25 biologia química portugues

25 biologia química portugues

(Parte 4 de 5)

O processo de abertura da antera, com liberação dos grãos de pólen, é denominado deiscência (do latim de, saída, e hiscere, abertura). O transporte do pólen até o estigma da própria flor ou de outras flores, denominado polinização, pode ser realizado por diversos tipos de agentes polinizadores: pelo vento (anemofilia), por insetos (entomofilia), por pássaros (ornitofilia), por morcegos (quiropterofilia), por pássaros (ornitofilia), por morcegos (quiropterofilia), pela água (hidrofilia) ou mesmo por seres humanos, quando empregam procedimentos artificiais na polinização de espécies cultivadas. As plantas desenvolveram diversas adaptações à polinização. Plantas polinizadas pelo vento, como as gramíneas, possuem flores pequenas e discretas, sem nenhum tipo de atrativo. Geralmente elas não têm perianto ou este é pouco atraente. As anteras têm filetes longos e flexíveis que oscilam ao vento, o que facilmente a dispersão do pólen por ocasião da deiscência da antera. Essas flores produzem grande quantidade de pólen e têm estigmas desenvolvidos, o que aumenta as chances de polinização. Flores polinizadas por animais geralmente têm características que atraem os polinizadores, como corola vistosa, glândulas odoríferas e produtoras de substâncias açucaradas (nectários). Seus estigmas costumam ter tamanho reduzido e a quantidade de pólen produzida nos estames é relativamente pequena. Há flores que produzem dois tipos de estames, um grão de pólen férteis mas pouco atraentes e outro com pólen atraente e comestível. Um inseto polinizador, à procura do pólen comestível, impregna-se com o pólen fértil, transportando-o de uma flor para outra.

01.(Uel) Uma característica das gimnospermas, que as diferencia das pteridófitas, é a ocorrência de

a)raízes;b) vasos condutores;

c)flores e sementes; d) geração gametofítica; e) geração esporofítica.

02.(UFRS) A frase a seguir apresenta cinco segmentos em maiúsculo. Assinale a letra correspondente ao segmento que contém um erro.

O pinheiro-do-Paraná (‘Araucaria angustifolia’), uma espécie NATIVA (a) no Rio Grande do Sul, é uma GIMNOSPERMA (b), cujo FRUTO (c), o “pinhão”, apresenta ENDOSPERMA (d) e EMBRIÃO (e).

03.(UFSM) As plantas que, ao atingirem a maturidade sexual, formam ramos reprodutivos chamados estróbilos masculinos e estróbilos femininos pertencem ao grupo das a) Angiospermas apenas. b) Gimnospermas apenas. c) Briófitas. d) Pteridófitas. e)Angiospermas e Gimnospermas.

04.(UFSM) Analise a citação: “O nadar dos anterozóides é substituído pelo crescer do tubo polínico”. Em que grupo vegetal esse fenômeno de substituição se processou, pela primeira vez?

a)Briófitas

b) Pteridófitas. c) Gimnospermas. d)Angiospermas – Monocotiledôneas. e)Angiospermas – Dicotiledôneas.

05.(Unirio) A polinização anemófila é uma característica das:

c)gimnospermasd) pteridófitas.

a)monocotiledôneas. b) dicotiledôneas. e) angiospermas.

06.(Fatec) Considere as seguintes características dos vegetais: I.sistema vascular I.grãos de pólen e tubo polínico I.sementes nuas. Dessas, são comuns às gimnospermas e angiospermas

a)somente Ib) somente I. c) somente II.
d)I e I apenase) I, I e I.

07.(Uece) No processo de reprodução de uma GIMNOSPERMA:

a)não há formação de tubo polínico; b)os óvulos, de tamanho microscópicos, estão contidos em grandes ovários; c)os óvulos não estão contidos num ovário; d)há formação de frutos sem sementes.

Desafio Biológico

Simbolismo

1.ASPECTOS GERAIS

Cronologia– Cronologicamente, o Simbolismo dura no Brasil de 1893 a 1902. Depois da Semana de Arte Moderna (1922), alguns poetas, Cecília Meireles entre eles, passam a praticar um simbolismo tardio, também conhecido como Neo-simbolismo.

Início no Brasil– As primeiras obras do Parnasianismo brasileiro são:

a)Missal(prosa poética, 1893), de Cruz e Sousa.

b)Broquéis(poesias, 1893), de Cruz e Sousa.

