Relatório Obtenção de Iodofórmio

Relatório Obtenção de Iodofórmio

Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí - CEAVI

Departamento de Engenharia Sanitária

Relatório de

Química Experimental – Procedimento XII

Iodofórmio

Data de realização do experimento: 07/11/2013

Acadêmica: Ariane Castro

Assinatura:

Acadêmico: Emanuel Fusinato

Assinatura:

Data de elaboração do relatório: 08/11/2013

Ibirama, 08 de Novembro de 2013.

  1. Objetivo

Preparar o iodofórmio em laboratório através da reação entre acetona, solução de hipoclorito de sódio e iodeto de potássio.

  1. Introdução

O iodofórmio (CHI3) é uma substância que foi usada como anti-séptico nos hospitais (ainda é usada em áreas como a otorrinolaringologia), e ainda é importante na odontologia (especialmente na endodontia). Apresenta-se sob a forma de cristais amarelos e brilhantes. É equivalente ao clorofórmio, mas com átomos de iodo. Também é usada em sínteses orgânicas e no teste do iodofórmio, para a detecção dos grupos CH3CO-, e na distinção entre cetonas (R-CO-R) e metil-cetonas (RCOCH3). Essa pratica tem como objetivo preparar o iodofórmio em laboratório e diferenciar as reações orgânicas.

  1. Materiais e Métodos

3.1 Materiais e Reagentes

  • Becker de 500 ml

  • Bagueta de vidro

  • Kitassato

  • Cadinho de vidro com placa sintetizada

  • Funil de separação

  • Estufa

  • Trompa de vácuo

  • Balança

  • Solução de hipoclorito de sódio à 5%

  • Acetona

  • Iodeto de potássio sólido

    1. Métodos

  1. Colocar em um Becker de 500 ml, 6g de iodeto de potássio, 100 ml de água destilada e 10 ml de acetona.

  1. Em um funil de decantação, colocar 60 ml de solução de hipoclorito de sódio.

  1. Com agitação constante, iniciar a adição, gota a gota, de hipoclorito de sódio sobre a mistura do Becker até que ocorra a precipitação completa do iodofórmio (precipitado amarelo).

  1. Deixar o precipitado formado assentar no fundo do Becker.

  1. Filtrar à vácuo, através de vidro com placa sinterizada, previamente pesado.

  1. Lavar, três vezes, o precipitado com água destilada.

  1. Secar o precipitado à 80ºC, na estufa.

  1. Pesar os cristais.

  1. Resultados e Discussões

  1. Resultados e discussão

Para obter o iodofórmio primeiro adicionamos 6 g de iodeto de potássio em um Becker de 500 mL, juntamente com 100 mL de água deionizada e 10 mL de acetona. Agitamos a solução para homogeneizar e em seguida, colocamos 60 mL de solução de hipoclorito de sódio (5%) em um funil de decantação, como ilustra a figura abaixo:

Iniciamos a titulação adicionando o hipoclorito de sódio, gota a gota, sobre a solução do Becker utilizando todo o volume contido no funil. As primeiras gotas formaram uma mancha amarela e logo sumiam, em seguida, conforme adicionadas mais gotas a solução foi ficando consistente e a partir deste ponto criou-se um precipitado amarelo de iodofórmio que começou a se depositar no fundo do Becker. Mecanismo envolvido na reação:

Após a titulação, deixamos a solução em repouso por uns minutos. Enquanto isso montamos um sistema de filtração a vácuo com um funil de Buchner, um Kitassato e uma trompa de vácuo. A mistura heterogênea foi filtrada e os filtros utilizando nesse processo foram previamente pesados para que sua massa fosse descontada na pesagem final.

Filtramos três vezes a solução, retiramos o papel filtro do funil e colocamos o produto final da filtração (iodofórmio) sob uma placa de Petri. Levamos o produto à estufa para secagem à 80ºC, que ficou lá por um dia.

No dia seguinte retiramos a placa de Petri da estufa e pesamos a quantia de iodofórmio produzida: 0,47 g de iodofórmio.

    1. Cálculo de rendimento

Foi adicionado 6g de KI,

0,03 mol

NaOCl= 74,45 g/mol

V= 60 mL

n= 0,444 mmol

m(acetona)=densidade*volume

m(acetona)=0,79*10

m(acetona)= 7,9g

n(acetona)=0,148 mmol

n(iodoformio)=0,148 mmol

MM(iodoformio)= 395,7 g/mol

M=0,059 g

Em nosso experimento encontramos um rendimento teórico de 769%. Devido a fatores não levados em consideração, por diferenças na concentração das soluções utilizadas e por erros ao longo dos processos desenvolvidos no laboratório associados ao procedimento.

    1. Fontes de erro do experimento

Este experimento em particular exibe diversas fontes de erro, entre eles:

  • Os filtros pesados na balança possivelmente apresentavam certa quantidade de umidade, alterando a massa dos filtros;

  • Os filtros podem não ter sido totalmente eficientes quanto a separação do iodofórmio da solução;

  • Certa quantia de iodofórmio produzida pode ter ficado aderida às vidrarias envolvidas no procedimento, o que pode ter alterado o rendimento final;

  • Há o erro de escala associado aos instrumentos de medição utilizados no experimento, tais como a balança analítica e pipetas graduadas.

  • Erro na concentração das soluções utilizadas.

    1. Propriedades e aplicações do iodofórmio

Propriedades:

  • Sólido à temperatura ambiente;

  • Possui odor penetrante e persistente;

  • Possui sabor desagradável;

  • Tem baixa solubilidade em água;

  • É relativamente solúvel ao álcool;

  • Muito solúvel em óleo de oliva e em éter;

  • Promove alteração cromática dos dentes;

  • Considerado analgésico, levemente hemostático e antisséptico.

Aplicações:

  • É utilizado em Endodontia (ramo da odontologia responsável pelo estudo da polpa dentária);

  • A liberação do iodo propicia sua capacidade antibacteriana e detergente, além de ser capaz de ativar a resposta imunológica estimulando a inflamação;

  • Muito utilizado para promover a granulação e diminuir a infecção em feridas abertas.

  1. Conclusão

A síntese do iodofórmio foi possível através da amostra de acetona, uma vez que ocorreu a formação de um precipitado amarelo. Apenas o seu rendimento não foi o esperado em função de erros ocorridos em laboratório, provavelmente tais resultados foram obtidos devido a alguns fatores interferentes como, temperatura dos reagentes, filtração e conservação do produto obtido.

  1. Referencias Bibliograficas

http://pt.wikipedia.org/wiki/Iodof%C3%B3rmio (Acessado em 08/11/13)

Fonte: http://pt.scribd.com/doc/85243477/Iodoformio (Acessado em 14/11/13)

Comentários