Apostila Metodologia Cientifica - Manual Do Aluno

Apostila Metodologia Cientifica - Manual Do Aluno

(Parte 1 de 9)

Universidade Estadual do Norte Fluminense - Darcy Ribeiro -UENF

Centro de Ciências e Tecnologia - CCT Laboratório de Engenharia de Exploração e Produção de Petróleo

Manual do Aluno de IC/MSc/DSC

Setor de Modelagem Matemática e Computacional

Prof. André Duarte Bueno 1

8 de dezemtro de 2010 - versão 0.8.3

1 Disponível em: http://www.lenep.uenf.br/~bueno/download/ManualAluno_LENEP_CCT_UENF.pdf Sugestões dicas, enviar e-mail para bueno@lenep.uenf.br

Resumo:

Este material foi preparado para auxiliar os alunos bolsistas do LENEP/CCT/UENF no desenvolvimento de seus estudos e trabalhos científicos. O mesmo contém dicas de como se programar (como se organizar), como estudar, como falar em público (apresentação de trabalhos de aula, seminários, monografias, disertações e teses), resumo de metodologia científica, como fazer um projeto de pesquisa, como redigir um trabalho científico, fazer citações e regras de estilo; Tem ainda um capítulo abordando questões como sucesso, competência, comunicação e trabalho em equipe. Nos apêndices incluímos informações sobre engenharia, ética.

Cópia deste material é disponibilizada no endereço http://www.lenep.uenf.br/~bueno/download/ ManualAluno_LENEP_CCT_UENF.pdf.

Sugestões e correções devem ser enviada para o e-mail bueno@lenep.uenf.br

Revisores:

Sumário

1.1 A Universidade6
1.2 Ética6
1.3 Ética na Universidade6

1 Universidade 6

2.1 Nível 0 - Objetivos e Metas7
2.2 Nível 1 - Agenda de Estudo7
2.3 Nível 2 - Uso de Padrões7
2.4 Nível 3 - Uso de Programas7
2.5 Nível 4 - Seguindo em frente8

2 Como se Programar 7

3.1 O que é estudar9
3.2 Características do estudante9
3.3 Método de estudo9
3.4 Aulas10
3.5 Provas10
3.6 Trabalhos de aula1
3.7 Material de apoio1
3.8 Autoavaliações1

3 Como Estudar 9

4.1 Conhecimento13
4.1.1 Conhecimento ordinário - não científico13
4.1.2 Conhecimento científico14
4.1.3 Conhecimento tecnológico14
4.1.4 Problemas científicos e problemas tecnológicos15
4.2 Evolução do Método Científico15
4.2.1 Bacon e o método experimental-indutivo15
4.2.2 Galileu e o método científico-experimental15
4.2.3 Descartes e o método dedutivo15
4.2.4 Newton, o positivismo e o método indutivo-confirmável16
4.2.5 Einstein/Pooper e o método16
4.2.6 Método científico na atualidade16
4.3 Características do Método Científico17
4.3.1 Uso de metodologia17
4.3.2 Uso da lógica17
4.3.3 Uso da linguagem técnica17
4.3.4 Falsos caminhos da ciência18
4.4 Instrumentos do Método Científico18
4.5 Classificação da Pesquisa19
4.5.1 Quanto ao fim19
4.5.2 Quanto ao tipo de modelagem19
4.5.3 Quanto ao tipo de análise20
4.6 O Ciclo do Método Científico20
4.6.1 Preparação do candidato2
4.6.2 Escolha do tema2
4.6.3 Revisão bibliográfica23

4 Resumo de Metodologia Científica 13 2

SUMÁRIO 3

5.0.4 Desenvolvimento da pesquisa24
5.0.5 Análise e síntese dos resultados24
5.0.6 Divulgação24

5 Planejamento da Pesquisa - Metodologia 24

6.1 Pré-Projeto26
6.1.1 Identificação da instituição, curso, orientador e pesquisador26
6.1.2 Dados do tema de pesquisa26
6.1.3 Motivações para o Tema26
6.1.4 Limitações do tema26
6.1.5 Classificação da pesquisa26
6.1.6 Revisão Bibliográfica Preliminar27
6.2 Introdução27
6.2.1 Escopo do problema - motivação e delimitação do tema27
6.2.2 Objetivos27
6.2.3 Organização do documento27
6.3 Revisão Bibliográfica27
6.4 Metodologia27
6.4.1 Hipóteses e hipóteses simplificadoras27
6.4.2 Definição de variáveis a serem trabalhadas28
6.4.3 Dados28
6.4.4 Instrumentos28
6.4.5 Experimentos - ensaios, simulações28
6.4.6 Estudos estatísticos28
6.5 Cronograma28
6.6 Recursos28
6.7 Bibliografia28
6.8 Exemplos29
6.8.1 Tese Numérica (desenvolvimento de programas e simulações)29
6.8.2 Tese Experimental (ensaios em laboratório)29
6.8.3 Tese Matemática (modelos puramente matemáticos)29