Decadentistas– A primeira manifestação simbolista brasileira dá-se no Rio de Janeiro. Um grupo de jovens, insatisfeitos com a objetividadee com o materialismo apregoados pelo Realismo-Naturalismo-Parnasianismo, começa a divulgar as idéias estético-literárias vindas da França. Ficam conhecidos como decadentistas. O grupo decadentista é formado principalmente por Oscar Rosas, Cruz e Sousa e Emiliano Perneta.

Primeiro manifesto– O primeiro manifesto do Simbolismo brasileiro é publicado no jornal Folha Popular, do Rio de Janeiro.

Antiparnasianista– O Simbolismo é a negação do Realismo-Naturalismo-Parnasianismo. O movimento nega o materialismo e o racionalismo, pregando as manifestações metafísicas e espiritualistas.

Neo-simbolismo– A influência do Simbolismo brasileiro não se limita à data de 1902 (início do Pré-Modernismo). Muitos modernistasda primeira fase adotam postura neosimbolista, entre eles Cecília Meireles.

Principais linhas– O Simbolismo brasileiro segue três linhas bem distintas:

a) Poesia humanístico-social– Linha adotada por Cruz e Sousa e continuada por Augusto dos Anjos. Preocupa-se com os problemas transcendentais do ser humano.

b)Poesia místico-religiosa– Linha adotada por Alphonsus de Guimarães. Preocupa-se com os temas religiosos, afastandoseda linha esotérica adotada na Europa.

c)Poesia intimista-crepuscular– Linha adotada por pré-modernistas ou modernistas como Olegário Mariano, Guilherme de Almeida, Ribeiro Couto, Manuel Bandeira. Preocupa-se com temas cotidianos, sentimentos melancólicos e gosto pela penumbra.

2.CARACTERÍSTICAS DO SIMBOLISMO a)Misticismo e espiritualismo– A fuga da realidade leva o poeta simbolista ao mundoespiritual. É uma viagem ao universo invisível e impalpável do ser humano. Essa tendência é marcada pelo uso de vocabuláriolitúrgico: antífona, missal, ladainha, hinos, breviários, turíbulos, aras, incensos.

b)Falta de clareza– Os poetas acham que é mais importante sugerir elementos da realidade, sem delineá-los totalmente. A palavra é empregada para ter valor sonoro, não importando muito o significado.

c)Subjetivismo– A valorização do eue da irrealidade, valorizada pelos românticos e negada pelos parnasianos, volta a ter importância.

d)Musicalidade– Para valorizar os aspectos sonoros das palavras, os poetas não se contentam apenas com a rima. Lançam mão de outros recursos fonéticos tais como:

Aliteração– Repetição seqüencial de sons consonantais. A seqüência de vocábulos com sons parecidos faz que o leitor menospreze o sentido das palavras para absorver-lhes a sonoridade. É o que ocorrenos versos seguintes, de Cruz e Sousa:

Vozes veladas, veludosas vozes, Volúpia dos violões, vozes veladas, Vagam nos velhos vórtices velozes, Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. (Violões que Choram)

Assonância– É a semelhança de sons entre as vogais, numa seqüência de palavrasde um poema.

d)Sinestesia– Os poetas, tentando ir além dos significados usuais das palavras, terminam atribuindo qualidade às sensações. As construções parecem absurdas e só ganham sentido dentro de um contexto poético. Vejamos algumas construções sinestésicas: som vermelho, dor amarela, doçura quente, silêncio côncavo.

e)Maiúsculas no meio do verso– Os poetas tentam valorizar as palavras grafandoas com letra maiúscula.

f)Cor branca– Principalmente Cruz e Sousa tem preferência por um vocabulário que sugere brancuras e transparências.

3.AUTORES E OBRAS CRUZ E SOUSA

Nascimento e morte– João da Cruz e Sousanasce em Desterro, atual Florianópolis (SC), em 24 de novembro de 1861. Falece em Sítio (MG), em 19 de março de 1898.

Filho de escravos– Os pais de Cruz e Sousa são negros e escravos. São alforriados por seu senhor, o coronel (depois marechal) GuilhermeXavier de Sousa, de quem João da Cruz recebe o último sobrenome e a proteção.

1871– É matriculado no Ateneu Provincial Catarinense, onde estuda até o fim de 1875.

1881– Parte para uma viagem pelo Brasil, acompanhando a Companhia Dramática Julieta dos Santos.

