24 biologia química portugues

24 biologia química portugues

(Parte 1 de 4)

A ovelha Dolly,gerada a part ir de uma técnica conhecida como transferência somát ica de núcleo

Comunitário beneficia frutos do açaí na

Reserva Extrativista Auati Paraná (arquivo CNPT/IbamaAM)

••Química – Atomística pg. 02 ••Química – Substâncias e misturas pg. 04 pg. 06 ••Biologia – Biologia Vegetal pg. 08

••Português – Concordância verbal 1 pg. 10

Atomística

O Átomo

•Prótons + Nêutrons→Núcleo •Elétrons→Eletrosfera (em torno do núcleo)

Principais conceitos

Número Atômico (Z) É o número de prótons existente no núcleo de um átomo. Z = p Como todo átomo é eletricamente neutro, o número de prótons (número atômico) tem que ser igual ao número de elétrons. Z = p = e

Número de massa (A)

É a soma do número de prótons com o número de neutrôns existentes num átomo. A = Z + nou A = p + n

Elemento Químico

É o conjunto de todos os átomos com mesmo número atômico (Z).

A notação geral de um átomo é:ZXou ZXou X Z onde, A = número de massa;

Z = número atômico.

Íons Átomo desequilibrado eletricamente. Quando um átomo ganha elétrons, ele se torna um íon negativo, também chamado ânion. Quando um átomo perde elétrons, ele se torna um íon positivo, também chamado cátion. Exemplo:

A carga é representada à direita e em cima do símbolo. De acordo com a IUPAC, coloca-se o número que indica a quantidade de carga na frente do sinal. Exemplo: O2–, Ca2+, Al3+, Cl –, etc.

Isótopos

Átomos com o mesmo número de prótons (Z) e diferentes números de massa (A). Têm propriedades químicas idênticas porque são variedades de um mesmo elemento.

Exemplo:1H1H 1H (Z = 1)
(prótio)(deutério) (trítio)

Isóbaros Átomos de mesmo número de massa (A), mas que possuem diferentes números de prótons (elementos diferentes).

Exemplo:Ke Ca (A=40)
1920

Isótonos Átomos com o mesmo número de nêutrons (N), mas diferentes números de prótons e de massa.

Exemplo:Cle Ca (N = 20)
1720

O Estudo da Eletrosfera

Nível Energético São regiões do átomo onde os elétrons podem movimentar-se sem perder ou ganhar energia. Atualmente esses níveis (ou camadas, como costumam ser chamados) são identificados pelo chamado número quântico principal (n). Observe:

Cada nível de energia comporta um número máximo de elétrons que estão resumidos no quadro abaixo:

Subnível de energia

Cada nível energético costuma ser dividido em subníveis, que se diferem pela forma de trajetória de suas órbitas e pelo número de elétrons que comportam. Esses subníveis são identificados pelo chamado número quântico secundário ou azimutal (). Observe:

Lembrando que cada nível só admite um número máximo de elétrons, fica fácil determinar o número de subníveis por nível. Observe:

1s2s 2p 3s 3p 4s 3d 4p 5s 4d
5p6s 4f 5d 6p 7s 5f 6d

Sendo assim, a ordem crescente de energia nos subníveis é dada por:

Ordem crescente de energia O Diagrama de Pauling

Orbitais

É a região do átomo onde a probabilidade de encontrar um determinado elétron é máxima. Princípio da Incerteza de Hersenberg: “Não é possível determinar ao mesmo tempo a posição e a velocidade do elétron”. Os orbitais são identificados pelo chamado número quântico magnético (m). Um orbital tem capacidade somente para dois elétrons. Observe:

Importante: Regra de Hund “Um orbital só pode ficar completo quando todos os outros orbitais do mesmo subnível tiverem pelo menos um elétron”.

Logo,2p4
Certo!!!Errado!!!