6 Um Modelo/Estrutura de Projeto de Pesquisa 26

7.1 Características de Textos Científicos30
7.2 Roteiro para Textos Científicos30
7.2.1 Pense30
7.2.2 Planeje30
7.2.3 Escreva30
7.2.4 Reveja31
7.2.5 Imprima31
7.3 Estrutura de Trabalhos Científicos31
7.4 Dicas e Pontos a Verificar3
7.4.1 Lógica e leiaute3
7.4.2 Linguagem, títulos e referências3
7.4.3 Parágrafos, frases, figuras e tabelas34
7.5 Citações e Notas de Rodapé34
7.5.1 Quando citar34
7.5.2 Normas de citações35
7.5.3 O que se coloca na citação35
7.6 Ensaios35
7.6.1 Como redigir instruções para realização de ensaios35
7.6.2 Como relatar um ensaio realizado36

7 Como Redigir 30

8.1 Roteiro37
8.2 Abertura e Fechamento37
8.3 Não Escrever37
8.4 Palavras, Parágrafos e Frases37
8.5 O que se Sublinha (ou itálico)38
8.6 Pontuação, Números, Nomes38
8.7 Procure Evitar38
8.7.2 Palavras longas38
8.7.3 Frases pouco objetivas39
8.7.4 Frases introdutórias e frases de ligação39
8.7.5 Troque com vantagem, por uma só palavra39
8.7.6 Adjetivação desnecessária40
8.7.7 Tautologias40
8.8 Releituras/Revisões40
8.9 Abreviaturas Usuais40

SUMÁRIO 4

9.1 Adquirindo a habilidade necessária42
9.2 Assunto e público alvo42
9.3 A apresentação multimídia (usando computador)42
9.4 A Apresentação42
9.5 Palestra informativa, longa e curta43

9 Como Falar em Público 42

A.1 Definição de Engenharia45
A.1.1 O que dizem os dicionários45
A.1.2 Definição de engenharia de petróleo45
A.1.3 Sub-áreas da engenharia de petróleo46
A.2 Características da Engenharia46
A.3 Novidades da Engenharia Moderna46
A.4 Porque Escolher Engenharia46
A.5 Características Comuns aos Cursos de Engenharia46
A.6 Habilidades a Serem Adquiridas Pelo Estudante47
A.7 Conhecimentos Essenciais ao Engenheiro47
A.8 Características do Profissional de Engenharia48
A.8.1 O Engenheiro sabe fazer, sabe engenhar48
A.8.2 Tem domínio do tipo de função que irá exercer48
A.8.3 Respeita o código de ética48
A.8.4 É criativo49
A.8.5 Tem um método de trabalho consolidado49
B.1 Definição de ética50
B.2 Comportamento do Ser Humano50
B.3 Regras de Interação em Sociedade50
B.4 Ética dentro da Universidade50
C.1 O Que é um Modelo?51
C.2 Classificação dos Modelos51
C.3 Porque Usamos Modelos?51
C.3.1 O problema da linguagem, a necessidade de linguagens universais51
C.3.2 O problema do custo52
C.3.3 O problema da escala (conceito de escala)52
C.3.4 Outras vantagens do uso de modelos52
C.4 Fases da Modelagem53

C Modelos 51

D.1 Simulação54
D.2 Otimização54
D.3 Projetos54
D.3.1 Exemplo de características dos projetos de engenharia de software54

D Simulação, Otimização, Projeto 54

E.1 Sucesso Profissional56
E.2 Competência56
E.3 Facilidade de Comunicação56
E.4 Trabalho em Equipe57

SUMÁRIO 5

F.1 O que é o Lyx?58
F.2 Onde obter e como instalar?58
F.3 Como aprender a usar?58
F.4 Roteiro para criar documentos mestres58
F.5 Roteiro para uso do sistema de citações com banco de dados .bib58
F.6 Veja a seguir um roteiro para uso das citações58

F Lyx - O Editor de Texto Profissional 58 G Glossário 59

Capítulo 1

Universidade

Apresenta-se neste capítulo definições o conceito de universidade, de ética, e ética na universidade.

