A corrosão de um metal é a deterioração pelo ataque químico ou eletroquímico e, pode ter lugar, tanto internamente, quanto na superfície. Do mesmo modo que o apodrecimento da madeira, esta deterioração pode alterar uma superfície lisa, enfraquecer o interior e danificar, ou , soltar partes adjacentes. Água ou vapor de água contendo sal, combina com o oxigênio na atmosfera, para produzir a principal fonte de corrosão em aeronaves.

  • A corrosão de um metal é a deterioração pelo ataque químico ou eletroquímico e, pode ter lugar, tanto internamente, quanto na superfície. Do mesmo modo que o apodrecimento da madeira, esta deterioração pode alterar uma superfície lisa, enfraquecer o interior e danificar, ou , soltar partes adjacentes. Água ou vapor de água contendo sal, combina com o oxigênio na atmosfera, para produzir a principal fonte de corrosão em aeronaves.

A aparência da corrosão varia com o metal.

  • A aparência da corrosão varia com o metal.

    • Nas ligas de alumínio e de magnésio, ela aparece como pequenas cavidades ásperas, muitas vezes combinada com um depósito de pó branco ou cinza.
    • No cobre e nas ligas de cobre, a corrosão forma uma película verde.
    • No aço, uma ferrugem avermelhada.

Existem duas classificações gerais para a corrosão, que cobrem a maior parte das formas específicas.

  • Existem duas classificações gerais para a corrosão, que cobrem a maior parte das formas específicas.

    • Corrosão por ataque químico direto
    • Corrosão por ataque eletroquímico.
  • Em ambos os tipos de corrosão o metal é convertido em compostos metálicos, como o óxido, o hidróxido, ou o sulfato.

  • O processo de corrosão sempre envolve duas alterações simultâneas: o metal, que é atacado ou oxidado, sofre o que pode ser chamado de transformação anódica; e, o agente corrosivo, é reduzido e pode ser considerado como sofrendo uma transformação catódica.

Também chamado de corrosão química pura; é um ataque resultante da exposição direta de uma superfície a um líquido cáustico ou agentes gasosos. No ataque químico direto, as transformações anódicas e catódicas ocorrem no mesmo ponto. Os agentes mais comuns causadores dos ataques químicos diretos na aeronave são:

  • Também chamado de corrosão química pura; é um ataque resultante da exposição direta de uma superfície a um líquido cáustico ou agentes gasosos. No ataque químico direto, as transformações anódicas e catódicas ocorrem no mesmo ponto. Os agentes mais comuns causadores dos ataques químicos diretos na aeronave são:

    • O derramamento ou os gases do ácido das baterias;
    • Resíduos de material de limpeza e de soldagem ou juntas soldadas;
    • Soluções cáusticas de limpeza retidas.

A corrosão química

  • A corrosão química

  • decorre do ataque de um

  • agente químico

  • diretamente sobre o

  • material, sem transferência

  • de elétrons de uma área

  • para outra

Um ataque eletroquímico pode ser comparado, quimicamente, com a reação eletrolítica da galvanoplastia, anodização ou de uma bateria alcalina.

  • Um ataque eletroquímico pode ser comparado, quimicamente, com a reação eletrolítica da galvanoplastia, anodização ou de uma bateria alcalina.

  • A reação deste ataque corrosivo, requer um intermediário, geralmente a água, que é capaz de conduzir a fraca corrente de eletricidade.

  • Diferentes áreas da superfície de um mesmo metal têm diferentes níveis de potencial elétrico e, se estiverem, ligadas por um condutor, como a água salgada, vão se estabelecer séries de células de corrosão; e, a corrosão começará.

A exposição da superfície de uma liga a um ambiente corrosivo, fará com que o metal mais ativo se torne anódico; e o menos ativo, catódico, estabelecendo condições para a corrosão.

  • A exposição da superfície de uma liga a um ambiente corrosivo, fará com que o metal mais ativo se torne anódico; e o menos ativo, catódico, estabelecendo condições para a corrosão.

  • Quanto maior for a diferença de potencial entre os dois metais, maior será a severidade do ataque corrosivo, caso condições apropriadas sejam permitidas para o seu desenvolvimento.

  • Como pode ser observado, as condições para essas reações corrosivas, são: a condutividade do fluido e, a diferença de potencial entre os metais.

  • Se porém, através de uma limpeza regular a de um adequado tratamento superficial, o meio for removido e o circuito elétrico for eliminado, a corrosão não poderá ocorrer; esta é a base de um eficaz controle da corrosão.

A corrosão eletroquímica é um processo

  • A corrosão eletroquímica é um processo

  • espontâneo, passível de ocorrer

  • quando o metal está em contato

  • com um eletrólito, onde acontecem,

  • simultaneamente, reações anódicas e

  • catódicas.

Há muitas formas de corrosão. Essas dependem do metal envolvido, de seu tamanho e formato, de sua função específica, das condições atmosféricas e da presença de agentes indutores da corrosão.

  • Há muitas formas de corrosão. Essas dependem do metal envolvido, de seu tamanho e formato, de sua função específica, das condições atmosféricas e da presença de agentes indutores da corrosão.

