SOBREVIVÊNCIA E CRESCIMENTO DOS CAMARÕES MARINHOS DA FAMILIA PENEIDAE TESTADOS EM DIFERENTES SALINIDADES uma revisão bibliográfica FINALIZADA

SOBREVIVÊNCIA E CRESCIMENTO DOS CAMARÕES MARINHOS DA FAMILIA PENEIDAE TESTADOS EM...

(Parte 5 de 5)

Apesar da maior parte dos trabalhos feitos serem realizados com a espécie exótica L. vannamei, esta possui desvantagens em relações às nativas. São menos adaptadas às condições ambientais daqui e por isso mais sujeitas a doenças; muitas espécies possuem comportamento agressivo, competindo com as nossas espécies autóctones e muitas vezes as substituindo. As espécies nativas estão melhores adaptadas às condições ambientais brasileiras e por isso mais resistentes; proporcionam o resgate da nossa biodiversidade tão rica e ameaçada.

De modo geral, este trabalho proveu informações básicas a respeito da carcinicultura, o meio ambiente aos quais estes animais estão inseridos e forneceu importantes conhecimentos em destaque da espécie L. schmitti,nos permitindo entender melhor a respeito de como o estoque de camarões está se comportando na Ilha do Maranhão e como esta pode se comportar em ambientes de laboratórios. Porém, estudos futuros poderão contribuir para um melhor entendimento do ciclo de vida desses animais. Propõem-se também amostragens continuas visando testar estes camarões em baixas salinidades a fim de verificar se o padrão observado principalmente se repete e assim comprovar resultados aqui obtidos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE CAMARÃO. O agronegócio do camarão marinho no Brasil em 2003. Recife, 2004. 11p.

AUGUSTO, A. S. A invasão da água doce pelos crustáceos: o papel dos processos osmorregulatórios. Dissertação (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da USP. Ribeirão Preto – SP. 2005. 148 p.

BARRACCO M. A.; PERAZZOLO, L. M.; ROSA R. D. Imunologia de crustáceos com ênfase em camarões. Laboratório de Imunologia Aplicada à Aqüicultura. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 2007.Encontrado em: <http://www.liaaq.ufsc.br/aulas/Imunologia%20de%20crustaceos%20com%20enfase%20em%20camaroes.pdf>. Acesso em: 21de junho de 2012.

BOCHINI, G. L. Distribuição ecológica e estrutura populacional em escala espacial, temporal e anual do camarão-branco Litopennaeus schmitti (Burkenroad, 1936) (Dendrobranchiata: Penaeidae) na enseada de Ubatuba. Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Botucatu, 2012. 85 p.

BRITO, R.; CHIMAL, M. E.; ROSAS, C. Effect of salinity in survival, growth, and osmotic capacity of early juveniles of Farfantepenaeus brasiliensis (decapoda: penaeidae)Journal of Experimental Marine Biology and Ecology. 244 (2000) 253 –263.

BRITO, S.; FONTENELE, R. E. S.; CARVALHO, E. B. S. Viabilidade Econômico-Financeira da Carnicicultura: oportunidade para pequenos produtores familiares. XLIII Congresso da Sociedade Brasileira De Economia E Sociologia Rural. Ribeirão Preto, 2005. Encontrado em <http://www.sober.org.br/palestra/2/698.pdf>. Acesso em: 17 de julho de 2012.

CAVALCANTI, F. A. A. Novos Arranjos Produtivos: A Carcinicultura Nos Estados De Pernambuco E Rio Grande Do Norte. Dissertação de Mestradoda Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2003. 168 p.

CAVALCANTI, A. M. Efeito da densidade de estocagem sobre o biofilme e o desenvolvimento do camarão-rosa Farfantepenaeus paulensis (Perez-Farfante, 1967) cultivados em cercados na fase de berçário. Monografia (graduação no curso de Oceanologia) – Fundação Universidade Federal de Rio Grande, Rio Grande. 2005. 44 p.

CALAZANS, N. K. F.; SILVA, E.; SOARES, M.; SOARES, R.; PEIXOTO, S. Influência Da Salinidade no Crescimento, Sobrevivência e Osmolalidade da Hemolinfa do Camarão-Rosa Farfantepenaeus subtilis. X Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão – Jepex 2010 – UFRPE: Recife.

CHANG, E. Hormonal Control of Moulting in Decapod Crustacea. American Zoologist, v.25, n 1. American Society of Zoologists. 1985.

