(Parte 2 de 2)

1.2 Os materiais adquiridos são armazenados, manuseados e transportados de acordo com os procedimentos aprovados e as normas da indústria.

2.0 Materiais Perdidos, Danificados ou Inadequados: Os materiais perdidos, danificados ou inadequados são documentos e relatados ao cliente.

ISO 9001: 4.8 Identificação e Rastreabilidade dos Produtos

1.0 Identificação do Material e dos Produtos: São estabelecidos e mantidos procedimentos para identificar e documentar materiais e produtos durante todo o desenvolvimento e ciclo de vida do produto.

2.0 Rastreabilidade: Os materiais da empresa e os adquiridos são rastreados por meio do desenvolvimento do produto e do ciclo de vida do produto. A rastreabilidade estende-se também à entrega e à instalação.

ISO 9001: 4.9 Controle dos Processos

1.0 Processos Gerais: Todos os principais processos são controlados. Onde aplicável, os processos estão sob controle e capazes.

1.1 O controle dos processos inclui os procedimentos documentados, os empregados treinados, as máquinas controladas estatisticamente, os ambientes monitorados e o equipamento calibrado. Procedimentos e instruções de trabalho são desenvolvidos para cada tarefa para que os empregados compreendam as responsabilidades. Os sistemas da qualidade são avaliados periodicamente para garantir que sejam atuais, precisos e completos. A satisfação dos clientes internos também é monitorada.

2.0 Processos Especiais: Os processos especiais são aqueles que dependem do operador.

2.1 Os processos especiais são monitorados e controlados.

2.2 Os requesitos do controle dos processos são definidos para todas as variáveis do processo.

2.3 Os dados resultantes de processos especiais são monitorados para que seja certificado que eles satisfaçam as especificações, os procedimentos e as instruções.

2.4 São mantidos e conservados disponíveis os registros de processos especiais, e seu equipamento e pessoal.

1.0 Inspeção e Ensaios de Recebimento: Os materiais e os produtos são inspecionados de acordo com procedimentos documentados que guarantem a conformidade. com as especificações.

1.1 A inspeção de recebimento garante que o material que entra está em conformidade com as especificações da qualidade. Se os materiais não podem ser ou não são inspecionados, então a certificação da conformidade poderá ser requerida ao fornecedor. Os materiais de fornecedores certificados não são inspecionados.

1.2 O setor da qualidade é responsável pela geração e o controle dos relatórios da inspeção e outros documentos da qualidade do fornecedor.

1.3 As amostras iniciais dos fornecedores são avaliadas pelos setores da qualidade e da engenharia. Os resultados são comunicados ao setor de Compras para a aprovação do fornecedor.

· As amostras iniciais devem ser recebidas e avaliadas antes da produção .

As amostras iniciais são necessárias para produtos novos, modificações de produtos existentes, novos fornecedores ou novos processos.

· Os setores de Engenharia, Qualidade, Fabricação e Compras devem assinar a aprovação das amostras iniciais. Dependendo da aceitação, é gerado um documento de aprovação com os resultados dos ensaios. O setor Compras é responsável pela comunicação da aprovação ao fornecedor.

· Se a amostra for rejeitada, toda a documentação é enviada a Compras, que comunica os motivos e as alternativas ao fornecedor.

1.4 Se o material for urgentemente necessário, os setores de Engenharia, Qualidade, Fabricação e Compras aprovam em conjunto a desistência.

2.0 Inspeções e Ensaios no Processo Produtivo: São identificados num fluxograma ou documento similar os pontos de ensaios e inspeções no processo produtivo. Documentos suplementares identificam o tipo da inspeção, as características do produto, os métodos de inspeção, os níveis de inspeção, os AQLs e o equipamento de inspeção.

3.0 Inspeções e Ensaios Finais: Os pontos de inspeções e ensaios finais são identificados num fluxograma ou documento similar. Documentos suplementares identificam o tipo de inspeção, as características do produto, os métodos de inspeção, os níveis da inspeção, os AQLs e o equipamento de inspeção.

4.0 Registros de Inspeções e Ensaios: São mantidos registros dos ensaios e das inspeções e é indicada a conformidade.

ISO 9001: 4.1 Equipamento de Inspeção, Medição e Ensaio

1.0 Requesitos Gerais: Durante o desenvolvimento do produto, as característicaschave do produto são identificados nos desenhos da engenharia ou em documentos similares. É identificado o equipamento de inspeção, medição e teste a fim de medir com exatidão e precisão as características previamente indicadas do produto.

