O xeque mate do grande jogo de xadrez da eletricidade industrial

O xeque mate do grande jogo de xadrez da eletricidade industrial

(Parte 2 de 8)

Importante que não se esqueçam das árvores, pois como outros elementos metálicos também estão sujeitas aos efeitos elétricos de raios. Por este motivo devem ser consideradas em suas avaliações de riscos, com precisas anotações, e constar em relatório mantendo considerações suficientes, informando sobre as responsabilidades jurídicas e técnicas da empresa e, ainda sociais que dizem respeito a saúde e vida de seus funcionários e visitantes. Acidentes com danos às pessoas em sua propriedade nunca será bom, isto custa e muito caro para a empresa.

No sentido figurado, é uma situação jurídica que envolve riscos e perigos para as pessoas e a empresa. Por este motivo as áreas de Engenharia, Segurança e Jurídica devem agir alertando a todos os usuários da empresa, garantindo proteções contra os diversos eventos por riscos elétricos, principalmente neste que tratamos como perigosos os de raios em árvores.

Auditores Internos NR-10 Pág. 5/29

Luís Eduardo de Oliveira - Independent Professional Training & Coaching - E-mail: luedu50@gmail.com - Cels. 19 98122-6378 / 19 99881-5817

Só se protege árvores por razões históricas ou sentimentais, sendo assim, seria interessante bem analisarem sobre os riscos em árvores dentro de sua unidade industrial, alertando seus funcionários e terceiros já nesta mesma etapa. Propiciar a todas pessoas informações visíveis de proteções contra danos a que estão expostos permanecendo em suas proximidades por ocasião de tempestades. Assim, se assegurará responsabilidades com boas informações e providências, oferecerá segurança para a preservação da vida humana e mais, estarão atendendo aos ditames do que dispõe no objeto de lei, a NR-10.

Seguindo informo que nesta “primeira etapa” de trabalhos os auditores também examinarão todas as fichas técnicas inerentes a matérias-primas armazenadas e disponibilizadas para produções e fornecimentos. Devem ser requisitadas para conhecimento, inclusive as documentações de Meio Ambiente (PGRSI, PGRSS, etc.) e da Qualidade (Produtos Químicos nos Processos Industriais, Controle em Laboratórios de Produtos Químicos, etc.).

Tudo que se refere a controles e aplicações na empresa é importante que seja examinado para aplicações seguras nos procedimentos de trabalhos e segurança. Isto por que quando tratamos de possibilidades de riscos e execuções de serviços com e em eletricidade em áreas e meios especiais tudo deve ser muito bem apreciado sob o ponto de vista de acidentes por eletricidade.

Estarão ainda nesta etapa analisando seus textos recomendados para instruções de Procedimentos e Ordens de Serviços

(OS) elétricos e mecânicos. Verificarão quanto as extensões dadas quando dos levantamentos feitos nas instalações elétricas pelos elaboradores externos (terceiros) e, de propostas executivas para manutenções locais em suas instalações prediais e estruturais eletromecânicas, inclusive para aquelas nos próprios sistemas elétricos.

Importante entender que para estas observações devem se basear não só nas Normas Executivas da ABNT, mas também em outras Normas de Gestão, Decretos, Decisões Normativas e Resoluções, atendendo a métodos e as recomendações citadas para que haja um correto trabalho de levantamentos de dados. Todas as informações servirão de base para a elaboração dos documentos preliminares e, bem auxiliarão nas emissões oficiais conclusivas, importantes as quais seguramente atenderão as determinações deste objeto de lei, a NR-10.

I - Descrições básicas que tratam dos trabalhos de auditoria interna recomendados para esta “primeira etapa”.

Este processo de organização implica em um conjunto de decisões para ações futuras seguras.

Deve, pois ser entendido pela Alta Direção da empresa como uma organização que dispõe de um processo racional, voltado para o futuro, por meio do qual se poderá introduzir um maior grau de eficiência e segurança às atividades dentro do segmento elétrico de sua empresa.

Nesta “primeira etapa”, onde começamos mirar metas e soluções que nos levam as possibilidades de Risco Elétrico Zero iniciarão com as análises preliminares das instalações elétricas, documentações e certificações. Devem nesta etapa preverem atividades práticas que levem ao conhecimento desconformidades técnicas e administrativas, pois tudo deve constar dos relatórios de avaliações preliminares por esta auditoria interna, para tanto terão que conhecer também além das condições já anteriormente descritas no mínimo sobre estes assuntos:

a. Analises dos documentos e organização sobre as Instalações elétricas - examinar a concepção geral do sistema energético, projetos, ART, levantamentos de cálculos gerais e do sistema de distribuição - e dos documentos faltantes (desenhos, seletividade dos sistemas elétricos e segurança no seu bloqueio em desligamento e religamento); b. Verificar sobre os procedimentos de trabalhos e aplicações para a Segurança Operacional Pessoal; c. Análises sobre as aplicações de sinalizações adequadas para as áreas de ocupações dos sistemas elétricos; d. Exame sobre o uso e procedimentos de trabalhos que visam Bloqueios Elétricos das instalações; e. Organização dos procedimentos de trabalhos e outros dados sobre as condições físicas das subestações; f. Programa sobre procedimentos e análises de transformadores e afins. Atendem-se às análises para o cumprimento de planejamentos em manutenções e aplicações técnicas; g. Análises sobre a organização de todos os procedimentos aplicáveis às intervenções e construções de instalações e serviços em eletricidade;