1.1 A Universidade

A universidade é uma associação de alunos e docentes que buscam o avanço do conhecimento - científico e tecnológico - por meio de uma relação conjunta de ensino e aprendizado, pelo estudo dos conhecimentos básicos e profissionalizantes, e pelo desenvolvimento de novas ideias, novos modelos, novas teorias, novas tecnologias. Caracteriza-se pela integração, difusão, e desenvolvimento do conhecimento.

O sistema nacional de pós-graduação, que inclui a CA-

PES/CNPq, define a universidade como centro de atividades permanentes de formação de professores, pesquisadores e profissionais.

Professores e alunos devem se unir para criar um ambiente profícuo, organizado, didático, e com muita dedicação e disciplina em torno do ensino e da pesquisa; com ênfase na busca e transferência do conhecimento, com espirito científico - crítico, rigoroso, criativo, reflexivo. É preciso que alunos tenham uma nova visão da universidade - uma visão mais participativa, mais científica - uma busca participativa do conhecimento tecnológico (formação profissional) e científico (formação do engenheiro do futuro).

entar e a construir o desenvolvimento da inteligênciaos
alunosestão mais motivados em adquirir informações ci-

Segundo [2], "as instituições de ensino e até mesmo as de nível universitário têm-se dedicado ultimamente muito mais a formar técnicos de todos os níveis do que a orientíficas do que ter formação e informação sobre ciência". Neste sentido, "a investigação científica se transforma na principal expressão da identidade universitária".

1.2 Ética

Os princípios básicos da ética nos ensinam que todos nós devemos:

ser honestos e sinceros.

sermos pessoas boas, uma pessoa boa é aquela que "faz o bem sem olhar a quem".

ter conhecimentos básicos da área de humanas, através de leituras - livros e revistas, e de convivência pessoal.

ter conhecimentos dos problemas sociais.

Os outros reconhecem nossas qualidades e defeitos - pessoas éticas e competentes são mais respeitadas, mais valorizadas, são utilizadas como referência, tem autoridade (mesmo não tendo poder formal).

1.3 Ética na Universidade

Princípios básicos que devem orientar o comportamento de professores e alunos.

ter reconhecimento e respeito a instituição.

ter reconhecimento e respeito pelos professores e funcionários.

ter reconhecimento e respeito pelos colegas. Procure ter um bom relacionamento e comunicação com seus colegas e professores.

fazer bom uso dos recursos físicos.

valorizar e retribuir a sociedade.

Capítulo 2 Como se Programar

Pesquisas recentes indicam que alunos tem interesses múltiplos, imediatos, gostam de informática e de sites de relacionamento. Mas os mesmos tem um conhecimento cada vez mais superficial, o que implica em dificuldade para realizar, para por em prática o que aprenderam. Neste sentido, o objetivo deste capítulo é dar dicas de como se programar, como organizar suas atividades de forma disciplinada e organizada, como usar conceitos de programação no seu dia a dia. A idéia é estimular a concentração através da organização e disciplina. Ao nos programarmos, definindo objetivos e metas (2.1), agenda de estudo (2.2), uso de padrões em provas e trabalhos (2.3), uso de programas (2.4), estamos estimulando nossa concentração.

2.1 Nível 0 - Objetivos e Metas

Com base numa visão do que desejamos para nosso futuro, precisamos definir nossos objetivos e metas de longo prazo.

Seguir estas metas com rigor e dedicação é o primeiro passo para termos sucesso pessoal e profissional. E isto é fundamentalmente uma questão de programação pessoal!

Dica: monte um planejamento pessoal com objetivos e metas claras.

2.2 Nível 1 - Agenda de Estudo

Se queremos ser mais eficientes, temos de programar nossas tarefas, o que fazer ao longo do dia, precisamos montar uma agenda de estudo.

Separar um tempo certo para cada atividade: leitura de e-mail (manter-se comunicável), consulta a novidades (manter-se atualizado), preparação de atividades (programar as tarefas do dia na noite do dia anterior), realização de atividades (com objetividade e eficiência, manter o foco na atividade, concentração). Aprender com a atividade realizada, de forma a realizá-la em um tempo cada vez menor.

Tocar nossos projetos de médio e longo prazo (não perder de vista os objetivos e metas de longo prazo).

Manter um bom relacionamento com colegas de trabalho (acredite, isto sempre facilita a nossa vida). Estimule a criação de novas amizades, amplie seus horizontes de relacionamento. Separe um tempo para descanso, diversão, amigos e família.

Dica: monte uma agenda de estudo.