COSTA, R. C.; FRANSOZO, A.; MELO, G. A. S. E FREIRE, F. A. M. Chave ilustrada para a identificação dos camarões Dendrobranchiata do litoral norte do estado de São Paulo, Brasil. Biota Neotropica, 2003 3(1): 1-12.

COSTA, N. B. C. Gestão sócio-ambiental de empresas de carcinicultura do litoral oeste do estado do Ceará. Programa de Mestrado Profissional em Controladoria (UFC). Fortaleza, 2006. 120 p.

DALL, W.; HILL, B. J.; ROTHLISBERG, P. C.; SHARPLES, D. J. The biology of Penaeidae. Advances in Marine Biology, v. 27, p. 1- 484, 1990.

DIAS NETO, J. Proposta de Plano Nacional de Gestão para o uso sustentável de Camarões marinhos do Brasil. Série Plano de Gestão Recursos Pesqueiros, 3. Brasília: IBAMA, 2011. 242p.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. A Embrapa e a Aqüicultura Demandas e Prioridades de Pesquisa. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2002. 40 p.

FERNANDES, M. E. B. 2003. Produção Primária: serapilheira. In: FERNANDES, M. E. B. (Org.). Os manguezais da costa norte brasileira. São Luís-MA: Fundação Rio Bacanga. p. 61-78

FERREIRA, D. A. Produção de juvenis do camarão Litopenaeus vannamei com diferentes densidades de estocagem em baixa salinidade e meio heterotrófico. Dissertação (Mestrado em Recursos Pesqueiros e Aquicultura) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2009. 64 p.

FLEGEL, T. W. The Right to Refuse Revision in the Genus Penaeus. Aquaculture. 2007, v. 264, p. 2–8.

FLOR, H. Desempenho reprodutivo do camarão-rosa Farfantepenaeus brasiliensis (Latreille, 1817) (Crustacea, Decapoda, Penaeidae) em cativeiro: Efeito da alimentação e proporção sexual. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia. Rio de Janeiro. 2009.

FONSECA, S. B.; MENDES, P.P.; ALBERTIM. C. J.L.; BITTENCOURT, C. F.; SILVA J. H. V. Cultivo do camarão marinho em água doce em diferentes densidades de estocagem. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.44, n.10, p.1352-1358, out. 2009.

FOSTER, C. Crustáceos osmoconformadores possuem maior capacidade de regular o volume de suas células do que crustáceos osmorreguladores? Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Paraná. CURITIBA 2006. 70 p.

FUGIMURA, M. M. S. Efeito da temperatura e densidade de estocagem no crescimento e sobrevivência de juvenis de Litopennaeus Schmitti. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, 2009.

GALINDO, J.; ÁLVAREZ, J.; FRAGA, I.; REYES, R.; JAIME, B.; FERNÁNDEZ, I. Requerimentos de lipidios de juveniles de camarón blanco Penaeus schmitti.Rev. Cub. Inv. Pesq. v. 17, n. 2, p. 23-36. 1992(a).

GARRISON, T. Fundamentos da Oceanografia. Tradução da quarta edição norte – americana. Ed. Cengage Learning. São Paulo, 2010. 426 p.

HIGHNAM, K. C. & HILL, L. The comparative Endocrinology of the Invertebrates.American Elsevier Publishing. 1977. 357 p.

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA (IICA). Desenvolvimento da Pesca e da Aqüicultura no Estado do Maranhão. Documento Síntese do Seminário Nacional. Maranhão, 2003. 39 p.

KRUMMENAUER, D.; WASIELESKY, W. J.; CAVALLI, R. O.; PEIXOTO, S.; ZOGBI, P. R. Viabilidade da criação do camarão - rosa Farfantepenaeus paulensis (Crustacea, Decapoda) em gaiolas sob diferentes densidades durante o outono no sul do Brasil.Ciência Rural, Santa Maria,v.36, n.1, p. 252-257, 2006.

LAMELA, R. E. L.; COFFIGNY, R. S.; QUINTANA, Y. C.; MARTÍNEZ, M. Phenoloxidse and peroxidase activity in the shrimp Litopenaeus schmitti, Pérez-Farfante and Kensley (1997) exposed to low salinity. Aquaculture Research, v. 36, p. 1293 – 1297, 2005.

LUVESUTO, E; GALETTI JUNIOR, P.M. Análise preliminar da estrutura populacional do camarão branco Litopenaeus schmitti na costa do Rio Grande do Norte, Brasil: uma abordagem em fina escala. Laboratório de Biodiversidade Molecular e Citogenética, Departamento de Genética e Evolução Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP. 2005.