Auditores Internos NR-10 Pág. 6/29

Luís Eduardo de Oliveira - Independent Professional Training & Coaching - E-mail: luedu50@gmail.com - Cels. 19 98122-6378 / 19 99881-5817 h. Exame sobre as regras adotadas para procedimentos sobre estas condições que cabem a espaços vazios em CCM’s, PLC’s e demais painéis elétricos; i. Certificações e análises dos atuais desenhos relativos à Iluminação e Força e os procedimentos de trabalhos que a eles são empregados; j. Exame das relações e condições de conservação, uso, controle e distribuição de todos os equipamentos de Proteções

Individuais e Coletivas. Classificação e determinação através dos dados de procedimentos sobre as condições de uso segundo as áreas onde estão sendo utilizados. Verificar quanto a existência ou não de estudos preliminares de todas as áreas e instalações da empresa analisando suas APR’s pontuais - Análises Preliminares de Riscos que, após revistas às aplicam nas execuções locais e, nas proteções adotadas para funcionários e terceiros em execuções previstas para as diversas instalações elétricas na unidade industrial; k. Análises sobre os procedimentos adotados para atuações dos técnicos das áreas de Segurança e CIPA e, a aplicação sobre o uso dos equipamentos e sistemas de proteções contra incêndio em subestações elétricas e outros sistemas elétricos das instalações da empresa; l. Exame dos desenhos, laudos e relatórios que se aplicam as proteções de estruturas e edificações contra os eventos decorrentes de descargas elétricas atmosféricas. Assim como, daquelas proteções para os sistemas elétricos e de comunicações de voz e dados e para as demais áreas e instalações contra os eventos por faiscamentos, eletricidade estática, choques elétricos e surtos elétricos transitórios (sobretensões elétricas e transientes); m. Exame dos desenhos a que se aplicam as estruturas, máquinas e equipamentos sobre os riscos por efeitos de eletricidade estática, faiscamentos e choques elétricos nestes elementos; n. Avaliações dos dados aplicáveis às instalações elétricas à prova de explosão, verificando proteções e classificação de áreas desta natureza onde podem se notar a presença de produtos sólidos e líquidos inflamáveis sujeitos a inflamabilidade e explosividade. Examinar os riscos em decorrência de ocorrências pelas diversas possibilidades de efeitos de eletricidade; entre outros elementos e produtos dispostos nas instalações e que também possam influenciar nas realizações de trabalhos - importante notarem sobre a existência ou não, procedimentos e formas de uso das vestimentas especiais e ferramental apropriado em áreas classificadas; o. Verificar quanto às análises e documentações que indiquem corretamente sobre os dados e a classificação das áreas de risco, conforme tratativa da nova NR-10 do Ministério do Trabalho; p. Verificar sobre os contratos de prestadores de serviços em manutenções e instalações em sistemas elétricos e eletromecânicos; q. Verificar sobre Anotações de Responsabilidade Técnica, junto ao CREA, adotadas eventualmente pela empresa que possam se aplicar a obras sugeridas e desenvolvidas pela própria empresa para que sejam executadas em seus sistemas e instalações elétricas - este item é importante e bem devem anotar para que se elimine praticas irregulares, não regulamentadas. Verificar sobre responsabilidades técnicas e autorizações formais feitas por profissionais habilitados com relações firmadas entre o CREA e a empresa; r. Verificar sobre orientações para o suo dos EPI’s, EPC’s e ferramentais classificados, adotados e utilizados pela empresa e suas exigências de uso por terceiros para os seus trabalhos em eletricidade em suas dependências; s. Examinar a existência de fichas e cartas contendo Certificação dos equipamentos elétricos e materiais adotados que possam ser utilizadas nas diversas áreas convencionais e, principalmente classificadas (EX) da empresa; t. Verificar sobre a existência de manuais contendo os Planos de Manutenções adotados pela empresa para os seus seguimentos elétricos que possam se referir às atividades de manutenções Preditivas, Programadas, Preventivas e Corretivas; u. Certificados de avaliações e projetos dos sistemas de proteções da unidade (SPDA, Aterramentos, Instalações EX e Equipamentos), incluindo materiais adquiridos e fornecidos para o uso em eletricidade, e

Auditores Internos NR-10 Pág. 7/29

Luís Eduardo de Oliveira - Independent Professional Training & Coaching - E-mail: luedu50@gmail.com - Cels. 19 98122-6378 / 19 99881-5817 v. Análises sobre os atestados de saúde dos funcionários e terceiros que se aplicam aos que interagem através de seus trabalhos em sistemas e instalações elétricas.