Spin

Numa região restrita, o principal movimento do elétron é em torno do seu próprio eixo. Esse movimento do elétron é chamado de spin e tem duas possibilidades: sentido horário e anti-horário. O spin é identificado pelo chamado número quântico de spin (ms ou s) cujos valores são: –1/2 no sentido anti-horário ( ↑↑ ) +1/2 no sentido horário ( ↓↓)

Setecentos e nove alunos beneficiados com bolsas de estudo desde 2003. Financiado pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (SECT) por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), o Programa de Fomento à Iniciação Científica (Profic) da UEA completa quatro anos de atividade cumprindo seus objetivos de criar mecanismos que consolidaram o desenvolvimento de pesquisas na instituição, promovendo a educação, desenvolvendo o conhecimento científico sobre a Amazônia Ocidental e agregando valores éticos capazes de integrar o homem à sociedade. Além disso, o programa forma e aprimora a qualidade dos recursos humanos da Região, motivando vocações para a pesquisa institucional, a pós-graduação acadêmica e profissional, aumentado quantitativa e qualitativamente a competência científica regional. Suas áreas temáticas são Desenvolvimento Sustentado; Ciências Sociais e Artes; Ciências da Saúde, Ciências Ambientais e Biotecnologia; Educação e Etno-Linguística; Ciências Exatas e Tecnologia. Além das bolsas de estudo, a Fapeam financia também um valor correspondente a 30%dos repasses visando à manutenção das atividades de pesquisa desenvolvidas pelo programa. O programa foi organizado, planejado e executado pelos Comitês de Iniciação Científica das Unidades Acadêmicas (capital e interior), segundo as áreas de pesquisa definidas pela UEA, em articulação com a Coordenação de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa e Comitês Externos, formados por consultores “ad hoc”. Esse planejamento integrado permitiu viabilizar em todas as unidades acadêmicas os projetos e as atividades de iniciação científica e tecnológica. A UEA tem, na medida de sua competência e responsabilidade, buscado os meios necessários para viabilização dos projetos aprovados nos programas anuais, bem como a realização dos processos de seleção de bolsistas e orientadores. Mas o apoio aos alunos que se interessam em aprimorar o conhecimento através da pesquisa científica vai mais além. A instituição tem buscado, também, viabilizar a participação de bolsistas e orientadores em eventos científicos para apresentação de seus trabalhos e dar oportunidade de publicação dos resultados das pesquisas obtidos através do programa nos diversos veículos de comunicação científica como periódicos, revistas e livros.

Profic completa quatro anos de incentivo à pesquisa cientifica

Química Professor MARCELO Monteiro

Importante: Princípio da exclusão de Pauli: “Em um orbital cabem no máximo dois elétrons, desde que tenham spins contrários.” A partir desse enunciado, podemos concluir que dois elétronsde um mesmo átomo não podem ter o mesmo conjunto de números quânticos.

Tabela periódica

Tabela periódica dos elementos químicosé a disposição sistemática dos elementos em função de suas propriedades.

Estrutura da Tabela Periódica

A tabela periódica relaciona os elementos em linhas chamadas “períodos”e colunas chamadas “grupos”ou “famílias”, em ordem crescente de seus números atômicos.

Períodos

Os elementos de um mesmo período têm o mesmo número de camadas eletrônicas, que corresponde ao número do período. Existem sete períodos, cada um correspondendo a uma das camadas eletrônicas da eletrosfera. Os períodos são: •1.CamadaK pode ter no máximo 2 electrões

(PT) / elétrons (BR); •2.CamadaL pode ter no máximo 8 electrões;

•3.CamadaM pode ter no máximo 18 electrões;

•4.CamadaN pode ter no máximo 32 electrões;

•5.CamadaO pode ter no máximo 32 electrões;

•6.CamadaP pode ter no máximo 18 electrões;

•7.CamadaQ pode ter, como máximo, 2 ou 8 electrões.

Elementos em um Período

Em cada período, existe uma certa quantidade de elementos. Quantidade de elementos nos períodos: •(1.°) Possui 2 elementos;

•(2.° e 3.°) Possuem 8 elementos cada um;

•(4.° e 5.°) Possuem 18 elementos cada um;

novos períodos (8.°, 9.°,).

•(7.°) A quantidade de elementos atuais é de 25 elementos nomeados; não se sabe até onde pode ir a quantidade de elementos no 7.° período,têm-se informações que vai até 32; entre outros elementos ainda desconhecidos, provavelmente exisitirão

Grupos

Antigamente, chamavam-se “famílias”. Os elementos do mesmo grupo têm o mesmo número de elétrons na camada de valência.

Classificações dos Elementos

• Elementos representativos: pertencentes aos grupos 1, 2 e dos grupos de 13 a 17.

