transcrição tumores

transcrição tumores

(Parte 1 de 3)

Tumores odontogênicos

WHO histological classification of odontogenic tumours

BENIGN TUMOURS

1º Odontogenic epithelium with mature, fibrous stroma without

odontogenic ectomesenchyme

2º Odontogenic epithelium with odontogenic ectomesenchyme,

with or without hard tissue formation

3º Mesenchyme and/or odontogenic ectomesenchyme with or without

odontogenic epithelium

  • estruturas derivadas do ectoderma, do ectomesenquima, podem descontrolar seu clico proliferativo e resultar em neoplasias, que podem ser malignas ou benignas.

  • devido a semelhança da etiologia, porem com diferenciação morfológicas, os tumores foram classificados em três grupos:

  • O 1º grupo é os tumores de epitélio odontogênico com estroma maduro porem este estroma que é o ectomesenquima não é neoplásico. Ou seja sua origem é apenas de tecido epitelial ontogênico. O mais comum é o ameloblastoma.

  • O segundo grupo é epitélio odontogênico com ectomesenquima neoplásico, tem a interação entre os dois tecidos com ou sem formação de tecido duro. Neste vai ter formação de estruturas semelhantes a dentes.o tumor mais comum é o odontoma.

  • O terceiro grupo é de epitélio mesenquimalodontogenico, que é neoplásico, são tumores que tem um risco de malignizar para sarcoma porque é de origem conjuntiva, pode ser com ou sem presença de epitélio odontogenico, isto pouco faz diferença ele pode não está com mutação. o grande fator é que neste caso quem está promovendo a proliferação tumoral, é o tecido conjuntivo. O tumor mais comum é o mixoma.

  • Os tumores odontogenicos mais comuns são o ameloblastoma, odontoma, e queratocistos.

perguntar do professor quem vira carcinoma, sarcoma?

TUMORES DE ORIGEM DO EPITÉLIO ODONTOGENICO.

  • Tumor queratocisto odontogenicoé o que mais frequente vira carcinoma espinocelular. Radiograficamente pode ser diagnostico diferencial para cisto periodontal periapical, de cisto dentigero, de ameloblastoma. microscopicamente é vista uma camada basal empaliçada, hipercromatica, poucas camada de 3 a 8. O epitélio se apresenta com corrugação superficial e esta corrugação fica liberando paraqueratina dentro da cavidade cística, é um epitélio então que não tem muitas cristas e isso diminui a superfície de contato, por isso que é um tecido que comumente se descola da capsula.

  • Ameloblastoma é o mais comum dos tumores de origem epitelial., é um tumor de crescimento lento que pode deslocar dentes, pode causar expansão de cortical, os ameloblastomas se apresentam de três formas. Uma das formas é a forma sólida, esta forma tem um ponto negativo é que nunca se sabe se ele é retirado todo durante a cirurgia, porqueo ameloblastoma é como se fosse um tumor de lamina dentaria, porque o epitélio ameloblastico cresce pensando que é lamina dentaria. desta forma como a lamina dentaria invagina-se para dentro dos arcos branquiais, ela se torna um tecido invasor, e por isso que o ameloblastoma apresenta essa característica, só que ele é só de epitélio, ele nunca forma um dente. Com menor frequência as vezes o ameloblastoma pode fazer cavidade cística e quando ele faz cavidade cística ele é ameloblastoma folicular ou seja um ameloblastoma que é originário de um folículo, raramente isolado na região posterior de mandíbula igual o queratocisto. O ameloblastoma periférico é solido também só que acontece fora do osso ele é submucoso também na região de terceiro molar, porem embaixo da mucosa é uma forma rara que se tratada ele dá pouca recidiva, porem se não tratado ele entra no osso.

  • Microscopicamente no ameloblastoma folicular que lembra o folículo dentário porque na porção central tem células epiteliais com uma matriz abundante separando ela dando a ela um aspecto de estrela que lembra o reticulo estrelado do órgão do esmalte.

  • Radiograficamente é uma lesão radiolucida circunscrita que pode ser confundido com um cisto. Acontece mais em homes e negros, emmandíbula que em maxila, e por crescer devagar não tem dor, só vai dar dor quanto estiver comprimindo estruturas ósseas, ou se ele se infectar. Pode seruni ou multiloculado isso radiograficamente. Essas multiloculações são formadas devido que o tecido neoplásico vai tentando crescer e vai ocupando as trabéculas do osso que estão com espaços, ou seja em uma região medular grande, e ai começa a dilatar as trabéculas. Isso complica na hora da cirurgia, e geralmente precisa de ressecção, porque é difícil de esvaziar o tumor.