2.3 Nível 2 - Uso de Padrões

Depois de organizar sua agenda, e efetivamente colocá-la em prática, preste atenção nas suas tarefas diárias. Será que não é possível otimizar suas tarefas diárias utilizando rotinas de trabalho mais bem organizadas?

Você costuma preparar relatórios? que tal montar relatórios padrões? Você costuma fazer apresentações? que tal montar apresentações padrões. Use padrões.

Você concentra/centraliza demais as atividades? então esta na hora de distribuir melhor as tarefas, confiar mais em sua equipe, nos seus colegas.

Você participa de reuniões repetitivas e pouco objetivas? então incentive os colegas a serem mais objetivos, divida as tarefas, definindo responsáveis e prazo para execução.

Dica: monte padrões de documentos que venham facilitar suas tarefas diárias. Se você digitar menos, sobra mais tempo para tarefas mais nobres (como estudar). Em resumo, identifique aquilo que é repetitivo e que pode ser organizado de uma forma mais eficiente.

2.4 Nível 3 - Uso de Programas

Se você esta neste nível, é porque já passou pelos níveis 0,1,2. Então você já definiu uma visão, objetivos e metas. Já montou uma agenda. Já separou um tempo para estudar e aprender coisas novas que venham ajudá-lo a ser mais eficiente, já criou padrões.

Algumas de suas tarefas são bastante repetitivas, e mesmo elaborando documentos padrões ainda precisa repetir muitas coisas. Por exemplo, você precisa fazer dezenas de planilhas e gráficos com dados sobre um experimento, e esta tarefa é repetida semanalmente. Pense em aprender uma

CAPÍTULO 2. COMO SE PROGRAMAR 8 linguagem de programação básica. Como exemplo usar uma linguagem de macros de uma planilha para automatizar a montagem de suas planilhas e gráficos, ou ainda o aprendizado de shell/script. Vai dar um pouco de trabalho? Sim, mas com este aprendizado você se torna mais eficiente. Provavelmente vai ter um diferencial em relação aos demais colegas de trabalho. Seu trabalho vai ser valorizado e você vai crescer.

Compartilhe seus conhecimentos, explique para seus colegas como usar os programas/macros que você desenvolveu. E incentive eles a seguirem seu exemplo. É claro, distribua seus códigos usando uma licença livre, como a GPL http://www.gnu.org/licenses/licenses.ptbr.html

Dica: leia os manuais dos programas que mais usa, e aprenda a otimizar as tarefas repetitivas.

2.5 Nível 4 - Seguindo em frente

Neste ponto você já estabeleceu sua visão, objetivos e metas. Aprendeu a programar sua vida, seus destinos, sua agenda, suas tarefas, e até a fazer pequenos programas de computador.

Agora você pode seguir em frente, pode redefinir suas metas de forma mais ambiciosa.

Pense em aprender uma linguagem de programação orientada a objeto. Entre em sites e tente descobrir qual linguagem é mais adequada ao seu perfil e ao tipo de trabalho de programação que irá desenvolver. Que tal fazer um curso? uma especialização?

Dica: aprenda uma linguagem de programação!

Cada um de nós pode ter uma receita diferente para seguirmos em frente. Mas todas as receitas efetivas de sucesso incluem conceitos como, visão, metas, objetivos, organização, disciplina, e muito estudo e dedicação.

Capítulo 3

Como Estudar

O objetivo deste capítulo é apresentar conceitos básicos relacionados ao estudo, o que é estudar (3.1), características do estudante (3.2), método de estudo - como montar seu método de estudo (3.3), como se comportar em sala de aula (3.4), como fazer provas (3.5), como fazer trabalhos de aula (3.6).

Informações adicionais podem ser obtidas nas referências [2, 1, 18, 17, 7].

3.1 O que é estudar

Segundo [2], "estudar é concentrar todos os recursos pessoais na captação e assimilação dos dados, relações e técnicas que conduzem ao domínio de um problema". É o ato metódico, disciplinado, sistemático e objetivo de perscrutar a realidade, por meio de investigações e reflexões, conceguindo conhecer o que o objeto insinua. O mesmo autor afirma ainda que "estudar é um processo investigativo do qual resultam a aprendizagem e os modos de conhecimento que se movimentam em obtenção de informes que vão do dado quantitativo ao qualitativo".

Aprender é obter o resultado desejado do ato de estudar.

Na hora de estudar o aluno precisa estar tranquilo, calmo, e deve direcionar todas as suas atenções ao que esta estudando, contornando o problema do superficialismo, indo mais a fundo, e tornando-se senhor do seu aprendizado.