•Elementos (ou metais) de transição: pertencentes aos grupos de 3 a 12.

•Elementos (ou metais) de transição interna: pertencentes às séries dos lantanídeos e dos actinídeos. •Gases nobres:pertencentes ao grupo 18.

Além disso, podem ser classificados de acordo com suas propriedades físicas em: • Metal

•Semimetal ou metalóide •Não-metal ou ametais

•Gás nobre A Tabela Periódica atual é formada por 109 elementos distribuídos em 7 linhas horizontais, cada uma sendo chamada de período. Os elementos pertencentes ao mesmo período possuem o mesmo número de camadas de elétrons. Vamos verificar?

3Li6C 10Ne

K 2K 2 K 2

L 1L 4L8

Veja: o lítio, o carbono e o neônio possuem 2 camadas (K e L); portanto são do segundo período. As linhas verticais da Tabela Periódica são denominadas de “famílias” e estão divididas em 18 colunas. Os elementos químicos que estão na mesma coluna na Tabela Periódica possuem propriedades químicas e físicas semelhantes. A família é caracterizada pelos elétrons do subnível mais energético, portanto os elementos de uma mesma família apresentam a mesma configuração na última camada. Vamos verificar alguns exemplos?

4Be1s22s2
20Ca1s22s22p63s23p64s2

O berílio e o cálcio têm a mesma configuração na última camada, isto é, s2; portanto ambos pertencem à família 2A ou 2. Algumas colunas possuem nomes especiais. Vamos conhecer quais são elas?

Família 1 (1A)–Alcalinos Família 2 (2A)–Alcalino-terrosos Família 13 (3A)–Família do boro Família 14 (4A)–Família do carbono Família 15 (5A)–Família do nitrogênio Família 16 (6A)–Calcogênios Família 17 (7A)–Halogênios Família 18 (Zero)–Gases Nobres

Os elementos da Tabela Periódica podem ser classificados como: •Metais:Eles são a maioria dos elementos da tabela. São bons condutores de eletricidade e calor, maleáveis e dúcteis, possuem brilho metálico característico e são sólidos, com exceção do mercúrio.

•Não-Metais:São os mais abundantes na natureza e, ao contrário dos metais, não são bons condutores de calor e eletricidade, não são maleáveis e dúcteis e não possuem brilho como os metais.

•Gases Nobres:São no total 6 elementos, e sua característica mais importante é a inércia química.

•Hidrogênio:O hidrogênio é um elemento considerado à parte por ter um comportamento único.

01.(FGV) Um sistema é formado por partículas que apresentam a composição atômica 10 prótons, 10 elétrons e 1 nêutrons. Ao sistema foram adicionadas novas partículas, o sistema resultante será quimicamente puro se as partículas adicionadas apresentarem a seguinte composição atômica: a)21 prótons, 10 elétrons e 1 nêutrons. b)20 prótons, 20 elétrons e 2 nêutrons. c)10 prótons, 10 elétrons e 12 nêutrons. d)1 prótons, 1 elétrons e 12 nêutrons. e)1 prótons, 1 elétrons e 1 nêutrons.

02.(FGV)Qual dos seguintes conjuntos de números quânticos, citadas na ordem n, l, m, s, é impossível para um elétron num átomo? a)4, 2, 0, +1/2 b)4, 3, –3, +1/2 c)2, 0, +1, +1/2 c)3, 2, +1, –1/2 d)3, 2, 0, +1/2

03.Considere o gráfico e assinale a opção errada:

a)Os cátions dos metais alcalinos se situam sobre a reta I. b)Os cátions dos metais alcalinos terrosos se situam sobre a reta I. c)Os ânions dos halogênios se situam sobre a reta I. d)Os ânions dos calcogênios se situam sobre a reta IV. e)Os íons isoeletrônicos do Ne se situam sobre a reta V.

04.(CESGRARIO) Os átomos 3x – 5Q e 6xR são isótopos. O átomo R tem 4 nêutrons. Determine a distribuição eletrônica de Q, no estado fundamental, em ordem crescente dos subníveis energéticos.

05.(FUVEST) O sódio e seus compostos, em determinadas condições, emitem uma luz amarela característica. Explique este fenômeno em termos de elétrons e nível de energia.