I - Plano preliminar de investigação que deve ser adotado pelo Grupo Gestor e Auditores Internos. a. Análises dos procedimentos adotados sobre as proteções contra fenômenos físicos; b. Exame sobre os procedimentos de análises e aplicações sobre os dispositivos de medição, regulação de comandos e alarmes; e verificações sobre a sua compatibilidade, a probabilidade de ocorrências de falhas e interrupções, redundância, comportamento do abrigo de falhas (fail-safe system), hierarquização de alarmes e possibilidades manuais de interseções; c. Exame sobre os procedimentos que possam notar quando dos levantamentos preliminares de trabalhos ou auditorias técnicas constantes sobre a possibilidade de falhas particulares, críticas / defeitos, interrupção de energia, manipulação errôneas / omissões, falhas ocorridas sobre os grupos auxiliares (bombas, CCM’s, grupos geradores, etc.); d. Verificar os documentos que ditam procedimentos contendo análises e aplicações de segurança e manutenções quanto às instalações e uso dos condutores de energia e aos eventuais riscos de perigo pelas possibilidades de incêndio e ignições; e. Fornecimento de informações da empresa sobre pessoal interno e a elaboração dos procedimentos de trabalhos - à necessidade que se aplique corretamente as verificações locais sobre as possibilidades de intervenções manuais por seus técnicos e terceiros. Trabalho feito à mão, tratamento das informações, inclusive em painéis de comando; f. Verificar sobre o estado do conhecimento dos funcionários sobre as disposições e construções das instalações elétricas da empresa e a aplicação dos sistemas de segurança. Perigos específicos, riscos específicos e treinamentos segundo missões dadas (Análises de Riscos e Ordens de Serviços em trabalhos com eletricidade); g. Exigência ligada aos trabalhos internos por parte de funcionários da empresa - diferenciação dos profissionais

Habilitados, Capacitados e Qualificados, com verificações de treinamentos e autorizações formais assinadas por habilitados e a direção da empresa - (RH, conteúdo específico segundo o que estabelece a Norma Regulamentadora NR-10 do Ministério do Trabalho e Emprego); h. Exposição, medidas de proteções, meios de proteções pessoais e coletivos e formas de monitoramentos, e i. Verificar sobre as formas adotadas pela empresa que levam a confidencialidade com relação às suas documentações, informações recebidas e atividades seguidas e que abrangem informações de seu segmento elétrico.

I - Compete aos auditores ainda observarem sobre Risco Residual.

a. Análises preliminares sobre as documentações e orientações no que dizem respeito a avaliações de riscos, tomadas de consciência oferecida através de treinamentos e trabalhos em campo, documentos de liberações de trabalhos internos e de terceiros. Riscos reconhecidos que possam ou não ter sido avaliado de maneira errada, e b. Riscos não reconhecidos.

IV - Fornecimento de Relatório de Avaliações e compromissos dos Auditores com a sua empresa.

a. Os Auditores Internos devem se expressar através de relatórios específicos, relatando sobre as auditorias (verificações) feitas em todas as instalações elétricas da empresa e em cada uma das áreas envolvidas e que fazem parte deste processo de organização. Entende-se que as áreas auditadas têm informações que fazem parte de todo conjunto de documentações que devem constar do Prontuário geral da empresa; b. Informarão também sobre as análises documentais e das próprias instalações, confirmando desconformidades encontradas e as formas para que possam ter quantificados investimentos e trabalhos para continuidade de adequações documentais inerentes ao segmento elétrico da empresa que serão realizados na “segunda etapa“ de organização;

Auditores Internos NR-10 Pág. 8/29

Luís Eduardo de Oliveira - Independent Professional Training & Coaching - E-mail: luedu50@gmail.com - Cels. 19 98122-6378 / 19 99881-5817 c. Sempre é importante lembrar que este grupo de Auditores Internos tem por obrigação manter sigilo sobre suas realizações, desta forma, os vários assuntos e propostas sempre serão tratadas entre os membros do Grupo Gestor e a Alta Direção da empresa. Não se admite nesta composição desvios de informações para que não se comprometa os negócios e o bom andamento de trabalhos da empresa, e d. Deve lembrar ainda, que suas propostas e relatórios certamente serão lidos e comentados a pedido da própria Direção da empresa por Auditores Independentes. Por este motivo tudo deve ser muito claro, bem cuidado e preciso tendo em vista que as certificações e emissões finais sempre serão emitidas por terceiros habilitados e autorizados para isto. Os Auditores Internos facilitarão para que se alinhem bem resultados finais, organizando seus documentos, as instalações e trabalhos que se apliquem ao segmento elétrico para o atendimento a segurança e legislações nacionais vigentes.

(Parte 2 de 8)

Comentários