3.2 Características do estudante 1

Saber ouvir: a audição é intermitente, seletiva, exclusiva e objetiva. Ou seja, você não consegue prestar atenção o tempo todo, mas consegue selecionar as partes mais importantes.

Saber ver: características da visão:

Ter curiosidade, sempre perguntar o para que, o porque, o como. Procure entender o básico, a linha de raciocínio, depois, busque o detalhe, a inovação.

Ter atitude mental positiva, força de vontade física, além da isenção de preconceitos.

1 faça uma análise de seus pontos fortes e pontos fracos, de suas características pessoais.

Ser dedicado e persistente nos estudos, tenha hábito de estudar.

Ter espírito científico, espírito de desenvolvimento de novos conhecimentos. Procure obter conhecimentos prévios da teoria através da revisão bibliográfica, do estudo em equipe; Procure analizar, compreender, predizer, manipular e criticar o material estudado. Use o método científico, tenha fé nas suas ideias, saiba formular hipóteses e teorias, não emita juízos de valor. Saiba desenvolver o trabalho, analizar e validar os resultados, saiba divulgar de maneira clara, aceite a crítica e o erro.

Dificuldades de alguns calouros

Não gosta de estudar.

Não entende as aulas, isto ocorre quando o aluno tem falta de base, é imaturo, tem dificuldade em prestar atenção.

Atitude negativa em relação a disciplina, ao professor e a alguns colegas.

Combata estas dificultades se motivando, vendo a aula como oportunidade de aprendizado e estudo. Vendo a solução dos exercícios/tarefas como desafios a serem superados. Junte-se aos bons alunos, crie grupos de estudo, faça do estudo um hábito.

3.3 Método de estudo

O conhecimento sensível envolve o ato físico de estudar, os olhos, o corpo. Já o conhecimento intelectual envolve apropriação e analise mental dos princípios e leis estudadas.

Estudar envolve vontade: estar compenetrado, passado de estudo, mentalização do assunto em questão para que possa analizar e desenvolver os conhecimentos adquiridos.

Organize seu tempo: o estudante deve montar um horário de estudo que forneça tempo suficiente para o estudo e para o descanso. Não vale criar um horário que não pode ser cumprido.

Organize seu espaço de trabalho/estudo: o estudante deve estudar em um ambiente adequado, amplo, bem arejado e iluminado. Com material necessário a mão - livros, apostilas, canetas, papel - para que não perca tempo indo atrás de

CAPÍTULO 3. COMO ESTUDAR 10 objetos. Música, preferência para música clássica e volume baixo.

Materiais e equipamentos: não economize com livros, apostilas e computadores. Use seus recursos financeiros para financiar uma melhoria nas suas condições de estudo.

Grade: Analise a grade de seu curso, as possibilidades de iniciação científica, monitoria, monografia e estágio. Faça um planejamento prévio com a ajuda de colegas experientes e professores.

Anotações pessoais: faça suas anotações pessoais em uma agenda, pode ser uma agenda eletrônica (um laptop, um smartphone). O mais importante é usar o mesmo mecanismo de anotação em diferentes situações, e é claro, você deve verificar as tarefas a fazer constantemente em sua agenda.

Pontos de vista: deve-se aprender a focalizar um assunto sobre diversos pontos de vista. De dentro para fora, de fora para dentro. Visão micro e visão macro. Visão da estrutura e da dinâmica do sistema.

3.4 Aulas Atitude positiva:

Primeiro e mais importante, jamais leve em consideração opiniões negativas de colegas a respeito de determinado professor. ou disciplina Entre em sala de aula considerando o professor como uma pessoa valiosa que quer lhe transmitir conhecimentos. Se você entrar em sala de aula já não gostando do professor ou da disciplina, fica muito difícil conseguir prestar atenção e estudar.

Como se preparar antes da aula:

* Leia em casa artigos, livros, material relacionado ao assunto de cada aula, de forma a ter um conhecimento prévio do que vai ser visto na aula. Antecipe o que vai ser visto.

* Se alimente bem, coma frutas, beba bastante água.

Como assistir uma aula:

* Chegue cedo. Sente-se nas cadeiras da frente (você vê e ouve melhor). Desligue celulares e aparelhos eletrônicos. Fique em silêncio, relaxe, concentre-se, preste atenção na aula.

* Antecipe o que vai ser visto: procure em sala de aula antecipar o que vai ser visto.

* Participe ativamente da aula: preste atenção, faça perguntas - o que? porque? quando? como?

(Parte 1 de 9)

Comentários