· O equipamento de inspeção, medição e ensaio é calibrado a fim de ter precisão e exatidão. A situação da calibração é registrada no gabarito e na documentação da qualidade.

· A calibração de referência interna é conduzida em condições controladas.

· A inspeção, as medições e os ensaios são todos inseridos nos procedimentos.

· Os gabaritos de referência internos e os serviços externos de calibração são transferíveis ao NIST.

2.0 Responsabilidades: As responsabilidades pela inspeção, medição e ensaios são detalhadas.

· O pessoal organizacional e responsável por controlar e assegurar a precisão e exatidão do equipamento de medição. O equipamento de medição é guardado, manuseado e protegido de acordo com os procedimentos.

3.0 Requesitos Específicos: Os requesitos para o equipamento de medição são os seguintes:

· O equipamento é identificado adequadamente.

· A localização a data de calibração, a frequência da calibração, a autoridade e outros critérios.

· O equipamento danificado ou não calibrado é separado.

· São avaliados os processos de calibração.

ISO 9001:4.12 Situação da Inspeção e dos Ensaios

1.0 Identificação: A situação de inspeção e de ensaios do produto é identificada por toda a produção. Os produtos não conformes são rotulados adequadamente e separados. Os produtos conformes são liberados para o próximo passo da produção somente se a identificação indicar uma situação apropriada para a liberação. A identificação deve a seguir os procedimentos e pode incluir rótulos, etiquetas ou carimbos.

2.0 Autoridade: As autoridades de liberação dos produtos em conformidade são identificadas nos produtos, lotes ou expedições.

ISO 9001: 4.13 Controle dos Produtos Não-Conformes

1.0 Controle de Material e Produtos não Conformes: Os produtos não conformes são identificados, avaliados, separados e destinados de acordo com os procedimentos.

2.0 Análise crítica e Inspeção: Os materiais não conformes são analisados criticamente de acordo com os procedimentos. Eles podem ser:

· refugados · retrabalhados

· usados como estão

· devolvidos ao fornecedor

· reclassificados para aplicação alternativas.

3.0 Registros: Os produtos não conformes são retirados ou destinados de acordo com os procedimentos. São mantidos registros de quaisquer ações que tratem de materiais.

1.o Propósito: A ação corretiva é planejada e documentada. A ação corretiva focaliza a eliminação do sintoma e da causa-raíz.

2.0 Investigação e Análise: As não-conformidades, as imperfeições ou as deficiências são priorizadas e as mais significativas, analisadas e eliminadas em primeiro lugar. Algumas das ferramentas de análise utilizadas são o custo da qualidade, o SPC, as queixas dos clientes e os resultados da inspeção.

3.0 Ações de Prevenção e Controle: A meta da ação corretiva é prevenir a reincidência. Os resultados da ação corretiva são investigados para garantir que o problema não se repita.

ISO 9001: 4.15 Manuseio, Armazenagem, Embalagem e Entrega

1.0 Procedimentos Gerais: Os materiais de produção são identificados existindo, portanto, uma trilha de auditoria desde o material que entra até a entrega ao cliente ou até a destinação final. São desenvolvidos procedimentos para o manuseio, para o armazenamento, para a embalagem e para a entrega dos materiais.

2.0 Manuseio: Os procedimentos de manuseio asseguram que os materiais não sejam danificados durante o ciclo de produção. Os procedimentos e os desenhos prescrevem os recipientes adequados. Os procedimentos pormenorizam também requesitos especiais de manuseio.

3.0 Armazenamento: Os procedimentos de armazenamento garantem que os materiais não sejam danificados durante o ciclo de produção. Os procedimentos de armazenamento instruem especialmente o pessoal sobre a manutenção de condições ambientais adequadas.

4.0 Embalagem: Os procedimentos de embalagem garantem que os materiais não sejam danificados durante todo o ciclo da produção. A embalagem é projetada de acordo com os requesitos do cliente, com o tipo de transporte, com o produto, com o custo e com outros fatores.

5.0 Expedição: Os procedimentos de expedição garantem que os materiais não sejam danificados durante todo o ciclo da produção. A embalagem leva em conta o uso incorreto ou abuso de forma que os materiais continuem conformes com os requesitos.

ISO 9001: 4.16 Registros da Qualidade

1.0 Requesitos Gerais: Registros da qualidade para todas as atividades e funções críticas são gerados e mantidos por toda a organização. Os registros da qualidade podem ser facilmente recuperados e estão disponíveis para todo o pessoal.

· Os registros da qualidade são identificáveis, exatos, completos e atuais. Eles são rastreáveis e auditáveis quanto a processos, produtos e resultados.