1884– É nomeado promotor de Laguna, mas não pode tomar posse porque os políticos racistas impugnam a nomeação.

1885– Estréia na literatura com Tropos e Fantasias, em colaboração com Virgílio Várzea.

1888– A convite do amigo Oscar Rosas, parte para o Rio de Janeiro, onde conhece o poeta Luís Delfino, seu conterrâneo, e Nestor Vítor – grande amigo e divulgador de sua obra.

1889– Retorna a Desterro, por não ter conseguido colocação no Rio de Janeiro.

1890– Vai definitivamente para o Rio de Janeiro, onde obtém emprego com a ajuda de Emiliano Perneta.

1893– Publica Missal(poemas em prosa) em

Literatura Professor João BATISTA Gomes

01.Dados os itens seguintes, escolha a alternativa que contém, em seqüência, o período literário a que cada um faz alusão.

IEstética que explora a sonoridade da língua e procura aproximar a poesia da música.

IICulto do contraste. IIIPreocupação em retratar a realidade. IVEscapismo e valorização do eu.

a)Simbolismo, Barroco, Realismo,

Romantismo. b)Romantismo, Parnasianismo, Realismo,

Romantismo. c)Simbolismo, Barroco, Parnasianismo,

Modernismo. d)Simbolismo, Arcadismo, Naturalismo,

Romantismo. e) Romantismo, Arcadismo, Realismo, Pré-Modernismo.

02.(Desafio do Rádio) Identifique o período literário a que pertence a estrofe seguinte.

gela, fica a tremer, maravilhosa

A música da Morte, a nebulosa, estranha, imensa música sombria, passa a tremer pela minh'alma e fria a) Romantismo. b) Parnasianismo. c) Arcadismo. d) Modernismo. e) Simbolismo.

03.(Desafio da TV) Assinale a alternativa que não se refere ao Simbolismo.

a)Na busca de uma linguagem exótica, colorida, musical, os autores não resistem, muitas vezes, à idéia de criar novos termos. b)Ocorre grande interesse pelo individual e pelo metafísico. c) Há assuntos relacionados ao espiritual, ao místico, ao religioso. d) Nota-se o emprego constante de aliterações e assonâncias. e) Busca-se uma poesia formalmente perfeita, impassível e universalizante.

04.(PUC-SP) Sobre o Simbolismo, podemos afirmar que:

a)Sua poesia é marcada por fenômenos naturais e fatos históricos. b)As palavras são escolhidas pela sonoridade e pelo ritmo, buscando representar a essência e não a realidade. c)É uma volta aos motivos clássicos, com intenção anti-romântica. d)Suas características principais são a clareza, a ordem lógica e a simplicidade. e)É a poética predominante no Brasil, na época do Realismo.

Desafio literário fevereiro, e Broquéis(poesias) em agosto. Dia 9 de novembro, casa-se com Gavita Rosa Gonçalves, moça negra que lhe dá 4 filhos: Raul, Guilherme, Reinaldo e João – todos morrem em tenra idade. É nomeado arquivistada Central do Brasil.

1895– Recebe a visita do poeta Alphonsus de Guimaraens, que vem de Minas Gerais (Mariana) especialmente para conhecê-lo.

1896– Em março, sua esposa Gavita apresenta sinais de loucura. O distúrbio mental dura seis meses.

1987– Evocações(poemas em prosa que seriam publicados postumamente) encontrase pronto. Ano de sérias dificuldades financeiras e de comprometimento da saúde do poeta.

1898– Morre em 19 de março, em Sítio (Estado de Minas Gerais), para onde partira três dias antes, na tentativa de recuperar-se de uma crise de tuberculose. Tem 37 anos. Seu corpo chega ao Rio de Janeiro num vagão destinado ao transporte de cavalos. José do Patrocínio encarrega-se dos funerais. Publicação póstuma de Evocações. Nasce-lhe o filho póstumo, João da Cruz e Sousa Júnior, em 30 de agosto (morreria em 1915, aos 17 anos). Seus outros três filhos morrem antes de 1901, ano em que morre sua esposa Gavita.

1900– Dá-se a publicação de Faróis, coletânea de poesias organizada por Nestor Vítor.