  • As que serão descritas nesta seção são mais comuns de serem encontradas em células de aeronaves.

A corrosão superficial aparece como uma rugosidade generalizada, uma mancha ou cavidades minúsculas na superfície do metal, freqüentemente acompanhada do resíduo pulvurento dos produtos da corrosão.

  • A corrosão superficial aparece como uma rugosidade generalizada, uma mancha ou cavidades minúsculas na superfície do metal, freqüentemente acompanhada do resíduo pulvurento dos produtos da corrosão.

Dano extensivo, pela formação de cavidades minúsculas, pode resultar do contato entre metais diferentes na presença de um condutor.

  • Dano extensivo, pela formação de cavidades minúsculas, pode resultar do contato entre metais diferentes na presença de um condutor.

  • Conquanto, possa haver ou não, corrosão superficial, a ação galvânica, parecida com a eletrodeposição, ocorre nos pontos ou áreas de contato, onde o isolamento foi rompido ou simplesmente não foi colocado. Este ataque eletroquímico pode ser muito severo e perigoso; porque, sua ação, na maioria das vezes, irrompe fora da visão comum, e o único meio de detetá-la, antes que ocorra uma falha estrutural, é através da desmontagem e separação das partes e sua inspeção.

Esse tipo de corrosão é um ataque em torno dos grãos de uma liga. Ligas de alumínio e algumas ligas do aço inoxidável, são, particularmente, suscetíveis dessa forma de ataque eletroquímico.

  • Esse tipo de corrosão é um ataque em torno dos grãos de uma liga. Ligas de alumínio e algumas ligas do aço inoxidável, são, particularmente, suscetíveis dessa forma de ataque eletroquímico.

  • A corrosão intergranular pode existir sem evidência visível na superfície e quando muito severa, causa a "esfoliação" da superfície do metal. Ou seja: a superfície começa a ficar estufada e descamada em flocos.

  • Este tipo de corrosão é difícil de ser detectado em seu estágio inicial. Métodos de inspeção com ultra-som e "Eddy current" são usados com grande margem de acertos.

A corrosão, sob tensão fraturante, ocorre como o resultado do efeito combinado de cargas de tensão residual e meio ambiente corrosivo.

  • A corrosão, sob tensão fraturante, ocorre como o resultado do efeito combinado de cargas de tensão residual e meio ambiente corrosivo.

  • Trincas ou rachaduras típicas de corrosão por tensão fraturante são encontradas em muitos tipos de metal; entretanto, é particularmente característico do alumínio, cobre e certos tipos de aço inoxidável, e de ligas de aço de alta resistência (acima de 240.000 libras por polegada quadrada). Geralmente, ocorre ao longo de trechos trabalhados à frio (laminados à frio, extrudados à frio, etc.)

A corrosão por atrito ("fretting") é uma forma particularmente danosa de ataque corrosivo, que ocorre quando duas superfícies estão em contato uma com a outra, havendo pressão entre as duas, sujeitas a um ligeiro movimento relativo.

  • A corrosão por atrito ("fretting") é uma forma particularmente danosa de ataque corrosivo, que ocorre quando duas superfícies estão em contato uma com a outra, havendo pressão entre as duas, sujeitas a um ligeiro movimento relativo.

Muitos fatores afetam o tipo, a velocidade, a causa e a gravidade da corrosão dos metais. Alguns desses fatores podem ser controlados, outros não.

  • Muitos fatores afetam o tipo, a velocidade, a causa e a gravidade da corrosão dos metais. Alguns desses fatores podem ser controlados, outros não.

    • Clima
    • Tamanho e tipo de metal
    • Presença de material estranho

Em geral, qualquer tratamento completo de corrosão envolve o seguinte:

  • Em geral, qualquer tratamento completo de corrosão envolve o seguinte:

    • Exposição e limpeza da área corroída;
    • Remoção da maior parte possível dos resíduos da corrosão;
    • Neutralização de qualquer material de limpeza residual nos orifícios e frestas;
    • Restauração do revestimento de proteção das superfícies;
    • Aplicação de revestimentos, temporários ou definitivos, ou de pintura de acabamento.

CORROSÃO DE METAIS FERROSOS

  • CORROSÃO DE METAIS FERROSOS

    • Um dos tipos mais familiares de corrosão é o óxido de ferro (ferrugem), geralmente o resultado da oxidação atmosférica das superfícies de aço.

Remoção mecânica da ferrugem

  • Remoção mecânica da ferrugem

    • O meio mais prático de controle da corrosão de peças de aço é a completa remoção dos produtos da corrosão, por meios mecânicos, e sua recuperação e proteção através de recobrimentos preventivos contra a corrosão. O uso de lixas ou compostos abrasivos, pequenos polidores e compostos de polimento, escovas de aço manuais ou palha-deaço (lã-de-aço), são todos métodos aceitáveis de limpeza.
    • Deve ser reconhecido que no uso de qualquer desses abrasivos, a ferrugem residual permanecerá no fundo das frestas ou dos pequenos buracos causados pela corrosão.