06.(DESAFIO) Um elemento com número atômico 85, deverá ser um:

c)calcogênio;d) metal alcalino terroso;

a)metal alcalino; b) gás nobre; e) halogênio.

Desafio Químico

Substâncias e misturas

Matéria

É tudo aquilo que possui massa e ocupa lugar no espaço. Exemplo:granito, madeira, ferro, etc. Observação: O ar também é matéria, pois possui massa e ocupa lugar no espaço (isto é, tem volume).

Corpo

É qualquer porção limitada da matéria. Exemplo:pedaço de granito, tábua de madeira, barra de ferro, etc.

Objeto

É um corpo que possui aplicações úteis ao homem. Exemplo:estátua de granito, mesa de madeira, grade de ferro, etc.

Estados Físicos da Matéria

Tipos de Estados Físicos As substâncias presentes na natureza podem-se apresentar sob três estados: •Sólido: forma definida; volume definido; baixa energia cinética das moléculas.

•Líquido: forma variável; volume definido; média energia cinética das moléculas.

•Gasoso: forma variável; volume variável; alta energia cinética das moléculas.

Mudanças de Estado Físico

As substâncias variam seu estado físico de acordo com a temperatura e pressão. Existem diferentes tipos de mudanças de estado as quais podem-se dividir em dois grupos:

Mudanças que ocorrem com ganho de energia:

Fusão– passagem do estado sólido para o líquido. Vaporização– passagem do estado líquido para o gasoso. Subdivide-se em três casos: •Evaporação– passagem lenta que se processa espontaneamente. Exemplo:As águas de uma praia num dia de sol.

•Ebulição– passagem rápida que se processa sempre numa determinada temperatura. Exemplo:Quando fervemos água numa panela.

•Calefação– passagem muito rápida ocorrida devido a uma grande variação de temperatura. Exemplo:Quando jogamos água em uma chapa metálica incandescente.

Observação: A evaporação pode ser acelerada por quatro fatores: temperatura, pressão, superfície líquida exposta e ventos.

Mudanças que ocorrem com perda de energia:

Liquefação (ou condensação)– passagem do estado gasoso para o líquido. Solidificação– passagem do estado líquido para o sólido. Observação: Sublimação– é a passagem direta do estado sólido para o gasoso e vice-versa. Nessa mudança, pode ocorrer ganho ou perda de energia dependendo do sentido em questão. Ex.: Gelo seco e bolinhas de naftalina.

Fenômenos

Dividem-se em: físicos, químicos, físico-químicos e biológicos. •Físicos– não alteram a natureza das substâncias, apenas seu estado de agregação (sempre reversíveis). Exemplo: fusão, dilatação.

•Químicos– alteram a natureza das substâncias (geralmente irreversíveis). Exemplo:combustão, oxidação (ferrugem).

• Físico-químicos – mesclam características dos dois anteriores. Exemplo: eletrólise.

•Biológicos– são os fenômenos que ocorrem com os seres vivos. Exemplo: circulação, audição.

Propriedades da Matéria

Gerais– propriedades presentes em todas as substâncias. São elas: extensão, inércia, impenetrabilidade, porosidade, elasticidade, compressibilidade, elasticidade, etc. Específicas– propriedades particulares a cada substância. Podem ser físicas (Ex.: ponto de fusão e ebulição.), químicas (Ex.: oxidação.) ou organolépticas (Ex.: sabor.).

Conceitos Fundamentais

Átomo É a menor porção de uma matéria que mantém suas características físicas e químicas.

Elemento químico

Apesar de conhecermos diversos tipos de matérias diferentes, os cientistas só conhecem um pouco mais de cem tipos de átomos diferentes. Cada um desses tipos representa um elemento químico. Cada elemento químico possui um nome e uma abreviação: Exemplo: Carbono → C Fósforo → P Cobre→Cu

Molécula

É a reunião de um determinado número de átomos. Exemplo:Quando dois átomos de hidrogênio se ligam a um átomo de oxigênio, uma molécula de água se forma.

Substância Pura

É um conjunto de inúmeras moléculas iguais. As substâncias químicas dividem-se em: substâncias simples esubstâncias compostas. Substâncias simples– são aquelas formadas por átomos de apenas um elemento químico.

(Parte 1 de 4)

Comentários