1. Tropos e Fantasias(poesias, 1885) 2. Missal(poemas em prosa, 1893 3. Broquéis(poesias, 1893) 4. Evocações(poesias, 1898) 5. Faróis(poesias, 1900) 6. Últimos sonetos(poesias, 1905)

1. Antífona 2.Vida Obscura 3.Acrobata da Dor 4.Cárcere das Almas 5.Caminho da Glória 6.Violões que Choram

Violões que choram

Soluços ao luar, choros ao vento

Ah! plangentes violões dormentes, mornos, Tristes perfis, os mais vagos contornos, Bocas murmurejantes de lamento.

Vozes veladas, veludosas vozes, Volúpias dos violões, vozes veladas, Vagam nos velhos vórtices velozes Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas.

Nascimento e morte– Afonso Henriques da Costa Guimarãesnasce em 24 de julho de 1870, na cidade de Ouro Preto (MG). Falece em 15 de julho de 1921.

Morte de Constança– Tenta cursar Engenharia(1887). Em 1888 (28 de dezembro), morre sua noiva, Constança, filha de Bernardo Guimarães, autor de A Escrava Isaura. A morte da moça abala moral e fisicamente o poeta.

Direito em São Paulo– Em 1891, vai para São Paulo, onde se matricula no curso de Direito da Faculdade do Largo São Francisco. Após concluir o curso, volta para Minas Gerais.

Quatorze filhos– Em 20 de fevereiro de 1897, casa-se com a jovem Zenaide de Oliveira,com quem tem 14 filhos, dois dos quais se tornam escritores: João Alphonsus e Alphonsus de Guimaraens Filho.

Mariana– Em 1906, é nomeado juiz em Mariana, isolando-se ali até a morte, em 15 de julho de 1921. O isolamento dá origem ao apelido “O Solitário de Mariana”.

Poesia religiosa– Apesar dos 14 filhos com Zenaide, o amor por Constança (a noiva morta)marca profundamente sua poesia, impregnadade profunda religiosidade (é devoto da Virgem Maria).

1.Sentenário das Dores de Nossa Senhora (poesias, 1899) 2.Câmara Ardente(poesias, 1899). 3.Dona Mística(poesias, 1899) 4. Kyriale (poesias, 1902) 5.Pauvre Lyre(poesias, 1921) 6.Pastoral aos crentes do Amor e da Morte (poesias, 1923)

Nascimento e morte– Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjosnasce no engenho Pau-d’Arco, perto da Vila do Espírito Santo, Estado da Paraíba, em 20 de abril de 1884.

Direito– Em 1903, com 19 anos, ingressa na Faculdade de Direito do Recife, palco das apaixonantes discussões filosófico-cientíticas.

Morte do pai– Em 1905, morre-lhe o pai, seu único professor de humanidades. A lembrançado pai morto é uma referência constante na sua poesia.

Casamento e demissão– Em 1910 (4 de julho),casa-se com D. Ester Fialho, sua conterrânea.Desavém-se com o governador do Estado(João Machado) que lhe nega licença para ir ao Rio de Janeiro sem perder o cargo de professor do Liceu Paraibano.

Perda do filho– Em 1911 (2 de fevereiro), D. Ester perde o primeiro filho do casal: a criança morre antes de nascer.

Primeiro e único livro– Em 1912, Augusto dos Anjos publica seu primeiro e único livro, o volume de poesias Eu. É uma edição particular, apenas 1000 exemplares, financiada pelo irmão Odilon. O livro é recebido com grande impacto e estranheza por parte da crítica, que oscila entre o entusiasmo e a repulsa. Nasce a filha do poeta, Glória.

Morte em Minas Gerais– Em 1914 (primeiro de julho), Augusto é nomeado diretor do grupoescolar Ribeiro Junqueira, em Leopoldina, Minas Gerais. Muda-se para lá no mesmo mês, assumindo o cargo. Em outubro (31), é acometido de forte gripe que, em doze dias, o arrasta para o cemitério (12 de novembro).

Vocabulário insólito– A poesia de augusto dos Anjos exibe um vocabulário incomum: vermes, sangue podre, cuspe, catarro, coveiro, urubu, cadáver, cemitério, escarro, etc. Veja duas estrofes do soneto Versos íntimos:

Toma um fósforo. Acende teu cigarro! O beijo, amigo, é a véspera do escarro, A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga, Apedreja essa mão vil que te afaga, Escarra nessa boca que te beija!

Antífona Cruz e Sousa

Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas! Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras

(Parte 4 de 5)

Comentários