Caderno dds novembro

Caderno dds novembro

(Parte 5 de 5)

Cortes: Podem ocorrer cortes cruzados ou longitudinais no corpo das cintas, (a partir do contato com a carga), ou nos olhais (em razão de ranhuras ou rebarbas nos pontos de pega).

Limpeza

As cintas podem ser lavadas com água fria e detergente neutro, que se enquadre no quadro de resistência das características gerais do poliéster, de forma a retirar óleos e graxas oriundos da utilização.

Forma de lavagem: Diluir o detergente na proporção de 10:1 e deixar de molho até observar o desprendimento de manchas e sujeira em geral. Aplicar jato de água fria até que toda solução de limpeza seja retirada da cinta. A secagem deverá ser à sombra, sem exposição direta ao tempo e em temperatura ambiente.

Armazenamento

Deve ser em local livre de sujeira e calor excessivo. Em temperaturas “baixas”, e se ocorrer formação de gelo (havendo umidade), este poderá agir como “agente de corte” e causar um dano interno provocado por abrasão à cinta. Além disso, o gelo reduzirá a flexibilidade da cinta e, em casos extremos, tornará o produto inseguro ao uso. Essas agressões variam em um ambiente químico, quando então se deve buscar orientação junto ao fabricante ou fornecedor. O aquecimento indireto e limitado do ambiente, dentro das faixas permitidas, é aceitável para acelerar o processo de secagem da cinta (se necessário).

As fibras em poliéster usadas na fabricação das cintas, são suscetíveis a pequena degradação visual quando expostas à radiação ultravioleta. Antes de serem armazenadas, as cintas deverão ser inspecionadas quanto a danos que podem ter ocorrido durante o uso.

As cintas nunca devem ser armazenadas danificadas. As cintas que tenham ficado molhadas pelo uso, ou como resultado de limpeza, deverão ser penduradas para a secagem natural. Cuide das cintas e aumente sua durabilidade. Assim você sempre estará trabalhando com um produto de segurança reconhecida.

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 20

Todas as atividades profissionais que demandem do trabalho humano, necessitam que sejam feitos com dedicação. A coletividade, o trabalho em equipe é fundamental para que qualquer tarefa seja realizada com determinação e dedicação.

O trabalho em equipe significa agrupar um conjunto de pessoas e desenvolver determinadas ações que visam um só propósito, um só objetivo.

A equipe consegue trabalhar de forma em que seus integrantes sabem exatamente o que a outra esta fazendo, suas ideias e seus esforços são direcionados para um objetivo em comum.

Todos dentro da equipe são responsáveis pelas atividades exercidas. Portanto cada membro é responsável pelo sucesso de uma tarefa bem feita, ou pelo fracasso de uma operação mal sucedida.

A equipe trabalha diferente do grupo. Nos grupos o trabalho é feito de forma em atividades são feitas conforme o proposto, mas seus membros não sabem o que os demais pensam ou sentem em relação às tarefas exercidas, e o resultado não passa aquém do esperado.

Já na equipe seus membros sentem e sabem exatamente o que a outra esta pensando, agem de maneira simultânea, tudo é para o bem de todos.

O trabalho não é individual, tudo é feito para o bem geral de todos os membros. Portando uma equipe poder ser um grupo, mas nem todo grupo pode ser uma equipe.

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 21

-A posição de trabalho deve ser a mais relaxada possível, sem posições forçadas. Alterne as posições com freqüência. - A borda superior da tela do monitor deve ficar no mesmo nível da linha dos olhos do usuário ("linha do horizonte"). Se o monitor ficar um pouco mais baixo, não tem problema, desde que você não tenha que dobrar o pescoço, mantendo-o em posição natural. - Os reflexos na tela dos monitores devem ser evitados através de mudanças no layout e da posição do monitor. Quando isso for impossível, deve-se lançar mão de persianas e cortinas. - Não é recomendável o uso de telas espelhadas existentes no mercado que, ao contrário do que propõem, aumentam os reflexos. O conforto visual deve ser buscado com ajuste do brilho e contraste no próprio monitor. - O monitor deve ficar à frente do usuário, sendo aceitável que seja lateralizado em 20º até 25°, no caso de postos em que haja atendimento a interlocutores. - O teclado deve estar posicionado em frente ao usuário e ao monitor.

- As mãos devem ficar retas, sem desvios para cima, para baixo ou para os lados.