MAGGIONI, D. S. Avaliação de parâmetros hemato-imunologicos, em fêmeas abladas de camarão Litopenaeus vannamei, em associação a uma dieta com diferentes superdosagens de ácido ascórbico. Dissertação de Mestrado em Aquicultura. Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Santa Catarina, 2002. 86 p.

MAIA, E. P.; NUNES, A. J. P. Cultivo de Farfantepenaeus subtilis – resultados das performances de engorda intensiva. Panorama da Aqüicultura, v. 13, n. 79, p. 36-41, 2003.

MARINHO, M. J. Camarão Marinho: Manual de Pesca. Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Ceará, Fortaleza, 1987. Cap.7, p.240-247.

MARQUES, L. C.; GESTEIRA, T. C. V.; ANDRADE, T. P.;CARVALHO, R. L.; CAVALCANTE, F. A. M.; ARAÚJO, P.H. G.; MARTINS, P. C. C.; HENNIG, O. Efeito de altas salinidades sobre o cultivo de camarão da espécie Litopennaeus vannamei. (Boone, 1931) em condições de laboratório. In: Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca, 11., 1999, Recife. Anais... Recife: AEP-BR, 1999. p. 581-588.

MENDES, G. N.; PEDRESCHI, O. Aclimatação de juvenis de Litopennaeus vannamei (Boone, 1931) à água doce. In: Simpósio Brasileiro de Aquicultura, 10, 1998, Recife. AnaisRecife: ABCC, 1998. p. 309-313

MINISTÉRIO DA PESCA E AQUICULTURA. O potencial brasileiro para a aquicultura. Brasília, 2011. Encontrado em: <http://www.mpa.gov.br/index.php/aquiculturampa/informacoes/potencial-brasileiro>. Acesso em 28 de junho de 2012.

MONGIN, A. A.; ORLOV, S. N. Mechanisms of cell volume regulation and possible nature of the cell volume sensor. Pathophysiology. 8: 77 – 88, 2001.

MUEDAS, W.; OLIVERA, A.; BELTRAME, E.; LA CRUZ, A. Ontogenia da tolerância à salinidade do camarão peneídeo: Farfantepenaeus paulensis (Pérez-Farfante,1967). Boletim do Laboratório de Hidrobiologia, 19:23-29. 2006

NUNES, A. J. P.; GESTEIRA, T. C. V.; GODDARD, S. Food ingestion and assimilation by the Southern brown shrimp Penaeus subtilis under semi-intensive culture in NE Brazil. Aquaculture, 1997, v. 149, n. 1, p. 121-136.

PENN, J. W. The behavior and catchability of some commercially exploited penaeids and their relationship to stock and recruitment. In: Penaeid Shrimps: Their Biology and Management. Oxford, Grã-Bretanha: Gulland, J.A., ROTHSCHILD, B.J., Fishing News Books, p. 173-186, 1984.

PÉQUEUX, A. Osmotic Regulation in Crustaceans. Journal Crustacean Biology. 5: 1 – 50, 1995.

PEREZ-FARFANTE, I.; KENSLEY, B. F. Penaeid and Sergestoid Shrimps and Prawns of the World: Keys and Diagnoses for the Families and Genera. Museum National d'Histoire Naturelle, Paris, 1997, 175: 1-233.

RANDALL, D.; BURGGREN, W.; FRENCH, K. Eckert Fisiologia Animal: Mecanismos e Adaptações, GUANABARA - KOOGAN, 4º ed. Rio de Janeiro, 2000.

RÉ, P. Biologia Marinha. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Lisboa, 2000. 94p. Encontrado em: <http://www.astrosurf.com/re/biologia.pdf>. Acesso em 31 de junho de 2012.

ROCHA, I. P.; RODRIGUES, J.; AMORIM, L. A carcinicultura brasileira em 2002. Revista Brasileira da Associação de Criadores de Camarão, v. 6, n. 1, p. 287-314, 2004.

ROCHA, I. P. Carcinicultura Brasileira: Processos Tecnológicos, Impactos Socioeconômicos, Sustentabilidade Ambiental, Entraves e Oportunidades. Revista Brasileira da Associação de Criadores de Camarão. 2011. Disponível em <http://www.abccam.com.br/abcc/images/stories/publicacoes/carcinicultura%20brasileira%20-%20revista%20abcc%20-%20janeiro%202011.pdf> Acesso em: 15/07/2012.

