo ¤ ao lado esquerdo da cota 4040404040, representa a forma da vista superior. A cota ¤ 40 refere-se a duas dimensıes do prisma: a do comprimento e a da largura.

VocŒ reparou nas duas linhas diagonais estreitas cruzadas, representadas na vista frontal? Essas linhas sªo indicativas de que a superfície representada Ø plana.

AULA24

A seguir vocŒ vai ficar conhecendo maiores detalhes sobre a utilizaçªo dessas linhas.

Símbolo indicativo de superfície plana O símbolo indicativo de superfície plana, derivada de superfície cilíndrica, vocŒ jÆ conheceu anteriormente. Agora vocŒ vai ficar sabendo por que, em alguns casos, estas linhas sªo necessÆrias.

A vista frontal do prisma e a vista frontal do cilindro podem ser facilmente confundidas.

Para evitar enganos, a vista frontal do modelo prismÆtico, que apresenta uma superfície plana, deve vir identificada pelas linhas cruzadas estreitas.

A representaçªo completa do modelo prismÆtico de base quadrangular fica como segue.

Dizemos que uma superfície Ø plana derivadaderivadaderivadaderivadaderivada de superfície cilíndrica quando, no processo de execuçªo da peça, partimos de uma matØria-prima de formato cilíndrico para obter as faces planas, como mostram as ilustraçıes.

AULA24Supressªo de vistas em peças piramidais As peças piramidais podem ser representadas com duas vistas. Veja um exemplo.

Apenas as pirâmides de base quadradaquadradaquadradaquadradaquadrada podem ser representadas em vista œnica. Isso porque usando o símbolo indicativo de quadrado podemos indicar duas dimensıes com uma mesma cota.

No desenho ao lado, a cota 26 indica a medida da altura da pirâmide. A cota ¤ 20 refere-se às medidas do comprimento e da largura da base da pirâmide.

Assim como as peças piramidais sem elementos, as peças piramidais com elementos tambØm podem ser representadas com duas vistas e, atØ mesmo, dependendo da peça, com vista œnica.

Analise o exemplo de uma peça piramidal truncada. Veja a peça em perspectiva, à esquerda e, à direita, seu desenho tØcnico em vista œnica.

Note que, por meio da vista frontal, temos todas as informaçıes sobre a peça.

A forma quadrada das bases superior e inferior da peça Ø mostrada pelos símbolos indicativos de quadrado.

Acompanhe a interpretaçªo da cotagem do desenho: comprimento e largura da peça = 24 m; altura da peça = 25m e comprimento e largura da parte truncada = 10 m. Com base no que vocŒ aprendeu, resolva o próximo exercício.

AULA24Verificando o entendimento Escreva nas linhas de cota do desenho tØcnico as cotas indicadas na perspec- tiva da peça e o símbolo indicativo da superfície plana.

Seu desenho deve ter ficado assim:

Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1Exercício 1

Desenhos tØcnicos com menos de trŒs vistas foram executados com

Complete a frase na linha indicada, escrevendo a alternativa correta. de vistas. l corte; l supressªo.

Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2Exercício 2 Analise o desenho tØcnico e responda às perguntas que vŒm a seguir.

R.:

a)a)a)a)a)Quais as vistas iguais?

R.:

b)b)b)b)b)Qual vista pode ser suprimida? Exercícios

AULA24

Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3Exercício 3

Analise o desenho tØcnico e escreva C se a frase estiver certa e E se a frase estiver errada.

a)a)a)a)a)()A vista superior e a vista lateral esquerda sªo semelhantes; b)b)b)b)b)()Pode ser feita a supressªo da vista frontal ou da vista superior

Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4Exercício 4 Analise o desenho tØcnico e complete os espaços em branco.

a)a)a)a)a)A vista suprimida nesse desenho foi a
b)b)b)b)b)As cotas bÆsicas dessa peça sªo: comprimento:; largura:
; e altura: ..........
c)c)c)c)c)As cotas que definem o tamanho do elemento chanfrado sªo:,
e .....................

Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5Exercício 5 Escreva C se a frase for certa e E, se for errada.

a)a)a)a)a)()Qualquer vista do desenho tØcnico pode ser suprimida, dependendo das características da peça.

b)b)b)b)b) ()Quando a peça tem trŒs vistas diferentes Ø mais aconselhÆvel suprimir a vista superior.

c)c)c)c)c) ()Quando uma vista Ø suprimida Ø porque suas informaçıes podem ser transferidas para outra(s) vista(s).

AULA24

Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6Exercício 6

Analise a perspectiva da peça e assinale com um X o desenho tØcnico com supressªo de vista que melhor transmita a idØia da peça.

b)b)b)b)b) ( )

Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7Exercício 7

Analise o desenho tØcnico e transfira as cotas para as linhas de cota indicadas na perspectiva.

AULA24

Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8Exercício 8

Analise o desenho tØcnico com supressªo de vistas e desenhe à mªo livre, no reticulado, a perspectiva correspondente.

(NªoNªoNªoNªoNªo se preocupe com a exatidªo das medidas, mas procure respeitar as proporçıes do desenho.)

Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9Exercício 9

Analise o desenho tØcnico e complete as frases nas linhas indicadas, escrevendo as alternativas corretas.

a)a)a)a)a)A vista representada nesse desenho tØcnico Ø a

lvista frontal; lvista superior; lvista lateral esquerda.

b)b)b)b)b)A abreviatura da palavra espessura junto da cota 6 indica

da peça. lo comprimento; la largura; la altura.

AULA24

Exercício 10Exercício 10Exercício 10Exercício 10Exercício 10

(Parte 1 de 2)

Comentários