- Os antebraços devem ficar mais ou menos paralelos ao piso, com os cotovelos em ângulos de 90º ou mais abertos. O uso de apoio para os punhos é recomendável quando o móvel não tiver bordas arredondadas ou por preferência do usuário. - O mouse deve ficar em posição que permita que o cotovelo fique próximo ao corpo, sem desvios dos ombros e punhos. - A cadeira para trabalho com computadores deve ser regulável e com rodízios. Cada usuário deve conhecer os ajustes possíveis da cadeira e fazer a regulagem necessária para o seu maior conforto. - A utilização de braços na cadeira é opção de cada um, para seu maior conforto. Se os braços impedem que você se aproxime da mesa, peça para retirá-los. Apoiar os membros superiores sobre a mesa de trabalho também é aceitável, desde que você fique em posição relaxada. - Procure trabalhar sempre com as costas apoiadas. Ajuste o encosto da cadeira na melhor posição para você. - Os pés devem ficar bem apoiados no piso, sendo recomendado o uso do apoio para os mesmos, quando o ajuste da cadeira ao posto de trabalho ocasionar compressão da parte posterior da coxa ou não permitir que os pés fiquem bem apoiados.

- Sob as mesas, mantenha o espaço para as pernas desobstruído, sem caixas e objetos. - A área de saída das mesas não deve ficar obstruída por volantes, escaninhos, CPU. No novo mobiliário, coloque os volantes do lado contrário de onde você sai do posto de trabalho. - Evite ficar muito tempo digitando ou mesmo trabalhando no computador. Alterne as atividades do seu dia-a-dia, de modo a usar grupos musculares diferentes. - Faça alongamentos sempre que ficar muito tempo numa mesma posição. Participe dos grupos de alongamentos. - Ao utilizar o computador por mais tempo, procure olhar para distâncias maiores, periodicamente, evitando o cansaço da musculatura visual. - Pisque! Durante o uso do computador, procure piscar com freqüência. Geralmente ficamos com o olhar fixo na tela e acabamos esquecendo de piscar. No final do dia, passamos a sentir ardência nos olhos, que podem até ficar vermelhos. Piscar é a prevenção.

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 2

Faça com que o seu local de trabalho seja confortável, propiciando assim mais estímulo e um maior cuidado com as atividades mais perigosas;

Procure organizar o local de trabalho, ou seja, deixe os objetos nos seus devidos lugares e bem guardados. Isso impede as improvisações, diminuindo os acidentes;

Esteja sempre informado quanto aos riscos e cuidados que envolvem as suas atividades e as formas de proteção disponíveis para diminuir esses riscos;

Participe em atividades e cursos de prevenção de acidentes sempre que a empresa os promover;

Procure aplicar as medidas e dispositivos de prevenção de acidentes de trabalho; Sugira à empresa palestras e cursos sobre prevenção de acidentes;

Se trabalhar com máquinas nunca retire as proteções das mesmas enquanto as está a utilizar. Muitas são a vitimas de amputações;

Ambiente de oficina é proibido o uso de anéis, correntinhas, ou outros tipos de adornos;

É sugerível que todos os funcionários utilizem da camisa por dentro da calça, isso evita que a mesma possa se prender a fonte de movimentação, e assim evita acidentes no ambiente de trabalho;

Se for trabalhar por muitas horas na posição sentada, mantenha uma postura adequada. Faça pequenas pausas a cada 30 minutos á 1 hora, isso evita dor na região da coluna, estresse, fadiga, principalmente o estimulo dos músculos da região inferior de seu corpo;

No seu local de trabalho use sempre a proteção individual recomendada, se seu colega não use, aconselhe a utilizar e informe os benefícios da proteção.

Se o funcionário achar que o EPI que é incomodo ou desajustado e não faz se de seu uso, informe-se aos responsáveis da segurança da empresa;

Não fume dentro de áreas de trabalho, principalmente se obtiver líquidos inflamáveis;

Respeite os seus colegas de trabalho, o trabalho não é local para brincadeiras, principalmente as de toque, a liberdade no trabalho é diferente da liberdade fora dele.

São pequenas atitudes que fazem nosso dia a dia no trabalho mais seguro e harmonioso, você é a pessoa mais importante no trabalho, sem você não há a socialização humana e o desenvolvimento da empresa você também é a peça principal para que a segurança tanto de seus colegas, quanto a sua seja empregada a todo o momento no trabalho.

È necessário investir alguns minutos em um diálogo do que perder horas com um acidente, preservar a saúde é papel de todos, e você deve está municiado a optar e escolher trabalhar seguro sempre, ser não for SEGURO não faça.