RODRIGUES, J. Evolução e estado atual da carcinicultura brasileira. In: RODRIGUES, J. Plataforma Tecnológica do camarão marinho cultivado. Brasília: Brasil/MAPAS/SARC/DPA, CNPq, ABCC. 2001. cáp. 5, 34p.

ROSAS, C.; SÁNCHEZ, A.; DÍAZ-IGLESIA, E.; BRITO, R.; MARTINEZ, E.; SOTO, L. A. Critical dissolved oxygen level to Penaeus setiferus and Penaeus schmitti postlarvae (PL 10-18) exposed to salinity changes. Aquaculture, 152, p. 259 – 272, 1997.

SANTANA, W. M.; LEAL, A.; SANTANA, W. M.; LUCIO, M. Z.; CASTRO, P. F.; CORREIA, E. S. Respostas planctônica e bentônica a diferentes fertilizações no cultivo do camarão Farfantepenaeus subtilis (Pérez-Farfante, 1967). Boletim do Instituto de Pesca, v. 34, n. 1, p. 21-27, 2008.

SANTOS, G. P. Qualidade da água na carcinicultura na Grande Aracaju – Sergipe, Brasil. Dissertação – Mestrado em Agroecossistemas. Universidade Federal de Sergipe, São Cristovão, SE. 2009. 49 p.

SANTOS, P. V. C. J.; ALMEIDA-FUNO, I. C. S.; PIGA, F. G.; FRANÇA, V. L.; TORRES, S.A.; MELO, C. D. P. PERFIL SOCIOECONÔMICO DE PESCADORES DO MUNICÍPIO DA RAPOSA, ESTADO DO MARANHÃO Rev. Bras. Eng. Pesca 6(1): I-XIV, 2011

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS – SEBRAE. Aquicultura e Pesca: Camarões, Estudos de mercado Sebrae/ ESPM 2008. 46p. Disponível em: <http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/BDS.nsf/47ACFD29DAFB1D2D832574DC00461D54/$File/NT0003906A.pdf>. Acesso em 13/06/2012.

SOUZA FILHO, P. W. M. Costa De Manguezais de Macromaré da Amazônia: Cenários Morfológicos, Mapeamento e Quantificação de Áreas Usando Dados Sensores Remotos. Revista Brasileira de Geofísica, 2005. 23 (4): 427-435.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y. Grupo de ecossistemas: manguezal, marisma e apicum. São Paulo, 2000.

SCHMIDT-NIELSEN, K. 2002. Fisiologia animal: adaptação e meio ambiente. Editora Santos, 5ª ed., São Paulo, 600pp.

SCHMIEGELOW, J. M. M. O Planeta Azul: Uma introdução às ciências marinhas. Rio de Janeiro, 2004. Ed. Interciência. 54 p.

TIBÚRCIO, P. Características da água para cultivo de camarão. Tutora dos cursos CPT, Centro de Produções Técnicas, Viçosa – MG. Publicado em 8 de setembro 2011 no site < http://www.tecnologiaetreinamento.com.br/aves-peixes/piscicultura-peixes/caracteristicas-da-agua-para-cultivo-de-camarao/> Acesso em 12 de setembro de 2012.

VALENÇA A. R.; MENDESG. N. Interferência de diferentes métodos de aclimatação na sobrevivência de pós-larvas de Litopenaeus vannamei (Boone, 1931). Acta Scientiarum. Biological Sciences Maringá, v. 31, n. 1, p. 9-16, 2009

VAZ, J. L. Crescimento e sobrevivência de pós-larvas de camarão-rosa (Farfantepenaeus paulensis) em gaiolas e cercados.Scientia Agrícola, v.61, n.3, p. 332-335, 2004.

WASIELESKY, W.J. Cultivo de juvenis do camarão-rosa Farfantepenaeus paulensis (Decapoda, Penaeidae) no estuário da Lagoa dos Patos: efeitos dos parâmetros ambientais. 2000. 199f. Tese ( Doutorado em Oceanografia Biológica) - Departamento de Oceanologia, Fundação Universidade Federal do Rio Grande.

WYK, P. V.; DAVIS-HODGKINS, M.; LARAMORE, R.; MAIN, K. L.; MOUNTAIN, J.; SCARPA, J. Farming marine shrimp in recirculating freshwater systems. Florida: Florida Department of Agriculture and Consumer Services, 1999.

WITHERS, P. C. Comparative Animal Physiology. Saunders College Publishing. 1992. 980p.

(Parte 5 de 5)

Comentários