Tratamento químico das superfícies de aço

  • Tratamento químico das superfícies de aço

    • Há métodos aprovados para a conversão de ferrugem ativa em fosfatos ou outras coberturas protetoras. O uso de compostos químicos à base de ácido fosfórico é um exemplo de tais tratamentos.

CORROSÃO DO ALUMÍNIO E DE SUAS LIGAS

  • CORROSÃO DO ALUMÍNIO E DE SUAS LIGAS

  • O ataque genérico das superfícies de alumínio penetra relativamente devagar, mas pode ser acelerado na presença de sais dissolvidos.

  • Um ataque considerável pode ter lugar, sem que haja perda considerável da resistência estrutural em andamento. Entretanto, pelo menos três formas de ataque às ligas de alumínio são particularmente sérias:

A corrosão tipo "pit" (furinhos cônicos) profunda, através das paredes dos tubos de alumínio.

  • A corrosão tipo "pit" (furinhos cônicos) profunda, através das paredes dos tubos de alumínio.

  • A corrosão sob tensão fraturante, trincando e rachando os materiais submetidos a esforços contínuos;

  • A corrosão intergranular, característica de ligas de alumínio tratadas termicamente de maneira indevida.

Em geral, a corrosão do alumínio pode ser tratada com a remoção mecânica dos produtos gerados pela corrosão e a neutralização e inibição do processo corrosivo, seguida pela restauração da cobertura protetora da superfície.

  • Em geral, a corrosão do alumínio pode ser tratada com a remoção mecânica dos produtos gerados pela corrosão e a neutralização e inibição do processo corrosivo, seguida pela restauração da cobertura protetora da superfície.

  • O tratamento de qualquer corrosão superficial presente é a aplicação de inibidor como o emprego de solução de dicromato de sódio e de trióxido de cromo ou com uma solução de ácido crômico e ácido sulfúrico a 10%.

  • A remoção mecânica de todos os produtos da corrosão, bem como das camadas de metal delaminadas, deve ser levada a termo, para determinar a extensão da destruição e para avaliar a resistência estrutural remanescente do componente.

CORROSÃO DAS LIGAS DE MAGNÉSIO

  • CORROSÃO DAS LIGAS DE MAGNÉSIO

  • O magnésio é, dos metais usados na construção aeronáutica, o mais quimicamente ativo; assim sendo, é também o mais difícil de ser protegido.

  • O desenvolvimento da corrosão é rápido, formando produtos como "montículos de neve".

  • A proteção envolve a remoção dos produtos da corrosão, a restauração parcial da cobertura de proteção através de tratamento químico com uma solução generosa de ácido crômico, ao qual foi adicionado uma fração de ácido sulfúrico; e a reaplicação da cobertura de proteção.

Certos apresentam sinais de corrosão quando colocados em contato com outros metais. É, comumente conhecido como

  • Certos apresentam sinais de corrosão quando colocados em contato com outros metais. É, comumente conhecido como

  • corrosão eletrolítica. Contato entre metais diferentes e sem que haja revestimento protetor em um deles (isolante) e, havendo um ambiente úmido, faz com que seja desenvolvida uma ação eletrolítica (como em uma pilha elétrica). Esse contato, geralmente, faz com que um dos metais seja oxidado (o anodo), decompondo-se num processo semelhante à corrosão.

Partes das aeronaves (peças), quase sempre recebem algum tipo de acabamento superficial, dado pelo fabricante. O principal propósito desse acabamento é prover uma resistência à corrosão;

  • Partes das aeronaves (peças), quase sempre recebem algum tipo de acabamento superficial, dado pelo fabricante. O principal propósito desse acabamento é prover uma resistência à corrosão;

Eletrodeposição (galvanoplastia)

  • Eletrodeposição (galvanoplastia)

    • A eletrodeposição é o processo de transferência de metal de um objeto para outro, por meios químicos e elétricos.
  • Metalização por pulverização

    • É a aplicação de metal fundido sobre uma superfície (base) sólida, por aspersão (borrifamento).

"Parco Lubrizing“

  • "Parco Lubrizing“

    • é um tratamento químico para componentes de aço e ferro, o qual induz ao surgimento, na superfície do metal, de uma cobertura à base de fosfato, não-metálico e absorvente de óleo.
  • Anodização

    • A anodização das peças feitas de ligas de alumínio, que não sejam "cladeadas". Basicamente, a peça é fixada ao pólo positivo de um banho eletrolítico, onde a solução ou banho é composto de ácido crômico ( ou outro agente oxidante), o que induz a deposição de uma cobertura de óxido de alúminio sobre a superfície do metal. O óxido de alumínio é naturalmente o seu protetor (da superfície do alumínio), e o processo de anodização tão somente aumenta a espessura e a densidade dessa cobertura natural.

Alodização

  • Alodização

    • A alodização é um tratamento químico simples para todas as ligas de alumínio, para aumentar a resistência à corrosão e melhorar a aderência da pintura. Por causa da sua simplicidade, está substituindo rapidamente a anodização no reparo de aeronaves. “alodine” é aplicado por pulverização, pincelamento ou imersão.

Comentários