Cardiovascular II

Cardiovascular II

(Parte 2 de 2)

Alterações cardiovasculares durante exercício moderado (jogging)

4 Alterações cardiovasculares em exercício moderado

45 Controlo do sistema cardiovascular durante o exercício

Alterações no

Débito cardíaco

Frequência cardíaca

Volume de ejecção com o aumento do esforço para indivíduos treinados e não treinados.

Notar que o treino faz diminuir a frequência cardíaca e aumentar o volume de ejecção para o

O débito cardíaco não se altera.

Hipertensão

A hipertensão define-se como um aumento crónico da pressão arterial sistémica > 140 / 90 mmHg.

Hipertensão primária (90%): não se conhecem as causas, mas conhecem-se muitos factores de risco.

Hipertensão secundária: édevida a uma doença:

•doença renal (hipertensão renal) demasiada produção de reninadá origem a níveis elevados de angiotensina I, que éum vasoconstritor potente e também reduz a produção de urina.

•obstrução das artérias dos rins.

•distúrbios endócrinos (doença de Cushing: ↑cortisol; hipertiroidismo: efeito permissivo para a epinefrina).

Hipertensão primária: factores de risco

Podem estar envolvidos factores genéticos e ambientais. O parâmetro afectado égeralmente a resistência total periférica (raio arteriolar reduzido).

Factores genéticos

Genes de enzimas envolvidas no caminho renina-angiotensina-aldosterona; Genes de proteínas envolvidas na regulação da função do endotélio. Genes de proteínas envolvidas na contracção do músculo liso das arteríolas. Genes envolvidos na reabsorção de sódio e água nos rins.

Factores ambientais

Estilo de vida sedentário e máalimentação (muito sal e colesterol) Obesidade Stress crónico (aumento da actividade nervosa simpática) Tabaco

Deficiência em Ca 2+ e em vitamina D na dieta

Medicação (anti-inflamatórios não esteróides, pílula contraceptiva...)

Hipertensão: problemas que causa

Hipertrofia ventricular esquerda. O coração tem que bombear o sangue contra uma pressão superior ao normal e isso causa uma resposta adaptativa que éo aumento do volume do músculo cardíaco. O início ébom, mas com o tempo dá-se uma reorganização da estrutura e propriedades do miocárdio que resulta em perda da função contráctil e eventualmente insuficiência cardíaca. A hipertensão também aumenta a probabilidade de: Aterosclerose, ataque cardíaco(enfarte do miocárdio), danos renaise AVC(acidente vascular cerebral).

Um aumento de 20 mmHg na pressão sistólica e 10 mmHg na pressão diastólica duplica o risco de doença cardíaca ou AVC.

Fármacos utilizados para tratar hipertensão

Diuréticos; bloqueadores beta; bloqueadores dos canais de Ca 2+ inibidores da enzima que converte a angiotensina; antagonistas do sistema nervoso simpático.

(Parte 2 de 2)

Comentários