  • O Ameloblastoma possui um padrão de reabsorção típico( não é único dele), porem fazer isso com maior frequência, é uma reabsorção radicular do dente que está próximo, chamada reabsorção em plano.

CRITÉRIOS (vickers e Gorlin) QUE IDENTIFICAM UM TUMOR COMO AMELOBLASTOMA

  • Esses critérios indicam se um tecido neoplásico de origem odontogênico é um Ameloblastoma ou não. E toda essa determinação se baseia na lamina basal.

    1. Hipercromatismo

    2. Arranjo em paliçada

    3. Polarização invertida (afasta o núcleo da lamina basal para deixar o citoplasma todo entre o núcleo e a lamina basal para ser produzida as proteínas amelogênicas.)

    4. Vacuolização que são as áreas claras do citoplasma que estão cheios de material proteinacio.

    5. Hialinização ou Indução abortiva da dentina do tecido conjuntivo subjacente, este conjuntivo fica extremamente rico em proteínas, e como o mesenquima não vira odontoblastos, acumula-se o material proteico.

Após ter sido observado padrões na porção epitelial que prolifera divide-se o Ameloblastoma em folicular, que lembra reticulo estrelado do folículo dentário, e é mais frequente. O outro padrão seria o padrão de Ameloblastoma escamo só porque produz muito queratina e também é o cresce mais devagar, tem também o Ameloblastoma Plexiforme que ele faz como se fosse uma rede.O padrão do epitélio do Ameloblastoma sólido, está relacionado ao ritmo de crescimento, e poder de invasão desse tumores. Os tumores que mais invadem são os Plexiforme. O de células granulares que é mais raro, em sua porção central as células ficam granulares, que são típicas de células neuroectodermicas.

O que diferencia o Ameloblastoma unicistico é como ele se comporta com relação a capsula, que pode ser de proliferação intraluminal, luminal ou mural. O luminal é o que faz um lume, é o mais normal, porem às vezes o epitélio age igual couve-flor e entra no lume, e ai é chamado de intraluminal, quando ele faz ilhotas ficam se proliferando no conjuntivo capsular ele é uma proliferação mural. Isso é significativo na hora de operar, porque este moral possui mais recidiva.

O Ameloblastoma periférico é um Ameloblastoma solido que geralmente tem características que lembram mais células da camada basal, mas quando se olha para essa lamina basal tem epitélio que também se desenvolve, acontece em pacientes de meia idade, em região posterior de mandíbula, eele é visto como periférico porque tem reabsorção do osso alveolar, e como o osso alveolar foi absorvido sobrou os restos epiteliais dos folículos dentários dedentes que viraram neoplásicos.

  • Tumor odontogênico epitelial calcificante, é um outro tipo de tumor de origem epitelial (TOEC) sua grande característica está no seu epitélio que prolifera que além de ter muito hipercromatismo, tem muito pleomorfismo , mitoses atípicas, apesar de estas características serem malignas, ele é um tumor extremamente benigno, as células epiteliais dele secretam uma substancia proteica, chamada amiloide que não se degrada que não e reabsorvida pelo macrófago. E esta proteína serve de matriz de mineralização, coisa que as proteínas amiloidosaspapiloides não fazem, é que está proteína tem afinidade ao cálcio e se calcifica. Acontece também mais em pacientes homens negros, acontece na região posterior da mandíbula, porem acontece mais anterior que os ameloblastomas e os queratocistos que são mais de molar e o TOEC acontece mais em pre-molares, e caninos. cresce devagar, pode ser uni ou muitilocular, pode está associado a dente incluso, porque o dente que ia nascer não nasce, e assim o tumor odontogenicoqueratocisto e o ameloblastoma podem ser diagnósticos diferencial, isso radiograficamente, porem microscopicamente é bem diferenciado , porque as células epiteliais estão pleomorficas, com hipercromatismo, pois tem células com muita glicoproteínas no citoplasma, e tem células com o citoplasma parecendo com agua. O material proteinaceo se calcifica de forma concêntrica, formando uma estrutura calcificada lembrando camada de cebola que se chama anéis de Lissengang.

  • Tumor odontogênico adenomatóide (tumor de origem odontogênico epitelial, semelhante a glândula salivar)

Adeno: significa e’ glândula e Oide: semelhante a

  • é comum em mulher

  • Sua freqüência é na região anterior da maxila, em região de canino, causa retenção desse canino. Se ele tem um canino incluso uma lesão folicular que parece radiograficamente um cisto dentigero, nunca pode se descartar a possibilidade de ser tumor adenomatóide. Principalmente na fase inicial ele é radiolúcida, na fase avançada vai ficando radiopaco. Na fase radiolúcida ele é um Diagnostico diferencial do cisto dentigero, apresenta muito pontos calcificados que lembra a dentina porem não é dentina é o dentinoide).