2.0 Tipos de Registros: São mantidos muitos tipos de registros da qualidade, incluindo:

· especificações · custos da qualidade

· qualidade dos fornecedores

· inspeção e medição

· auditorias internas

· análise crítica do projeto

· reclamações dos clientes

· qualidade do processo

· desempenho do produto

· ações corretivas

· resultados de auditoria

3.0 Retenção: Os registros da qualidade são guardados de acordo com os requesitos específicos nos procedimentos e nas políticas.

ISO 9001: 4:17 Auditorias da Qualidade

1.0 Programa da Auditoria: As auditorias são priorizadas com base na importância, no custo e nos requesitos internos.

2.0 Requesitos Específicos da Auditoria: O setor da qualidade é responsável pelo planejamento, condução e relatórios dos resultados da auditoria. As auditorias da qualidade são conduzidas por pessoal independente, treinado e qualificado. A auditoria segue procedimentos. São auditados a organização, os processos, os sistemas os produtos.

3.0 Resultados: Os relatórios da auditoria são distribuídos para as pessoas específicas definidas nos procedimentos. As áreas auditadas podem ser reauditadas para avaliar a eficácia e a economia das ações corretivas.

3.1 Toda a organização, as unidades funcionais e as fábricas são auditadas anualmente para determinar a conformidade com as políticas e procedimentos.

1.0 Requesitos Gerais: Todos os empregados são treinados para executar as tarefas de forma adequada de forma que satisfaçam os clientes internos e finalmente os clientes externos. Os requesistos das tarefas são detalhados para a realização do trabalho requerido.

2.0 Treinamento em Qualidade: A qualidade é um elemento essencial do treinamento e desenvolvimento de empregados novos e existentes. Os trabalhos de treinamento são avaliados e atualizados periodicamente. Os elementos críticos abordados no treinamento em qualidade são:

· a importância da satisfação dos clientes esternos e internos. · a satisfação dos clientes por meio da Gestão da Qualidade Total.

· a prevenção e melhoria contínua, necessárias para estar à altura das mudanças das expectativas dos clientes.

· o estabelecimento dos pontos de referência do processo.

· a importância dos fornecedores como parceiros no processo.

3.0 Responsabilidades: Os executivos superiores das áreas operacionais e funcionais são responsáveis por garantir que sejam alcançados os objetivos do treinamento e do desenvolvimento.

4.0 Registros: Para todos os empregados são mantidos os registros dos treinamentos.

5.0 Programas de Treinamento: O treinamento em qualidade envolve os elementos específicos da indústria, da companhia, dos processos e dos produtos.

ISO 9001: 4.19 Assistência Técnica

1.0 Requesitos Gerais: Os processos, os sistemas e a documentação da assistência técnica tratam adequadamente dos requesitos da assistência técnica. A assistência técnica após as vendas é documentada a fim de que sejam satisfeitos os requisitos do cliente. É levantada a satisfação de clientes internos e externos.

2.0 Responsabilidades: As responsabilidaes pela assistência técnica ao cliente são definidas para todo o pessoal apropriado.

3.0 Registros: São mantidos e periodicamente avaliados os registros de assistência técnica incluindo resultados de pesquisas, modos de falhas, custos e estudos.

ISO 9001: 4.20 Técnicas Estatísticas

1.0 Requesitos Gerais: São estabelecidos técnicas estatísticas para os processos apropriados. O pessoal é treinado na prevenção estatística. São mantidos registros para anotar os resultados de análises estatísticas e para buscar a melhoria contínua.

2.0 Planos de Amostragem: Os planos de amostragem e de inspeção refletem: a capacidade do processo e do fornecedor, os tipos de produto, as características dos produtos, custos e os riscos.

3.0 Técnicas: A lista das técnicas estatísticas inclui mas não se limita às seguintes:

· Controle Estatístico do Processo (SPC) · métodos de Taguchi.

· histogramas.

· cálculos de confiabilidade.

· cálculos de engenharia.

· amostragens.

4.0 Aplicações: A análise estatística é utilizada para:

· ensaios de confiabilidade. · processos de produção.

· desenvolvimento de produtos.

· análise de mercado.

· melhoria contínua.

· satisfação do cliente.

Bibliografia

HUTCHINS, Greg. ISO 9000 Um Guia Completo para o Registro, as Diretrizes da Auditoria e a Certificação . São Paulo : Makron Books, 1994.

17 TEXTO GENTILMENTE CEDIDO POR PALMIRO SARTORELLI NETO PALMIRO@AGUIANET.COM.BR w.sti.com.br

(Parte 2 de 2)

Comentários