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 23

Durante a estação das chuvas não dá nem para seguir à risca o ditado popular "quem está na chuva é para se molhar", que o organismo já levanta a bandeira vermelha. Fora todos os contratempos, as chuvas e enchentes podem ser extremamente perigosas para a saúde. Para se prevenir é simples. Ande sempre com sapatos fechados e munido de guarda-chuvas. Evite pisar em poças de água, especialmente aquelas que estão próximas aos bueiros que contém sujeira, urina de ratos e lixo. Além disso, redobre os cuidados com a água, que você bebe. "A recomendação é que só se faça o consumo de água tratada (filtrada, fervida ou mineral engarrafada)", explica o infectologista Paulo Olzon, da Unifesp. Os alimentos, como frutas e legumes, também precisam ser muito bem lavados com água de boa qualidade. A seguir, confira a lista com as doenças mais comuns das chuvas e saiba como reconhecê-las e quais cuidados devem ser tomados.

Viroses A gastroenterocolite aguda é uma infecção do sistema digestivo (estômago, intestino

desfiado e um pouco de carne moída

delgado e grosso), geralmente causada por um vírus. É o que costumamos chamar popularmente de "virose". De acordo com o infectologista Alexandre Naime Barbosa, da Unesp, a principal via de transmissão é o consumo de água contaminada ou de alimentos mal lavados ou mal cozidos, que estiveram em contato água contaminada com fezes. "A via mais comum, portanto, é oral-fecal", afirma o especialista. A doença tem sintomas como vômito, diarreia e, às vezes, pode ocorrer febre. O próprio vômito e a diarreia ajudam a "limpar" o organismo. Nesses casos, o melhor tratamento é se hidratar e comer aqueles alimentos que não vão estimular o intestino ainda mais. A dieta recomendada deve incluir itens como arroz bem cozido, purê de batata, bolacha água e sal, peito de frango Leptospirose A leptospirose é causada por uma bactéria, a Leptospira interrogans, que

que os primeiros sintomas se manifestarem

penetra ativamente na pele. "O rato é o agente transmissor da doença, cujo contágio é feito pelo contato com a urina desse animal. Por isso, a situação se torna bastante comum em temporadas de chuvas e enchentes", explica o infectologista Alexandre Barbosa, membro titular da Sociedade Brasileira de Infectologia. A doença é grave e tem alto índice de mortalidade. "A cada dez pessoas que contraem a doença, duas morrem", segundo o infectologista Paulo Olzon, da Unifesp. O infectologista e chefe da disciplina de Clínica Médica da Unifesp, Paulo Olzon cita como sintomas da doença a febre alta, as dores pelo corpo, infecções na panturrilha e, depois de três dias, os olhos costumam ficar amarelados (icterícia). É importante procurar um médico assim

Hepatite A Segundo o infectologista da Unesp, Alexandre Barbosa, a hepatite A é causada por um vírus e também tem transmissão oral-fecal por causa do consumo de água ou alimentos contaminados, situação frequente nesse período chuvoso. Os principais sintomas são cansaço, olhos amarelados e perda de apetite. A hepatite A é curável, mas precisa de acompanhamento médico.

Febre tifoide O especialista Alexandre Barbosa explica que a febre tifoide é causada por uma

desses sintomas deve procurar ajuda de um especialista o mais rápido possível", reforça ele

bactéria, a Salmonella typhi. A transmissão é oral-fecal pelo consumo de líquidos e alimentos contaminados. Entretanto, ela pode, em alguns casos, ser adquirida pelo contato com a pessoa infectada, pelo beijo. De acordo com o infectologista da Unifesp, Paulo Olzon, a febre tifoide provoca em algumas pessoas inflamações em forma de úlceras no aparelho digestivo e pode ser tratada com antibióticos. "A doença tem tratamento e cura, portanto a pessoa com algum

Infecções virais (enterovírus) No período de chuvas,é comum que as pessoas tenham mais contato com as águas dos rios, córregos, piscinas, e também das enchentes. Essas águas podem conter dejetos de esgotos, contaminados com fezes, ou outras substâncias como a urina de animais. Essas infecções provocam sintomas como diarreia e vômito. "Como no caso da gastroenterocolite, o melhor tratamento é a hidratação e a alimentação apropriada para quem está com diarreia", explica o infectologista Paulo Olzon. A recomendação é que só se faça o consumo de água tratada (filtrada, fervida ou mineral engarrafada).

"Só pode permanecer na frente aquele que está em constante movimento, fazendo de sua vida uma aprendizagem constante, sem se preocupar com os obstáculos superados, mas focado nos obstáculos que ainda estão por vir." (Luis Alves)

(Parte 5 de 5)

Comentários