Na hora que ele começa a fazer mineralização, radiograficamente tem imagem radiopaco, no meio daquela imagem radiolúcida, em volta do folículo pericoronario, Os radiologistas falam que o amelo multiloculado o aspecto é de bolha de sabão, aspecto de tênis, o aspecto do adenomatóide flocos de neves. Quando você palpa, o aspecto é de areia , são as calcificações. Na face radiolúcida a proliferação epitelial formam estruturas microcísticas, com um material proteinacio dentro, que lembra um ducto de glândulas ou acinos de glândulas, mas vc pode corar com hematoxilina e na vai aparecer glândula.

Esses materiais proteinacio servem de matriz para mineralizacao, ele tem afinidade com o cálcio então ele se mineraliza. Algumas células epiteliais sofre mineralizacao nessa displasia e parece que forma túbulo dentinário, mas não é isso não é odontoblasto por que não é de origem mesenquima. É confirmado imunohistoquimicamente que é de origem epitelial. Radiograficamente observo uma imagem radiolucida, depois imagem radiopaco no meio como se fosse floco de neves.

Tumores Mistos

Tem origem tanto epitelial como ectomesenquimal, todos se produzindo de forma neoplásica, tem um ritmo proliferativo, eles interagem entre si, um componente misto neoplásico, com ou sem conteúdo mineralizado.

A formação de conteúdo mineralizado está relacionado ao tempo de interação entre esses dois tecidos. A maioria dessa lesões são uma só, o que diferencia é o tempo, se vc diagnostica no começo é uma lesão, se fosse mais tarde seria outra lesão.

Isso acontece com: fibroma ameloblastico, fibro-odontoma ameloblastico, odontoma.

O fibroma ameloblastico: Tem a proliferação da lamina dentaria, tem característica que lembra o ameloblastoma, a diferença é que o conjuntivo proliferava muito mais que o epitélio. Por isso não é ameloblasto fibroma e sim fibroma ameloblastico, por que Tem muito mesenquima, e no meio tem epitélio, e esse epitélio começa a interagir, e começa a fazer diferenciação de odontoblasto subjacente induzindo a produzir dentina.

Quando isso acontece já não é mais tumor fibroma ameloblastico e sim tumor fibro-odontoma ameloblastico, aí essa dentina que amadureceu serviu de base para o epitélio que é o ameloblasto de verdade que deposita esmalte. Na hora que tem deposição de esmalte ele muda de nome para fibro – odontoma ameloblastico por que já tem esmalte e dentina. Quando esse tumor formar estruturas mais semelhantes a dente, com estruturas maiores, ele passa a se chamar de odontoma. Esse odontoma pode ser complexo ou composto. O complexo formar uma mistureba de dentina e esmalte, o complexo é uma estrutura. Se formar vários dentinhos (microdentes) é chamado de composto.

Fibroma ameloblastico:

Acomete mais jovem – na mesma regiao de ameloblastoma retromolar até molar.

o ectomesenquima se prolifera bem mais do que o epitélio

Histologico:

O mesenquima é um tecido frouxo, com matriz bem pobre em colágeno lembra o epitélio de Victor e..... , observa hipercromatismo, célula em paliçada, mas não tem polarização, indução abortiva

Fibro-odontoma

Os dois tecidos estão interagindo e realizando a retroestimulação, o epitélio estimula a formação dos odontoblastos que começa a produção de dentina, sendo depositada junto a lamina basal. Local: na maxila e mandíbula , É indolor .

Radiograficamente observa-se pontos isolados de calcificação, no meio do material radiolucida. Então seria uma região circunscrita radiolucida, com imagem radiopacas no centro, depois vira mista de tanto calcificações.

Tem deposito de esmalte e dentina

Tem uma lesão variante maligna que é a fibrossarcoma ameloblastico, sendo raro.

Na interface do epitélio e mesenquima vc tem a deposição de dentina, e acima da dentina tem o esmalte imaturo. Quando vc ver todas essas coisas é um tumor fibro-odontoma ameloblastico.

Odontoma

Dividido: em composto e complexo

Composto: tem denticulo, parece como microdentes.

Complexo: é um estrutura. É uma massaroca, uma mistura de dentina e esmalte.

Tumor odontogenico cístico

Faz lesão cística quando é tumor odontogenico calcificante cístico, o epitélio parece o de ameloblastoma, algumas células vão virar células fantasmas, que são células do epitélio que produzem muita proteína que acabam morrendo e podem se mineralizar, mas não sofrem liquefação, sua estrutura celular permanece, mas o espaço do núcleo fica vazio por isso são chamadas de células fantasmas por não tem núcleo. Essas células fantasmas se mineralizam.

Tumor odontogenico é misto por que ele se deriva de epitélio e células do ectomesenquima, tem formação de dentina displasica, e na radiografia parece ter vários odontomasinhos

As vezes vc pode entrar esse cisto junto com o tumor fibro-odontoma, por que tem estruturas com células fantasmas. No laudo vc vai dar tumor fibro-odontoma ameloblastica e tumor odontogenico calcificante cístico devido células fantamas, e odontoma complexos.

Então nesse tumor tem dentina displasica, células mineralizadas que são as células fantasmas.

Tumor de mesenquima.

  1. Fibroma odontogenico: é uma proliferação do tecido fibroso circunscrito e diferenciado, no meio ver epitélio do restos epitelial de malassez .

Diagnostico diferencial: pode ser intra-ósseos, e extra-ósseos. Geralmente é intraosseo, o extraosseo: hiperplasia fibrosa cromatoide.

O tecido conjuntivo normal forma uma cápsula, de um fibroma odontogenico é mais vascularizado e tem epitélio odontogenico são semelhantes os restos epitelial de malassez. Não é muito comum.

  1. O mixossoma:

É o mais comum desses tumores mesenquimal, é uma lesão agressiva. Radiologicamente parecem um lesão multiloculada, chamada favo de mel que são menores. Na tumografia: t2: perde estrutura liquida: aparece hipertenso, sendo branco, por que ele está gelatinoso

Mixossoma: é um tecido conjuntivo rico em matriz extracelular, células bem separadas umas das outras, células fusiformes, para um mesenquima de papila dentaria. As vezes quando tem muito colágeno, chamamos de fibromixsoma.

As células são achatadas e ricas em matriz extracelular fazem o diagnostico ser fácil.

O ultimo é cimentoblastoma:

O cimentoblastoma é uma periopatia verdadeiro. É a única das periopatias neoplásicas, é um tumor de cemento. Causa dor, não dá para fazer extração.

Diagnostico diferencial: é a hipercementose e também o tumores como osteoblastoma ( a diferença que seu crescimento é rápido em relação ao cimentoblastoma) e de lesões fibra óssea.

Radiográficamente consegue perceber a continuidade do ligamento periodontal, não consegui distinguir o que é dente e tumor, fica uma coisa só, vc ver radiograficamente e microscopicamente.

Se vc conseguir separar o dente do tumor não são tumores de cimentoblastoma e sim lesões fibra óssea.

O ligamento periodontal é separado do dente, esse é o grande diagnostico radiográfico, microscopicamente ver o ápice e nele parti o tecido cementoide, que está muito desorganizado, com tecido conjuntivo no meio, com áreas de reabsorção desse cemento e áreas de reposição ao mesmo tempo. Formação de linha de reversão indica área de calcificação, deposição de mineral que calcificou. No tecido conjuntivo observa cimentoclasto e cimentoblasto fazendo reabsorção e reposição de cemento.

Neoplasias Benignas

  • mucosa: Papilomas

  • Vascular: Hemangiomas e Linfogiomas

  • Neural: Neurilenoma (shiwanoma) e Neorofibroma (neurofibromatose)

  • Muscular: Tumor de células granulares

  • Adiposo: Lipoma e Lipomatose

PAPILOMA BUCAL

O Papiloma bucal é extremamente relacionado ao ato sexual, ou seja é sexualmente transmissível, e quando o vírus mistura o seu DNA com o DNA das células epiteliais, este DNA estimula genes proliferativos, e assim estimulam à proliferação epitelial, e as células epiteliais normais começam a se proliferar e isso faz crescer lesões, que são lesões pediculares , ou seja a base é menor que o ápice, e com projeções digitiformes, sua localização na boca é geralmente no freio lingual, devido o coniculado , que é o ato de protuzir demasiadamente a língua durante o ato sexual.

Dentro da boca, o papiloma é chamado de papiloma bucal, porem fora já pode ser considerado de verruga vulgar, hiperplasia epitelial focal, olho de peixe, condiloma cuidado.

E ai se a pessoa esta com uma lesão, e durante o ato sexual, o parceiro estiver contamida com o HPV(papiloma vírus), o vírus penetra para dentro da lesão. Nas mulheres a região mais afetada é o palato duro, região posterior da língua e região de úvula. Já no homem vai ser mais em lábios e freio lingual.

(Parte 1 de 3)

Comentários